Faculdade de psicologia



Baixar 12.07 Kb.
Encontro29.07.2016
Tamanho12.07 Kb.




FACULDADE DE PSICOLOGIA

UNIDADE SÃO GABRIEL

Autorizo a Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, através do curso de graduação em psicologia, à ampla divulgação do meu trabalho de conclusão de curso, em espaços e eventos internos à Instituição, ou ainda abertos ao público em geral.

A presente autorização é concedida gratuitamente, abrangendo a divulgação da pesquisa acima mencionada em todas as suas modalidades, sendo estas impressas ou eletrônicas.
CASADOS, PORÉM SEPARADOS
Shirley Moreira Verdeiros1

Betânia Diniz Gonçalves2



Este trabalho teve como foco compreender a relação conjugal heterossexual quando esta se degrada e os casais mantém um casamento por aparências, pois vivemos em uma época na qual separação e divórcio são aceitos com normalidade. Esta manutenção de tipo de relacionamento implica em grande sofrimento para o casal e até mesmo para os familiares que convivem juntos. O interesse nesse tema é pessoal e por ser graduanda em Psicologia me indago: como a Psicologia pode contribuir para a promoção da qualidade de vida da relação afetivo-amorosa do casal? Esse é um tema comum, mas tem instigado pesquisadores de várias áreas de estudo como a Psicologia, a Sociologia e a Antropologia a trabalhar essa temática. Acredito que a prática psicoterapêutica pode contribuir em muito para o estudo da relação entre casais, uma vez, que cada sujeito na sua singularidade, subjetividade, necessita de uma ressignificação para com sua vida conjugal. No referencial teórico foram explorados a história do surgimento do casamento no ocidente e porque as pessoas se casam. Também foi tratado de forma breve o conceito de amor desde Platão até a atualidade. Outro item explorado foi a história do divórcio no Brasil. Para realização deste trabalho foram utilizados diferentes autores como: Platão (1997), Descartes (1979), Foucault (1997), Giddens (1994), Feres-Carneiro (1998, 2003, 2005, 2008), Ariés (1983), Santos e Santos (2008), dentre outros. Para chegar aos objetivos propostos foram realizadas entrevistas com um membro de cada casal, sendo dois homens e duas mulheres, em situação de casamento de aparências. No momento das entrevistas os sujeitos tinham em média 26 anos de casados e faixa etária entre 44 a 59 anos. Intencionou-se com as entrevistas construir suas histórias de vida a partir do namoro até a atualidade. O casamento em nossa sociedade é o sonho, desejo de muitos sujeitos (homem-mulher). Vivemos em uma cultura sobre a influência hollywoodiana na qual a felicidade “só é possível” através do casamento. Com efeito, sofremos uma pressão para casarmos a qualquer custo, todavia nem sempre é o melhor caminho. Vários são os motivos que levam a degradação de um casamento e quando não ocorre a separação este pode tornar-se uma união de aparências. Rotina, comodismo, culpa e o patrimônio são alguns dos motivos da manutenção das aparências. Nesse sentido a Psicologia como ciência e profissão contribui para promover a qualidade de vida dos sujeitos nesse tipo de relação, proporcionando condições para que os casais possam rever suas escolhas, bem como um redirecionamento saudável em suas vidas.
Área do conhecimento: Ciências Humanas. Psicologia. Psicossociologia.
Palavras-chave: Casamento, divórcio, psicologia, casamento de aparências.

Referência da monografia:
VERDEIROS, Shirley M. Casados, porém separados. 2012. 47f. Monografia (Conclusão de curso) – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Faculdade de Psicologia, Belo Horizonte.

Autorizo a Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, através do curso de graduação em psicologia, à ampla divulgação do meu trabalho de conclusão de curso, em espaços e eventos internos à Instituição, ou ainda abertos ao público em geral.

A presente autorização é concedida gratuitamente, abrangendo a divulgação da pesquisa acima mencionada em todas as suas modalidades, sendo estas impressas ou eletrônicas.

1 Aluna do curso de Psicologia da PUC Minas - Unidade São Gabriel. Resumo da Monografia apresentada no 2º semestre de 2012, como requisito parcial para conclusão de curso. Contato:sverdeiros@yahoo.com.br

2 Psicóloga, Mestre em Psicologia Social pela UFMG, Doutora em Psicologia Social pela PUC-SP, Professora do Curso de Psicologia PUC Minas.

Av. Dom José Gaspar, 500 • 30535-901 • Belo Horizonte • Minas Gerais



Fone: (31) 3319 4444 • www.pucminas.br



Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal