Estudo Espírita Promovido pelo



Baixar 58.46 Kb.
Encontro06.08.2016
Tamanho58.46 Kb.
Estudo Espírita
Promovido pelo IRC-Espiritismo

http://www.irc-espiritismo.org.br

Centro Espírita Léon Denis

http://www.celd.org.br
Tema:

Inteligência e instinto




LE 71 a 75



Expositor: Deise Bianchini
Amambai - MS

12/07/2003

Dirigente do Estudo da Noite: Flavio Mendonça – Mei _PB

Oração Inicial:

Boa noite a todos

Amigos, pensemos em nosso Pai

Lembremos o quanto a vida é bela

Quantos vezes o Sol se ergueu pra nos iluminar o dia?

Todos os dias ele está aqui

Dando vida ao nosso planeta

Nos habituamos a isso e nem mesmo nos lembramos que ele nunca falha

Nuvens podem ocultar seu brilho mas ele está lá

Por vezes alguns problemas nos aparecem

e normalmente acabamos nos esquecendo que são os momentos bons que são mais comuns

e bem verdade que as dificuldades aparecem

mas devem ser vencidas

o Sol estará brilhando mais uma vez amanhã

Porque o Pai sabe que precisamos dele

os ensinamentos dessa noite também são necessários

nosso progresso para nossa vida

aproveitem bem ... prestem muita atenção e sobretudo

usem esse ensinamentos em sua vida

agradecemos Pai pela oportunidade

e assim pedimos para dar por iniciados os estudos dessa noite

Que assim seja!



Mensagem Introdutória:
O INSTINTO E A INTELIGÊNCIA
Qual a diferença entre o instinto e a inteligência? Onde acaba um e o outro começa? Será o instinto uma inteligência rudimentar, ou será uma faculdade distinta, um atributo exclusivo da matéria?

O instinto é a força oculta que solicita os seres orgânicos a atos espontâneos e involuntários, tendo em vista a conservação deles. Nos atos instintivos não há reflexão, nem combinação, nem premeditação. É assim que a planta procura o ar, se volta para a luz, dirige suas raízes para a água e para a terra nutriente; que a flor se abre e fecha alternativamente, conforme se lhe faz necessário; que as plantas trepadeiras se enroscam em torno daquilo que lhes serve de apoio, ou se lhe agarram com as gavinhas. É pelo instinto que os animais são avisados do que lhes convém ou prejudica; ...

A inteligência se revela por atos voluntários, refletidos, premeditados, combinados, de acordo com a oportunidade das circunstâncias. É incontestavelmente um atributo exclusivo da alma.

Todo ato maquinal é instintivo; o ato que denota reflexão, combinação, deliberação é inteligente. Um é livre, o outro não o é.

O instinto é guia seguro, que nunca se engana; a inteligência, pelo simples fato de ser livre, está, por vezes, sujeita a errar.

Ao ato instintivo falta o caráter do ato inteligente; revela, entretanto, uma causa inteligente, essencialmente apta a prever. Se se admitir que o instinto procede da matéria, ter-se-á de admitir que a matéria é inteligente, até mesmo bem mais inteligente e previdente do que a alma, pois que o instinto não se engana, ao passo que a inteligência se equivoca.

Se se considerar o instinto uma inteligência rudimentar, como se há de explicar que, em certos casos, seja superior à inteligência que raciocina? Como explicar que torne possível se executem atos que esta não pode realizar?

Se ele é atributo de um princípio espiritual de especial natureza, qual vem a ser esse princípio? Pois que o instinto se apaga, dar-se-á que esse princípio se destrua? Se os animais são dotados apenas de instinto, não tem solução o destino deles e nenhuma compensação os seus sofrimentos, o que não estaria de acordo nem com a justiça, nem com a bondade de Deus.
Allan Kardec

Do Livro: A Gênese

Editora: FEB

Exposição:
Boa noite a todos, agradeço a oportunidade de estarmos reunidos para estudarmos a Doutrina Espírita, especificamente a Inteligência e instinto, questões 71 a 75 de "O Livro dos Espíritos"
A inteligência é a faculdade de entender, pensar, raciocinar e interpretar,

enquanto que o instinto é o estímulo ou impulso natural, involuntário, pelo qual homens e animais executam certos atos sem conhecer o fim ou porque desses atos.

"O instinto é uma inteligência rudimentar, que difere da inteligência propriamente dita, em que suas manifestações são quase sempre espontâneas,ao passo que as da inteligência resultam de uma combinação e de um ato deliberado.O instinto varia em suas manifestações, conforme as espécies e as suas necessidades. Nos seres que têm a consciência e a percepção das coisas exteriores, ele se alia à inteligência, isto é, à vontade e à liberdade." ("O Livro dos Espíritos" - Allan Kardec)

A inteligência não é atributo do princípio vital, " pois que as plantas vivem e não pensam: só têm vida orgânica. A inteligência e a matéria são independentes, porquanto um corpo pode viver sem a inteligência. Mas, a inteligência só por meio dos órgãos materiais pode manifestar-se. Necessário é que o Espírito se una à matéria animalizada para intelectualizá-la." ("O Livro dos Espíritos" - Allan Kardec)

Conforme vemos na observação de Kardec à questão 71 de "O Livro dos Espíritos":

"A inteligência é uma faculdade especial, peculiar a algumas classes de seres

orgânicos e que lhes dá, com o pensamento, a vontade de atuar, a consciência de que existem e de que constituem uma individualidade cada um, assim como os meios de estabelecerem relações com o mundo exterior e de proverem às suas necessidades.

Podem distinguir-se assim:

1°, os seres inanimados, constituídos só de matéria, sem vitalidade nem inteligência: são os corpos brutos;

2°, os seres animados que não pensam, formados de matéria e dotados de vitalidade, porém, destituídos de inteligência;

3°, os seres animados pensantes, formados de matéria, dotados de vitalidade e tendo a mais um princípio inteligente que lhes outorga a faculdade de pensar."

A fonte da inteligência é a inteligência universal, porém "a inteligência é uma faculdade própria de cada ser e constitui a sua individualidade moral." ("O Livro dos Espíritos" - Allan Kardec)

Os espíritos nos advertem também que há limites além dois quais o homem não poderia penetrar, por enquanto.

A inteligência é característica do espírito, portanto ela, a inteligência, não é transmitida por hereditariedade. A inteligência não é dom especial, nem traço hereditário, mas o acúmulo de experiências que o espírito vem armazenando de muitas vidas com o trato dos problemas da mente, da cultura, da sabedoria, é uma somatória das vivências experimentadas ao longo de sua jornada evolutiva.

As conquistas realizadas pelo espírito imortal jamais serão perdidas, sendo que cada vida servirá para adquirir diferentes habilidades que se manifestarão no presente em forma de aptidões específicas, sejam intelectuais, sensórias ou emocionais (inteligências múltiplas).

O instinto independe da inteligência, embora seja uma espécie de inteligência, uma inteligência sem raciocínio, que funciona como instrumento através do qual os seres vivos atendem suas necessidades.

"O instinto é a força oculta que solicita os seres orgânicos a atos espontâneos e involuntários visando a conservação da espécie. Nos atos instintivos não há reflexão, nem combinação, nem premeditação. É assim que a planta procura o ar, se volta para a luz, dirige suas raízes para a água e para a terra nutriente; que a flor se abre e fecha alternativamente, conforme se lhe faz necessário; que as plantas trepadeiras se enroscam em torno daquilo que lhes serve de apoio, ou se lhe agarram com as gavinhas. É pelo instinto que os animais são avisados do que lhes convém ou prejudica; que buscam, conforme a estação, os climas propícios; que constroem, sem ensino prévio, com mais ou menos arte, segundo as espécies, leitos macios e abrigos para as suas progênies, armadilhas para apanhar a presa de que se nutrem; que manejam destramente as armas ofensivas e defensivas de que são providos; que os sexos se aproximam; que a mãe choca os filhos e que estes procuram o seio materno.

No homem, só em começo da vida o instinto domina com exclusividade;é por instinto que a criança faz os primeiros movimentos, que toma o alimento, que grita para exprimir as suas necessidades, que imita o som da voz, que tenta falar e andar.

No próprio adulto, certos atos são instintivos, tais como os movimentos espontâneos para evitar um risco, para fugir a um perigo, para manter o equilíbrio do corpo; tais ainda o piscar das pálpebras para moderar o brilho da luz, o abrir maquinal da boca para respirar, etc." ("A Gênese" - Allan Kardec - cap. III)

A inteligência é um atributo da alma e se revela por atos voluntários, refletidos, premeditados e combinados de acordo com as circunstâncias.

Vemos no artigo "Meditações acerca da inteligência" de Hemínio C. Miranda a colocação:

"Podemos lembrar aqui as recentes e curiosas experiências do Prof. Bakster com as plantas, que confirmam com notável precisão os ensinamentos transmitidos pelos Espíritos há mais de um século.

O instinto, que ele foi descobrir nas plantas, por meio de seus sensíveis aparelhos, é exatamente isso: uma inteligência sem raciocínio a serviço da integridade da planta.

Que necessidade seria mais essencial do que a da conservação?

As plantas reagem nitidamente tanto às vibrações de afeto com as de ódio; àquele que cuida delas ou que procura destruí-las, informa da sua alegria ao serem confortadas, com um pouco de água ou da sua apreensão ao sentirem-se em terreno ressecado.

Dentro do seu limitado círculo de recursos instintivos, a planta age realmente com inteligência, ainda que desprovida de razão, pois que, se a tivesse, disporia também de livre-arbítrio, como também ensinaram os Espíritos.

A razão começa junto com a consciência de si mesmo, o que nem plantas nem animais possuem. "

Muitos vezes o instinto e a inteligência se confundem, embora possamos

distinguir os atos que decorrem do instinto dos que são da inteligência.

As faculdades instintivas não diminuem à medida que crescem as intelectuais; "o instinto existe sempre, mas o homem o despreza. O instinto também pode conduzir ao bem. Ele quase sempre nos guia e algumas vezes com mais segurança do que a razão. Nunca se transvia." (1)


A razão não é guia infalível pois é "falseada pela má educação, pelo orgulho e pelo egoísmo. O instinto não raciocina; a razão permite a escolha e dá ao homem o livre-arbítrio." (1)

"...... E, assim, com esta razão falseada, que as inteligências transviadas montam complexas estruturas filosóficas, aparentemente muito racionais, mas totalmente falsas, porque a razão que lhes serviu de modelo estava contaminada pela má educação, pelo orgulho e pelo egoísmo. Lembremos aqui a razão absoluta, purificada, é que se referia Kardec ao recomendar que a fé teria que, também ela, submeter-se, e isto é tão verdadeiro que vemos variedades espúrias de fé.

Paixão e razão que se misturam. A razão é fria porque neutra, embora não insensível."(Meditações acerca da inteligência - Hemínio C. Miranda)

O instinto antecede a inteligência racional.

Feita a distinção entre inteligência e instinto, voltemos um pouco à questão da inteligência ser característica do espírito.

No livro de André Luiz "Entre o céu e a terra" lemos interessante comentário sobre a inteligência - intelectualidade, em relação a uma reencarnação específica:

" A reencarnação no caso de Júlio não reclama de nossa esfera cuidados especiais.

É uma descida experimental ao campo da matéria densa, com interesse tão somente para ele mesmo e para os familiares que o cercam.

Todavia, se a existência do filho de Amaro estivesse destinada, no momento,, a influenciar a comunidade, se ele fosse detentor de méritos indiscutíveis, com responsabilidade junto aos caminhos alheios, o programa seria efetivamente outro.

Forças de ordem superior seriam fatalmente mobilizadas para a interferência nos cromossomos, garantindo-se o embrião do veículo físico de maneira adequada à missão que lhe coubesse...

E se o reencarnante fosse um espírito de larga intelectualidade? ..

"Merecer-nos-ia cautelosa atenção na estrutura cerebral, para que não faltasse um instrumento à altura, na materialização do pensamento...

...em milhares de renascimentos, na Terra, os princípios embriogênicos funcionam automáticos, dia a dia.

A Lei de Causa e Efeito executa-se sem necessidade de fiscalização da nossa parte.

Na reencarnação, basta o magnetismo dos pais, aliado ao forte desejo daqueles que regressam ao campo das formas físicas. De modo geral, a maioria das almas que reencarnam satisfazem à fome inquietante do recomeço.

Milhões de destinos se reestruturam dessa forma, qual se refaz uma grande floresta.

A sementeira cresce, estimulada pelo magnetismo do solo; a existência corpórea germina de novo, incentivada pelo magnetismo da carne.."

Outras referências que podemos observar:

" É exatamente na questão da hereditariedade humana que se sente a presença do espírito agindo e reagindo, atestando-se fruto de si mesmo" (Evolução em dois mundos - André Luiz).
"O ser espiritual foge da ditadura escravizante das Leis Genéticas estereotipadas na hereditariedade. O espírito não é fruto da carne" (O problema do ser, do destino e da dor - Léon Denis)

"As tendências e aptidões humanas procedem de experiências do passado em que o espírito armazenou valores que lhe pesam na economia evolutiva como poderosos plasmadores da personalidade" (Temas da Vida e Morte - Manoel Philomeno)

"A hereditariedade, qual é aceita nos conhecimentos científicos do mundo tem seus limites. Pais e filhos, ainda mesmo quando parecem distantes uns dos outros, sob o ponto de vista moral, guardam sempre afinidade magnética entre si; deste modo os pais oferecem determinados recursos ao Espírito reencarnante, mas esses recursos estão condicionados às necessidades da alma que lhes aproveita a cooperação, porque no fundo, somos herdeiros de nós mesmos.

Assimilamos as energias dos nossos pais terrestres, na medida de nossas qualidades boas ou más. Na mente reside o comando" (Entre o céu e a terra - André Luiz)

A noção da transmissão hereditária da inteligência faz parte da ciência materialista, que vê apenas a interpretação biológica, sem qualquer suporte espiritualista.

"Ainda se pensa que inteligência é uma questão basicamente genética colorida por influências mesológicas, ou seja, hereditária e desenvolvida sob forte pressão do meio ambiente. Para sermos justos, é preciso reconhecer que alguma influência realmente exercem a hereditariedade e o meio, mas não tanto quanto julgam os cientistas acadêmicos, e não propriamente sobre a inteligência em si, mas sobre suas manifestações. Vamos tentar compreender melhor isso.

Um casal de criaturas marcadas pela debilidade mental pode gerar uma criança também prejudicada mentalmente mas isso não significa que este novo ser seja espiritualmente um débil mental.

Na verdade, pode ser um gênio que apenas não conseguiu criar no corpo físico, em gestação sob condições tão adversas, um instrumento adequado de manifestação de seu potencial. Não são raros, porém, os casos de filhos altamente inteligentes nascidos de pais deficientes. A recíproca também é válida: pais inteligentes gerando filhos retardados. Por outro lado, o ambiente em que se desenvolve a criança exerce sobre sua inteligência uma influência que não pode ser desprezada, mas não deve ser exagerada, porque sob as condições mais hostis podem desenvolver-se inteligências brilhantes.

Isso tudo tem demonstrado à saciedade que a inteligência não é um fator basicamente genético ou mesológico, mas uma faculdade do Espírito preexistente, que traz para a sua nova existência os recursos intelectuais que já tenha conseguido desenvolver no passado, dentro, porém, das condicionantes criadas pelo seu comportamento moral, ou seja, pelo bom ou mau uso que deu à sua inteligência....

.... os cientistas desligados das correntes espiritualistas continuam a pesquisar as razões das dessemelhanças intelectuais entre gêmeos, partindo do pressuposto de que, gerados simultaneamente, teriam de ser pelo menos semelhantes em inteligência, senão idênticos, o que está longe de ser verdadeira pois cada um deles é um Espírito diferente, em diferente estágio evolutivo. ... Ao que indica a observação apoiada no conhecimento espiritual, a inteligência é a resultante do conhecimento acumulado ao longo dos milênios e das inúmeras encarnações. Não somos inteligentes por causa de uma combinação genética particularmente feliz, ou porque nos desenvolvemos em ambiente adequado, mas porque, no passado, já nos habituamos a manipulação e apropriação do conhecimento, através do estudo e do aprendizado.

As noções que adquirimos, as experiências porque passamos, as coisas que descobrimos incorporam-se à nossa memória, cujos registros básicos se encontram no perispírito, e, embora armazenadas na zona crepuscular do chamado inconsciente, estão ali, à nossa disposição.

Quanto mais conhecimento tenhamos adquirido no passado, mais fácil se torna "resolver com êxito situações novas", porque temos um banco de dados mais vasto, contra o qual confrontamos analogicamente os fatos novos, as novas proposições, os novos aprendizados. É sempre mais fácil construir em cima do alicerce já consolidado. " (Meditações acerca da inteligência - Hemínio C. Miranda)

A Doutrina Espírita confirma a herança genética, mas ensina que a inteligência é atributo do espírito, a conquista de cada um no esforço de evoluir.

"...Da mesma forma que a inteligência, os sentimentos não são atributos do corpo, mas do espírito em sua caminhada evolutiva, são as conquistas de cada um. Resultam do esforço, do exercício das virtudes. Os pais podem passar para os filhos corpo físico, não a inteligência, nem os sentimentos. Mas podem ajudá-los a desenvolver tanto a inteligência como os sentimentos" (Filhos de gênios: o que são? - Umberto Ferreira - em O Reformador abril 2003)


(1) "O Livro dos Espíritos" - Allan Kardec
Perguntas/Respostas:
01 Qual a fonte dos instintos? Qual a função dos genes no comportamento? Pelo que entendi a inteligência provém do Espírito e o instinto, do corpo material. É isso?


O instinto é o estímulo ou impulso natural, e é do corpo material.

A genética é a base de nossa formação, tanto fenotípica (aparência) como constituição genotípica (constituição hereditária).


02. Imagino que o instinto é o somatório das experiências transatas, e que pelo automatismo ele se nutre e se expressa. Podemos dizer que nossas experiências passadas registradas no perispírito são as mesmas que a psicologia diz está no inconsciente profundo ? Antropologicamente ha identificação de que o instinto desenvolveu-se através das espécies ?
Deise_Bianchini> A inteligência é a somatória de nossas experiências passadas, a partir do uso do e manipulação do conhecimento. Assim vamos formando nosso acervo de sabedoria. Quanto às outras partes de sua questão não sei responder.
03< Gladdy> Por que os instintos causam certos problemas em nossas atitudes? A agressividade, por exemplo, que é algo que precisamos disciplinar... Não é um instinto do corpo material?
O instinto é o que utilizamos para nossa preservação. Normalmente será uma reação imediata a um impulso. Alguém aproxima um objeto de seu olho você o fecha instantaneamente. Seria como uma defesa. Já a agressividade não vejo como instintiva. É uma característica da pessoa, que deverá ser, com certeza, controlada. Assim como o egoísmo, a luxúria, preguiça e outros sentimentos ou reações.

Como falamos antes, o instinto pode nos levar a praticar o bem, e a razão pode nos levar a atos não tão bons. Porque estaremos pensando com o orgulho e vaidade, seria a nossa educação, o nosso aprendizado até o momento




04 Quero saber se a inteligência está associada de alguma forma a genética, e em caso positivo por favor me diga se um clone meu será tão inteligente como eu, ou ainda, escolherá a mesma área de atividade que a minha
A ligação da inteligência com a genética é apenas o corpo que será fornecido ao espírito pra que ele possa manifestar-se.

A inteligência é característica do espírito que, na encarnação presente, necessita de um corpo físico para se manifestar.

Se esse corpo não tiver condições, vamos dizer, de manifestar suas aquisições artísticas, nessa encarnação essa habilidade ficará adormecida.

O espírito conserva todo o conhecimento adquirido através das inúmeras encarnações, mas por vezes não poderá se utilizar desses conhecimentos.

Quanto ao clone, ele será fisicamente idêntico a você, organicamente será uma cópia fiel sua. Quanto a inteligência, ela será a do espírito que o habitará.

A escolha das áreas de atividade ou interesse também não será necessariamente a sua, mas sim a do espírito que vai habitar o clone.

Lembre-se, a carne vem da carne, mas o espírito não
05
Onde ficam armazenadas as informações que a inteligência usa? É no perispírito? Se é, como justificar a troca dele quando deixa um determinado globo?
Considero que seja no espírito.
06 Algumas experiências comprovam que a síndrome do duplo Y (indivíduo com um cromossomo X e dois cromossomos Y) demonstram mais agressividade que homens normais (XY). E o aumento de testosterona no sangue apresenta o mesmo resultado. Não seria a matéria agindo no comportamento?
Gladdy, quando relatei a reencarnação de Júlio, vimos que os espíritos não tiveram cuidados especiais nesse caso, pois não necessitaria de instrumentos orgânicos diferenciados para suas provas e que as reencarnações seguem um funcionamento automático, usando o magnetismo dos pais e desejo daqueles que retornam.

O espírito tem íntima relação com a organização genética do corpo que se formará, isso é bem descrito em outro livro de André Luiz, na reencarnação de Segismundo.

É dessa forma que a genética nos proporciona as diferentes oportunidades que necessitamos passar.

Veja, a ciência hoje está descobrindo cada vez mais os genes que influenciam nosso comportamento, além desse que você falou há o gene da obesidade e vários outros.

Li também sobre as diminuição do cromossomo y.

A matéria está intimamente ligada a nosso comportamento, mas porque o espírito que ali se encontra era favorável a isso.

07 Poderíamos então entender que o instinto é transmitido via gene ou é também um atributo do espírito, e portanto uma herança do psiquismo eterno?
O instinto é uma aptidão inata.É uma inteligência rudimentar, de ação espontânea.Imagino que seja incorporado aos conhecimentos do espírito.

Oração Final:
Bom Deus, de infinita bondade e misericórdia........

Que a luz derramada por ti, Pai, nos chegue ao raciocínio e ao coração......

Que as palavras e ensinamentos do mestre Jesus reflitam em nós como fogo, mantendo-nos no caminho do bem, da caridade e do amor.....

Que teus prepostos, Senhor, sejamos nós mesmos, onde o trabalho edificante seja nossa bandeira....

Aos amigos do invisível que sempre nos auxilia nesta árdua caminhada, nossos agradecimentos.....

Aos que nos fazem pensar e refletir melhor sobre nossa conduta, muitas vezes pondo-nos a prova, também recebam nossas gratidões.....



Que enfim, Pai, possamos continuar juntos ensejando o progresso de todos os teus filhos. Que a Paz de Jesus se estabeleça em nosso íntimo. Com esta prece damos graças a Deus !


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal