F iel à toda prova cuidado para não cair



Baixar 34.35 Kb.
Encontro29.07.2016
Tamanho34.35 Kb.


5514
F IEL À TODA PROVA


CUIDADO PARA NÃO CAIR

Areli Barbosa

Texto Base - Mateus 26:58

Uma leitura em todo o capítulo 26 de Mateus mostra a história e os porquês do fracasso de um homem.

No verso 58, em especial está a base para entender toda a história de Pedro apresentada no capitulo 26 de Mateus. Especialmente porque Pedro negou a Cristo antes do cantar do galo, e como podemos evitar repetir a historia hoje. Afinal, hoje, o galo ainda canta, e Cristo continua preocupado em nos alertar, para que nossa historia não tenha o mesmo resultado.

O capitulo 26 de Mateus apresenta Pedro, um herói do cristianismo, no fundo do poço. Por que ele teve tantos fracassos? (Ler texto base).

Apesar de seu aparente entusiasmo, ate o momento em que o galo cantou, Pedro era um cristão sem compromisso. Seguia Cristo de longe.

A pergunta que fica para nós hoje: É possível ser batizado, estar na igreja, ser de família tradicional, ter uma longa ficha de serviços pela igreja e não estar comprometido?

Existem seis momentos da vida de Pedro, em Mateus 26, que mostram como é possível estar com Cristo e segui-lo de longe. Sem compromisso. É uma oportunidade para nossa auto-avaliação.

Nos versos 20-30 Mateus apresenta o momento da comemoração da páscoa e da instituição da Santa Ceia. Ali é possível identificar como Pedro Deixou passar em branco uma oportunidade para sua reconsagração.

Aquele deveria ter sido o momento para receber forças, reconsagrar a vida e estar preparado para o que viria depois. A ceia passou, ele falou palavras bonitas, mas nada aconteceu em sua vida. Saiu dali da mesma maneira que entrou. Foi a sua grande chance, mas ele desperdiçou. Ai começou sua queda.

A gente pode avaliar a nossa própria situação, diante da realidade de Pedro. Será que alguns de nós não estamos vindo à igreja apenas para encontrar amigos, mostrar as roupas ou carros novos, bater um papo com alguém, ou fazer alguma outra coisa que mostre que estamos perdendo uma grande oportunidade?

Será que pode haver pessoas preocupadas com tudo, menos com a mensagem? Esperam que amanhã surja uma oportunidade mais fácil, ou algum acontecimento que venha a impactar e criar uma nova situação, e ai então vão ter o momento de reconsagração?

Pode haver alguém que vem aos programas da igreja, mas rejeita a mensagem por achá-la dura, e perde com isso um recado de Deus.

Será que existem pessoas que ouvem a mensagem que é pregada e passam todo o tempo aplicando aos outros aquilo que deveriam receber para si? Consertam a vida de todos, mas perdem uma oportunidade para reconsagração pessoal.

Nos versos 31 – 33 Jesus avisa com muita franqueza e sinceridade: “Vocês me abandonarão”. Em Lucas 22:31 Ele foi mais longe quando disse: “satanás pediu para peneirá-los...”. A resposta de Pedro foi categórica: “Eu nunca te escandalizarei”. Em outras palavras: “Comigo não. Sou melhor do que os outros”.

Essa é mais uma razão do fracasso de Pedro, e que tem que abrir nossos olhos hoje, para não repetirmos a história. Ele representa aqueles que se sentem melhores do que os outros.

Alguns desses brigam por posição ou cargos, sempre querendo ser os melhores. Ninguém poderá fazer nada melhor do que eles.

Outros exageram na aparência pessoal. Gastam muito tempo e dinheiro tentando parecer os melhores, os mais bonitos, os mais desejados.Outros usam ainda uma ferramenta mais perigosa: Criticam para destruir outros. Se eles fazem isso, se sentem vencedores, ou superiores. Esta é uma demonstração do desespero que eles tem para ser os melhores.

Esses correm o mesmo risco de Pedro, caminhando inconscientemente pelo mesmo caminho que ele caminhou. Como resultado podem chegar ao mesmo fracasso pessoal e espiritual.

No verso 35 Pedro foi convincente, mas não passou disso. Diante da preocupação de Jesus ele respondeu: “Morrerei, mas não te negarei”. Demonstrou que possuía uma Religião de intenções e de palavras.

Este foi mais um capítulo da história de sua queda. Ele falava muito, mas sua vida não correspondia a essa consagração.

Ele é um exemplo de pessoas que falam das coisas de Deus com ar de sinceridade, mas não se envolvem. Não passam de palavras. Falam da Bíblia, mas não lêem, falam de oração, mas não oram, falam de amor ao próximo, mas não ajudam. Para eles a religião é um belo discurso bem elaborado.

Nos versos 37-45 Jesus acorda Pedro três vezes para orar. Ele dormiu enquanto deveria orar.

As coisas de Deus começam a perder o interesse. Não mexiam mais com ele com a mesma intensidade. Perdeu uma grande oportunidade, e abriu a porta para a queda.

Será que a gente não pode estar indo pelo mesmo caminho ou estar vivendo a mesma situação? Para as coisas de Deus sempre cansado e sempre sem vontade? Quem sabe a Bíblia está fechada durante toda a semana. Só é lembrada no sábado. A lição da Escola Sabatina está em branco e as orações já são formais e distantes.

É tempo de abrir os olhos. A história não pode se repetir. Não podemos correr o risco de ter a vontade dirigida para outras prioridades que não sejam as coisas de Deus.Se você ler os versos 51-54, vai encontrar Pedro tentando matar Malco, o servo do sumo sacerdote. Acabou acertando sua orelha. Não teve paciência com as atitudes de Cristo

Tentou resolver as coisas do seu jeito. Aliás, essa não foi a primeira nem a única vez que ele agiu assim. Esse caminho já estava sendo pavimentado há mais tempo. Dessa vez, porém, Pedro chegou a extremos.

Com sua atitude, ele precisa despertar aqueles que passam pela mesma dificuldade. Talvez não tenham paciência para perseverar em oração. Pensam logo: “Se Deus não age, vou dar o meu jeito”. Outros podem estar querendo mudar as pessoas na pressão ou obrigação. Não tem paciência com as falhas dos outros. Esquecem do tempo que Deus precisou para mudá-lo. São pessoas que estão caminhando na mesma direção de Pedro, mas não podem cair. É tempo de acordar.

Nos versos 69-75 Jesus lhe mostrou até o momento onde iria enfrentar a provação: “Antes de o galo cantar, três vezes me negarás”. Pedro foi bem avisado, mas, Não assumiu sua vida religiosa.

Sua queda foi desmascarada com o cantar do galo. Ele arrumou desculpas ou mentiras para esconder suas características de cristão.

Esse é um problema complicado e que temos de enfrentar ainda hoje. Quantas vezes, quando alguém nos convida para algum lugar, ou pergunta alguma coisa que tenha ligação com a nossa fé, a gente acaba dando explicações técnicas para o que Deus pede.

Quantas pessoas acabam quebrando princípios para não perder amigos. Preferem entrar na onda para não serem rejeitados.

Quanta gente não luta por aquilo que acredita. Esconde-se atrás do medo e da vergonha.

O galo ainda canta hoje, mas antes que ele cante para você, acorde de sua condição. Você não pode cair. Deus lhe chamou para ser fiel e vitorioso.

Quem faz como Pedro e segue a cristo de longe, sente as conseqüências na vida. Acaba sendo um cristão infeliz. Está sempre em luta, sem encontrar momentos de paz. Vive uma religião difícil, pesada, sem motivação, cheia de nãos. Acaba caindo em pecado de maneira aparentemente inesperada. Todos achavam que era um grande cristão ou grande líder, quando vem a queda.

Quem vive assim, nunca experimenta vitórias e milagres, e acaba desacreditando do poder de Deus, porque nunca vê seus resultados. Corre um sério risco de abandonar a fé.

Deus lhe enviou essa mensagem, porém, porque você não pode cair. Não pode repetir a história. Ele quer lhe dar uma vacina, com Sua orientação e poder.

Mas, houve um momento em que a história mudou e Pedro se comprometeu. Foi quando conheceu o tamanho do amor de Deus.

Lucas 22:60-62 diz que Pedro olhou para Jesus logo após o cantar do galo. Esperava encontrar reprovação e rejeição, mas o que viu foi um olhar de perdão e amor. Essa foi a marca de sua conversão.

Baseado na vitória foi escrito o hino 190 do Hinário Adventista – “Seu Maravilhoso Olhar”.

O olhar de Cristo tirou Pedro do fundo de uma sucessão de pecados conscientes e inconscientes. Hoje, porém, Seu olhar nos manda um recado: “também quero transformar você”.

O cantar do Galo foi um sinal da derrota de Pedro, mas também foi a porta aberta para o perdão, recomeço e consagração. Quem sabe hoje, ao analisar a situação de Pedro, o galo cante para você dizendo: “Chega”.

Você pode estar no limite. Antes que a queda seja fatal olhe para Cristo e faça sua entrega.

Será que existe alguém aqui:

Que tem levado uma vida sem compromisso com Cristo, colocando sua vontade e suas idéias em primeiro lugar?

Que ainda não entregou sua vida a Jesus?
Que está correndo demais, sem tempo para Deus?

Querendo uma promoção e, para isso, sacrificando princípios?

Com medo de perder a turma ou com vergonha de assumir sua religião?

Lutando por posições na igreja?

Vivendo uma religião de fachada, só por fora?

Afundando em um pecado secreto, sem conseguir acreditar mais, e cheio de decisões fracassadas?

Que está repetindo em sua vida as características da vida de Pedro?

Cristo convida para um compromisso com Ele. O cantar do galo foi o toque de despertar para Pedro. O cantar do galo é a voz do Espírito Santo que convida a acordar, hoje, e tomar uma atitude. O cantar do galo é uma oportunidade para encontrar o amor, o perdão e o poder de Deus sempre à disposição.

Seu olhar quer quebrar o gelo e o medo do coração. Ao invés de segui-Lo de longe, venha como está para os seus braços.



www.4tons.com



Pr. Marcelo Augusto de Carvalho


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal