Export home 2011 dossier de imprensa



Baixar 48.08 Kb.
Encontro28.07.2016
Tamanho48.08 Kb.

EXPORT HOME 2011



DOSSIER DE
IMPRENSA



23 a 27 de Fevereiro 2011

ÍNDICE

Pág.





  1. EXPORT HOME 2011 EM SÍNTESE 3



  1. TEXTO INFORMATIVO 4



  1. ACTIVIDADES PARALELAS 7




  1. ANEXOS 8


EXPORT HOME 2011 EM SÍNTESE


DESIGNAÇÃO

EXPORT HOME – Mobiliário, Iluminação e Artigos de Casa para Exportação

(23ª Edição)








ÂMBITO

Mobílias completas de todos os estilos; Móveis decorativos; Iluminação; Estofos; Tecidos de decoração e Artigos para casa






PERFIL DO VISITANTE

Visitantes Profissionais






DATA

23 a 27 de Fevereiro de 2011






ORGANIZAÇÃO

EXPONOR – Feira Internacional do Porto






LOCAL

EXPONOR – Feira Internacional do Porto







HORÁRIO

Todos os dias das 10h00 às 20h00






PERIODICIDADE

Anual







VISITAS

19.000 (estimativa)







EXPOSITORES

150






INTERNET

www.exporthome.exponor.pt






ASSESSORIA DE IMPRENSA

Sandra Lima – Tel.: 229981423

Fax: 229981482



sandra.lima@exponor.pt






SALA DE IMPRENSA

Galeria do Pav. 5 – Tel.: 229981006/7

Fax: 229981009



press.exponor@aeportugal.com



TEXTO INFORMATIVO



EXPORT HOME (de 23 a 27 de Fevereiro) garante compradores dos cinco continentes e dá destaque ao Design português

Empresas da EXPORT HOME exportam 70% do que produzem



  • Japão, Mónaco, Uruguai e Estónia são mercados em estreia nesta edição

A EXPORT HOME – Mobiliário, Iluminação e Artigos de Casa para Exportação, a acontecer de 23 a 27 de Fevereiro, é a feira de eleição das principais empresas portuguesas que, na 23ª edição, lançam novas colecções para o mercado. A qualidade dos produtos que caracteriza a indústria de mobiliário portuguesa, o design e a inovação são os pontos fortes da EXPORT HOME 2011, reunindo as mais variadas linhas, do clássico ao contemporâneo.


A aposta no design apresenta-se como um factor fundamental para o incremento das exportações do mobiliário português. O design e a internacionalização são indissociáveis e vitais para o negócio de muitas empresas. Abundam os exemplos, na edição da EXPORT HOME 2011, de empresas referência a estes níveis. Isto numa altura em que o Governo português definiu como prioridade do País o incremento das exportações.
O mercado profissional, ao qual a EXPORT HOME é reservada em exclusivo, tem oportunidade de conhecer uma selecção de excelência, com os melhores produtos, as novas tendências e as propostas mais inovadoras em mobiliário, estofos, iluminação e artigos para a casa produzidos em Portugal. A excelência nacional será representada por perto de 150 empresas presentes. «Estamos a falar de 80% da produção nacional e que vai estar na feira», refere Amélia Monteiro, directora da EXPORT HOME, acrescentando que estas representativas empresas estão «aptas a agarrar as oportunidades de negócio que poderão advir das principais cadeias internacionais que visitam a feira».
Mapa das visitas internacionais ganha nova configuração

O mapa de visitas internacionais conhecerá uma nova configuração, incrementado nesta edição pelo Japão, Mónaco, Uruguai e a Estónia. Estes países passam a figurar na lista de novos mercados, juntando-se aos mais de 30 já angariados pelo Exponor International Buyers - um serviço que tem potenciado a presença estrangeira na feira e optimizado o contacto entre as empresas expositoras.


Os países do Benelux (Bélgica, Holanda e Luxemburgo), do Báltico (Estónia e Letónia), dos PALOP (Angola, Cabo Verde e Moçambique), dos Emirados Árabes Unidos (Dubai), da Escandinávia (Suécia, Dinamarca, Noruega e Finlândia), dos mercados tradicionais da Europa (Espanha, França, Alemanha e Itália), bem como alguns países do lado de lá do Atlântico (Estados Unidos da América, Brasil e México), constam de um extensa lista de mercados convidados, onde se incluem ainda os “gigantes do oriente” (China e Japão). «Entre estreias e “repetente”, há presenças que se destacam quer pelas marcas das cadeias que representam quer pelo interesse que revelam pela feira», refere ainda a directora da EXPORT HOME.

Uma estreia de peso é a do Japão, com seis compradores a representarem igual número de empresas, da qual se destaca a presença de Takashi Sekimitsu, o importante designer japonês, com influência no país junto dos principais importadores e lojas de decoração.

Já a China aparece como país repetente no mapa das visitas da feira, mas conhece um incremento com nove compradores interessados.

De destacar ainda a comitiva dos EUA, que ganha expressividade nesta edição, deslocando ao certame nove representantes de cadeias americanas.

Da Europa virá o representante da Studio, um showroom de decoração com representação no mercado suíço de marcas contemporâneas (Molteni & Cie, Flou e Minotti), na Suíça. De visita à feira estará ainda o comprador da Spirithome, da Hungria. Especializados em mobiliário de design, peças únicas, estão a preparar abertura de um showroom de luxo no centro de Budapeste, em Março.

O mapa das visitas da EXPORT HOME segue assim as principais tendências dos mercados, suportando o que muitas estatísticas têm revelado. Espanha, França e Rússia lideram o ranking dos países de visita à EXPORT HOME. Ao nível do sector os últimos dados são animadores e reveladores de que as empresas portuguesas de mobiliário estão aptas a agarrar as oportunidades que o mercado global oferece. Representado 1% do PIB nacional, a indústria de mobiliário emprega mais de 30 mil trabalhadores, sendo que das 3 mil empresas, 65% estão localizadas na região Norte, distrito do Porto. Os dados da APIMA (Associação Portuguesa das Indústrias de Mobiliário e Afins) salientam os bons resultados alcançados, nas exportações, nos três primeiros trimestres de 2010, comparativamente ao mesmo período do ano anterior, «com um crescimento de 36%, mais de 193M€».


Produtores posicionam-se para captar interesse dos compradores

A internacionalização constitui um dos objectivos das empresas e a sua presença na EXPORT HOME torna-se, por isso, uma alavanca para outros mercados. A aposta no design surge para estes produtores como um factor competitivo. Empresas de referência como a ADC, Aldeco, Aleal, Lusodesign, A.Brito, Douroestofo, Gualtorres e Mab “cresceram” com a feira e foi neste espaço que começaram a estabelecer os primeiros contactos com o mercado externo. Estes produtores nacionais são unânimes ao constatarem a importância do certame para o sector. A Lusodesign, de Mário Rocha - um “veterano” no sector –, diz que a EXPORT HOME «tem um papel fundamental quer ao nível nacional quer internacional». Também para a A.Brito, de Mário Rocha, a feira «continua a ser importante para o sector». No caso da ADC, Américo Campos é peremptório ao afirmar que «é vital para o seu negócio». É precisamente a pensar «no desenvolvimento do negócio» que a EXPORT HOME tem sido «importante para a marca ALeal», concretiza Daniela Leal. O momento é ainda aproveitado pelas empresas para lançarem as novas colecções e darem a conhecer novos produtos ao mercado. A Aldeco estará na feira a «apresentar as últimas novidades», adiantou Alberto Dias.

E se há empresas veteranas na feira e em outros mercados, há outras que começam agora a dar os primeiros passos, como o caso da Douroestofo, que teve o primeiro contacto com o mercado externo na edição passada. Conferindo ao design grande importância na concepção dos seus modelos, Miguel Pinto, gerente da Douroestofo, revela que é «uma aposta constante».

E porque a crise é uma realidade e não pode ser escamoteada, revela-se fundamental para o sucesso e sustentabilidade de muitas empresas portuguesas a aposta no design, constituindo «um factor determinante e que está na génese do nosso sucesso», diz Gualter Torres, sócio-gerente da Gualtorres, acrescentando ainda que as exportações excedem os 70% da sua produção.

Também para a Mab, o mercado externo representa a mesma quota de vendas, tendo-o conseguido pelo design que incorporam os seus produtos. Para que o design seja uma inovação diária, Rui Barbosa, responsável da Qualidade, referiu que tem nos seus quadros duas designers. «Todos os nossos produtos são patenteados e desenvolvidos internamente». Consulte as entrevistas na íntegra em www.exporthome.exponor.pt).
Design é dínamo da feira

A realização do espaço Living Art, uma porta aberta aos jovens criadores que se apresentam pela primeira vez ao mercado profissional; o regresso do Evento de Design, que na décima edição exibe uma mostra de design; a atribuição do Prémio Design EXPORT HOME; e a realização de workshops, subordinados aos temas “Formação, design e empreendedorismo”, promovidos pelo IPCA (Instituto Politécnico do Cávado e do Ave) e o IPVC (Instituto Politécnico de Viana do Castelo) são as propostas de actividades paralelas em destaque na EXPORT HOME 2011. O Evento de Design volta assim a ser uma aposta da organização, contando na décima edição com a chancela da APEIEMP – Associação para o Pólo de Excelência e Inovação das Empresas de Mobiliário de Portugal. Este ano “veste” uma nova roupagem, o mesmo que dizer que se apresenta com outros moldes, de forma a alcançar ainda mais visibilidade. Localizada na galeria do pavilhão 6, estará patente uma mostra de design, durante o período do certame, revelando as melhores peças de design da feira, numa selecção prévia da APEIEMP.

A novidade deste ano é o Prémio Design EXPORT HOME. A selecção das peças a concurso será realizada e anunciada na feira. No dia 25, sexta-feira, será conhecido o vencedor. Para informações detalhadas sobre esta e outras actividades consulte www.exporthome.exponor.pt).
A edição de Fevereiro consta da agenda das mais representativas cadeias de compras internacionais. De 23 a 27 vão passar pelos corredores da EXPONOR alguns dos principais decisores internacionais para avaliarem o mais representativo mobiliário made in Portugal.
ACTIVIDADES PARALELAS

EXPORT HOME 2011
23 a 27 de Fevereiro|(10h/20h00)
Espaço Living Art

Local: Pav. 4

Organização: Portuguese Business/EXPONOR

- Exposição Novos Talentos

- Workshop Novos Talentos

Temas: Formação/Design e Empreendedorismo

Horário: das 14h30/16h30

– IPVC (Instituto Politécnico de Viana do Castelo), dia 23 Fevereiro

– IPCA (Instituto Politécnico do Cávado e do Ave), dia 25 Fevereiro
- Exposição de biombos da “Árvore”

Organização: Cooperativa Árvore

Horário: durante o período da feira
- Exposição de Fotografia do Instituto Português de Fotografia

Organização: Instituto Português de Fotografia

Horário: durante o período da feira
Animação musical com:

Rente Piano e Academia Musical de Viatodos (Barcelos)



Prova de vinhos e Queijos

Garrafeira da Granja com vinhos Pedro Milanos e queijos D. Villas


X Evento de Design

Local: Galeria do Pav. 6

Organização: APEIEMP – Associação para o Pólo de Excelência e Inovação das Empresas de Mobiliário de Portugal/EXPONOR
25 de Fevereiro|(sexta-feira)
Apresentação do vencedor do Prémio Design EXPORT HOME

Organização: APEIEMP – Associação para o Pólo de Excelência e Inovação das Empresas de Mobiliário de Portugal/EXPONOR


Programa: Workshop – “Processos de Design Aplicados à Concepção de Produtos”

Organização: IPCA (Escola Superior de Tecnologia do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave, Barcelos)/EXPONOR

Horário: 14h30 às 16h30

Oradores:

João Pedro Lopes (AIMMP), Maria João Félix (IPCA-EST), Graça Silva (IPCA-EST), Cláudio Ferreira (IPCA-EST), Miguel Terroso (IPCA-EST) e Paula Tavares (IPCA-EST).



ANEXOS

Novidades expositores
ALEAL – uma marca diferenciadora

A história da EXPORT HOME confunde-se muitas vezes com o percurso de muitas empresas portuguesas. Foi na EXPORT HOME que se deram a conhecer e é neste espaço que tem crescido no mercado. A ALEAL é uma dessas empresas. Há 23 anos, tantos como a feira, que marca presença. Na próxima edição «iremos apresentar novas colecções, em que os artigos irão apresentar uma linguagem criativa e equilibrada, composta por ideias inteligentes, novas e frescas», adianta Sandra Leal, CEO da ALEAL.


Douroestofo lança Aqua Collection

Tem sido um percurso pautado pelo sucesso, conquistando, ano após ano, uma posição favorável no mercado nacional e já com os primeiros passos dados no mercado externo. Falamos da Douroestofo, presença assídua da EXPORT HOME, que aposta na qualidade e no conforto, aliada ao design e à arte. São estas «conjugações que posicionam os produtos Douroestofo entre os melhores», diz Miguel Pinto, gerente da empresa.


Exportações já excedem 70% da produção da Gualtorres

E porque a crise é uma realidade e não pode ser escamoteada, a gestão rigorosa de recursos revela-se fundamental para o sucesso e sustentabilidade de muitas empresas portuguesas. No caso da Gualtorres, para além de uma gestão rigorosa, a aposta no design constituiu «um factor determinante e está na génese do nosso sucesso», adiantou Gualter Torres, sócio-gerente da empresa. A EXPORT HOME teve «uma importância vital no crescimento da empresa», pelo que continua a ser uma aposta da Gualtorres que estará presente e, mais uma vez, apresentará produtos arrojados e diferenciadores.


Qualidade e inovação ditam sucesso da Jetclass

A Jetclass é daquelas raras empresas capacitadas para personalizar cada peça de mobiliário ao gosto de cada cliente. O segredo revela Agostinho Moreira, administrador da Jetclass, está na originalidade que resulta da «combinação harmoniosa de elementos de diferentes épocas e estilos, clássicos e modernos». A história da Jetclass confunde-se com a da EXPORT HOME. Foi a primeira exposição para profissionais na qual participaram e, no entender de Agostinho Moreira, o percurso da feira «tem sido louvável uma vez que tem conseguido manter visível aos olhos do mundo o que de melhor se faz em Portugal ao nível do mobiliário».


Linha MAB Premium com brilho da Swarovski

A orientação para o mercado, a criação de valor acrescentado e a responsabilidade económica e social torna a MAB uma empresa distinta, num mercado, cada vez mais, competitivo. Presente desde a primeira edição, ainda hoje, volvidos 23 anos, a MAB mantém clientes que conseguiu «angariar e fidelizar», diz Rui Barbosa, responsável da Qualidade, na primeira edição da EXPORT HOME. Este ano, não faltarão novidades, sendo de destacar a linha MAB Premium, com incrustações de Swarovski.


A.Brito lança FULLDRESS ao mercado

A A.Brito apresentou-se ao mercado profissional na EXPORT HOME e, juntamente com a feira, tem crescido ao longo destes 23 anos de parceria. «É, sem dúvida, uma feira importante para o sector», diz Mário Brito. Quanto às novidades, destaca a apresentação de um programa de armários – FULLDRESS - que permitirá ao cliente final melhor organizar o seu espaço e cores nas restantes linhas.


Móveis Fijô ao “vivo e a cores” na EXPORT HOME

Considerando que o mercado tem vindo a decair, a Móveis Fijô apresenta-se na EXPORT HOME, com expectativas moderadas, para “ao vivo e a cores” atrair novos clientes. Para tal, lança pela primeira vez ao mercado um conjunto de mobiliário juvenil mas, ao contrário do que é usual, em madeira maciça que é a marca da nossa casa», adianta António Leão.



Paulo Antunes apresenta linha revivalista

Actuando na área do mobiliário, a Paulo Antunes diferencia-se no mercado pelo investimento constante em novos produtos. A EXPORT HOME foi a rampa de lançamento e nesta edição, adiantou Paulo Antunes, responsável da empresa, vai apresentar «uma linha revivalista, anos setenta, estilo nórdico, mas com uma roupagem actual».


O arrojo da Serca

Apesar de ainda “jovem” no mercado, a estreia da Serca foi na EXPORT HOME e mantém-se (desde 2006) fiel à feira. Actuando no segmento do mobiliário, o que torna esta empresa diferenciadora, diz Luís Branco, design da Serca, é, «sem dúvida, a nossa capacidade de inovar, produzindo mobiliário com design e qualidade a um preço competitivo». Nesta edição, os visitantes poderão apreciar peças «extremamente arrojadas», sendo que uma delas concorre ao prémio Design EXPORT HOME.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal