Faculdade de psicologia unidade são gabriel a vivência do pai no nascimento de seu filho



Baixar 12.11 Kb.
Encontro04.08.2016
Tamanho12.11 Kb.




FACULDADE DE PSICOLOGIA

UNIDADE SÃO GABRIEL

A VIVÊNCIA DO PAI NO NASCIMENTO DE SEU FILHO

Girlene Antunes Vieira da Silva1

Stella M.P.STozo2

Esta pesquisa teve como objetivo ouvir os pais que estiveram presentes no nascimento de seus filhos. Visto que tal presença seja algo novo entre as famílias e também no âmbito da saúde. Para isso buscou-se entender como se dá a construção da família, paternidade e sua participação dentro dessa, além da mudança de papéis ao longo da história. Contemplou-se ainda a questão da maternidade, gestação, parto e a saúde e, também como está sendo aceita essa nova prática de ter os homens presentes no parto nos dispositivos. Os autores que nortearam tal pesquisa foram Maria Tereza Maldonado (1982), Vera Regina Ramires (1997), Geneviève Delaisi de Parseval (1986), Maria do Carmo Brant de Carvalho (org. 2005) entre outros que proporcionaram e contribuíram para ricas discussões. A metodologia utilizada para a realização deste estudo foi a abordagem qualitativa de pesquisa e a coleta de dados se deu através de entrevistas semi-estruturadas, (roteiro em anexo) orientada pelo autor Antônio Carlos Gil. (1999) e Fernando Gonzáles Rey (2002) (em apêndice o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido). Os dados pormenorizados estão apresentados em tabelas I e II. A análise dos dados compreendeu-se por coleta através de áudio, transcritos e analisados através da metodologia de análise de conteúdo, divididos por categorias de acordo com suas semelhanças.



Os resultados indicam que as mudanças que vêm ocorrendo no contexto familiar apontam para um movimento em relação à paternidade, o pai provedor e chefe de família, passa a transitar pelo espaço da afetividade e lhe é cobrada a presença no convívio com a companheira e com o filho. Ficou evidenciado, neste estudo, que a percepção dos pais em relação ao parto tem ocupado um lugar mais abrangente dentro das famílias, com mais igualdade e companheirismo. Foi possível identificar que as emoções vividas pelos pais no momento do parto se apresentaram muito associadas às emoções maternas. Ficou evidente que os pais apreciaram o momento e consideram positiva sua presença. Eles sugerem a outros pais que estejam presentes também, pois de acordo com os entrevistados este ato traz apenas benefícios. Alguns demonstraram no primeiro momento um pouco de despreparo e medo, mas, desafiaram e quebraram os paradigmas. Apesar dos pais afirmarem que houve sua inserção no contexto da saúde, foi possível observar algumas falhas no Sistema que de certa forma causaram uma boa discussão no sentido de maior investimento desta prática de fomentar, incentivar e acolher os pais no momento do parto de suas companheiras, ou seja, no nascimento de seus filhos com mais atenção. Em relação à questão social, foram nítidas as evoluções, tanto no âmbito familiar, quanto na questão de gênero, na saúde e acima de tudo na questão afetiva. Algumas mudanças foram necessárias na vida dos homens, devido as constantes cobranças e intervenções sociais. Por fim, pode-se dizer que ter um homem na sala de parto não representa algo assustador. Tudo vem mudando e isso demonstra novas visões e configurações familiares, além de demonstrar uma sociedade menos exigente, menos preconceituosa e mais evoluída, sem considerar o parto algo não referente aos homens e, quebrar com o estigma de que maternidade seja apenas para as mulheres, com pessoas mais reflexivas e dispostas a conviverem com mais igualdade e afetividade. Quanto aos dispositivos de saúde, afirma-se que a Organização Mundial de Saúde (OMS) vem trabalhando em prol da presença do pai no nascimento do filho, considerando que seja algo enriquecedor para os pais, as mães e, especialmente, para os filhos, ou seja, para família em si, e essa principalmente, aponta para uma grande evolução social. Por fim, considera-se necessário maiores discussões e alternativas de divulgação e incentivos para que isso se dê de forma natural e de igualdade para todos, com cidadãos mais conscientes e participativos.
Área do conhecimento: Ciências Humanas. Psicologia. Psicologia Social.
Palavras-chave: Família. Paternidade. Parto.


Referência da monografia:
SILVA, Girlene A.V. A VIVÊNCIA DO PAI NO NASCIMENTO DE SEU FILHO 2012. 83f. Monografia (Conclusão do curso) – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Faculdade de Psicologia, Belo Horizonte.


1 Aluna do curso de Psicologia da PUC Minas - Unidade São Gabriel. Resumo da Monografia apresentada no 2º semestre de 2012, como requisito parcial para conclusão de curso. Contato: girleneantunes@yahoo.com.br

2 Graduada em Psicologia na Universidade de São Paulo, USP, Brasil. Mestre em Educação Especial  (Conceito CAPES 6). Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR, Brasil. Doutora em Psicologia (Conceito CAPES 5) Universidade de São Paulo, USP, Brasil. Professora do Curso de Psicologia da PUC Minas, Unidade São Gabriel, e orientadora desta monografia.

Av. Dom José Gaspar, 500 • 30535-901 • Belo Horizonte • Minas Gerais



Fone: (31) 3319 4444 • www.pucminas.br


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal