Ficha das exposições bibliográficas e temáticas



Baixar 22.55 Kb.
Encontro01.08.2016
Tamanho22.55 Kb.

Câmara Municipal do Seixal

Biblioteca Municipal do Seixal

Espaço Júnior


Ficha das exposições bibliográficas e temáticas



Ficha técnica
Titulo da exposição: Dia dos Namorados
Temática/Âmbito: Comemorações do Dia dos Namorados 2009
Periodicidade: 2 a 14 de Fevereiro. Horário de funcionamento da Biblioteca
Público alvo: dos 4 aos 12 anos e público em geral



Descrição dos materiais utilizados:

-Para a elaboração dos conteúdos: cartolina; cola; plástico; lápis de cor; folhas brancas, rosas e azuis; fotocopias de imagens; placas de K-line (4 placas)


- Materiais para expor: cubos brancos (2 unidades); vitrine; reproduções de lenços dos namorados; pano cru para forrar os cubos




Conteúdos textuais elaborados:
O Dia dos Namorados

  • Todos os dias 14 de Fevereiro, namorados e namoradas (e não só) oferecem prendas e escrevem cartões a quem amam. Tudo em nome de S. Valentim.

  • Mas quem será esse santo (e esses festejos importados dos Estados Unidos)?
    Sim, porque nós por cá contamos com Santo António nestas coisas do coração...

  • Bom, ninguém tem muita certeza no que diz respeito ao famoso S. Valentim... É que, a Igreja Católica tem três santos chamados Valentim!

  • Mas a história mais conhecida e a que deve ter dado origem a todas estas comemorações está provavelmente relacionada com um padre da época do Imperador romano Cláudio.





  • O dia de S. Valentim só foi aceite pela Igreja Católica como forma de cristianizar um ritual pagão que se realizava todos os anos em Roma.

  • Pelos vistos, os romanos tinham uma espécie de ritual para a passagem dos jovens para o mundo dos adultos. Era o festival da fertilidade.

  • No dia 14 de Fevereiro, prestava-se homenagem a Juno, a deusa casamenteira dos romanos e no dia seguinte, começava a festa de Lupercália.

  • Na noite da véspera desta comemoração, os nomes da raparigas romanas eram escritos em pequenos papiros ou folhas e colocados em jarrões.

  • Cada jovem rapaz de Roma ia até lá e tirava um, e a rapariga cujo nome tivesse retirado do jarrão seria sua companheira durante todo o festival. Às vezes, o emparelhamento durava o ano inteiro, acabando até em casamento!

  • Durante a implantação da Igreja Católica, esta tentou acabar com os elementos pagãos destes rituais, substituindo o nome das festividades pelo de santos.

  • Como o festival de Lupercália acontecia em meados de Fevereiro, nada melhor do que escolher S. Valentim para o apadrinhar.

E assim começou o dia de S. Valentim!

Romeu e Julieta


  • Estes dois amantes da peça de teatro de William Shakespeare são provavelmente o mais famoso casal de todas as histórias de amor.



  • Filhos de duas famílias rivais italianas (os Capuleto e os Montéquio),

  • Romeu e Julieta apaixonam-se perdidamente.

  • Como não podem assumir o seu amor por causa do ódio das suas famílias, resolvem fugir e casar às escondidas.

  • O pior acontece quando, no meio de um elaborado plano que mete poções e muitos enganos, Romeu pensa que Julieta está morta, ele sem mais por que viver, suicida-se.

  • Quando Julieta, que estava num estado de letargia, acorda e vê Romeu morto ao seu lado, faz o mesmo que ele.

  • Dessa forma triste termina uma das mais belas histórias de amor.

Hoje em dia, mais de 400 anos depois da primeira apresentação da peça, Romeu e Julieta continuam a ser os símbolos do amor perfeito.
O «Lenço de Namorados» 

A origem dos  “lenços de namorados”  e os designados  “lenços de pedidos”  pensa-se que esteja nos lenços senhoris do século XVII e XVIII, e que foram adaptados pelas mulheres do povo com o fim de conquistar o seu namorado.


Antes de tudo, estes lenços faziam parte integrante do trajo feminino e tinham uma função fundamentalmente decorativa. Eram lenços geralmente de linho ou algodão, bordados segundo o gosto da bordadeira.
Mas não é enquanto parte integrante do trajo feminino que interessa o seu estudo, mas a sua outra função, não menos importante, e da qual lhe vem o nome: a conquista do namorado.
A moça quando estava próximo da idade de casar, confeccionava o seu lenço bordado a partir de um pano de linho fino que por ventura possuía ou dum lenço de algodão que adquiria na feira, dos chamados lenços da tropa.
Para realizar esta obra, a rapariga utilizava os conhecimentos que possuía sobre o ponto cruz, adquiridos na infância, aquando da confecção do seu marcador ou mapa. Depois de bordado, o lenço ia ter às mãos do “namorado” ou “conversado” e era em conformidade com a atitude deste de usar publicamente o lenço ou não, que se decidia o início duma ligação amorosa. 



Pesquisa documental para fundamentação (referências bibliográficas):


www.ceramicarte.com/exposicoes/sala3/mariasameiro/história.html




Fundo documental exposto (referências bibliográficas):
FERREIRA, Maria da Conceição Galveia - Quem vê caras, não vê corações. Maia : Nova

Gaia, 2006. 36 p : il. color ; 30 cm.  (Histórias com provérbios dentro)

MASINI, Beatrice - Uma noiva bela, belíssima. Lisboa : Livros Horizonte, cop. 2002. [29] p. : muito il. color. ; 30 cm
CHICHE, Alain - O meu pequeno coração de todos os dias. Vila Nova de

Gaia : Gailivro, 2006. [16] p : il. color ; 26 cm. Livro em formato de coração

ARIXI, Biagio - O mago apaixonado. Lisboa : Caminho, cop. 1985. 81 p : il ; 17 cm.  (As leituras)
MASINI, Beatrice - Rei Artur, Guinevere e Lancelot : uma história de amor e

guerras. Lisboa : Livros Horizonte, 2005. [36] p. : il. color. ; 32 cm

VIEIRA, Alice, 1943 - Fita, pente e espelho. Lisboa : Caminho, cop. 1991. 15 p. : il. color. ; 22 (Histórias tradicionais portuguesas)

CINQUETTI, Nicola - Julieta e Romeu. Lisboa : Livros Horizonte, 2002. [38] p. : muito il. color. ; 32 cm


MAGALHÃES, Álvaro, 1951 - Três histórias de amor. 1ª ed. Porto : Asa, 2003. 66, [2] p. : il. color. ; 21 cm.  (Biblioteca Álvaro Magalhães ; 11)

GONÇALVES, Graça - O amigo secreto. Aveiro : Gostar, D.L. 2003. 60, [1] p. : il. color. ; 26 (Obras de Graça Gonçalves). 


MANZONI, Alessandro, 1785-1873 - Os noivos. Lisboa : Verbo, imp. 1990. 182 p. : il. ; 21 (Biblioteca romântica ; 4)



Registo fotográfico da iniciativa:
(falta anexar fotos)



Observações:
A mostra esteve, por motivo de obras, nos vidros do lado esquerdo que dão acesso à Ludoteca.




Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal