Faculdade católica de santa catarina (facasc)



Baixar 131.78 Kb.
Encontro19.07.2016
Tamanho131.78 Kb.
FACULDADE CATÓLICA DE SANTA CATARINA (FACASC)

Rua: Deputado Antônio Edu Vieira, 1524 – Bairro: Pantanal

Florianópolis (SC) - CEP 88.040.001 - Fone/Fax: (048) 3234-0400

Site: <http://www.facasc.edu.br> - E-mail: <secretaria@facasc.edu.br

Revista CONCILIUM

Artigos Bíblicos (por ordem cronológica)

- 1965 a 2010 -

(Disponíveis na Biblioteca da FACASC)
Ano 1965

KASPER, Walter. A igreja sob a palavra de Deus. Concilium. Lisboa. N° 4. P. 63 - 67.

BOTTERWECK, G. Johannes.Estudo sobre a história da forma e da tradição do decálogo.

Concilium. Lisboa. N° 5. P. 45 - 64.


BALTHASA, H. U. Von. O evangelho como norma e critica de toda espiritualidade na Igreja.

Concilium. Lisboa. N° 9. P. 5 - 20.

BENOIT, Pierre. Inspiração e revelação. Concilium. Lisboa. N° 10. P. 6 - 19.

IERSEL, B. Van. O livro do povo de Deus. Concilium. Lisboa. N° 10. P. 20 - 39.

CAZELLES, H. A torah de Moisés e Cristo Salvador. Concilium. Lisboa. N° 10.p. 47 - 55.

WILLEMSE, J. A primeira e última palavra de Deus: Jesus. Concilium. Lisboa. N° 10 p. 56 - 71.

MUSSNER, F. O povo de Deus. Concilium. Lisboa. N° 10. P. 72-81.

VAWTER, F. Literatura recente sobre os profetas. Concilium. Lisboa. N° 10. P.82-93.

MURPHY, R. A literatura sapiencial do antigo testamento. Concilium. Lisboa. N° 10. P.94-106.

[Ano 1966 – não tem revista na biblioteca]

Ano 1967

VÖGTLE, A. Revelação e história no novo testamento. Uma contribuição para a hermenêutica



bíblica. Concilium. Lisboa. N° 1. P. 36-47.
KASPER, W. Relações entre evangelho e dogma. Considerações históricas sobre um tema atual.

Concilium. Lisboa. N° 1. P. 127-139.


STANLEY, D. Importância ecumênica de certos aspectos da doutrina do novo testamento sobre

Eucaristia. Concilium. Lisboa. N° 4. P.42-48.
BERTALOT, R. Compreensão da concepção evangélica da ceia. Concilium. Lisboa. N° 4. P.56-

61.
BLANK, J. Normas de ética no novo testamento. Concilium. Lisboa. N° 5. P.10-22.

MCKENZIE, J. Valores do antigo testamento. Concilium. Lisboa. N° 10. P.7-30.

DREYFUS, F. Valor existencial do antigo testamento. Concilium. Lisboa. N° 10. P. 31-40.

FESTORAZZI, F. “Eis-nos salvos” (Jeremias, 7,10). A fé como experiência salvífica. Concilium.

Lisboa. N° 10. P.41-53.


VINK, J. “Só em Yahvé se encontra a salvação de Israel” (Jeremias 3,23). Concilium. Lisboa. N°

10. P.54-63.


PAX, E. “Seremos considerados justos se nos conformar-mos fielmente a toda esta lei” (Dt

6,25). Concilium. Lisboa. N° 10. P.64-74.

GROSS, H. “Mas para Sião Ele virá como redentor” (Is 59,20). Concilium. Lisboa. N° 10. P.75-

85.
DUESBERG, H. “Abriu-lhes o entendimento para compreenderem as escrituras” (Lc 24, 45).

Concilium. Lisboa. N° 10. P.96-104.
COPPENS, J. O problema dos sentidos bíblicos. Concilium. Lisboa. N° 10. P.105-119.

CONCILIUM. Escritos sagrados das religiões não-cristãs. Concilium. Lisboa. N° 10. P. 120-147.



Ano 1968

IERSEL, B. V. Algumas raízes bíblicas do sacramento cristão. Concilium. Lisboa. N° 1. P.7-20.


BREUNING, W. A morte e a ressurreição no anúncio da palavra de Deus. Concilium. Lisboa. N°

2. P.8-23.


SHILIER, H. Elementos para uma teologia da palavra de Deus no novo testamento. Concilium.

Lisboa. N° 3. P.9-17.


RIGAUX, B. Os doze apóstolos. Concilium. Lisboa. N° 4. P.7-15.
ROLDDER, J. P. Elementos estruturais na palavra de revelação. Concilium. Lisboa. N° 6. P.62-

70.
DACQUINO, P. A alegria humana e o além nos livros bíblicos. Concilium. Lisboa. N° 9. P.37-50.


GRELOT, P. Presença de Deus no antigo testamento. Concilium. Lisboa. N° 10. P.7-19.
BARROSSE, T. A páscoa judaica e a refeição pascal. Concilium. Lisboa. N° 10. P.20-29.
KIUMARTIN, E. J. A última ceia e as primeiras eucaristias da igreja. Concilium. Lisboa. N° 10.

P.30-40.
ZUIDEMA, W. A eucaristia segundo são Paulo. Concilium. Lisboa. N° 10. P.41-50.


GIBLET, J. A eucaristia no evangelho de João. Concilium. Lisboa. N° 10. P.51-59.
SCHÜRMANN, H. As palavras da instituição da eucaristia a luz dos gestos de Jesus na última

ceia. Concilium. Lisboa. N° 10. P.102-111.

Ano de 1969
SCHELKLE, K.H. Ministérios e ministros nas igrejas do tempo do novo testamento. Concilium.

Lisboa. N° 3. P.8-20.


BOUWMAN, G. Será hoje em dia possível basear na bíblia a nossa vida espiritual? Concilium.

Lisboa. N° 9. P. 17-31.


VAUX, R. Presença e ausência de Deus na história, segundo o antigo testamento. Concilium.

Lisboa. N° 10. P.8-18.


MCCARTHY, D. Presença de Deus e palavra profética. Concilium. Lisboa. N° 10. P.10-30.
CROSSAN, J. Presença do amor de Deus no poder de Jesus. Concilium. Lisboa. N° 10. P.58-70.
LUZ, U. A imagem de Deus em Cristo e no homem, segundo o novo testamento. Concilium.

Lisboa. N° 10. P.71-82.


NEIRYNCK, F. A doutrina de Paulo sobre Cristo em nós e nós em Cristo. Concilium. Lisboa. N°

10. P.123-134.


GRILOT, P. A evolução do casamento como instituição no antigo testamento. Concilium. Lisboa.

N° 5. P. 560-569.


HOFFMANN, P. A palavra de Jesus sobre o divórcio e sua interpretação na tradição neo-

testamentária. Concilium. Lisboa. N° 5. P.570-582.
DUBARLE, A. A espera de uma imortalidade no antigo testamento e no Judaísmo. Concilium.

Lisboa. N° 10. P. 1231-1240.


MUSSNER, F. A doutrina de Jesus sobre a vida futura segundo os sinóticos. Concilium. Lisboa.

N° 10. P.1241-1248.


ROMANIUK, K. “Eu sou a ressurreição e a vida”. Concilium. Lisboa. N° 10. P. 1261-1268.
KREMER, J. São Paulo: a ressurreição de Jesus, razão e protótipo de nossa ressurreição.

Concilium. Lisboa. N° 10. P. 1269-1279.



Ano 1971
PESCH, R. Lugar e sentido de Pedro na igreja do novo testamento. Concilium. Lisboa. N° 4.

P.425-434.


SCHNEIDER, J. A contestação no novo testamento. Concilium. Lisboa. N° 8. P.1000-1006.
ROUQUETTE, J. O oculto e o manifesto no novo testamento. Concilium. Lisboa. N° 9. P.1092-

1106.
SCHÖKEL, L. A. Será necessária a exegese. Concilium. Lisboa. N° 10. P. 1199-1205.


DREHER, B. Exegese e pregação. Concilium. Lisboa. N° 10. P.1220-1229.
LORETEZ, O. A igreja e a ciência bíblica. Concilium. Lisboa. N° 10. P.1230-1241.
ZALOTAY, J. O pecado original. (NT). Concilium. Lisboa. N° 10. P.1258-1264.
WARE, R. Uso da escritura na teologia atual. Concilium. Lisboa. N° 10. P.1271-1282.
AUDINET, J. A mesa da escritura (bíblia e catequese). Concilium. Lisboa. N° 10. P. 1283-1292.

Ano 1971
MCKENZIE, J. Estruturas ministeriais no novo testamento. Concilium. Lisboa. N° 4. P.433-4441.
IERSEL, B. V. A imagem normativa do homem segundo o evangelho. Concilium. Lisboa. N° 5.

P.600-610.


SCHNACKENBURG, R. Participação da comunidade por consenso e eleição no novo

testamento. Concilium. Lisboa. N° 7. P. 856-865.
SLOYAM, J. Motivos bíblicos e patrísticos para o celibato dos ministros da igreja. Concilium.

Lisboa. N° 8. P.992-1007.


LAURENTIN, R. Luz do novo testamento sobre a crise atual dos ministérios. Concilium. Lisboa.

N° 10. P. 1242-1241.


SCHNIDER, F. A igreja como edifício e a construção da igreja. Concilium. Lisboa. N° 10.

P.1252-1264.


KEARNEY, P. O novo testamento estimula uma ordem eclesiástica diferente? Concilium.

Lisboa. N° 10. P.1278-1289.



[Ano 1972 – não tem revista na Biblioteca]

Ano 1973
IERSEL, B. V. Alternativas de secularização e sacralização na sagrada escritura. Concilium.

Lisboa. N° 1. P. 69-79.


VAWTER, B. NO NOVO TESTAMENTO. Concilium. Lisboa. N° 2. P. 159-164.
GIBLET, J. Aspectos da verdade no novo testamento. Concilium. Lisboa. N° 3. P. 283-290.
BLANK, J. A tipologia e o ministério de Pedro no novo testamento. Concilium. Lisboa. N° 3.

P.291-302.


PESCH, R. Será a partidos na igreja do novo testamento? Concilium. Lisboa. N° 8. P.929-937.
MURPHY, R. Deuteronômio: um documento de despertar religioso. Concilium. Lisboa. N° 9. P.

1064-1072.


REESE, J. O evento Jesus: poder na carne. Concilium. Lisboa. N° 10. P. 1195-1203.

Ano de 1974
KECK, L. O filho que cria liberdade. Concilium. Lisboa. N° 3. P.346-357.
FLUSSER, D. Até que ponto pode Jesus ser uma indagação para os Judeus? Concilium. Lisboa.

N° 8. P. 1054-1059.



Ano de 1975
SANDMEL, S. A escritura no Judaísmo. Concilium. Vozes. N° 2. P. 156-162.
BUZZETTI, C. A bíblia distante e a bíblia próxima: problemas relativos a uma tradução para o

uso litúrgico. Concilium. Vozes. N° 2. P.188-203.
RAMIREZ, A. Q. os textos da bíblia em alguns cantos litúrgicos espanhóis. Concilium. Vozes. N°

2. P.214-222.


KERTEUGE, K. Jesus, seus milagres e satanás. Concilium. Vozes. N° 3. P.295-303.
KASPER, W. O permanente e o mutável no ministério de Pedro. Concilium. Vozes. N° 8. P. 904-

914.


Ano de 1976
MACLEOD, C. A bíblia, o Judaísmo e as relações Judeus Cristãs. Concilium. Vozes. N° 2. P 71-

78.
SEGRE, A. A bíblia e o povo hebraico. Concilium. Vozes. N° 2. P 79-89.


SCHIMIDT, H. As leituras da sagrada escritura da liturgia. Concilium. Vozes. N° 2. P 98-113.
NETZER, K. Leitura literária da Bíblia. Concilium. Vozes. N° 5. P 65-72.
MCKENZIE, J. O novo testamento. Concilium. Vozes. N° 7. P 11-18.
GANOCZY, A. Igreja, escritura e fé na compreensão da contra-reforma. Concilium. Vozes. N°

7. P 53-62.


GONZALEZ, A. Jó, o enfermo. Concilium. Vozes. N° 9. P 36-40.
MURPHY, R. Qohelet, o cético. Concilium. Vozes. N° 9. P 41-46.
RUPPERT, L. O servo de Deus sofredor. Concilium. Vozes. N° 9. P 47-54.
WESTERMANN, C. O clamor dos oprimidos. Concilium. Vozes. N° 9. P 55-65.
FAUS, J. G. Jesus: figura de homem sofredor. Concilium. Vozes. N° 9. P 66-76.
DUQUOC, C. Cruz de Cristo e sofrimento humano. Concilium. Vozes. N° 9. P 77-85.

Ano de 1977
BÖCKMANN, A. Impulsos no novo testamento para o relacionamento da igreja com os pobres.

Concilium. Vozes. N° 4. P. 41-50.


FIORENZA, E. S. Julgamento e tribunais nas comunidades do novo testamento. Concilium.

Vozes. N° 7. P. 11-19.



Ano de 1978
ZENGER, E. Rito e crítica do rito no antigo testamento. Concilium. Vozes. N° 2. P 41-52.
PERKINS, P. O caráter missionário da Igreja no novo testamento. Concilium. Vozes. N° 4. P 6-

13.
IERSEL, B. V. O exegeta e a linguística. Concilium. Vozes. N° 5. P 69-79.


LANGUE, B. Confissões de fé no antigo e no novo testamento. Concilium. Vozes. N° 8. P 7-16.
MOLTMANN, J. A confissão de Jesus Cristo: meditação bíblico-teológico. Concilium. Vozes. N°

8. P 17-24.



Ano de 1979
MURPHY, R. O modelo bíblico de intimidade humana: o cântico dos cânticos. Concilium.

Vozes. N° 1. P 77-83.


KILGALLEN, J. Intimidade e novo testamento. Concilium. Vozes. N° 1. P 84-91.
NELIS, J. Deus e o céu no antigo testamento. Concilium. Vozes. N° 3. P 25-36.
CODY, A. O novo testamento. Concilium. Vozes. N° 3. P 37-45.
LIMBURG, J. Direitos humanos no antigo testamento. Concilium. Vozes. N° 4. P 28-34.
BLANK, J. O direito de Deus quer a vida dos homens-o problema dos direitos humanos no

novo testamento. Concilium. Vozes. N° 4. P 35-45.
SCHWEIZER, D. O que é o espírito santo? Introdução teológica bíblica. Concilium. Vozes. N° 8.

P 5-14.
BIANCHI, E. O estatuto dos sem-dignidade no antigo testamento. Concilium. Vozes. N° 10. P 8-

17.
SOBRINO, J. Relação de Jesus com os pobres e marginalizados. Concilium. Vozes. N° 10. P 18-

27.
ECKERT, J. A realização da fraternidade nas primeiras comunidades cristãs. Concilium. Vozes.

N° 10. P 28-36.

Ano de 1980
CROY, M. M. O papel da mulher no antigo testamento. Concilium. Vozes. N° 4. P 72-80.
MOLTMANN, J. A bíblia no conflito das interpretações. Concilium. Vozes. N° 8. P 3-4.
BELO, F. O que pretende a leitura materialista? Concilium. Vozes. N° 8. P 22-30.
STEIN, D. Pode se fazer uma leitura psicanalítica da bíblia? Concilium. Vozes. N° 8. P 31-42.
LAPIDE, P. Jesus caminha sobre as águas-exegese Judaica. Concilium. Vozes. N° 78.P43-50.
MESTERS, C. Interpretação da bíblia em algumas comunidades eclesiais de base no Brasil.

Concilium. Vozes. N° 8. P 51-58.


BROOTEN, B. Perspectivas feministas sobre a exegese do novo testamento. Concilium. Vozes.

N° 8. P 71-80.


BLANK, J. Autoridade da igreja na interpretação da sagrada escritura. Concilium. Vozes. N° 8.

P 81-86.
BARR, J. A compreensão fundamentalista da escritura. Concilium. Vozes. N° 8. P87-93.


GANOCZY, A. Fundamentação bíblica do discurso dogmático. Concilium. Vozes. N° 8. P 94-

102.
IERSEL, B. V. Obdiência-caminho de Jesus no evangelho segundo São Marcos. Concilium.

Vozes. N° 9. P 35-46.

Ano de 1981
VRIES, S. Tempo na bíblia. Concilium. Vozes. N° 2. P 9-23.
KELLY, R. H. Deus pai na bíblia e na experiência de Jesus. Concilium. Vozes. N° 3. P 111-121.
MORGAN, R. A comunhão das igrejas no novo testamento. Concilium. Vozes. N° 4 P 37-47.
FÉRET, H. M. A palavra de Deus e sua soberania na igreja atual. Concilium. Vozes. N° 6. P 6-

20.
IERSEL, B. V. Quem tem segundo o novo testamento, a palavra decisiva na Igreja? Concilium.

Vozes. N° 8. P 22-29.
DESBONNETS, T. A leitura franciscana da escritura. Concilium. Vozes. N° 9. P 49-60.
BLANK, J. Unidade e pluralidade na ética do novo testamento. Concilium. Vozes. N° 10. P 86-

95.


Ano de 1982
HAAG, H. O filho de Deus na linguagem e na conceituação do antigo testamento. Concilium.

Vozes. N° 3. P 44-51.


IERSEL, B.V. Filho de Deus no novo testamento. Concilium. Vozes. N° 3. P 52-69.
MURPHY, R. E. Profetas e sábios como provocadores de contradição. Concilium. Vozes. N° 8. P

70-77.
VENETZ, H. J. O tratamento dos dissidentes nas comunidades neotestamentarias. Concilium.

Vozes. N° 8. P 78-88.
HOFFMANN, E. Paulo como testemunha da divergência. Concilium. Vozes. N° 8. P 89-95.
KRIETMEYER, R. Gêneses e desenvolvimento do direito ao trabalho. Concilium. Vozes. N° 10.

P 38-47.


Ano de 1983
SULIVAN, F. A tradução de um salmo: criação de um poema. Concilium. Vozes. N° 2. P 104-

114.
COLLINS, J. Cosmologia no novo testamento. Concilium. Vozes. N° 6. P 6-12.


MCKENZIE, J. A mãe de Jesus no novo testamento. Concilium. Vozes. N° 8. P 17-29.
MACKENZIE, R. Fundo cultural e religioso do livro de Jó. Concilium. Vozes. N° 9. P 5-11.
ROUILLARD, P. A figura de Jó na liturgia: indignação ou silêncio. Concilium. Vozes. N° 9. P

12-18.


WESTERMANN, C. A dupla face de Jó. Concilium. Vozes. N° 9. P 19-31.
KINETI, D. O duplo sentido das representações de Deus e de satanás no livro de Jó. Concilium.

Vozes. N° 9. P 43-50.


BOCHET, M. Jó na literatura. Concilium. Vozes. N° 9. P96-102.

Ano de 1984
SCHOTTROFF, L. Liberdade e libertação segundo o testemunho da Bíblia. Concilium. Vozes.

N° 2. P 89-98.


KASEMANN, E. Diversidade e unidade no novo testamento. Concilium. Vozes. N°.1 P 80-90.
SCHOTTROFF, L. Antijudaísmo no novo testamento. Concilium. Vozes. N° 5. P 72-82.

Ano de 1985
NOWELL, I. O contexto narrativo da benção no antigo testamento. Concilium. Vozes. N° 2. P 8-

18.
FABRIS, R. Benção, maldição e exorcismo na tradição bíblica. Concilium. Vozes. N° 2. P 19-29.


SCHILLEBEECKX, E. Magistério de todos-reflexão sobre a estrutura do novo testamento.

Concilium. Vozes. N° 4. P 16-26.


SOARES, J. “Assim como nós perdoamos”: o perdão na doutrina de Jesus. Concilium. Vozes.

N° 7. P 59-69.



Ano de 1986
VORLANDER, H. aspectos da religiosidade popular no antigo testamento. Concilium. Vozes. N°

4. P 65-73.


ALFARO, J. Deus proteja e liberta os pobres-antigo testamento. Concilium. Vozes. N° 5. P 30-

38.


Ano de 1987
IERSEL, B. V. Êxodo, um paradigma de eficácia perene. Concilium. Vozes. N° 1. P 5-6.
MURPHY, R. Escritura e história eclesiástica. Concilium. Vozes. N° 1. P 7-12.
BURNS, R. O livro do êxodo. Concilium. Vozes. N° 1. P 13-24.
ZENGER, E. O Deus do êxodo na mensagem dos profetas. Concilium. Vozes. N°1. P 25-37.
CASEY, J. O tema do êxodo no livro do apocalipse tendo como pano de fundo o novo

testamento. Concilium. Vozes. N° 1. P 38-47.
GIRAUDO, C. A confissão dos pecados no antigo testamento. Concilium. Vozes. N° 2. P 92-102.
ZENGER, E. Ortodoxia e ortopraxia no antigo testamento. Concilium. Vozes. N° 4. P 10-22.

Ano de 1988
HAUERWAS, S. Sermão da montanha, guerra justa e busca da paz. Concilium. Vozes. N° 1. P

42-50.
EICHER, P. A sarça ardente: a sagrada escritura. Concilium. Vozes. N° 2. P 90-102.


BLANK, J. Para entender o conceito de poder na Igreja- perspectivas neotestamentarias.

Concilium. Vozes. N° 3. P 11-20.


MAGONET, J. A atitude para com o Egito no livro do êxodo. Concilium. Vozes. N° 6. P 716-725.
JUNGLING, H. W. Ambiguidade religiosa do estado davidico-salomonico. Concilium. Vozes. N°

6. P 726-739.


FREYNE, S. Opressão da parte dos Judeus-o evangelho de Mateus como primitiva resposta

cristã. Concilium. Vozes. N° 6. P 750-757.

CLAUCK, H. Opositores de dentro-tratamento dos separatistas na primeira epístola de João.

Concilium. Vozes. N° 6. P 758-767.

Ano de 1989 [Não há artigos bíblicos neste ano]

Ano de 1990
BOROWITZ, E. B. Torá, escrita e oral, e direitos humanos. Concilium. Vozes. N° 2. P 33-42.
WALF, K. Evangelho, direito canônico e direitos humanos. Concilium. Vozes. N° 2. P 43-54.
PEREZ, C. O caminho de Emaús. Concilium. Vozes. N° 5. P 98-106.

Ano de 1991
LIETH, E. V. “...outro te Cingirá e te conduzirá aonde não queres”. (Jo 21,18) Concilium. Vozes.

N° 3. P 23-31.


ACHARD, R. M. Perspectivas bíblicas sobre a velhice. Concilium. Vozes. N° 3. P 37-45.

Ano de 1992
GESTEMBERGUER, E. S. O clamor dos salmistas: onde está Deus. Concilium. Vozes. N° 4. P

16-29.


Ano de 1993
BEUKEN, W. Israel precisava do messias? Concilium. Vozes. N° 1. P 12-23.
HORSLEY, R. Grupos Judeus palestinos e seus messias. Concilium. Vozes. N° 1. P 24-41.
FREINE, S. Os primeiros cristãos e as ideias messiânicas judaicas. Concilium. Vozes. N° 1. P 42-

54.
NEUSNER, J. Quando o judaísmo se tornou religião messiânica? Concilium. Vozes. N° 1. P 55-

69.
CRUSEMANN, F. “Conheceis a vida do estrangeiro” (Ex 23, 9) recordando a torá, diante do

nacionalismo xenófobo. Concilium. Vozes. N° 4. P 114-130.
LÖNING, K. Reencarnação ou ressurreição- ressurreição e apocalíptica bíblica. Concilium.

Vozes. N° 5. P 81-91.



Ano de 1994
SCHROER, S. Transformações da fé-documento de natureza intercultural na Bíblia. Concilium.

Vozes. N° 1. P 8-21.


FISCHER, I. “Vai e sujeita-te!”- repressão contra as mulheres nos textos bíblicos. Concilium.

Vozes. N° 2. P 110-119.



Ano de 1995
FREYNE, S. A bíblia como herança popular. Concilium. Vozes. N° 1. P 5-9.
KEEL, O. “Do meio das nações” a bíblia como porta de entrada de culturas antigas. Concilium.

Vozes. N° 1. P 10-21.


JASPER, D. A Bíblia na arte e na literatura: o caso de Maria Madalena. Concilium. Vozes. N° 1.

P 58-75.
CAMPES, A. A bíblia e a descoberta do mundo. Concilium. Vozes. N° 1. P 76-86.


PRABHU, J. M. S. A bíblia como carta magna de movimentos de libertação e direitos humanos.

Concilium. Vozes. N° 1. P 102-116.


SOLOMOM, N. A bíblia e a preservação do mundo. Concilium. Vozes. N° 1. P 117-130.
OKURE, T. “Eis que faço novas todas às coisas” – quarta assembleia bíblica católica. Concilium.

Vozes. N° 1. P 131-149.


OZIÉKI, C. O novo testamento e a família. Concilium. Vozes. N° 4. P 10-20.
UEHLINGER, C. O clamor da terra. Perspectivas bíblicas para o tema ecologia e violência.

Concilium. Vozes. N° 5. P 52-71.



Ano de 1996
WEREN, W. Crianças em Mateus: um estudo semântico. Concilium. Vozes. N° 2. P 68-79.
BRINK, H. V. Mensagem bíblica e direito eclesiástico. Concilium. Vozes. N° 5. P 10-20.

Ano de 1997
FREINE, S. A busca do Jesus histórico. Concilium. Vozes. N° 1. P 49-65.
RICHES, J. K. Jesus, o Judeu e sua interação com o Judaísmo da sua época. Concilium. Vozes.

N° 1. P 66-75.


COLCH, B. M. Libertação: visão bíblica- 1Sm 1, 1-2, 11. Concilium. Vozes. N° 2. P 31-41.
BETZ, H. D. O cânon do novo testamento. Concilium. Vozes. N° 3. P 50-65.
HÄRING, H. “Nem ele nem seus pais pecaram”-castigo, culpa e exclusão. Concilium. Vozes.

N°5. P 44-56.


RICHARD, P. “As pragas na Bíblia-Exôdo e apocalipse. Concilium. Vozes. N° 5. P 57-65.
TAMEZ, E. Jó: grito violência e ninguém me responde. Concilium. Vozes. N° 5. P 67-74.
UKPONG, J. Lepra: intocáveis do evangelho. Concilium. Vozes. N° 5. P 75-83.
WINK, W. A besta do apocalipse: a cultura da violência. Concilium. Vozes. N° 5. P 84-92.

Ano de 1998
SUESS, P. A superação do mal - ideias bíblicas de redenção. Concilium. Vozes. N° 1. P 56-69.
KELLER, C. A atração do apocalipse e o mal dos fins dos tempos. Concilium. Vozes. N° 1. P 81-

91.
GEBARA, I. Que escrituras são autoridades sagradas? – ambiguidades da bíblia na vida das



mulheres. Concilium. Vozes. N° 3. P 10-25.
SCHOMANAH, M. W. D. Escritura, feminismo e contextos. Concilium. Vozes. N° 3. P 59-71.
OKURE, T. Do Gêneses ao apocalipse: apocalíptica na fé bíblica. Concilium. Vozes. N° 4. P 29-

37.


Ano de 1999
IERSEL, B.V. O Jesus de Marcos ( 3, 20-35). Concilium. Vozes. N° 2. P 80-88.
PARRA, D. A. Jesus e a mulher sirofenícia. Concilium. Vozes. N° 2. P 89-96.

Ano de 2000
IERSEL, B.V. Evolução e bíblia-dois códigos, duas mensagens. Concilium. Vozes. N° 1. P 126-

138.
AGUA, A. D. Identidade narrativa dos cristãos segundo o novo testamento. Concilium. Vozes.

N° 2. P 104-113.
HABEL, N. C. A cosmologia invertida de Jó. Concilium. Vozes. N° 4. P 26-35.

Ano de 2001
O’BRIEN, M. A natureza do monoteísmo bíblico. Concilium. Vozes. N° 1. P 69-77.
TAMAYO-ACOSTA, J.J. Perspectiva Bíblica entre a escatologia e a apocalíptica. Concilium.

Vozes. N° 2. P 65-74.



Ano de 2002
PIXLEY, J. Deus, um pomo da discórdia na bíblia hebraica. Concilium. Vozes. N° 1. P 9-16.
WOLDE, E. V. Perspectivas diferentes sobre fé e justiça-o Deus de Jacó e o deus de Jó.

Concilium. Vozes. N° 1. P 17-24.


LÓPEZ, M. M. Mulheres sábias em 1° Rs 3-11. Concilium. Vozes. N° 1. P 25-33.
STIEBERT, P. A riqueza em Isaías e Ezequiel. Concilium. Vozes. N° 1. P 34-42.
RICHARD, P. Os diferentes rostos de Jesus nos evangelhos sinóticos. Concilium. Vozes. N° 1. P

43-50.
TAMEZ, E. 1 Timóteo e Tiago diante dos ricos, das mulheres e das disputas teológicas.

Concilium. Vozes. N° 1. P 51-60.
FREYNE, S. Debates cristológicos entre cristãos joaninos. Concilium. Vozes. N° 1. P 61-70.
OKLAND, J. Os evangelhos excluídos e seus leitores, ou: como saber quando um beijo é

somente um beijo. Concilium. Vozes. N° 1. P 71-81.
STONE, K. O que acontece quando “gays lêem a bíblia”? Concilium. Vozes. N°1. P 81-91.
NIEUWENHOVE, R. V. Diversidade e unidade nas escrituras: perspectiva bíblica. Concilium.

Vozes. N° 1. P 100-108.



Ano de 2003
GIANOTTO, C. O movimento de Jesus. Concilium. Vozes. N° 3. P 25-38.

Ano de 2004
WÉNIN, A. A serpente e a mulher, ou o processo do mal segundo o Gêneses 2 -3. Concilium.

Vozes. N° 1. P 39-47.


MICHEL, A. Violência sexual contra crianças na bíblia. Concilium. Vozes. N° 3. P 57-68.
KAMPI, A. com ou sem causa. Imagens de Deus e do ser humano em Jó 1-3. Concilium. Vozes.

N° 4. P 8-17.


HECKE, P. Jó e seus amigos a respeito de Deus. Concilium. Vozes. N° 4. P 18-27.
HABEL, N. C. O veredito sobre Deus e de Deus no final do livro de Jó. Concilium. Vozes. N° 4. P

28-41.
CLINES, D. J. A. O Deus de Jó. Concilium. Vozes. N° 4. P 42-56.


WENDEL, S. Relacionando transcendência e imanência em face do Deus de Jó. Concilium.

Vozes. N° 4. P 57-73.


TAMEZ, E. De pai dos órfãos a irmãos dos chacais e companheiro de avestruzes. Meditação

sobre Jó. Concilium. Vozes. N° 4. P 117- 125.

HÄRING, H. “Não extingais o espírito” (1Ts 5,1). Concilium. Vozes. N° 4. P 142-154.



Ano de 2005
MÍGUEZ, N. O. Crise no povo de Deus nos tempos bíblicos. Concilium. Vozes. N° 3. P 100-108.

Ano de 2006
METOGO, E. M. Bíblia e liturgia. Concilium. Vozes. N° 4. P 65-70.

Ano de 2007
BOFF, Leonardo. É o Cristo cósmico maior que o Jesus de Nazaré. Concilium. Vozes. N° 1. P

61-69.
MELLONI, J. Mediação e opacidade das escrituras e dos dogmas. Concilium. Vozes. N° 1. P 70-

78.
TCHAPÉ, J. B. A tomada de posse da Terra de Canaã por Israel no livro do deuteronômio.

Concilium. Vozes. N° 2. P 50-58.



[Ano de 2008 - Não tem a revista na biblioteca]

Ano de 2009
WACKER, M. O monoteísmo bíblico entre contestação e revisão- perspectivas cristãs vétero-

testamentárias. Concilium. Vozes. N° 4. P 17-32.
NOUGALIS, J. L. S. A unidade da lei revelada- a Torá e o alcorão. Concilium. Vozes. N° 4. P 32-

41.
BINGEMER, M. C. “Vês verdadeiramente a trindade se vês o amor”. Concilium. Vozes. N° 4. P

54-64.

Ano de 2010
ANDRADO, N. Um paradigma paulino de parceria. Concilium. Vozes. N° 1. P 74-85.
WERBICK, J. Deus dá sua palavra. Concilium. Vozes. N° 4. P 9-21.
VIVIANO, P. A. Estudiosos da Bíblia, os simples fiéis e o sínodo da palavra de 2008. Concilium.

Vozes. N° 2. P 62-71.


MOBERLY, W. L. Ler e ensinar o Antigo Testamento. Concilium. Vozes. N° 4. P 96-105.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal