Estrutura curricular (novo projeto pedagógico) licenciatura núcleo Específico de Geografia (20)



Baixar 2.45 Mb.
Página5/22
Encontro29.07.2016
Tamanho2.45 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   22


CONTEÚDO PROGRAMÁTICO


1) A Cidade e o Urbano

A Geografia Urbana: correntes, tendências, teorias e conceitos

Morfologias e Planos - Funções e Processos

2) A História da Cidade e o Processo de Urbanização da Sociedade

Crescimento urbana e urbanização

As relações com o Campo, com o Sítio e a Situação

As relações com os Modos de Produção

3) Dinâmicas e Estruturas Internas das Cidades

Centro e Centralidades – Serviços

Reformas Urbanas: Requalificação, Revitalização e Refuncionalização

Segregação e Periferização

Políticas Urbanas – Habitação, Estatuto da Cidade e Plano Diretor

Problemas Urbanos

Os agentes do desenvolvimento urbano

4) Dinâmicas Interurbanas, Classificação de Cidades e Rede Urbana

Cidades pequenas, médias, grandes

Cidades Globais

Metrópoles e Metropolização

Megalópoles e cidades em rede




BIBLIOGRAFIA

ABREU, Maurício de Almeida. A Evolução Urbana do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: IplanRIO/Zahar, 1987.

BRASIL. Estatuto da Cidade. Lei Federal 10.257. Diário Oficial da União, 10 de julho de 2001.


BENEVOLO, Leonardo. História da Cidade. São Paulo: Perspectiva, 2005

CALDEIRA, Teresa P. R. Cidade de Muros: crime, segregação e cidadania em São Paulo. São Paulo: Edusp, 2000.

CAPEL, Horácio. La Morfología de las Ciudades. Vol.I. Barcelona: Ediciones del Serbal, 2002.

CARLOS, Ana Fani Alessandri. A (Re)Produção do Espaço Urbano. São Paulo: Edusp, 1994.

CASTELLS, Manuel. A Questão Urbana. Rio de Janeiro: Paz & Terra, 1983.

CHOAY, Françoise. O Urbanismo. Utopias e realidades: uma antologia. São Paulo: Ed. Perspectiva, 1992.

CLARK, David. Introdução à geografia urbana. São Paulo: Difel, 1985.

CORRÊA, Roberto Lobato. A Rede Urbana e O Espaço Urbano. São Paulo. Ed. Ática, 1989

CORRÊA, Roberto Lobato. Trajetórias Geográficas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1997

DAVIS, Mike. A cidade de quartzo: escavando o futuro em Los Angeles. São Paulo: Página Aberta, 1993.

HARVEY, David. A Justiça social e a cidade. São Paulo: Hucitec, 1980.

HARVEY, David. Spaces of Hope. Berkley: University of California Press, 2000.

HARVEY, David. Spaces of Capital. Towards a Critical Geography. New York: Routledge, 2001.

LEFÈBVRE, Henri. O Direito à Cidade. São Paulo: Difel, 1969

LEFÈBVRE, Henri. De lo rural a lo urbano. Barcelona: Ed. Península, 1973

LEFEBVRE, Henri. A Revolução Urbana. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2001

LYNCH, Kevin. A Boa Forma da Cidade. Lisboa: Edições 70, 1999.

LOJIKINE, Jean. O Estado capitalista e a questão urbana. São Paulo: Martins Fontes, 1981.

MARX, Murilo. Cidade Brasileira. São Paulo: Melhoramentos/Edusp, 1995

MUMFORD, Lewis. A Cidade na História. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

PIQUET, Rosélia. Cidade-empresa: presença na paisagem urbana brasileira. Rio de Janeiro: Zahar, 1998.

RODRIGUES, Arlete Moisés. Moradia nas cidades brasileiras. São Paulo: Contexto, 1989.

SANTOS, Milton. A Cidade nos Países Subdesenvolvidos. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1965.

SANTOS, Milton. O Espaço Dividido. Os dois circuitos da economia urbana dos países subdesenvolvidos. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves, 1979.

SANTOS, Milton. Ensaios sobre a Urbanização Latino-americana. São Paulo: Editora Hucitec, 1982.

SANTOS, Milton. Metamorfoses do Espaço Habitado. São Paulo: Hucitec, 1988.

SANTOS, Milton. O Espaço do Cidadão. 5. ed. São Paulo: Nobel, 2000

SANTOS, Milton. Pensando o Espaço do Homem. 4. ed. São Paulo: Editora Hucitec, 1997.

SERPA, Angelo (Org.). Fala, Periferia! Uma reflexão sobre a produção do espaço periférico metropolitano. Salvador: Editora da Universidade Federal da Bahia/Pró Reitoria de Extensão, 2001

SOUZA, Marcelo Lopes. Mudar a Cidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002

SOUZA, Maria Adélia de. A Identidade da Metrópole. A verticalização de São Paulo. São Paulo: Hucitec/EDUSP, 1994.

SPOSITO, M.E.B. (org.). Urbanização e Cidades Médias. Perspectivas Geográficas: UNESP/GAsPERR, 2001.

VASCONCELOS, Pedro de Almeida. Dois Séculos de Pensamento sobre a Cidade. Ilhéus: Editora da UESC, 1999.













Assinatura e Carimbo do Chefe do Departamento

Programa aprovado em reunião plenária do dia ____/____/____






Assinatura e Carimbo do Coordenador do Curso

Programa aprovado em reunião plenária do dia ____/____/____










UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

SUPERINTENDÊNCIA ACADÊMICA

SECRETARIA GERAL DOS CURSOS





PROGRAMA DE COMPONENTES

CURRICULARES



COMPONENTE CURRICULAR










CÓDIGO




NOME

GEO 000




Geografia Física do Brasil



CARGA HORÁRIA




MÓDULO




SEMESTRE VIGENTE

T

P

E

TOTAL




T

P

E







34

51

-

85




30

15

-








EMENTA

As características ambientais do espaço e a diversidade de paisagens naturais. A grande dimensão territorial do país e suas conseqüências geográficas. Os grandes domínios morfoestruturais, climatobotânicos e sua organização espacial. As grandes bacias hidrográficas, suas potencialidades e o seu nível de exploração econômica. Os problemas ecológicos dos solos brasileiros e suas características. Os grandes ecossistemas ameaçados pelas ações antrópicas.



OBJETIVOS

- Caracterizar o espaço brasileiro quanto as suas grandes unidades morfoestruturais e climato-botânico.

Analisar as potencialidades e restrições ecológicas das paisagens brasileiras.

Estabelecer grandes contrastes espaciais do território brasileiro.

Relacionar os principais aspectos do litoral e do mar territorial brasileiro.

Analisar as potencialidades hídricas do Brasil e seu nível de exploração econômica.

- Destacar as influências antrópicas sobre a vegetação brasileira.





METODOLOGIA

- Aulas expositivas dinâmicas construtivistas para discussão de temas e execução das tarefas com a utilização de metodologias pedagógicas modernas de comunicação (Data show, Vídeos, transparências);

- Seminários com pesquisadores e especialistas para fomentar debates críticos.

- Leituras e discussão trabalhos científicos, textos técnicos e que versam sobre políticas de referência sobre analise ambiental do território brasileiro;

- Visitas de campo às grandes regiões e biomas ocorrentes no estado da Bahia;

- Avaliação de sondagem de conhecimentos assimilados no curso.




CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

- 1. Introdução a análise ambiental do território brasileiro. O litoral e suas características geográficas. O mar territorial brasileiro.

OBrasil como contexto da América do Sul.

As características geográficas do espaço brasileiro.

As grandes dimensões territoriais e suas implicações.

Os grandes domínios morfoestruturais do Brasil.

O passado geológico do Brasil e suas principais características.

Os processos eustáticos ocorridos no passado geológico e suas características.

As províncias geológicas do Brasil e sua organização espacial.

As grandes unidades do relevo brasileiro.

As classificações do relevo brasileiro: Aroldo de Azevedo, Ab´Saber, Ross e IBGE.

- 2.Aspectos climáticos do Brasil.

A circulação atmosférica atuante no Brasil.

Os grandes domínios climáticos no Brasil.

As classificações climáticas aplicadas ao Brasil.


3. A vegetação brasileira e sua distribuição espacial.

Os principais enclaves vegetacionais e suas características: as veredas, os brejos dentríticos.

Os grandes domínios fitogeográficos.
4. A rede hidrográfica brasileira.

Os regimes fluviais do Brasil.

As grandes bacias hidrográfica e seu nível de aproveitamento econômico.
5. Os principais tipos de solos no Brasil: suas características e seus principais problemas ecológicos.
6. As grandes paisagens naturais no Brasil: o litoral, o pantanal matogrossense, Amazônia, caatinga, cerrado e campos brasileiros.
- 7. A Amazônia Azul brasileira e sua importância geográfica. Os territórios insulares e suas características.







BIBLIOGRAFIA

AB'SABER, A. N. A organização das paisagens inter e subtropicais brasileiras. Geomorfologia, 41:39. São Paulo: IGEO - USP, 1970.

BRASIL/ IBGE. Recursos Naturais e Meio Ambiente - uma visão do Brasil. Rio de Janeiro, 1993.

GUERRA, A. T.; BATISTA, S. Geomorfologia do Brasil. Rio de Janeiro: Bertrand, 1997.

NIMER, E. Climatologia do Brasil. Rio de Janeiro: SUPREN/IBGE, 1978.

ROSS, J. Geografia do Brasil. São Paulo: EDUSP, 2002.













Assinatura e Carimbo do Chefe do Departamento

Programa aprovado em reunião plenária do dia ____/____/____






Assinatura e Carimbo do Coordenador do Curso

Programa aprovado em reunião plenária do dia ____/____/____




FALTA PROGRAMA DE

ORGANIZAÇÃO E DINÂMICA DO ESPAÇO BRASILEIRO

FALTA PROGRAMA DE

ORGANIZAÇÃO REGIONAL DO ESPAÇO BRASILEIRO







UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

SUPERINTENDÊNCIA ACADÊMICA

SECRETARIA GERAL DOS CURSOS





PROGRAMA DE COMPONENTES

CURRICULARES



COMPONENTE CURRICULAR










CÓDIGO




NOME

GEO 000




Organização do Espaço Mundial



CARGA HORÁRIA




MÓDULO




SEMESTRE VIGENTE

T

P

E

TOTAL




T

P

E







-

-

68




30

-

-









EMENTA

Aspectos econômicos, ambientais, socioculturais e político-ideológicos da regionalização na escala macro-regional. Globalização e regionalização. Blocos internacionais de poder. Produção contemporânea e a política de comércio externo dos grandes blocos regionais. Regiões Culturais.



OBJETIVOS

A disciplina busca aprofundar e operacionalizar conceitos e teorias da Geografia na escala macro-regional, a partir da análise de exemplos concretos do mundo contemporâneo, apontando para as contradições e paradoxos nos processos de globalização e regionalização.



METODOLOGIA

Aulas expositivas, atividades dirigidas de discussão de textos e seminários.



CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

O Conflito entre Globalizar e Regionalizar

Regiões Culturais no Mundo Contemporâneo: Conflitos étnico-religiosos e movimentos separatistas

A produção contemporânea dos grandes blocos regionais

A unificação da Europa: globalização, identidade e o Estado em rede

A Europa Oriental pós unificação alemã

O colapso da União Soviética

Política de Comércio Externo: Instrumentos, Estrutura institucional e Processo de decisão (uma comparação entre União Européia e Estados Unidos)

O surgimento do Quarto Mundo

A desumanização e a difícil situação da África

África: fatores internos e externos da crise

O novo dilema norte-americano – Desigualdade, pobreza urbana e exclusão social na Era da Informação

Japão e sua periferia imediata: A região do Pacífico Asiático

Quatro tigres asiáticos e suas sociedades civis

Coréia: A ruína iminente de um ameaçador tigre asiático

A nova revolução chinesa

A transformação do trabalho e do mercado de trabalho nos países do G8

Força de trabalho global, paradigma informacional e os efeitos da tecnologia sobre o mercado de trabalho

As novas desigualdades entre as cidades: os exemplos da América Latina e Europa

A política de comércio externo do Brasil

O colapso da modernização: para entender a crise das bolsas





BIBLIOGRAFIA

ANDRADE, M. C. (1977): Espaço, Polarização e Desenvolvimento. Editora Grijalbo, São Paulo.

ANDRADE, M. C. (1997): O Brasil e a África. 5a Edição. Contexto, São Paulo.

BENKO, G. (1996): Economia, espaço e globalização na aurora do século XXI. HUCITEC, São Paulo.

BENKO, G. & LIPIETZ, A. (orgs) (1994): As Regiões Ganhadoras – Distritos e Redes: Os novos paradigmas da Geografia Econômica. Celta Editora, Oeiras.

BOURDIEU, P. (2000): O Poder Simbólico. 3a edição. Bertrand Brasil, Rio de Janeiro.

CASTELLS, M. (1999): A Sociedade em Rede. 2a Edição (A era da informação: economia, sociedade e cultura, V. I). Paz e Terra, São Paulo.

CASTELLS, M. (1999): Fim de Milênio (A era da informação: economia, sociedade e cultura, V. III). Paz e Terra, São Paulo.

HAESBAERT, R. (1994): China: Entre o Oriente e o Ocidente. Editora Ática, São Paulo.

HAESBAERT, R. (1994): Blocos Internacionais de Poder. Editora Contexto, São Paulo.

KAYSER, B. (1980): A região como objeto de estudo da geografia. In: A Geografia Ativa. 5ª edição. Difusão Editorial S.A., São Paulo-Rio de Janeiro, pp. 279-321.

KAYSER, B. (1980): A região como objeto de intervenção. In: A Geografia Ativa. 5ª edição. Difusão Editorial S.A., São Paulo-Rio de Janeiro, pp. 322-354.

KURZ, R. (1997): Os últimos combates. 3ª edição. Editora Vozes, Petrópolis.

LACOSTE, Y. (1980): Perspectivas da Geografia Ativa em País Subdesenvolvido. In: A Geografia Ativa. 5ª edição. Difusão Editorial S.A., São Paulo-Rio de Janeiro, pp. 43-153.

LACOSTE, Y. (1993): A Geografia - Isso serve, em primeiro lugar, para fazer a guerra. 3ª edição. Papirus, Campinas.

LAVINAS, L. et allii (1994): Integração, Região e Regionalismo. Bertrand Brasil, Rio de Janeiro.

LIPIETZ, A. (1988): Miragens e Milagres. Problemas da industrialização no Terceiro Mundo. Nobel, São Paulo.

MAGNOLI, D. (1997): África do Sul: Capitalismo e Apartheid. 2a Edição. Contexto, São Paulo.

MARTINS, A. R. (1998): Fronteiras e Nações. Contexto, São Paulo.

MASI, D. (2000): O Ócio Criativo. Sextante, Rio de Janeiro.

MORAES, A.C.R. & COSTA, W.M. da (1984): A valorização do espaço. Editora HUCITEC, São Paulo.

PANADERO, M. & CZERNY, M. (1992). America Latina: Regiones en transicion. Coleccion Estudios. Universidad de Castilla, La Mancha.

SANTOS, M. (1985): Espaço e Método. Livros Studio Nobel, São Paulo.

SANTOS, M. (1994): Metamorfoses do Espaço Habitado. 3ª edição. Editora HUCITEC, São Paulo.

SANTOS, M. (1994): Por uma economia política da cidade: O caso de São Paulo, Editora HUCITEC, São Paulo.

SANTOS, M. (1996): A natureza do espaço. Hucitec, São Paulo.

SANTOS, M. (2000) Por uma outra globalização. Record, Rio de Janeiro.

SANTOS, M., SCARLATO, F.C., SOUZA, M. A, ARROYO, M.(2002): O Novo Mapa do Mundo: Fim de Século e Globalização. 4a Edição. HUCITEC/ANPUR, São Paulo.

SASSEN, S. (1998) As cidades na economia mundial. Studio Nobel, São Paulo.

SCARLATO, F.C., SANTOS, M., SOUZA, M. A, ARROYO, M.(2002): O Novo Mapa do Mundo: Globalização e Espaço Latino-Americano. 4a Edição. HUCITEC/ANPUR, São Paulo.

SCOTT, A.J. & STORPER, M. (1988): Indústria de alta tecnologia e desenvolvimento regional: uma crítica e reconstrução teórica. In: Espaço & Debates, Nº 25, “Reestruturação: economia e território”, pp. 30-44. Núcleo de Estudos Regionais e Urbanos, São Paulo.

THORSTENSEN, V. et allii (1994): O Brasil frente a um mundo dividido em blocos. Nobel, Instituto Sul-Norte, São Paulo.

VASCONCELOS, P. de A. (1993): A Nova (Des)ordem Mundial. In: Caderno de Geociências, Nº 4, Instituto de Geociências (UFBA), Salvador, pp. 39-54.














Assinatura e Carimbo do Chefe do Departamento

Programa aprovado em reunião plenária do dia ____/____/____






Assinatura e Carimbo do Coordenador do Curso

Programa aprovado em reunião plenária do dia ____/____/____










UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

SUPERINTENDÊNCIA ACADÊMICA

SECRETARIA GERAL DOS CURSOS





PROGRAMA DE COMPONENTES

CURRICULARES


COMPONENTE CURRICULAR










CÓDIGO




NOME

GEO 132




Geografia Política



CARGA HORÁRIA




MÓDULO




SEMESTRE VIGENTE

T

P

E

TOTAL




T

P

E







-

-

68




30

-

-









EMENTA

Estudo das teorias da Geografia Política e da Geopolítica no final do século XIX até meados do século XX. As transformações do mundo no período pós-guerra. O período da guerra fria. O poder hegemônico dos Estados Unidos da América no panorama internacional. A queda do império soviético e a nova ordem mundial. A ascensão do neoliberalismo. As grandes áreas de conflitos do Globo e suas características espaciais. As novas identidades no mundo globalizado.





OBJETIVOS

  • Estudar as teorias da Geografia Política

  • Desenvolver a capacidade de compreensão no conjunto dos estudantes sobre as novas configurações espaciais no mundo moderno e suas conseqüências econômicas, políticas e sociais.

  • Analisar o conteúdo do movimento de desenvolvimento dos sistemas econômicos e sociais e suas articulações e contradições nas escalas global, nacional, regional e local.

  • Compreender o papel que o Estado-nação desempenha no mundo contemporâneo.

  • Compreender o papel do Brasil no contexto Latino-Americano e mundial.






METODOLOGIA

Aulas expositivas, discussão de textos, apresentação de seminários e palestras com convidados.



CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

  • A formação das teorias da geografia política e da geopolítica no final do século XIX até a primeira metade do século XX. Kjeler, Vallaux, Bauman, Mackinder, Haushofer . O fim da Segunda Guerra mundial e o período da guerra fria. A crise das geopolíticas clássicas e a natureza das disputas pelo poder mundial. O poderio americano que se transforma em hegemonia. A queda do império soviético e a nova ordem mundial. A formação dos blocos econômicos. A ascensão do neoliberalismo e o rearranjo do equilíbrio político mundial. O poder multipolar. Regionalismos e localismos produzindo guerras regionais. O poder da cultura e as novas identidades no mundo globalizado. Movimentos sociais contra a nova ordem global. O papel da América Latina e do Brasil na nova ordem mundial. Poder, Hegemonia e Espaço Geográfico




BIBLIOGRAFIA

ANDRADE, Manuel Correia de. Imperialismo e fragmentação do espaço. Contexto; São Paulo, 1999.

ANDRADE, Manuel Correia de. Geopolítica do Brasil. Papirus, São Paulo, 2001.

BECKER, Bertha K. Brasil – Tordesilhas ano 2000. In. Território, N. 7. Laget/ UFRJ, Rio de Janeiro, 1999.

BECKER, Bertha K. EGLER, Cláudio A. G. Brasil – Uma nova potência regional na economia-mundo. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil,1998.

CASTELLS, Manuel. A era da informação: economia, sociedade e cultura. Volumes I e II. Paz e Terra, São Paulo, 1999.

COSTA, Wanderley Messias. Geografia política e geopolítica. Edusp; São Paulo, 1992.

COSTA, Wanderley Messias. O Estado e as políticas territoriais no Brasil. Contexto, São Paulo, 2001.

GOMES, Paulo César da Costa. A Condição Urbana – Ensaios de Geopolítica da Cidade. Bertrand Brasil, Rio de Janeiro, 2002.

HAESBAERT, Rogério. Territórios alternativos. Contexto/Eduff; Rio de Janeiro, 2002.

HARDT, Michael. NEGRI, Antonio. Império. Record; Rio de Janeiro/São Paulo,2001.

HOBSBAWM, Eric J. Era dos Extremos: O Breve Século XX: 1924-1991. Companhia das Letras, São Paulo, 1995.

LACOSTE, Yves. A Geografia- isso serve, em primeiro lugar, para fazer a guerra. Papirus, São Paulo, 2002.

MARTIN, André Roberto. Fronteiras e nações. Contexto; São Paulo, 1998.

MELLO, Leonel Itaussu Almeida. Quem tem medo da geopolítica? Hucitec/Edusp, São Paulo, 1999.

MIYAMOTO, Shiguenoli. Geopolítica e Poder no Brasil. Papirus, São Paulo, 1995.

RAFFESTIN, Claude. Por uma Geografia do Poder. Editora Ática, São Paulo, 1993.(1ª ed. 1980.

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização. Record; Rio de Janeiro/São Paulo,2000.

SANTOS, Milton. SOUZA, Maria Adélia A. SCARLATO, Francisco Capuano. ARROYO, Mônica. O novo mapa do mundo – fim de século e globalização. Hucitec – Anpur; São Paulo, 2002.

VESENTINI, José William (1990). Imperialismo e Geopolítica Global. Papirus, São Paulo.

VESENTINI, José William. (2000) Novas Geopolíticas. Contexto, São Paulo.

HARVEY, David. (2003). O novo imperialismo. Loyola São Paulo.

CASTRO, Iná Elias de. Geografia e Política: territórios, escalas de ação e instituições (2005). Bertrand Brasil, Rio de Janeiro.













Assinatura e Carimbo do Chefe do Departamento

Programa aprovado em reunião plenária do dia ____/____/____






Assinatura e Carimbo do Coordenador do Curso

Programa aprovado em reunião plenária do dia ____/____/____











UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

SUPERINTENDÊNCIA ACADÊMICA

SECRETARIA GERAL DOS CURSOS





PROGRAMA DE COMPONENTES

CURRICULARES



COMPONENTE CURRICULAR










CÓDIGO




NOME

GEO 141




Biogeografia



CARGA HORÁRIA




MÓDULO




SEMESTRE VIGENTE

T

P

E

TOTAL




T

P

E







34

51

51

136




20

20

20








EMENTA

Aspectos teórico-metodológicos da Biogeografia, Aplicação e Tendências atuais dos estudos de Biogeografia. A Biogeografia no contexto das ciências ambientais. A questão da escala nos estudos biogeográficos. As interações bioclimáticas no estudo das paisagens naturais. As grandes biocenoses e sua organização espacial: os grandes domínios biogeográficos do Globo. Trabalho de campo obrigatório.



OBJETIVOS

  • Conduzir o aluno a ter uma visão ampla e objetiva da importância dos conhecimentos biogeográficos no âmbito geral da Ciência Geográfica;

  • Evidenciar os processos dinâmicos e de interdependência dos elementos bióticos e abióticos que compõe o ambiente natural;

  • Conhecer o processo evolutivo dos seres vivos nas diferentes eras geológicas;

  • Identificar e caracterizar as grandes biocenoses terrestres;

  • Reconhecer a interferência do homem como agente modificador das associações vegetais e animais.



METODOLOGIA

O curso será desenvolvido através de:
1- Exposição de aulas teóricas;

2- Leituras programadas, discussões e comentários críticos;

3- Painéis integrados;

4- Seminários e trabalhos escritos.

5- Viagem de campo de 03 dias





CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

UNIDADE I:

1.1- Introdução

Dinâmica de Integração / Apresentação do programa do curso /

A Biogeografia e sua função no âmbito da ciência geográfica;

Desenvolvimento histórico e principais linhas de abordagem;

Volume de informações existentes e evolução conceitual;

Posicionamento, setorização, campo de trabalho e tendências atuais.
1.2- Evolução da Biosfera

A Biosfera: Histórico, Restrições Conceituais e Características;

Fluxo de Energia e matéria;

Níveis de organização;

Classificação das plantas e animais.
UNIDADE II:

O Meio Ambiente e os Seres Vivos

Áreas de repartição dos territórios biogeográficos;

Fatores limitantes e o ambiente natural;

A influência dos fatores ecológicos sobre a determinação das biocenoses:fotores topográficos, climáticos, edáficos e bióticos;

Interrelações e interferências antrópicas.
UNIDADE III:
3.1 A Distribuição Espacial dos Biomas Terrestres.
Zonas extratropicais:desertos, florestas de folhas latifoliadas decíduas, estepes, florestas de coníferas e tundras;

Zonas intertropicais: florestas equatorial, mata pluvial de encostas, vegetação tropofítica (floresta de monção, savanas);

Os Mangues e a vegetação de altitude.

3.2 – Espécies Raras, Endêmicas e em Vias de Extinção:
Conceito e distribuição espacial.
UNIDADE IV:

A Biogeografia Aplicada a Conservação da Natureza
O homem como modificador da cobertura vegetal;

Mapeamento fito e zoogeográfico;

Tipos de cartas, técnicas de mapeamento e de representações.

Elaboração de perfis biogeográficos:orientação para a interpretação e análise de documentação biogeográfica.





BIBLIOGRAFIA

DANSEREU, P. Biogeography na Ecolocal Perspective. Copyright, ( c ), 1957, by the Rono.

DAJOZ, R. Ecologia Geral, Petrópolis, Vozes/Edusp, 1973.

ELHAI, H. Biogeographie. Paris, Armand Colin, 1968.

JOLY, A. Conheça a Vegetação Brasileira. São Paulo, Blucher/Edusp, 1970.

LACOSTE e SALANON, R. Elements de Biogeographie. Paris, Fernand Nathan, 1969.

ROBINSON, B.A. Aspectos Geographies Biogeography. Macdonald and Evans, 1972.

RIZZINI, C.T. – Tratado de Fitogeografia do Brasil. São Paulo, HUCITEC, v. 1 e 2, 1976/1979.

TROPPMAIR, H. – Biogeografia e Meio Ambiente. Rio Claro, Unesp, 1987.














Assinatura e Carimbo do Chefe do Departamento

Programa aprovado em reunião plenária do dia ____/____/____






Assinatura e Carimbo do Coordenador do Curso

Programa aprovado em reunião plenária do dia ____/____/____










UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

SUPERINTENDÊNCIA ACADÊMICA

SECRETARIA GERAL DOS CURSOS





PROGRAMA DE COMPONENTES

CURRICULARES



COMPONENTE CURRICULAR










CÓDIGO




NOME

GEO 000




Leitura e Interpretação de Cartas e Mapas



CARGA HORÁRIA




MÓDULO




SEMESTRE VIGENTE

T

P

E

TOTAL




T

P

E










-

68




30

15

-









EMENTA

Aplicação dos métodos geográficos e técnicas cartográficas na leitura e interpretação de cartas e mapas topográficos e temáticos. Os mapas e cartas como instrumento de comunicação geográfica e sua importância para a representação da realidade. Análise do espaço geográfico a partir de cartas e mapas (topográficos e temáticos).



OBJETIVOS

GERAL:

  • Capacitar o estudante, através do exercício de leitura e interpretação de cartas e mapas topográficos e temáticos, a identificar os fenômenos geográficos que possibilitem a perfeita análise do espaço em estudo.

ESPECÍFICOS:

  • Promover a leitura e interpretação de cartas topográficas, possibilitando a análise geográfica do espaço estudado;

  • Compilar, com seleção de elementos, uma folha topográfica, em escala grande, através da utilização do Sistema MicroStation - CAD;

  • Promover a leitura e interpretação de cartas e mapas temáticos diversos, permitindo a análise crítica dos documentos, quanto à cartografia, base cartográfica e tema;



METODOLOGIA

Aulas expositivas; aulas práticas em laboratório com uso do sistema MicroStation - CAD; seminários; depoimentos.



CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

I – LEITURA E INTERPRETAÇÃO DE CARTAS TOPOGRÁFICAS: PRINCIPAIS ASPECTOS



  1. Considerações gerais

  2. Leitura e interpretação:

    1. Conceitos;

    2. Títulos e índices de referência

    3. Informações marginais: chaves para a leitura e interpretação da carta topográfica:

      1. Conceito

      2. Símbolos e cores convencionais: planimétricos e altimétricos

      3. Abreviaturas

    4. Guia de interpretação da carta topográfica:

      1. Passos para a análise de uma carta:

        1. Estudo do relevo

        2. Estudo da geologia

        3. Estudo da drenagem

        4. Estudo do uso do solo

        5. Ocupação humana: densidade populacional

      2. Algumas “chaves” para orientar a interpretação de cartas topográficas

      3. Um roteiro para leitura e interpretação de cartas topográficas

  3. Considerações finais

  4. Seleção em meio digital (Sistema MicroStation), dos elementos contidos em uma folha topográfica: hidrografia, ocupação humana (localidades, obras e edificações), hipsografia, vegetação e malhas geográficas e UTM

II - LEITURA E INTERPRETAÇÃO DE CARTAS TEMÁTICAS: PRINCIPAIS ASPECTOS



  1. Considerações gerais

  2. Leitura e interpretação:

    1. Conceitos;

    2. A carta topográfica: base para a carta temática:

      1. Símbolos e cores convencionais

      2. Curva de nível; interpretação para mapas geomorfológicos e geológicos

      3. Drenagem: interpretação para mapas geológicos e geomorfológicos

  1. Interpretação de cartas topográficas e mapas temáticos: modelos utilizados

  2. Análise de mapas temáticos diversos: geologia, geomorfologia/relevo, solo, vegetação, uso da terra, recursos hídricos, ambientais, clima, população, saúde, indústria, comércio, sistema de transportes, turísticos, políticos-administrativos, etc.

  3. Algumas “chaves” para a interpretação de cartas temáticas

  4. Sugestão de um roteiro para leitura e interpretação de cartas temáticas

  5. Considerações finais




Catálogo: twiki -> pub
pub -> Núcleo de Defesa do Meio Ambiente de Goiânia 15ª Promotoria de Justiça
pub -> Ministério público do estado de goiá
pub -> Ormísio Maia de Assis
pub -> Exmo. Sr. Dr. Juiz de direito da vara cível da comarca de itajaí sc sos fundação Mata Virgem
pub -> Docente: Dr. José Manuel E. Valença a informática na saúde
pub -> Neros textuais emergentes no contexto da tecnologia digital
pub -> A consciência como fator preponderante na construção das grandes teorias para a humanidade
pub -> Trabalho De Informática Jurídica «A criptografia» Universidade do Minho. Maio de 20005
pub -> Universidade do Minho Licenciatura em Direito Informática Jurídica Técnicas Criptográficas—Cifras Docente
pub -> Realizado por: Henrique Fernandes da Cunha Nº. 34531 Cristina Laura Silva Ferreira Nº. 31625 Mafalda Joana Saraiva Magalhães N


Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   22


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal