Filósofos Pré-Socráticos



Baixar 9.79 Kb.
Encontro29.07.2016
Tamanho9.79 Kb.
Filósofos Pré-Socráticos

Os primeiros filósofos são conhecidos como pré-socráticos. No entanto, embora muitos deles tenham vivido antes de Sócrates, nem todos eles são anteriores a Sócrates. O que realmente caracteriza a filosofia desses primeiros filósofos é o tema das suas reflexões: a physis (natureza) e a arkhé (princípio). Os pré-socráticos podem ser classificados em cinco grupos:


A escola jônica (ou período jônico): A partir do século XII a.C., os gregos estabeleceram diversas colônias nas ilhas do Mar Egeu e na costa da Ásia Menor (Turquia). Nos séculos VII e VI a.C. essa região era chamada de Jônia, passando a ser o principal pólo de desenvolvimento econômico da Grécia, devido a sua posição estratégica para o controle do comércio no Mediterrâneo. As duas principais pólis da região eram Mileto (onde viveu Tales, Anaximandro e Anaxímenes) e Éfeso (onde viveu Heráclito). Esse primeiro período da investigação filosófica terminou quando os persas invadiram a Jônia no século V a.C.

A escola pitagórica: Na segunda metade do séc. VI a.C. algumas colônias gregas fundadas no sul da Itália e na Cicília, chamada Magna Grécia, começam a ganhar importância no comércio marítimo. Com a invasão da Jônia pelos persas, algumas famílias abastadas migram para lá. Entre esses migrantes estava Pitágoras que se estabeleceu na polis de Crotona e fundou aí uma importante escola de filosofia, e também Filolau e Alcmeón.

A escola eleática: A Magna Grécia contou também com um outro importante centro de formação filosófica, situado na polis de Eléia. Influenciado por Xenófanes de Colófon (que era jônio mas vivia viajando de polis em polis pela Magna Grécia) Parmênides fundou uma escola em Eléia e foi sucedido por Zenão. Os pensadores desaa escola influenciaram mais tarde o filósofo Melisso de Samos.

Os filósofos pluralistas: Os filósofos pluralistas representam o início de uma terceira fase na história da filosofia pré-socrática. Nessa nova etapa procuram resolver os problemas que foram sendo identificados nas fases anteriores e tentam conciliar propostas diferentes. Entre eles, merecem destaque Empédocles de Agrigento e Anaxágoras de Clazômenas.

A escola atomista: no último grupo de filósofos pré-socráticos, merecem destaque Leucipo de Mileto e Demócrito de Abdera. Leucipo mudou-se de Mileto ainda criança, indo provavelmente para Eléia. Mais tarde muda-se novamente, indo morar em Abdera, onde fundou uma escola filosófica e mais tarde foi sucedido por Demócrito.




Filósofos Pré-Socráticos

Os primeiros filósofos são conhecidos como pré-socráticos. No entanto, embora muitos deles tenham vivido antes de Sócrates, nem todos eles são anteriores a Sócrates. O que realmente caracteriza a filosofia desses primeiros filósofos é o tema das suas reflexões: a physis (natureza) e a arkhé (princípio). Os pré-socráticos podem ser classificados em cinco grupos:


A escola jônica (ou período jônico): A partir do século XII a.C., os gregos estabeleceram diversas colônias nas ilhas do Mar Egeu e na costa da Ásia Menor (Turquia). Nos séculos VII e VI a.C. essa região era chamada de Jônia, passando a ser o principal pólo de desenvolvimento econômico da Grécia, devido a sua posição estratégica para o controle do comércio no Mediterrâneo. As duas principais pólis da região eram Mileto (onde viveu Tales, Anaximandro e Anaxímenes) e Éfeso (onde viveu Heráclito). Esse primeiro período da investigação filosófica terminou quando os persas invadiram a Jônia no século V a.C.

A escola pitagórica: Na segunda metade do séc. VI a.C. algumas colônias gregas fundadas no sul da Itália e na Cicília, chamada Magna Grécia, começam a ganhar importância no comércio marítimo. Com a invasão da Jônia pelos persas, algumas famílias abastadas migram para lá. Entre esses migrantes estava Pitágoras que se estabeleceu na polis de Crotona e fundou aí uma importante escola de filosofia, e também Filolau e Alcmeón.

A escola eleática: A Magna Grécia contou também com um outro importante centro de formação filosófica, situado na polis de Eléia. Influenciado por Xenófanes de Colófon (que era jônio mas vivia viajando de polis em polis pela Magna Grécia) Parmênides fundou uma escola em Eléia e foi sucedido por Zenão. Os pensadores desaa escola influenciaram mais tarde o filósofo Melisso de Samos.

Os filósofos pluralistas: Os filósofos pluralistas representam o início de uma terceira fase na história da filosofia pré-socrática. Nessa nova etapa procuram resolver os problemas que foram sendo identificados nas fases anteriores e tentam conciliar propostas diferentes. Entre eles, merecem destaque Empédocles de Agrigento e Anaxágoras de Clazômenas.

A escola atomista: no último grupo de filósofos pré-socráticos, merecem destaque Leucipo de Mileto e Demócrito de Abdera. Leucipo mudou-se de Mileto ainda criança, indo provavelmente para Eléia. Mais tarde muda-se novamente, indo morar em Abdera, onde fundou uma escola filosófica e mais tarde foi sucedido por Demócrito.



©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal