Faculdade frassinetti do recife fafire



Baixar 5.18 Kb.
Encontro21.07.2016
Tamanho5.18 Kb.
LITERATURA INFANTO-JUVENIL E SEU USO LÚDICO TERAPÊUTICO COM CRIANÇAS COM CÃNCER

Hélio Monteiro Junior1, Lucinalva Macedo2

FACULDADE FRASSINETTI DO RECIFE - FAFIRE


  1. Especialista em Literatura Infanto-Juvenil, Bibliotecário do Serviço de Oncologia Pediátrica CEHOPE/IMIP

  2. Doutoranda em Educação - UFPE, Mestre em Educação



INTRODUÇÃO


Compreendemos a Literatura Infanto-Juvenil como uma possibilidade de formação, na qual o conhecimento é sistematizado com crianças em tratamento oncológico, em espaço hospitalar, ou seja, não formal, com uma proposta pedagógica voltada para atividades que possibilite a esse público, assimilar valores, comportamentos, sociabilidade entre outros aspectos. Dessa forma, analisamos a contribuição lúdico-terapêutica da Literatura Infanto-Juvenil junto a crianças com câncer, através da atuação de profissionais de saúde no papel de promotores do entretenimento e da informação educacional, procurando minimizar os problemas causados pelo tratamento.
MATERIAL E MÉTODOS

A Pesquisa foi realizada no Serviço de Oncologia Pediátrica do CEHOPE/IMIP, que assiste a crianças e adolescentes com diagnóstico de Neoplasias Malignas. Foram Realizadas atividades em grupo, utilizando histórias infantis e material didático sobre o câncer e seu tratamento, as mesmas tinham início e término no mesmo dia, evitando causar ansiedade nas crianças e aplicação de questionários junto as crianças em tratamento e profissionais de saúde, totalizando 83 pesquisados.


RESULTADOS

Através das atividades observamos que as crianças em tratamento de câncer têm consciência do momento vivido, que alguns procedimentos são temerosos no início, porém com a rotina e através do lúdico vivenciam momentos menos sofridos, mostrando ainda que através do uso da Literatura Infanto-Juvenil, nos seus vários estilos, pode-se identificar o nível emocional, social e cultural de cada paciente. Em relação aos profissionais, a Literatura Infanto-Juvenil mostrou ser um recurso aceito e muito utilizado em suas intervenções.


CONCLUSÃO

Destacamos a importância do prazer da leitura e de seu poder curativo e principalmente do potencial de cada profissional de saúde como educador, tornando o hospital/clínica, espaços não formais de educação, em ambientes propícios a aliança lúdico-terapêutica entre a Literatura Infanto-Juvenil e o tratamento de neoplasias malignas, sendo de grande importância que as partes envolvidas no processo de cura, leiam muitas histórias.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal