“fortalecimento da gestão participativa da apa serra da mantiqueira”



Baixar 114.79 Kb.
Encontro26.07.2016
Tamanho114.79 Kb.


FORTALECIMENTO DA GESTÃO PARTICIPATIVA DA

APA SERRA DA MANTIQUEIRA”


Convênio MMA/FNMA 057/2003 - Processo no 02000.003015/03-14
Relatório dos eventos "Inclusão das Escolas na Gestão Participativa na APA Serra da Mantiqueira"
Contexto Prévio: Com o objetivo de tornar o processo de seleção dos jovens pesquisadores mais participativo foi acatada a sugestão do conselheiro Marcos Barbosa de realização de reuniões com diretores de escolas da região. Agendamos 3 reuniões (nos municípios de Itamonte, Itatiaia e Delfim Moreira) envolvendo diferentes grupos de municípios. As escolas receberam convite impresso e telefonemas de confirmação. Relatamos o processo ao Conselho Consultivo no dia 08 de julho de 2004. Nesta ocasião, convidamos os conselheiros para fazerem a apresentação da APA e seu Conselho.
Datas e Locais dos Eventos:
Data: dia 04 de agosto 2004

Local: Sede APA Serra da Mantiqueira, Itamonte - MG


Data: dia 06 de agosto 2004

Local: Auditório Tom Jobim, Parque Nacional do Itatiaia - RJ


Data: dia 10 de agosto 2004

Local: Escola Técnica Limassis, Delfim Moreira - MG


Atividades:

1. Apresentação da APA Serra da Mantiqueira e seu Conselho (feita pelos conselheiros);

2. Apresentação do conteúdo teórico- prático do projeto “Fortalecimento da Gestão Participativa da APA Serra da Mantiqueira”.

3. Apresentação da metodologia proposta para a caracterização socioambiental da APA

4. Divisão em grupos por municípios, realização do diagnóstico

5. Discussão em plenária para avaliar a metodologia e decidir sobre os critérios de seleção de jovens.


Resultados:


  • Em todas as reuniões, houve participação de jovens trazidos pelas escolas.




  • Todas as escolas e organizações locais participantes receberam material digital contendo: apresentação da APA, Cartilha de Ocupação Histórica da Serra da Mantiqueira, Folder do Projeto e Relatório de Dados Secundários do IBGE.




  • A data do dia 20 de agosto ficou definida como prazo máximo para envio da inscrição dos jovens.




  • De maneira geral, houve bastante interesse pela iniciativa de integração com o órgão gestor da APA e o projeto de Fortalecimento da gestão participativa. A parceria com o INPE e utilização de cartas também foi muito bem vista pelos participantes.




  • Na reunião realizada em Itamonte, a participação de conselheiros foi muito expressiva refletindo a concentração de cadeiras no Conselho Consultivo pelos municípios do sul de Minas Gerais. Houve um consenso em que jovens de escolas públicas deveriam ter prioridade. Também se acordou que as escolas dos municípios que não se apresentaram deveriam ser contatadas por telefone para possibilitar a inscrição de jovens.




  • Na reunião realizada em Itatiaia, as escolas demonstraram grande interesse pela aplicação da metodologia ressaltando inclusive a formação de multiplicadores locais para darem maior alcance ao diagnóstico. A Escola Antônio Quirino, de Visconde de Mauá, demonstrou interesse em realizar localmente uma capacitação para seus alunos. Houve um consenso em que jovens moradores da APA deveriam ter preferencia na seleção. Também, solicitaram maior número de vagas caso os municípios ausentes não realizem sua inscrição.




  • A reunião realizada em Delfim Moreira apresentou uma grande ausência dos municípios convidados, refletindo a pouca articulação da APA e seu conselho nos municípios de São Paulo. O corpo técnico da Fundação Roge e a representante da Escola Estadual Profa. Leonor Guimarães, se prontificaram a aprofundar essa articulação localmente de forma a atrair jovens dos municípios faltantes. Consensou-se também, que no caso de não preenchimento das vagas, os alunos da Escola Técnica Limassis provenientes de municípios inseridos na APA deveriam ser convidados para participar do processo.




  • Como ponto positivo, através da correspondência enviada às escolas, as secretarias de Meio Ambiente dos municípios de Pindamonhangaba e Campos do Jordão realizaram contato telefônico com a APA e demonstraram interesse pelo projeto e pelo processo do Conselho.




  • De maneira geral, os municípios cujas escolas não participaram coincidem com os municípios que não possuem cadeira no Conselho Consultivo, o que vem a ressaltar a importância do papel dos Conselheiros como articuladores locais.




  • Com relação à metodologia utilizada, essa foi bem acolhida pelos participantes uma vez compreendida que trata-se de levantamento da PERCEPÇÃO que as pessoas tem do ecossistema Mantiqueira. Os participantes tiveram maior dificuldade no entendimento dos serviços de regulação.




  • Várias sugestões importantes foram levantadas:




  1. que a carta apresentada focalize a área de APA e não os centros urbanos

  2. que a metodologia seja aplicada em processos coletivos para estimular a reflexão e discussão entre diferentes pessoas

  3. que a linguagem dos quadros de bens e serviços seja traduzida pelos jovens facilitadores, uma vez que consideraram a mesma difícil para aplicação junto aos produtores rurais

  4. que cada escola leve à capacitação um professor acompanhante

  5. que seja enviada uma carta aos pais dos alunos.



Data e Local

Participantes por municípios presentes

Municípios Ausentes

# Conselheiros Presentes

Total de

Participantes

04/08/2004


Itamonte

Baependi

Itamonte


Virginia

Passa Quatro

Cruzeiro

Pouso Alto



04

Alagoa

Itanhandu

Aiuruoca


8


26


13

02

01

02

02

06/08/2004


Itatiaia

Resende

Itatiaia


Bocaina de Minas

Cruzeiro


Visc. de Mauá*

05

01

04



05

06


Liberdade







Passa Vinte







S. Rita do Jacutinga

3

21

Lavrinhas







Queluz






10/08/2004



Delfim Moreira

Piquete


W. Brás

12

02

01



Marmelópolis

PiranguçuCampos Jordão

Pindamonhangaba

S. Antônio do Pinhal

S. Bento Sapucaí

Guaratinguetá


1

15

D. Moreira






* Corresponde a 3 municípios, a saber: Itatiaia, Bocaina de Minas e Resende

Listas de Participantes
Local: APA da Mantiqueira, Itamonte, MG, Data: 04 de agosto de 2004

Participante

Entidade

Município

Carlos César Salomé*

FUNBEC

Baependi

Helene A. Delmonte*

C.C.R. Campo Redondo

Itamonte

Regina H.B. Varella

E. E. Delfim Moreira

Virgínia

Anto Carlos Varella

E.E. Delfim Moreira

Virgínia

Marcos B. Ferreira*

7a Super. de Ensino

Caxambu

Maria Stela Costa







Marly Costa A. Rocha

Educandário São Francisco de Assis

Itamonte

Rita de Cassia Santos

Centro Cultural Clotilde Framil

Itamonte

Debora Regina Costa Pinto

Centro Cultural Clotilde Framil

Itamonte

Sandra da Silva Hipolito

Escola Nossa Senhora Aparecida

Passa Quatro

Lizete Resente Airão

E.E. Nossa Senhora do MontSerrat

Baependi

Felipe Lemos Fonseca

E.E. Nossa Senhora do MontSerrat

Baependi

Jefferson Correa Lopes

E. Prof. José Sant'Ana de Castro

Cruzeiro

Jeu Gomes dos Santos

E. Prof. José Sant'Ana de Castro

Cruzeiro

Juliano Antônio Prerira

E. E. Fezizarda Russano

Pouso Alto

Monique da Silva Monteiro

E. E. Fezizarda Russano

Pouso Alto

Laís Ribeiro

E.E. Nilo Peçanha

Itamonte

Débora Fernana S. Peres

E.E. Nilo Peçanha

Itamonte

Dani Delfin B. Correa

E.E. Nilo Peçanha

Itamonte

Rosemery Inácio Lopes

E. E. Nossa Senhora do MontSerrat

Baependi

Maria Conceição Q. Passos

E. E. Nilo Peçanha

Itamonte

Mario Roberto Fonseca*

Cooperativa dos Apicultores de Itamonte

Itamonte

Marcos Antonio Rerrone*

VITA Come'rico e Ind. Ltda.

Itamonte

Clarismundo Benfica*

APA Mantiqueira

Itamonte

Júnior Vieira de Franca*

AMAI

Itamonte

José Nivaldo Lourenço

Polícia Florestal de Itamonte

Itamonte

* Membros do Conselho Consultivo
Local: Parque Nacional do Itatiaia, Data: 06 de agosto de 2004

Participante

Entidade

Município

Adriane Carvalho

C.E. Oliveira Botelho

Resende

Naida J. Aporcino

C.E. Ezequiel Freire

Itatiaia

Lúcio Moreira

E.E Conego João Severo

B. de Minas

Lúcia Benfica

E.E Conego João Severo

B. de Minas

Nayara M. C. Teixeira

ETE Prof. José SantÁna de Castro

Cruzeiro

Odson Luiz Vorlesse

ETE Prof. José SantÁna de Castro

Cruzeiro

Eduardo F. Nunes

ETE Prof. José SantÁna de Castro

Cruzeiro

Maria de Lourdes M. Veloso

E.E. Oswaldo Cruz

Cruzeiro

Alex Santos G. Lima

E.E. Oswaldo Cruz

Cruzeiro

Bruna O. de Souza

E.E Conego João Severo

B. de Minas

Priscila O. de Toledo

Colégio Olavo Bilac/Crescente Fértil

Resende

Denis Alexandre Corrêa

Crescente Fértil

Resende

Marisa S. Medeiro

Colégio Olavo Bilac

Resende

Fábio José de S

C. E. Antônio Quirino

Mauá

Léa Cabam

C. E. Antônio Quirino

Mauá

William Sampaio

C. E. Antônio Quirino

Mauá

Alfredo Carvalho*

IDEAS

Mauá

Roseane Diniz Paiva

C.E. Antônio Quirino

Mauá

Marineuza S. Diniz

C. E. Antônio Quirino

Mauá

Luiz Felipe César*

Crescente Fértil

Resende

Lino de Sá Pereira*

APROBO

B. de Minas

* Membros do Conselho Consultivo

Local: Escola Técnica Limassis, Delfim Moreira, Data: 10 de agosto de 2004



Participante

Entidade

Município

Francisca de L. Cortez

E. E. Marques Sapucaí

D. Moreira

Edna Beatriz dos S. Costa

E. E. Major Lisboa da Cunha

W. Brás

José Odorico Lorem

E. E. Marquês de Sapucaí

D. Moreira

Rosane Ap de J. Pimentel

E. E. Profa Leonor Guimarães

Piquete

Ana Lúcia Costa

E. E. Profa Leonor Guimarães

Piquete

Roberto de Matos

Fundação Roge

D. Moreira

Ma Tereza de O. Assis

E. E. Marquês de Sapucaí

D. Moreira

Gabriel Mendes de Paiva

Fundação Roge

D. Moreira

Edson Vitor Barbosa Souza

Fundação Roge

D. Moreira

Denis C. Souza

Fundação Roge

D. Moreira

Erica M. Uchôa

Fundação Roge

D. Moreira

Thays C. Mota

Fundação Roge

D. Moreira

Luis Felipe B. Vargas

Fundação Roge

D. Moreira

Daiane B. A. Pinheiro

Fundação Roge

D. Moreira

Ricardo de S. Oliveira

Fundação Roge

D. Moreira



Resultados da atividade de levantamento e avaliação dos bens e serviços ambientais


Município

Bens e serviços

Provisão

Regulação

Cultura

Itatiaia

Água

Climática

Turismo

Resende

Madeira, Água

Purificação do Ar da Água

Turismo, Inspiração

Bocaina de Minas

Água, alimentos, madeira, fibras, recursos genéticos, óleos essenciais, biodiversidade

Regulação Climática, purificação da água e ar, desintoxicação de bioquímicos

Recreação/ turismo, valores estéticos da região

Cruzeiro

Água para consumo e abastecimento, segurança alimentar

Clima, Controle sanitário

Lazer e recreação, patrimônio cultural, turismo

Cruzeiro

Água, Madeira, Leite, Mel

Lixo, queimadas e extração de madeira

Turismo, educação

Pouso Alto

Água Mineral, Minas




Mata da Câmara Municipal, Casarões antigos, Cachoeira do Coura

Itamonte

Água, Mel, Gado

Quantidade de Água

Turismo, educação

Baependi

Água, Leite, Café, Bambú

Mata

Lazer

Virgínia

Arroz, Leite, pêssego, carne

Reservas Nativas, Água, Clima

Turismo ecológico, Tranquilidade

Wenceslau Brás

Água, Madeira, Produção de Alimentos

Mata Nativa

Festas Típicas

Piquete

Conservação e oferta de água, recursos genéticos, recursos florestais, segurança alimentar







Delfim Moreira

Conservação e oferta de água, recursos genéticos, recursos florestais, segurança alimentar

Controle Sanitário epidemiológico, conservação do solo e controle de enchentes

Abrigo da história e do Patrimônio cultural

Potencialidades:

- Em grande parte dos grupos, a metodologia levou a discussões bastante interessantes. Cabe destacar, entretanto, que nos grupos que possuíam jovens e professores, eram estes últimos os que mais falavam, deixando pouco espaço para que os alunos se manifestassem.
Dificuldades:

- Apesar da clara explicação sobre o conceito de cada grupo de bens e serviços feita pela equipe, durante a prática, diversos grupos viam a necessidade de se basear nos quadros de detalhamento dos bens e serviços e vetores de impacto. Assim, predominou um tipo de discussão sobre quais bens existiam e quais não. O ponto negativo disto é que tornava a discussão menos rica, As pessoas não precisavam puxar na memória dos sentidos a sua percepção sobre o meio ambiente, ficando muito presas aos exemplos dos quadros.



Percebida essa questão, nos outros encontro foi frisado pela equipe que os quadros não deveriam guiar as discussões. Mesmo assim, muitos grupos ainda viam essa necessidade.
- Nos grupos que não se prendiam aos quadros explicativos, percebeu-se a dificuldade em identificar claramente o bem e/ou serviço. Principalmente nos bens e serviços de regulação, muitos não conseguiram identificar esses bens ou confundiam os bens com suas causas. (O que é o serviço de regulação? O clima ou a mata que gera a regulação climatíca.)
- Nos bens culturais, muitas vezes o turismo era colocado mas não referente ao lazer da comunidade. Mesmo provendo um bem material direto (bens de provisão) o turismo de visitantes era colocado como bem cultural.
- Sobre a avaliação, os pontos de informação geraram várias vezes uma confusão: informação para mim ou para a comunidade de uma maneira geral?
- Talvez por falta de tempo os mapas foram pouco utilizados. Também nas cartas de satélite, muitos mostraram dificuldades em compreendê-las.






©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal