Estrutura curricular (novo projeto pedagógico) licenciatura núcleo Específico de Geografia (20)



Baixar 2.45 Mb.
Página3/22
Encontro29.07.2016
Tamanho2.45 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   22




BIBLIOGRAFIA

DICKINSON. G.C. Statistical mapping and the presentation of statistic. Ed. Arnold 2º edição. London, 1973.

DUARTE, P. A. Cartografia básica. Ed. da Universidade Federal de Sta. Catarina. UFSC – Departamento de Geociências, 2a. Edição, SC, 1988.

DUARTE, P. A. Cartografia Temática. Ed. da Universidade Federal de Sta. Catarina. UFSC, 1991.

DUARTE, P. A. Fundamentos de cartografia. Ed. da Universidade Federal de Sta. Catarina. UFSC, 2a Edição, SC 2002.



Escuela Cartográfica del IAGS. Cartografia Temática -Textos do curso nº C-304..– Inter American Geodetic Survey. Zona do Canal. Panamá.
FILHO. J. M. Elementos de cartografia técnica e histórica. 1º Volume. Belém. 1993.

FILHO. J. M. Elementos de cartografia técnica e histórica. 2º Volume. Belém. 1997.

FITZ, P. R. Cartografia básica. Ed. La Salle. RS, 2000.

Gerardi. L. H. & SILVA, B. C. N. Quantificação em Geografia. Ed. Difel São Paulo,1981.

IBGE. Sistema de classificação do uso da terra e do revestimento do solo para utilização com dados de sensores remotos. RJ,1979.

IBGE. Manual técnico de uso da terra, Rio de Janeiro, 1999.

IBGE. Atlas geográfico escolar. Rio de Janeiro, 2002.



Joly. F. La cartografia. Barcelona: Ariel. 1979.

Joly. F. A Cartografia -Tradução Tânia Pellegrini. A Cartografia. Ed. Papirus, 1990.

LOCH, R. E. N. Cartografia: representação, comunicação e visualização de dados espaciais. Florianópolis: UFSC, 2006. 313 p.



Martinelli, M. Curso de cartografia temática. São Paulo. Ed. Contexto, 1991.

MARTINELLI, M. Gráficos e mapas: construa-os você mesmo. São Paulo: Ed. Moderna,1998


Martinelli, M. Cartografia temática. Caderno de Mapas. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2003

Oliveira C. de. Dicionário cartográfico – 3a. Edição . IBGE. RJ, 1987.

Oliveira C. de. Curso de cartografia moderna. IBGE. RJ, 1988.

Nascimento. D. M. C. & MOTTE, J. P. Mapa de uso atual da terra: instrumento do planejamento. Revista Analise e Dados. Salvador. V.2 n.1. pág.72-74. jun.,1992.

RaisZ, E. Cartografia geral. Ed. Científica. RJ, 1969.

Robinson, A. ; Sale, R. & Morrison. J. Elements of cartography. J. Wiley, 4.ed. New York,1978.

SILVA. B. C. N. Contribuição à metodologia da cartografia temática: O exemplo da variabilidade das precipitações anuais no Estado da Bahia. Geografia. Rio Claro: 6(11/12): 179-197, out,1981.

SILVA. B. C. N. Comportamento das chuvas no Estado da Bahia: uma contribuição cartográfica. Salvador. UFBA, 1984.

TEIXEIRA, A. L. de A. & CHRISTOFOLETTI, A. Sistemas de Informação Geográfica: dicionário ilustrado. Editora Huctec. São Paulo, 1997.














Assinatura e Carimbo do Chefe do Departamento

Programa aprovado em reunião plenária do dia ____/____/____






Assinatura e Carimbo do Coordenador do Curso

Programa aprovado em reunião plenária do dia ____/____/____










UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

SUPERINTENDÊNCIA ACADÊMICA

SECRETARIA GERAL DOS CURSOS





PROGRAMA DE COMPONENTES

CURRICULARES



COMPONENTE CURRICULAR










CÓDIGO




NOME

GEO 000




Geografia das Águas Continentais



CARGA HORÁRIA




MÓDULO




SEMESTRE VIGENTE

T

P

E

TOTAL




T

P

E







34

43

8

85




30

15

30








EMENTA

O significado geográfico da água no estudo da natureza. Ciclo hidrológico. Infiltração, evaporação e transpiração. Sistemas de escoamento e precipitações. O estudo das bacias fluviais como unidade geográfica de referência: a dinâmica fluvial e suas características. Características da bacia de drenagem, morfogênese das bacias fluviais. Os regimes fluviais e suas relações com o clima. A questão do uso, manejo e conservação dos recursos hídricos. As bacias lacustres e as geleiras: suas características e dinâmica. Excursão de campo obrigatória.



OBJETIVOS

- Desenvolver habilidades nos alunos para entender os processos hídricos que desenvolvem sobre a superfície terrestre,  analisar bacias hidrográficas e utilizar os principais métodos e técnicas necessárias na interpretação das condições hidrológicas, no âmbito da Geografia;

- Definir o conceito de ciclo hidrológico e a importância da água na natureza;

- Mapear redes de drenagem e bacias hidrográficas para realizar medidas morfométricas;

- Interpretar a importância da bacia hidrográfica como unidade de pesquisa e planejamento;

- Discutir os Recursos Hídricos na atualidade;

- Reconhecer redes hidrográficas presentes em cartas topográficas e por meios de ferramentas de computação.





METODOLOGIA

- Aulas expositivas; Aulas com utilização de técnicas modernas de comunicação (Data show, Vídeos, transparências);

- Aulas Práticas com  a utilização das ferramentas atualizadas de computação (CAD, Arc/View) aplicadas na interpretação e cálculos nas cartas topográficas;

- Exercícios de interpretação de bacias;

- Excursão de campo.





CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

(Emanuel)

1- Introdução ao estudo da Hidrografia.

- A evolução e tendências dos estudas das águas continentais no contexto da Geografia.

- A distribuição da água no globo. As bacias lacustres, fluviais, geleiras e as torrentes.

- O significado geográfico do ciclo hidrológico.

- A água como recurso natural básico.O ciclo hidrológico.

2- A bacia hidrográfica como categoria de análise na Geografia.

- A relação precipitação - escoamento superficial.

- A classificação dos canais fluviais e suas características.

- Tipologias das redes fluviais e os padrões de drenagens. A relação estrutura geológica e a rede de drenagem.

- Os principais componentes que definem uma bacia hidrográfica.

- Análise do perfil longitudinal e transversal dos canais fluviais.

- A dinâmica fluvial e suas características: relação erosão, transporte e sedimentação fluvial.

- As características dos ambientes estuarinos e deltáticos.

3- Aspectos geográficos da morfometria fluvial.

- A hierarquia fluvial.

- Métodos para o cálculo da vazão dos rios.

- A interação processual entre os parâmetros pluviais e fluviais na dinâmica da rede hidrográfica.

- A interpretação de parâmetros morfométricos: estudo de caso.

(Puentes)

1- Introdução aos estudos de Hidrografia.

- Água no Planeta;

- A Potamografia.

Bacia hidrográfica: características, classificação dos cursos d'água, sistemas de drenagem. Escoamento superficial: dinâmica e processos, os materiais transportados. Regimes dos cursos d'água. Recursos hídricos. Limnografia. Recursos lacustres.

2- O Ciclo Hidrológico

- Chuva


- Escoamento superficial e subterrâneo

- Evaporação

- Transpiração

- Diferentes métodos para o calculo do balanço hídrico

3- Bacias Hidrográficas

- Conceito e importância;

- A bacia hidrográfica como um Geositema;

- Principais componentes que definem a bacia hidrográfica;

- Bacias naturais e urbanizadas;

4- Inter-relação dos processos de chuva vazão que se originam na bacia hidrográfica e a sua importância para o sistema homem – natureza.

- Métodos para o calculo da distribuição espacial da chuva;

- Métodos para o cálculo da vazão.

5- Recursos hídricos superficiais.

- Regimes dos cursos de água;

- Classificação dos cursos de água;

- Estudo e interpretação dos parâmetros morfométricos;





BIBLIOGRAFIA

BELTRAME, ANGELA DA VEIGA (1994). Diagnóstico do meio físico de bacias hidrográficas – Modelos e aplicações. DAUFSC , Florianópolis.

BENETTI, ANTONIO e BIDONE, FRANCISCO (1997). O meio ambiente e os recursos hídricos. In: Hidrologia: ciência e aplicação, Tucci, E.M (org). EDUFSC/ABRH, Florianópolis

BIGARELLA, J. JOSÉ ; BECKER, R.D.; SANTOS, G.S. (1994). Estruturas e origens das paisagens tropicias e sbtropicais. Vol.1 e II, EDUFRSC, Florianópolis.

CAICEDO, N.L. (1997). Águas Subterrâneas. In: Hidrologia: ciência e aplicação, Tucci, E.M (org). UFSC/ABRH, Florianópolis.

CARVALHO, N. O. (1994). Hidrossedimentologia prática. CPRM, Rio de Janeiro.

CHRISTOFOLETTI, A. (1981). Geomorfologia Fluvial. Edgard Blücher Ltda, São Paulo.

GARCEZ, L.N. e ALVARES, G.A. (1988). Hidrologia. Edgard Blücler Ltda, São Paulo.

STRAHLER, A.N. e STRAHLER, A.H. (1989). Geografia Física. Ediciones Omega S.A., Barcelona.

SUGUIO, K. e BIGARELLA, J.J. (1979). Ambientes fluviais.EDUFSC/EDFRS, Porto Alegre

TUCCI, C.E.M. (1997). Interceptação. In: Hidrologia: ciência e aplicação, Tucci, E.M (org). EDUFSC/ABRH, Florianópolis.














Assinatura e Carimbo do Chefe do Departamento

Programa aprovado em reunião plenária do dia ____/____/____






Assinatura e Carimbo do Coordenador do Curso

Programa aprovado em reunião plenária do dia ____/____/____










UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

SUPERINTENDÊNCIA ACADÊMICA

SECRETARIA GERAL DOS CURSOS





PROGRAMA DE COMPONENTES

CURRICULARES




COMPONENTE CURRICULAR










CÓDIGO




NOME

GEO 000




Aerofotogrametria, Fotointerpretação e Sensoriamento Remoto


CARGA HORÁRIA




MÓDULO




SEMESTRE VIGENTE

T

P

E

TOTAL




T

P

E










-

85




30

15












EMENTA

Princípios físicos do sensoriamento remoto. As fotografias aéreas e sua aplicação para a Geografia. Radiometria, sensores fotográficos e não fotográficos: imageador multi-espectral, radar. Plataformas e sensoriamento remoto orbital. O sistema Landsat. Interpretação visual e digital de imagens.



OBJETIVOS

Adquirir um conhecimento teórico acerca da plataformas e dos sensores; entender através de trabalhos práticos as diferentes etapas e a importância da fotogrametria; exercer a interpretação de produtos diversos do sensoriamento remoto.



METODOLOGIA

Aulas teóricas abordando os conceitos do sensoriamento remoto por fotografia e satélite

Exercícios práticos de fotogrametria (estereoscopia, aerotriangulação, geometria da fotografia)

Exercícios de interpretação de fotografias e imagens de satélite e radar




CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Introdução ao sensoriamento remoto

Histórico e evolução do sensoriamento remoto

Definição e importância do sensoriamento remoto

Energia radiomagnética

Fotogrametria

Filmes aéreos e fotografias

Recobrimento aerofotogramétrico e geometria da fotografia

Estereoscopia e ortofotografia

Interpretação de fotografias e imagens de satélite

O sensoriamento remoto por satélite ótico e radar

Radiação eletromagnética

Aquisição de dados

Tecnologia espacial

Radar




BIBLIOGRAFIA

DELMAR, A. B., MARCHETTI E GILBERTO, J.G. Princípios de fotogrametria e de fotointerpretação. São Paulo: Nobel.

LOCH, C, LAPOLLI, E.M.(1985) Elementos básicos da fotogrametria e sua utilização prática. São Carlos: UFSC.

FITZ, P.R. (2000) Cartografia básica. Canoas: La Salle.

FLORENZANO. T.G. (2002). Imagens de satélite para estudos ambientais. São Paulo: Oficina de textos.

GARCIA, G. J. Princípios de fotogrametria e fotointerpretação. São Paulo: Nobel, 1977.

MARCHETTI, D. A.B., GARCIA, G. (1977) Princípios de fotogrametria e fotointerpretação. São Paulo: Nobel.

MONTEIRO, M.A. (2003). Fundamentos de sensoriamento remoto e metodologias de aplicação. Viçosa: UFV.

NOVO, E. M. L. M. Sensoriamento remoto: princípios e aplicações. São Paulo: Blucher, 1989.

OLIVEIRA, C. (1993). Dicionário cartográfico. Rio de Janeiro: IBGE.

OLIVEIRA, C. (1993). Curso de cartografia moderna. Rio de Janeiro: IBGE.
















Assinatura e Carimbo do Chefe do Departamento

Programa aprovado em reunião plenária do dia ____/____/____






Assinatura e Carimbo do Coordenador do Curso

Programa aprovado em reunião plenária do dia ____/____/____











UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

SUPERINTENDÊNCIA ACADÊMICA

SECRETARIA GERAL DOS CURSOS





PROGRAMA DE COMPONENTES

CURRICULARES



COMPONENTE CURRICULAR










CÓDIGO




NOME

GEO 000




Geoecologia



CARGA HORÁRIA




MÓDULO




SEMESTRE VIGENTE

T

P

E

TOTAL




T

P

E







68

-

-

68




30

-

-








EMENTA

Conceitos básicos sobre a Biosfera e suas características espaciais. As noções fundamentais de Ecologia: nicho ecológico, biota e as biocenoses. Os fatores ecobióticos do espaço. Os ciclos biogeoquímicos e suas características: ciclo do nitrogênio, ciclo da água, ciclo do carbono, dentre outros. As relações alelobióticas e suas características. Os grandes biociclos terrestres e suas propriedades.



OBJETIVOS

Fundamentar a compreensão sistêmica sobre a organização da biosfera, entendendo sua complexidade biogeofísica e os processos interativos e transformadores da ação humana sobre esta.



METODOLOGIA

O conteúdo programático será desenvolvido mediante a realização aulas expositivas, vídeo-aulas e expositivo-participativas, trabalhos práticos, incluindo trabalhos em grupo.



CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

1- Introdução ao estudo geográfico da Biosfera: Epinociclo, Talassociclo e Limnociclo.

2- Fundamentos do estudo da Biosfera: organização sistêmica e conceitos associados.

3- Evolução geoecológica da Terra: registros das grandes transformações biosféricas.

4- As noções fundamentais de Ecologia: nicho ecológico, biota e as biocenoses.

5- Os fatores ecobióticos e suas interações no espaço.

6- A circulação de energia e matéria nos sistemas ambientais: Os ciclos biogeoquímicos e suas características

- Ciclo do nitrogênio, ciclo da água, ciclo do carbono, dentre outros.

7- Os grandes biociclos terrestres e suas propriedades

- Biodiversidade em transformação: reconfiguração da vida.

8- A Sinecologia: relações entre os seres vivos e suas características.

9- As relações alelobióticas das Comunidades.




BIBLIOGRAFIA

CLARKE, G. L. - Elementos de ecologia - Barcelona, Ed. Omega S.A, 1963.

*DAJOZ, R. - Ecologia geral - Petrópolis, Ed. Vozes, 1978.

DANSENREAU, P. - Introdução a Biogeografia - Boletin de Geografia n 151,

IBGE, XVII, jun./ago. de 1959.

DORST, J. - Antes que a natureza morra - São Paulo, Ed. Edgamo Bluchuer, 1973.

*DREW, D. - Processos interativos Homem Meio - São Paulo, Ed. Difel, 1986.

FERRI, M. G. - Ecologia Geral - Belo Horizonte, Ed. Itatiaia, EDUSP, 1986.

__________ - Vegetação Brasileira - idem

*LABORIAU, M. L. S. - História Ecológica da Terra - São Paulo, 1994, Ed. Edgard B. ltda.

*LAGO, A. - O que é ecologia - Ed. Brasiliense, 985.



*MARTINS, C. - Biogeografia e Ecologia - São Paulo, Ed, Nobel, 1985.

MIZUGSHI, Y. et alii - Introdução à Ecologia - São Paulo, Moderna

ODUM, E. - Ecologia - Rio de Janeiro, Ed. Guanabara, 1983

UNESCO - Oficina de Ciências de la UNESCO para a América Latina - Buenos Aires, 1970.

SIOLI, H. - Amazônia: fundamentos de ecologia - Rio de Janeiro, Vozes, 1985.

TROPPMAIR, H. - Metodologias Simples Para Pesquisar o Meio Ambiente - Rio Claro, 1988.














Assinatura e Carimbo do Chefe do Departamento

Programa aprovado em reunião plenária do dia ____/____/____






Assinatura e Carimbo do Coordenador do Curso

Programa aprovado em reunião plenária do dia ____/____/____










UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

SUPERINTENDÊNCIA ACADÊMICA

SECRETARIA GERAL DOS CURSOS





PROGRAMA DE COMPONENTES

CURRICULARES



COMPONENTE CURRICULAR










CÓDIGO




NOME

GEO 102




Pedologia



CARGA HORÁRIA




MÓDULO




SEMESTRE VIGENTE

T

P

V

TOTAL




T

P

E













85





















EMENTA

Noções sobre ciência do solo, seus métodos e objetivos. A formação do solo, sua evolução e suas principais propriedades e classificações.



OBJETIVOS

Transmitir ao aluno informações básicas sobre a formação, evolução, constituição e propriedades do solo, a fim de identificá-lo como um corpo individualizado, dinâmico, resultante de processos físico-químicos e bioquímicos complexos que ocorrem na superfície terrestre.



METODOLOGIA

  • Aulas expositivas;

  • Aulas práticas em campo e laboratório;

  • Estudo de textos;

  • Confecção e interpretação de gráficos;

  • Seminários.


CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

  • A Pedologia: conceito, histórico e objetivo. Ciências afins;

  • O perfil do solo: horizontes e propriedades morfológicas;

  • Fatores da pedogênese (rochas, clima, organismos, relevo e tempo); processos pedogenéticos (remoção, adição, transformação e translocação);

  • Constituintes do solo: minerais, orgânicos, ar e água;

  • Propriedades Químicas: pH, S, T, V, saturação em Al e Na;

  • Classificação dos solos, princípios gerais. As classificações americana e brasileira;

  • Os solos tropicais: paisagens pedológicas.

Catálogo: twiki -> pub
pub -> Núcleo de Defesa do Meio Ambiente de Goiânia 15ª Promotoria de Justiça
pub -> Ministério público do estado de goiá
pub -> Ormísio Maia de Assis
pub -> Exmo. Sr. Dr. Juiz de direito da vara cível da comarca de itajaí sc sos fundação Mata Virgem
pub -> Docente: Dr. José Manuel E. Valença a informática na saúde
pub -> Neros textuais emergentes no contexto da tecnologia digital
pub -> A consciência como fator preponderante na construção das grandes teorias para a humanidade
pub -> Trabalho De Informática Jurídica «A criptografia» Universidade do Minho. Maio de 20005
pub -> Universidade do Minho Licenciatura em Direito Informática Jurídica Técnicas Criptográficas—Cifras Docente
pub -> Realizado por: Henrique Fernandes da Cunha Nº. 34531 Cristina Laura Silva Ferreira Nº. 31625 Mafalda Joana Saraiva Magalhães N


Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   22


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal