Fortaleza ce



Baixar 222.55 Kb.
Página1/6
Encontro19.07.2016
Tamanho222.55 Kb.
  1   2   3   4   5   6


UNIVERSIDADE ESTADUAL VALE DO ACARAÚ

A CONTRIBUIÇÃO DE FILGUEIRAS LIMA PARA A EDUCAÇÃO DO CEARÁ


ANTONIO FILGUEIRAS LIMA NETO

FORTALEZA – CE

2002

UNIVERSIDADE ESTADUAL VALE DO ACARAÚ



PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR



A CONTRIBUIÇÃO DE FILGUEIRAS LIMA PARA A EDUCAÇÃO DO CEARÁ

ANTONIO FILGUEIRAS LIMA NETO


FORTALEZA - CEARÁ

2002
A CONTRIBUIÇÃO DE FILGUEIRAS LIMA PARA A EDUCAÇÃO DO CEARÁ

ANTONIO FILGUEIRAS LIMA NETO


Monografia apresentada à Coordenação do Curso de Especialização em Administração Escolar, da Universidade Estadual Vale do Acaraú, como requisito para obtenção do grau de especialista.


FORTALEZA - 2002

MONOGRAFIA APRESENTADA À COORDENAÇÃO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR DA UNIVERSIDADE VALE DO ACARAÚ, COMO REQUISITO PARA OBTENÇÃO DO GRAU DE ESPECIALISTA

POR


ANTONIO FILGUEIRAS LIMA NETO

APROVADA EM ____/ ____/ _____ .


BANCA EXAMINADORA CONSTITUÍDA DOS SEGUINTES PROFESSORES:


____________________________________

____________________________________

____________________________________

_________________________________

PROFESSORA ERCÍLIA MARIA BRAGA DE OLINDA – MS

ORIENTADORA

Ensino como quem reza: com a alma genuflexa”
(Filgueiras Lima)

AGRADECIMENTO
A minha estimada e competente orientadora, Professora Ercília Maria Braga de Olinda, a quem muito devo pelo trabalho aqui construído. Sem a sua excelente colaboração, certamente esta produção não teria se projetada com eficácia tanto na forma quanto no conteúdo.
Além dos conhecimentos passados, também lhe sou grato pelo ânimo, pelo incentivo, pela paciência e pela confiança na minha capacidade em realizar esta pesquisa como contribuição para o resgate de um importante momento da educação do Ceará.

RESUMO

A contribuição de Antonio Filgueiras Lima para a educação do Ceará. Destacam-se pontos importantes da vida e da obra deste educador cearense, apontando os cargos por ele exercidos no setor público educacional, os traços da sua personalidade, retratados também na sua obra poética. Demonstra-se qual a impressão que ele transmitia aos seus alunos, como eram as suas aulas e quais congressos educacionais participou, representando o Ceará. Relaciona-se o pensamento pedagógico de Filgueiras Lima com o movimento da Escola Nova. Estabelece-se as características e fundamentos da Escola Tradicional Burguesa, mostrando-se, principalmente, como funcionavam as relações entre professores e alunos. Contextualiza-se o surgimento do movimento escolanovista, ressaltando as suas principais características e idealizadores. Apresentam-se as principais concepções de educação surgidas no seio do movimento da Escola Nova. Destaca-se a participação de Ovide Decroly na construção de um sistema didático, conhecido por centro de interesses. Expõe-se a filosofia educacional do pedagogo norte-americano John Dewey e como funcionava o sistema de projetos, método elaborado a partir do princípio de escola ativa. Situa-se o pensamento pedagógico de Filgueiras Lima dentro do movimento escolanovista, salientando as influências de Decroly, Dewey e Lourenço Filho, mostrando como as idéias desses educadores poderiam ser colocadas em prática e adaptadas a realidade do Ceará. Identifica-se o período histórico vivido no Ceará nas décadas de 20 e 30, época em que Filgueiras Lima formulou o seu pensamento pedagógico. Demonstra-se as concepções de Filgueiras Lima sobre educação, democracia, ensino, aprendizagem e escola. Destaca-se a sua preocupação acerca da formação de professores. Relata-se a sua prática pedagógica à frente do Colégio Lourenço Filho. Estabelece-se o modelo de escola e de educação pregados por Filgueiras Lima.



SUMÁRIO
I. INTRODUÇÃO 9

1.1 Justificativa 9

1.2 Objeto de estudo 12

1.3 Metodologia 12

1.4 Objetivos 14
II. VIDA E OBRA EDUCACIONAL DE FILGUEIRAS

LIMA 15
III. O PENSAMENTO PEDAGÓGICO DE FILGUEIRAS LIMA E O MOVIMENTO DA ESCOLA NOVA 25

3.1 A Escola Tradicional 26

3.2.O surgimento da Escola Nova e suas características 27

3.3 Concepções de educação na Escola Nova 32

3.4 Decroly e os centros de interesse 33

3.5 A filosofia educacional de John Dewey e o sistema de projetos 35

3.6 Filgueiras Lima e o Escolanovismo 37


IV. A PRÁTICA PEDAGÓGICA E O DISCURSO EDUCACIONAL DE FILGUEIRAS LIMA 43

4.1 O Ceará nas Décadas de 20 e 30 44

4.2 Concepções sobre educação e democracia 48

4.3 Ensino, aprendizagem e escola 50

4.4 A formação de professores e o ensino normal 52

4.5 A prática pedagógica de Filgueiras Lima no Colégio Lourenço Filho 57


V. CONCLUSÕES 61
BIBLIOGRAFIA 64

APÊNDICE 65

ANEXO A (artigos do Jornal O Povo)

ANEXO B (artigos da Revista Educação Nova)




I INTRODUÇÃO



    1. Justificativa

Muitas são as razões que me levaram a estudar o pensamento e a obra educacional do Professor Antonio Filgueiras Lima. Primeiramente, não posso negar o caráter pessoal desta pesquisa, pois estou ligado por laços hereditários, uma vez que sou neto de Filgueiras Lima, de quem, inclusive, herdei o nome. Não cheguei a conhecê-lo, pois, quando nasci, ele já havia falecido há nove anos. Certamente, a curiosidade de conhecer mais sobre sua vida foi uma determinante para a realização deste trabalho.


Sempre ouvi estórias e comentários elogiosos a respeito de Filgueiras Lima e, principalmente, sobre a sua atuação como professor, educador, empreendedor, poeta e orador. Investigando seus arquivos pessoais, encontrei muitos textos manuscritos seus que despertaram em mim a vontade de procurar saber mais sobre sua vida, sua obra e seu trabalho. Esses textos retratam muito do seu pensamento pedagógico e da sua concepção de educação.
Outro motivo inegável para a realização desta monografia é o caráter profissional. Atualmente, exerço a vice-presidência da Fundação Educacional Filgueiras Lima - entidade mantenedora da Faculdade e Colégio Lourenço Filho. No exercício deste cargo, represento a direção pedagógica desta instituição de educação, especificamente a dos ensinos fundamental e médio. O Instituto Lourenço Filho foi fundado em 1938, por Filgueiras Lima e Paulo Sarasate, atuando na educação infantil e no ensino fundamental. Posteriormente, o referido instituto expandiu-se também no ensino médio e, há quatro anos, iniciou suas atividades no ensino superior com um curso de bacharelado em Ciências da Computação. Essa instituição funciona há mais de sessenta anos no Estado, contribuindo para a formação de milhares de jovens cearenses. O Colégio Lourenço Filho vem, ao longo de sua história, projetando-se na vanguarda do cenário educacional cearense. Logo que iniciou as suas atividades, o educandário Lourenço Filho evidenciou uma proposta inovadora, baseada no pensamento escolanovista, que rompia com os paradigmas da educação tradicional a qual dominava o pensamento educacional na época.
Entre as referidas propostas, podemos destacar o método globalizador de alfabetização que era utilizado no Lourenço Filho. Enquanto as escolas do Ceará ensinavam as crianças a ler e escrever utilizando ainda o método de separação de sílabas, na escola do Professor Filgueiras Lima, as crianças alfabetizavam-se lendo palavras por inteiro. Castigos físicos, como a palmatória - que não era incomum naquela época - foram abolidos como método disciplinador, pois iam contra à filosofia da Escola Nova. O disciplinamento dos alunos foi substituído pela busca da auto disciplina, baseada na idéia de liberdade com responsabilidade. A proposta inovadora do Lourenço Filho, com uma educação centrada no aluno e não no professor, surgia como uma nova opção à sociedade da época.
Contudo, não foram apenas os aspectos pessoais e profissionais que me levaram a essa empreitada, pois como Filgueiras Lima teve uma vida dedicada à educação, e o resgate de seu pensamento pedagógico é de grande importância para as gerações futuras compreenderem um pouco a história da educação do Ceará.
Ainda bastante jovem, aos 18 anos de idade, Filgueiras Lima assumiu o cargo de Inspetor Regional do Ensino, quando pôde colaborar para manter viva a reforma do ensino, realizada em 1922, sob a coordenação do Professor Lourenço Filho. Como defensor das idéias escolanovistas, participou da criação da revista Escola Nova, de que foi redator-chefe, contribuindo para o enriquecimento do pensamento pedagógico no Estado. Em dezembro de 1933, conquistou, através de concurso em que obteve o primeiro lugar, a cadeira da Didática da Escola Normal, onde, como professor, contribuiu para a formação de uma geração de professoras do nosso Estado. Foi, ainda, professor das cadeiras Relações Humanas da Escola de Administração do Ceará e Didática Geral da Faculdade de Filosofia do Ceará. Foi, por quase vinte anos, membro do Conselho Estadual de Educação, onde chegou a ser nomeado presidente.
Vê-se, pois, que Filgueiras Lima ocupou os cargos mais importantes do setor educacional em nosso estado, deixando, comprovadamente, a marca de seu pensamento pedagógico em diversas instituições. Na Escola Normal, por exemplo, além de professor, Filgueiras Lima chegou a exercer a direção daquele estabelecimento de ensino por quase dois anos. Exercendo um cargo de direção dentro desta instituição de ensino, com certeza, muitas normalistas tiveram as suas concepções de educação, influenciadas pelas idéias do Professor Filgueiras Lima.
À frente do Conselho de Educação do Ceará e da Secretaria Estadual de Educação, Filgueiras Lima pôde consolidar a modernização do ensino no nosso Estado, há muito desejada por várias gerações de educadores, desde os fundadores da escola normal, em 1884. O esforço de renovação iniciado por José de Barcellos, Amaro Cavalcante e tantos outros educadores cearenses teve um grande impulso na década de 1920, com uma filosofia nova de educação, baseada nas idéias do movimento da Escola Nova e influenciada pelas novas descobertas da psicologia e pelas mudanças sociais que ocorriam no Brasil e no mundo. Com idas e vindas, esse ideário se manteve ativo e foi retomado com a ajuda de Filgueiras Lima, João Hippolyto e Moreira de Sousa nas reformas de 1935 e 1946.
Filgueiras Lima escreveu e publicou vários livros de poesia, além de resenhas e comentários literários, mas nunca elaborou um livro sobre educação ou pedagogia. Positivamente, isto ocorreu devido a sua morte pré-matura, pois, antes de seu falecimento, ele já vinha idealizando um livro sobre as suas vivências pedagógicas. Desta forma, este trabalho se constitui numa oportunidade valiosa de se resgatar o pensamento pedagógico de Filgueiras Lima, por que somente alguém com acesso a seus arquivos pessoais poderia realizar este trabalho. Assim, esta chance é uma forma de se consolidar o pensamento educacional de um homem que muito contribuiu para a educação em nosso Estado e que não teve tempo de, em vida, sistematizar as suas idéias e apresentá-las ao público, em geral, principalmente à comunidade acadêmica. Não tenho, é claro, a pretensão de substituí-lo nesta tarefa, contudo, espero contribuir para que o seu pensamento pedagógico e a sua experiência na área educacional não se percam ao longo do tempo.


1.2 Objeto de Estudo
O professor Filgueiras Lima é, atualmente, lembrado por seus conterrâneos, principalmente, pelo seu destaque na poesia, o que lhe logrou fama e uma cadeira na Academia Cearense de Letras. Contudo, existe também uma história de vida dedicada à educação, pois como ele mesmo se definiu certa vez: “nasci poeta, fiz-me educador”. É justamente o perfil do professor e educador que objetivamos resgatar neste trabalho. A vida e a obra de Filgueiras Lima fazem parte da história da educação do Estado do Ceará. Não iremos analisar a sua obra poética e literária. Aqui, cabe-nos estudar o educador, o professor e o empreendedor, pois, também, podemos considerá-lo um empresário, uma vez que fundou um colégio que funciona há mais de 60 (sessenta) anos na vanguarda do cenário educacional cearense.
Também é válido ressaltar que não pretendemos, aqui, realizar um trabalho meramente biográfico a respeito de Filgueiras Lima, apesar de sabermos que é importante se conhecer traços da vida da pessoa para interpretar melhor a sua obra. O período estudado da vida de Filgueiras Lima vai de seus 18 anos, quando assumiu o cargo de Inspetor do Ensino, até a sua morte em 1965. Desse modo, o objeto de estudo desta pesquisa não é a vida deste educador em si, mas a sua contribuição para a educação do Ceará; notadamente, a educação básica, pois, apesar de ter, também, atuado no ensino superior como professor, foi no ensino fundamental e médio que ele deixou sua marca de forma mais veemente. Essa contribuição ocorreu através do seu pensamento pedagógico que influenciou vários profissionais da educação, através de suas ações como professor, diretor de escola e educador.
1.3 Metodologia
Analisar a contribuição de Filgueiras Lima não foi tarefa fácil, pois, como já foi exposto, ele não escreveu uma obra completa sobre educação. Porém, existem artigos e discursos escritos por ele sobre o tema, os quais estão espalhados em vários jornais e revistas especializadas; não há, portanto, uma obra sistematizada. Assim sendo, tivemos de recorrer aos seus arquivos pessoais, onde achamos vários textos manuscritos por ele que retratam muito do seu pensamento pedagógico e de sua concepção de educação. Alguns apontamentos, como as suas notas de aula da disciplina Didática mostram muito do seu trabalho e de sua postura acerca de determinados temas educacionais.
Na revista Educação Nova, da qual Filgueiras Lima foi redator-chefe, encontramos vários artigos escritos por ele, nos quais se pode constatar a sua linha de pensamento pedagógico e quais educadores mais o influenciaram.
Filgueiras Lima foi um ativista do movimento da Escola Nova no Ceará, por isso, para se compreender o seu pensamento educacional é necessário entender um pouco o pensamento escolanovista. Desta forma, tivemos de recorrer aos estudiosos desse movimento como Foulquié, Decroly, Dewey e Lourenço Filho. Este último foi o responsável pela reforma do ensino no Ceará nos anos de 1922 e 1923 e exerceu forte influência sobre Filgueiras Lima, de quem se tornou amigo e foi homenageado com o nome da escola fundada pelo poeta. Em livros clássicos, como a Introdução ao Estudo da Escola Nova, Lourenço Filho expõe quais foram as principais características desse movimento pedagógico, quais os seus princípios e quais ramos da ciências contribuíram para a sua formação, além de contar um pouco da história do movimento, com relatos de experiências e análise dos métodos adotados em escolas na Europa, nos Estados Unidos e no Brasil. Esta pesquisa, também relata um pouco o pensamento de muitos educadores que fizeram parte do referido movimento ou que contribuíram para a sua formação.
Outra fonte de pesquisa que tive de recorrer foram os relatos de pessoas que conviveram com Filgueiras Lima na sua intimidade ou na sua vida profissional. É certo que esses relatos sempre possuem traços de subjetividade, mas, nem por isso, pode-se descartá-los como dados imprecisos. Assim, tive a oportunidade de conversar com Antonio Filgueiras Lima Filho, que, atualmente, está à frente da Faculdade e Colégio Lourenço Filho, sobre como era o homem e o poeta, que foi objeto de estudo do primeiro capítulo desta pesquisa. Entrevistei o Professor Vicente de Paula Soares, titular da disciplina de Língua Portuguesa da 1ª série do Ensino Médio do Colégio Lourenço Filho, decano do corpo docente daquela instituição, sobre o diretor de escola, uma vez que ele começou a lecionar nesta instituição em 1954. Para conhecer a prática pedagógica de Filgueiras Lima, recorri a entrevistas realizadas pela Professora Ercília Braga com 11 (onze) ex-alunas da Escola Normal, que relataram como eram as aulas do educador e qual a filosofia educacional apresentada por ele1. Foram entrevistados, também, o Professor Francisco de Paula Aguiar, atual diretor do Colégio Lourenço Filho, que iniciou suas atividades na instituição em 1963, quando foi contratado pelo poeta para ensinar Ciências, e a Professora Olga Nunes da Costa, ex-aluna de Filgueiras Lima no curso normal do Colégio Lourenço Filho e na Faculdade Católica de Filosofia e ex-orientadora educacional daquela instituição educacional
Podemos dizer, sem receio de equívoco, que Filgueiras Lima foi um dos intelectuais que mais trabalharam e contribuíram para a modernização da educação e do ensino público e particular no Ceará. Desta forma, a análise do pensamento de um principais educadores cearense é de grande importância para a história da educação.


    1. Objetivos

Esta pesquisa tem como objetivo geral analisar o pensamento e a prática pedagógica de Filgueiras Lima, avaliando sua contribuição para a educação no Estado do Ceará. Ressalte-se que num lugar pobre e atrasado como o nosso Estado, poucos foram as pessoas que contribuíram para a melhoria da educação.


São objetivos específicos deste trabalho:


  1. resgatar aspectos significativos da vida de Filgueiras Lima, destacando sua participação na vida educacional e intelectual do Ceará;




  1. situar o pensamento de Filgueiras Lima dentro do movimento escolanovista, investigando que pensadores o influenciaram;




  1. analisar a prática pedagógica e o discurso educacional de Filgueiras Lima, expressando suas concepções sobre escola, ensino, educação e aprendizagem.



  1   2   3   4   5   6


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal