Francisco Candido Xavier Espíritos Diversos



Baixar 271.09 Kb.
Encontro24.07.2016
Tamanho271.09 Kb.


Francisco Candido Xavier

Espíritos Diversos

Recanto  de  Paz

PREFÁCIO ............................................................................................. 2

ALGUÉM NA ESTRADA ............................................................................ 3

AO SOL DO CAMPO ................................................................................ 4

APOIO ................................................................................................... 5

ASSUNTOS DE FÉ ................................................................................... 6

BENEFÍCIO ............................................................................................ 8

CANÇÕES PARA JESUS ........................................................................... 9

CANTIGA DA GRATIDÃO ....................................................................... 12

CANTIGA DA FÉ .................................................................................... 13

CARLINDA ............................................................................................ 15

DOAÇÃO ............................................................................................... 16

EM TORNO DA CRIANÇA ....................................................................... 17

ESTRADA ACIMA .................................................................................. 19

HISTÓRIA DE AMOR ............................................................................. 20

LAR E AMOR ......................................................................................... 21

LIÇÃO DE FÉ ......................................................................................... 22

MÃE ...................................................................................................... 23

MEMÓRIAS DA VIDA ............................................................................. 24

PASSADO E REENCARNAÇÃO ................................................................ 26

PAZ ...................................................................................................... 29

PRECE DE ACEITAÇÃO .......................................................................... 30

SENHOR, ENSINA-NOS ......................................................................... 31

TEMAS DA VIDA .................................................................................... 33

TEMPO .................................................................................................. 36

TROVAS DE FÉ E RAZÃO ........................................................................ 37

TROVAS DO EVANGELHO ...................................................................... 39

VERDADE E AMOR ................................................................................. 41

prefácio

RECANTO  DE  PAZ


 

Leitor amigo.

Enfeixando neste volume a primeira seleção das mensagens de amigos espirituais, obtidas, todas elas, em reuniões públicas da Fundação Marietta Gaio, no Rio de Janeiro, detemo-nos a refletir nas várias ocasiões em que foram psicografadas.

Em nossas visitas periódicas ao templo de oração e trabalho, em que se efetuam as atividades da Fundação referida – com a qual nos relacionamos através de vinculações respeitáveis – sempre dispomos ali de um ponto de encontro, entre a necessidade e a beneficência.

De áreas diversas procediam os corações que nos buscavam.

Estudiosos de filosofia garimpando idéias novas.

Amigos empenhados à procura da verdade.

 

Irmãos torturados pela saudade de afetos inesquecíveis, domiciliados no Mais Além.



 

Pais devotados, querendo forças e diretrizes na experiência doméstica.

Cada noite, o salão iluminado e amplo se nos afigura um oásis de refazimento e esperança.

Mães atribuladas pelo sofrimento de filhos queridos.

Almas dedicadas ao bem do próximo, rogando pensamentos de felicidade e bom-ânimo.

Doentes a pedirem   energia e consolo.

Companheiros da jornada humana, aguardam o um momento de confraternização e tranqüilidade..

De olhar comovido, assim que a palavra do Evangelho de Jesus começa a se fazer ouvir, os mensageiros da Vida Maior chegam até nós, ofertando, pelas mãos do médium, instruções e bênçãos, consolações e respostas.

 

Muitas vezes, findas as tarefas, retiramo-nos do templo, erguido no operoso bairro de Bonsucesso, com lágrimas felizes de agradecimento ao Senhor por nos haver concedido ali um refúgio de paz e amor.



É por isto que nos permitimos apresentar este livro, dedicado aos serviços Fundação Marietta Gaio com o nome de “Recanto de Paz”, homenagem e apreço e carinho à instituição que tanto amparo e alegria distribui em todas as direções.

Que estas páginas possam fortalecer-te e abençoar-te nas realizações a que te consagras no mundo, são os nossos votos, leitor amigo, ao mesmo tempo que, na sustentação da paz, rogamos Senhor a todos nos inspire e nos abençoe.

 

EMMANUEL


 Uberaba, 28 de abril de 1976

 Livro Recanto de Paz. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.


capítulo i

ALGUÉM  NA  ESTRADA


 

Auta de Souza
 

Alguém te espera o amor, estrada afora,
Seja o dia translúcido ou cinzento,
Para extinguir a sobra e o sofrimento,
Nas empedradas trilhas de quem chora!...

Não te detenhas!... Vem!... O tempo é agora,


Há quem te arrase ao temporal violento, 
E corações ao frio, à noite e ao vento
Ante a descrença que se desarvora...

Vem à estrada do mundo!... Ampara e ama!...


Esclarece e consola, alça por chama,
O próprio coração fraterno e amigo!...

Esse alguém é Jesus que te abençoa!...


Trabalha, serve, esquece-te, perdoa
E o Mestre Amado seguirá contigo!...

 


Do livro Recanto de Paz. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.

capítulo ii

ao  sol  do  campo


Auta de Souza

 

Prossegue, semeador, alçando monte acima,



A plantação da fé na gleba da esperança,

Ara, semeia, aduba, e, intimorato, avança,

Consagrado a servir no sonho que te arrima.

 

Não aguardes lauréis de transitória estima



E se a nuvem de angústia e lágrimas te alcança,

Deténs na própria fé refúgio e segurança

No grande espinheiral de amor que te sublima.

 

Vara vento, granizo, injúria, lama, prova



E espalha, aqui e além, a paz que te renova,

No tempo a recordar solo vivo e fecundo.

 

Ama, serve e constrói! ... Onde lidas e esperas,



Trazes contigo a luz dos gênios de outras eras

Que promovem, com Cristo, a redenção do mundo.

 

Livro Recanto de Paz. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.



cAPÍTULO III

APOIO


Emmanuel

 

Não alegues defeitos,



Deixando de servir.

 

Nem percas vida e tempo,



Fitando os próprios males.

 

Remédio em teu remédio,



É o bem que distribuas.

 

Esquece-te e confia,



Serviço é cura e paz.

 

Cada rosa no barro,



É uma explosão de luz.

 

Quando te faltes força,



Deus te sustentará.

 

Livro Recanto de Paz. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.



CAPÍTULO IV

ASSUNTOS  DE  FÉ


 

Busca Jesus no que faças,

Porque a vida é sempre assim:

A semente traz o fruto,

O começo atrai o fim.

MANUEL CARNEIRO

 

 



Consultando os tempos idos,

Li na história do insucesso:

A lídima dos vencidos

É o cântico ao progresso.



FRANKLIN DE ALMEIDA

 

 



 

Quando a maldade te agrida

Comprometendo-te a paz,

Em qualquer parte da vida,

Humilha-te e vencerás.

NOEL CARVALHO

 

 



Vencidos não vos vingueis

Do mal que vos acompanha;

A vida trata com leis

A teia de cada aranha.



SILVEIRA CARVALHO

 

 



Estranha crença em João Luz

No Retiro de Água Rasa,

Dizia seguir Jesus

Mas nunca saiu de casa.



CORNÉLIO PIRES

 

 



Aos chamados de Jesus

Para o Reino do Porvir,

Há quem atende e trabalha,

Quem responde e vai dormir.



LAMARTINE BABO

 

 



Quando seguires à frente

Conduze o bem por escolta,

Clamarás por muita gente

Quando estiveres de volta.



SILVIO FONTOURA

 

 



Se vieste a fracassar

Tendo a vida ao lado avesso,

Não adianta chorar

O que vale é o recomeço.



SEBASTIÃO LASNEAU

 

Jesus convida a milhões



Para os banquetes do Pai;

Muita gente dá resposta,

Dá resposta mas não vai.

JAKS ABOAB

 

 



Alguém atirou à terra

Pesadas cargas idosas

Mas a terra respondeu,

Com grande chuva de rosas.



MARCELO GAMA

 

 



Não te lamentes em vão

De sofrimento ou pesar,

Que, às vezes, mais provação

É o jeito de melhorar.



JESUS GONÇALVES

 

 



Tal qual sucede na crença

Razão que sobe de nível

Descobre, pesquisa e pensa

Muita cousa intraduzível.



JOSÉ ALBANO

 

Raça, crença, nome, idade ...



Auxilia, não hesites

Diante da caridade,

O apoio não tem limites.

CASIMIRO CUNHA

 

 Deixa a tristeza de lado



Bendizendo as próprias dores,

O Cristo crucificado

É o maior os vencedores.

MEIMEI

 

Livro Recanto de Paz. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.


CAPÍTULO V

BENEFÍCIO


Emmanuel

Ante a causa do bem,

Não temas empecilhos.

Pelo mal faze o bem

E ajuda sem prender-te.

Poder auxiliar

É um prêmio que reténs.

Não peças gratidão

A quem beneficies.

A árvore não come

Os frutos que produz.

Se já queres servir,

Rende graças a Deus.

Médium: Francisco Cândido Xavier Livro: “Recanto de Paz”.



CAPÍTULO VI

CANÇÕES  PARA  JESUS


 

No santuário do Cristo,

Tendo o Sol por luz acesa,

O culto foi sempre o amor,

O altar foi a Natureza.

MILTON DA CRUZ

 

Jesus, superando crises,



No amor que jamais se engana,

Colocou os infelizes

Na grande família humana.

NOEL DE CARVALHO

 

Das notas que tenho visto,



Esta não sai da lembrança:

Quem anda com Jesus Cristo

Não segue sem esperança.

PEDRO SILVA

 

 



O Testamento de Amor

Que Deus nos fez por Jesus

Para ninguém se lhe opor

Foi assinado na cruz.



JOSÉ ALBANO

 

O Natal, no mundo inteiro,



Será festa sem pesar

Quando os perus no terreiro

Também puderem louvar.

LAMARTINE BABO

 

Verdade - luz em ação –



Traz o fulgor de uma estrela,

Mas, perante a multidão,

O Cristo não quis dizê-la.

ORMANDO CANDELÁRIA

 

Se o samba não fosse lindo,



Guardando o amor por troféu,

Jesus não teria vindo

Com serena no Céu.

NOEL ROSA

 

Dos prodígios de Jesus



Eis a mais alta façanha:

– Unir as nações da Terra

Pelo Sermão da Montanha.

SABINO BATISTA

 

Ordem de Cristo, na essência,



Que o homem não desarma:

Sem perdão e paciência,

Não se obtém paz alguma.

FRANKLIN DE ALMEIDA

 

Tocando o ensino de Paulo,



Achei esta luz sem fim:

“Não sou eu hoje quem vive,

É o Cristo que vive em mim.”

JAKS ABOAB

 

Tempo é um tronco de trabalho



Que Deus nos põe ao dispor;

Cada tempo tem um nome,

Natal é o tempo de flor.

MARIANA LUZ

 

O Cristo Ressuscitado



Consagrou a Lei do Bem,

Não mergulhou no passado,

Nem se queixou de ninguém.

CIRO SILVA

 

Muda-se o mundo, a contento,



Nas leis, no solo, no mar ...

Mas Jesus é o fundamento

Que não se pode mudar.

MEIMEI

 

Na bela dupla de estrelas



Em que o Natal se anuncia,

Precedendo a de Belém,

A primeira foi Maria.

AUTA DE SOUZA

 

Jesus, ante a Humanidade,



Mesmo perante os ateus,

Ensinou que Caridade

É o nome oculto de Deus.

JOSÉ DE CASTRO

 

Livro Recanto de Paz. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.



CAPÍTULO VII

CANTIGA  DA  GRATIDÃO


 

Maria Dolores

 

O Céu te recompense, alma querida,



Porque ouviste o convite do Senhor

E nos trouxeste paz e luz à vida

Pela bênção do amor.

 

Deus te enriqueça as mãos temas e ativas,



Mãos que buscam Jesus no irmão triste e sem nome,

Dissipando a penúria que o consome

Ao calor da bondade que cultivas.

 

Deus proteja a brandura a que te entregas,



Quando desculpas de expressão serena

Aquela mesma voz que te condena,

Desconhecendo as dores que carregas.

 

Deus te abrilhante a idéia justa e boa



Com que ouves ofensas sem guardá-las,

Para dizer somente no que falas

Aquilo que edifica e que abençoa.

 

Deus te ampare na fé que te sustém



Ao enxugar as lágrimas alheias,

Em tudo quanto inspiras e semeias

Nas tarefas do bem.

 

Deus te guarde na fé que te conduz



Vencendo tempo e luta, sombra e

Porque contigo a vida se renova

Atendendo a Jesus.

 

Livro Recanto de Paz. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.


CAPÍTULO VIII

CANTIGA  DA  FÉ


 

Maria Dolores

 

Indagas, coração,



Como seguir além de alma segura,

Ante a noite de pranto e de amargura,

Como agir e avançar ...

Contemplemos a estrada em que marchamos:

Quando a tormenta ruge, implacável e cega,

A vida roga em tudo a que se apega:

Confiar, confiar ... 

 

Bramem trovões, ao longe riscam raios,



Grandes árvores tombam retorcidas,

Gemem no vale multidões de vidas,

O furacão é um monstro sem lugar ...

As aves espantadas, entretanto,

Relegadas, de chofre, aos assombros da furna,

Pipilam, como em prece, ante a treva noturna:

Confiar, confiar ...

 

Pedras lascadas rolam sob estrondos,



Gritam rochas no impacto violento,

Braços ocultos no fragor do vento

Movem a gleba multissecular ...

Águas descendo era fúria jorram lodo

E engulindo-as era paz sem que se afronte,

Conquanto a sufocar-se, reza a fonte:

Confiar, confiar ...

 

Mas o aguaceiro passa ... A sombra aos



Foge temendo o dia que a devora

As janelas de luz da nova aurora

Abrem-se, a plenos céus, de par em par ...

O Sol ressurge a refazer o campo

Depois extingue a lama dos caminhos

E as aves cantam restaurando os ninhos:

Confiar, confiar ...

 

Assim também, alma querida e boa,



Nos momentos de angústia a que te levas

Sofre sem reclamar a convulsão das trevas,

Persistindo no bem, a servir e a esperar ...

E embora as aflições e as lágrimas do mundo,

Pela fé, ouvirás, de ânimo atento,

A mensagem de Deus no amento:

Confiar, confiar ...

Livro Recanto de Paz. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.



CAPÍTULO IX

CARLINDA


 

Cornélio Pires

 

Jaz Carl



inda ofegante num palheiro ...

Noventa anos de luta ... Agora cega,

Agoniza no chão a que se apega,

Vendo a Luz brilhando no terreiro ...

 

Lembra o trabalho, a roça, a enxada, o aceiro,



Tem saudade do milho na moega,

Ninguém lhe enxuga o pranto a que se entrega ...

Nisso, aparece um jovem mensageiro.

 

– “Quem sois?” - pergunta a pobre ao desabrigo.



Ele diz: – “Sou Jesus, sou teu amigo,

Vim buscar-te ao repouso ... Estás cansada ...”

 

Carlinga sai do corpo ... Como é linda!



E, abraçada a Jesus, seguiu Carlinda

Numa estrela de flores da alvorada ...

 

Livro Recanto de Paz. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.



CAPÍTULO X

DOAÇÃO


 

Maria Dolores

 

Doação com Jesus, alma querida e boa,



Não é somente o apoio que transmites

Em socorro à penúria, tantas vezes,

Sob duros limites! ...

 

E muito além do verbo que a define



Doação com Jesus é o Céu que se condensa

Na fé que se transforma em reconforto,

Sem cogitar de recompensa.

 

Está no olhar que enxerga as erosões e os charcos



No caminho em que avança,

Mas em vez de acusar a terra desprezada

Nela semeia flores de esperança...

 

Mora no ouvido compassivo e calmo



Que a bondade alicerça,

E do mal faz o bem, sem alarde e sem queixa,

Na luz da compreensão que sublima a conversa!

 

Brilha nas mãos que servem no silêncio,



Seja amparando alguém que a sombra desvirtua,

Lavando um prato humilde, afagando um doente

Ou removendo um seixo em recanto da rua! ...

 

Vibra na voz que aceita os dias tristes,



Falando no esplendor dos dias que virão,

A extinguir em carinho e tolerância

A ira, o desespero, a irritação...

 

Faz-se doce clarão na atitude sincera



De quem se acolhe ao bem, por norma definida,

Desculpando e servindo, ajudando e aprendendo,

Edificando em paz e abençoando a vida! ...

 

Doação com Jesus é tudo quanto eleva,



Venha de onde vier e seja com quem for,

Algo do coração que confia e se entrega

Para estender no mundo a vitória do Amor.

Livro Recanto de Paz. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.


CAPÍTULO XI

EM  TORNO  DA  CRIANÇA


 

 

Oferece aos pequeninos



Senda clara e vida sã.

Toda criança de hoje:

Nosso retrato amanhã.

CASIMIRA CUNHA

 

 



Mãe, o filhinho que chega -

Ave do Céu sem escolta –

É sempre amor de outro tempo

Que te procura de volta.



ANTONIO DE CASTRO

 

 



Às vezes, a elevação

De nosso próprio destino

E nossos braços depende

Dos braços de um pequenino



VIVITA CARTIER

 

 



Dois problemas da criança

Que afligem o mundo inteiro:

Independência em excesso,

Carinho de cativeiro



FERREIRA AGUIAR

 

 



Reencarnação!... Ninguém erra

Quando decide aceitar

Que a meninice na Terra

E o tempo de reeducar.



JOSÉ ALBANO

 

 



Quem afirma que a criança

Não necessita de trato

Contemple uma laranjeira

Crescendo à-toa no mato.



LULU PAROLA

 

Das Mágoas que achei no mundo



Vi o pior desconforto

Num pai em pranto de angustia

Beijando o filhinho morto.

JESUS GONÇALVES

 

 



Mãe de filhinhos dos outros,

Mulher e mãos benfazejas ...

Diz o Mundo: - “Deus te guarde! ...”

Diz o Céu: – “Bendita sejas! ...”



AUTA DE SOUZA

 

 



Nas amarguras do Além,

Não há pesar mais profundo

Que ver uma criancinha

Abandonada no mundo.



MEIMEI

 

 



Um filho aceito no lar:

Amparo à libertação ...

Aborto desnecessário:

Mergulho na obsessão.



SILVEIRA CARVALHO

 

 



Mão que ampara uma criança

Envolvendo-a de amor puro

Parece, em tudo, uma estrela

Iluminando o futuro.



TARGÉLIA BARRETO

 

 



O que digas à criança

No que engrandeça ou degrade

É a mensagem de teu punho

Que envias à Humanidade.



MARCELO GAMA

 

 



Berços são planos divinos

Do mais alto aos mais plebeus ...

Cada criança na Terra

É uma esperança de Deus.



DERALDO NEVILLE

 Livro Recanto de Paz. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.


CAPÍTULO XII

ESTRADA  ACIMA


Auta de Souza

 

Alma lúcida e bela, alma sofrida,



Sigamos com Jesus caminho afora,

Reconfortando a multidão que chora

Nas retaguardas últimas da vida ...

 

Aqui tomba a esperança fenecida,



Além é a mágoa que se desarvora,

Depois, é a grande noite sem aurora

Da penúria que clama desvalida! ...

 

Segue, esquecendo a prova que te agita,



Eleva o coração por luz bendita,

Ama, auxilia e serve, quanto possas! ...

 

Espalha o amor na fé com que te alteias,



Amenizando as lá as alheias,

Teremos Cristo suprimindo as nossas.

 Livro Recanto de Paz. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.

CAPÍTULO XIII

HISTÓRIA  DE  AMOR


Maria Dolores

 

Certa mulher sofrida no trabalho



E que agia tão-só na prática do bem,

Teve, um dia, saudade de Jesus

E passou a viver concentrada no Além.

Muito tempo, lutara dia-a-dia,

Vencendo sombra, empeço, tentação,

Servira a muita gente, mas supunha

Que todo o longo esforço houvera sido vão.

Trazia os pés feridos, indagando

Se a Terra não seria estranho espinheiral,

Conquanto a fé e acalentasse o peito,

Declarava temer a vitória do mal.

 

Suportara, sem mágoa, ingratidões e golpes,



Entretanto, cansara-se, por fim,

Queria agora a paz do Lar Celeste,

Sonhava entrar em fulgido jardim ...

Desejava esquecer a tristeza e a fadiga,

A poeira do mundo e a cinza do pesar,

Suplicava a Jesus lhe concedesse,

O caminho do Além e o dom de descansar.

Jesus, porém, um dia, veio e disse: –

Enquanto houver na Terra algum sinal de dor,

Estarei, entre os homens, trabalhando

Para a Bênção de Deus, em tarefas de amor.

 

Mas se queres partir, segue adiante,



Busca os sóis da Divina Primavera,

Construíste, lutaste, padeceste,

Conquistaste o repouso, a Paz te espera.”

Mas aquela que ouvira o Cristo Amado,

Não mais pensou no Céu, nem no Porvir,

E, se   seguindo a Jesus, achou na própria Terra

A alegria de amar e o prazer de servir.

 

Livro Recanto de Paz. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.


CAPÍTULO XIV

LAR  E  AMOR


Silva Ramos

 

O rapaz diz à noiva ao despedir-se em festa:



– Tenho outro afeto ... Adeus! ... Do tumulto da sala

A jovem se retira e, trêmula, sem fala,

Estraçalha num tiro a força que lhe resta.

 

A suicida no Além, lastima-se, protesta ...



Depois, casa-se o moço ... E, um dia, ao recordá-la,

A jovem torna a ele e, ao elo que os iguala,

Ele a retém no sonho e novo lar lhe empresta! ...

 

A companheira, em casa, a recebe por filha ...



Ela nasce trazendo a sombra em que se humilha,

Alma em restauração que a moléstia socorre ...

 

E o trio, em riso e pranto, a beijos de ternura,



Encontra a bendizer na dor em que se apura

A presença de Deus no amor que nunca morre ...

 

Livro Recanto de Paz. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.



CAPÍTULO XV

LIÇÃO  DE  FÉ


 

Maria Dolores

 

Coração, não te perturbes,



Se, em torno, há quem se desmande,

Se a luta surge tão grande,

Que tudo é aflição no ar...

Abraça os próprios deveres,

Acalma-te, serve e lida,

Que Deus, sustentando a vida,

Só nos pede confiar.

 

Olha os exemplos do campo,



Na noite de tempestade,

O solo é treva e ansiedade

Sob o granizo e bater;

Caem troncos, rolam penhas,

O raio quebra a montanha,

O lodo se desentranha,

É a gleba a se desfazer.

 

Escondem-se, furna em furna,



Os peregrinos da estrada,

Passarinhos na ramada

Lançam pios de oração;

Ouvem-se gritos selvagens,

É o vento brandindo o açoite,

Cortando as formas da noite

E uivando desolação.

 

Mas outro dia está pronto...



A madrugada vem vindo,

Um roseiral no céu lindo

É o jardim que o Sol produz;

O clarão cresce e se espalha,

A brisa afaga os caminhos,

Brilham copas, cantam ninhos,

Toda a Terra é um mar de luz.

 

Coração, assim também,



Depois da estrada de prova,

Eis que a vida se renova

Na esperança a ressurgir;

A bênção do amor renasce,

A alegria se proclama,

É Deus que te busca e chama

A novo e belo porvir.

Do livro Recanto de Paz. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.


CAPÍTULO XVI

MÃE


Narcisa Amália

 

O Espírito culpado em lágrimas vagueia,



O tempo é o mar de dor em que se perde agora

É um duende a gemer na lagoa que o devora,

Entre muros mentais, ergue a própria cadeia.

 

Quer voltar ao passado ... Implora, titubeia ...



Nisso, a idéia de Deus é faísca de aurora

A surgir-lhe no peito e o peito se lhe enflora,

Dá-se à luz da oração e a fé se lhe incendeia ...

 

A prece alcança o Azul e, às súbitas, se eleva,



Alguém volve cio Alto aos turbilhões da treva,

Afaga o sofredor, cansado e maltrapilho ...

 

E uma a de Deus, quando em sono profundo,



Abre os braços de Mãe para trazê-lo ao mundo,

Ele nasce e ela canta:

- “Ah! Meu filho!...meu filho!...”

 

Livro Recanto de Paz. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.



CAPÍTULO XVII

MEMÓRIAS  DA  VIDA


 

Na vida terrestre - arena

Em que se adestra conduta -

Descansar não vale a pena,

Somente vence que luta.

SILVIO FONTOURA   

 

 



Indiscutível verdade

Que a consciência me diz:

Disputar felicidade

É o que me fez infeliz.



BAPTISTA CEPELLOS

 

Não vale fugir da vida



Porque a vida é Deus em nós,

Conquanto lute em caminho

O rio chega na foz.

CHIQUITO DE MORAES

 

Pessoa sempre incontida



Que em tudo chora e reclama

Na morte, não muda a vida,

Apenas muda ele cama.

LAMARTINE BABO

 

 



Conheço a escola da Terra

E aprendi que entre os mortais

Quem aprende sofre muito

Mas quem foge sofre mais.



LULU PAROLA

 

 



A morte é ascensão de nível,

Amparo, libertação,

Se vem por força invisível,

Mas nunca por nossa mão.



ARNOLD SOUZA

 

 



Coragem não é morrer

Tentando fuga em caminho,

É persistir no dever

Morrendo devagarinho       



MARCELO GAMA

 

 



Nas lutas em que te feres,

Nas mágoas que vais curtindo,

Não grites, nem desesperes,

Trabalha que Deus vem vindo.



BENIGNA DA CUNHA

 

 



Não desprezes, nem censures

Quem na morte se complica,

Basta a mágoa de quem parte,

Chega o pranto de quem fica.



VIVITA CARTIER

 

 



Uma frase de bondade

Ligeira e singela embora

É uma estrela de esperança

Na escuridão de quem chora



MEIMEI

 

Coração que se renova



A servir e a trabalhar,

No dia angústia e prova

Não tem hora de chorar.

MARIANA LUZ

 

 



Tribulações de alma ta?...

Esquece fazendo o bem,

Deus é a Bondade Infinita,

Não desampara a ninguém.



AUTA DE SOUZA

 

Livro Recanto de Paz. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.


CAPÍTULO XIX

PASSADO  E  REENCARNAÇÃO


 

Caímos em desamparo

Quando fugimos do bem.

Reencarnação cobra caro

Os débitos que se tem.

MARCELO GAMA

 

 



A ligação se proclama,

Compromisso vem após.

Em lesando a quem nos ama,

Os lesados somos nós.



FRANKLIN DE ALMEIDA

 

 



Pela falta de cautela

Em nossas vidas passadas,

Temos nós na parentela

As dívidas mais pesadas.



OSCAR BATISTA

 

 



Nos elos do amor profundo,

Ao lado de quem se adora,

É que aparecera no mundo

Os desafetos de outrora.



MARIANA LUZ

 

 



O passado não existe

No entanto, seja onde for,

Todo débito persiste

À porta do devedor.



NOEL DE CARVALHO

 

 



 

Passado passou eu sei

Isso e verdade sabida,

Mas o débito é de lei

Com força de lei na vida.

ORMANDO CANDELÁRIA

 

 



Muito ódio do passado,

Na Terra, a vida consente

Que ressurja ao nosso lado,

Sob a forma de parente.



PEDRO SILVA

 

 



Progresso, em si, é uma escada,

Sublimação é a subida

Duramente conquistada

Nas lutas de vida em vida.



AUGUSTO COELHO

 

 



Cuidado, se alguém afastas

Dos laços em que se encanta;

Lavrador imprevidente,

Tira a erva e mata a planta.



BORIS FREIRE

 

 



Ante ofensas, não te rales,

É necessário abençoes,

Evitando muitos males

Que surgiriam depois.



LUCANO REIS

 

 



Sobre união desigual,

Não entres nessa questão;

Sabe Deus com cada qual

Deve estar o coração.



QUINTINO CUNHA

 

 



Reencarnação por socorro

Apaga culpas e penas,

Pode amanhã ser teu filho

Aquele que mais condenas.



BENIGNA DA CUNHA

 

 



Princípio que não se esquece

Nos Estatutos do Bem:

Quem não quer honrar os pais,

Não sabe honrar a ninguém.



JAKS ABOAB

 

 



Somas de treva e pesar,

Eis as vinganças que vi;

Não adianta odiar,

Reencarnação vem aí.



SILVEIRA CARVALHO

 

 



A vida corre perigo

Se a luz do perdão atrasa,

Reencarnação de inimigo

É fogo dentro de casa.



CORNÉLIO PIRES

 

 



Perdoa! ... Os ódios passados

Reencarnação traz de sobra;

Eu já vi muita galinha

Chocando ovo de cobra.



LAMARTENE BABO

 

 



Nos Tribunais da Justiça,

Perante crentes e ateus,

A lei da reencarnação

É o crediário de Deus.



JOSÉ ALBANO

 

Livro Recanto de Paz. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.



CAPÍTULO XX

PAZ


 

Emmanuel
 

Se provações te afligem,

Deus te concede Paz.

 

Se o cansaço te pesa,



Deus te sustenta a paz.

 

Se te falta a esperança,



De te acrescente a paz.

 

Se alguém te ofende ou fere,



Deus te renove em paz.

 

Sobre as trevas da noite,



O Céu fulgura em paz.

 

Ama, serve e confia.



Deus te mantém a paz.

Do livro Recanto de Paz. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.



CAPÍTULO XXI

PRECE  DE  ACEITAÇÃO


 

Maria Dolores

 

Se eu pudesse, Jesus,



Queria estar contigo

Para ser a esperança realizada

De quem vai pelo mundo, estrada a estrada,

Entre a necessidade e o desabrigo...

 

Desejava seguir-te, humildemente,



Sem méritos embora,

Para erguer-me em consolo de quem chora

Mostrando o coração enfermo e descontente.

 

Queria acompanhar-te nos recintos,



Onde a dor leciona e aperfeiçoa

A fim de ser conforto junto dela

E, manejando a frase terna e boa

Afirmar como a vida é grande e bela!...

 

Se pudesse, Senhor, conversaria com todas as crianças



Para dizer que não te cansas de criar alegria...

E seria feliz ao converter-me em modesto recado,

Informando, Jesus, a todos os velhinhos

Que nunca estão sozinhos, porque segues conosco, lado a lado...

Se dispusesse de recursos, queria ser a vela pequenina,

Acesa no clarão do sol que levas,

De modo a socorrer aos que jazem nas trevas,

Fugindo sem razão, da bondade Divina...

Entretanto, Senhor, sei das deficiências que carrego...

 

Venho a ti como estou, por isto mesmo rogo:



Não me deixes a sós por onde vou...

Se não posso, Jesus, ser bondade, socorro, paz e luz,

Toma-me o coração e, perdoando a minha imperfeição,

Esquece tudo o que meu sonho almeja e ensina-me Senhor,

Com o teu imenso amor, o que queres que eu seja.

 

Livro Recanto de Paz. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.


CAPÍTULO XXII

SENHOR, ENSINA-NOS


 

Emmanuel

 

Senhor!



Sabemos o que nos dizes.

Ensina-nos a escutar-te.

 

Conhecemos o caminho.



Ensina-nos a percorrê-lo.

 

Procuramos a paz.



Ensina-nos a descobri-la.

 

Possuímos o amor.



Ensina-nos a sublimá-lo.

 

Temos o trabalho.



Ensino-nos a servir.

 

Concedeste-nos a fé.



Ensina-nos a mantê-la.

 

Assimilamos a cultura.



Ensino-nos a iluminá-la.

 

Colhemos o beneficio.



Ensina-nos a plantá-lo.

 

Admiramos a humildade.



Ensina-nos a adquirí-la.

 

Medimos o tempo.



Ensina-nos a aproveitá-lo.

 

Retemos recursos.



Ensina-nos a distribuí-los.

 

Necessitamos da ordem.



Ensina-nos a guardá-la.

 

Ansiamos por mais luz.



Ensina-nos a estendê-la.

 

Senhor!



Onde estivermos, e com quem estivermos; sejam quais forem as nossas dificuldades e problemas; faze-nos reconhecer que somos Teus aprendizes!

Por acréscimo de misericórdia, não nos entregues a nós mesmos!

Renova-nos no que somos para que sejamos o que devemos ser, de acorda com os Teus Desígnios!

E seja qual for a tarefa em que a Tua Infinita Bondade nos situe, ensina-nos, Senhor, a compreender e amar, abençoar e servir contigo hoje e sempre.

 

Livro Recanto de Paz. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.



CAPÍTULO XXIII

TEMAS  DA  VIDA


 

Poder claro e incontroverso

E sábios que tenho visto

Para serem do Universo

Precisam passar por Cristo.

NOEL DE CARVALHO

 

 



Conforme as lutas da fé

Nas provas de crise e dor,

A dúvida de Tomé

Revela prova de amor.



SEBASTIÃO LASNEAU

 

 



Conheço na Humanidade

Tomés que foram ateus,

Conhecem toda a verdade

Mas nada querem com Deus.



JAKS ABOAB

 

 



Lei viva que se mantém

Mesmo que o mundo desabe:

Quem distribui sempre tem,

Quem conserva não se sabe.



FRANKLIN DE ALMEIDA

 

 



O Homem visto, no todo,

É um ser criando beleza,

Envolto em Divino Lodo

No claustro da Natureza.



MÚCIO TEIXEIRA

 

 



O Espírito Humano é um anjo,

Por mais se mostre em conflito,

Em gestação no Planeta

Para nascer no Infinito.



MARCELO GAMA

 

 



Se a crença em Deus te conforta,

Na provação dura e grave,

Não lhe arrebentes a porta

Da qual já te deu a chave.



CORNÉLIO PIRES

 

 



Verdade reconhecida

Que tão-somente, hoje sei:

De tudo o que há na vida

Cousa alguma foge à Lei.   

 LOURENÇO PRADO

 

 



O homem percebe a vida,

Estuda, corta, examina,

Mas sem Deus no coração

Não entende patavina.



MILTON DA CRUZ

 

 



Trabalhemos, lado a lado,

Servindo, seja onde for,

O tempo desperdiçado

É sempre um ponto de dor.



MEIMEI

 

Reparte do pão que tens



Sem recear o porvir.

Se desejas muitos bens

Aprende a distribuir.

MARIANA LUZ

 

 



O homem, criança que dorme,

Por entre glórias sem vê-las...

Está num berçário enorme

Todo cercado de estrelas.



LOPES SÁ

 

 



Quando no mundo, ante o Cristo,

Sempre tive em minha fé,

Muita lembrança de Pedro,

Muita causa de Tomé.



LAMARTINE BABO

 

 



Enquanto os homens, a fundo,

Fizerem ódio e pesar,

Progresso será no mundo

Constante recomeçar.



CASIMIRO CUNHA

 

 



Para as mentiras faustosas

Que a sombra põe nos caminhos,

O mundo prepara as rosas

Sem se esquecer dos espinhos.



OSCAR BATISTA

 

 



Caridade pelo visto,

Não é repouso ou regalo

Quem diz que pertence ao Cristo

Precisa continuá-lo.



JOSÉ ALBANO

Livro Recanto de Paz. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.



CAPÍTULO XXIV

tempo


Emmanuel

Alguém te prejudica?

Entrega o assunto ao tempo.

 

O orgulho te humilhou?



Deixa a resposta ao tempo.

 

De provações que sofras,



Aguarda a voz do tempo.

 

Recordações amargas?



Confia tudo ao tempo.

 

Olha o mundo em que vives.



O tempo tudo acerta.

 

Serve. Não percas tempo.



Todo tempo é de Deus.

 

Livro Recanto de Paz. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.



CAPÍTULO XXV

trovas  de  fé  e  razão


 

A fé quando não trabalha,

Apenas sonho de fé,

É flor que promete fruto

E morre linda no pé.

SEBASTIÃO LASNEAU

 

 



Razão e fé quando juntas,

Na luz do mundo interior,

Extinguem quaisquer perguntas

Para a conquista do amor.



SOUZA LOBO

 

 



Uma dupla que reclama

Caridade e disciplina:

Raciocínio que não ama,

Amor que não raciocina.



MARCELO GAMA

 

 



Conclusão incontestada

Que se revela tranqüila:

A razão iluminada

É a fé quando se burila.



ANTONIO DE CASTRO

 

 



O estilete da razão

Marca a senda em que te elevas,

Mas a fé cria a visão

Que vence o poder das trevas.



SILVEIRA CARVALHO

        

 

A fé que não se conhece



Em raciocínio profundo

É a queixa que imita a prece

E põe a boca no mundo.

SILVIO FONTOURA

 

 



A fé no amigo Mateus,

Sem qualquer ponta de agravo,

Dizia viver com Deus,

Trazendo um cachorro bravo.



CORNÉLIO PIRES

 

 



Duas feridas no Alem,

Qual mais dói não sei qual é:

Se a da morte sem razão,

Ou se a da morte sem fé.



ARNOLD SOUZA

 

 



A razão é sempre a vida

Em Plano Superior,

Mas só na fé se consegue

Uma tarefa de amor.



MEIMEI

 

 



Filho do meu coração,

Nas lutas por luz e paz,

Não te afastes da razão

Mas só na fé vencerás.



AUTA DE SOUZA

 

 



Para que não se degrade

Em sábios, crentes e ateus,

Tem nome de Caridade

A fé que nos leva a Deus.



CASIMIRO CUNHA

 

Livro Recanto de Paz. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.



CAPÍTULO XXVI

trovas  do  evangelho


 

Deus em tudo se apresenta ...

Quanto a nós, pensemos nisso.

Façamos a ferramenta

Que Deus nos dará serviço.

FRANKLIN DE ALMEIDA

 

 



Por mais sofras, serve e esquece

Não te detenhas na estrada.

Provação quando aparece

É uma bênção disfarçada.



MARCELO GAMA

 

 



Quem procura auxiliar

Sem ter migalha sequer,

Que não dê o que deseja,

Mas faça quanto puder.



MANUEL CARNEIRO

 

 



Caridade no azedume

Pelo sim ou pelo não,

Tem nove laços com Cristo

E um laço na obsessão.



LULU PAROLA

 

 



Coração, sê caridade,

Virtude, apoio, serviço,

Mas não caias na vaidade

Obsecado por isso.



CHIQUITO DE MORAES

 

 



Quem busca libertação

E nela se satisfaz,

Resolve toda questão

Nos alicerces da paz.



PEDRO SILVA

 

 



Dos milhões de seguidores

Das instruções de Jesus,

Muitos reclamam favores

Mas poucos querem a cruz.



JOAQUIM PEIXOTO

  

Quem prossegue com Jesus



Foge de angústia e pesar,

Nunca foge de servir,

Nem desiste de esperar.

BENIGNA DA CUNHA

 

 



Deus quer o bem sem demora,

É natural seja assim,

Embora nos trate a todos

Na paciência sem fim.



NOEL DE CARVALHO

 

 



Cumpre os mínimos encargos,

Onde o dever se levante;

À frente das leis de Deus,

Toda tarefa é importante.



ARLINDO COSTA

  

Coração quando se alteia,



Eleva, alegra e seduz,

Pessoa de cara feia

Não pode estar com Jesus.

CORNÉLIO PIRES

 

 



Cada palestra em Jesus

No trabalho em que te elevas

É sempre um jato de luz

Rompendo a força das trevas.



JAKS ABOAB

 

 



Reclamação é pecado?

Pode não ser mas não tanto,

O santo muito irritado

Não pode ser muito santo.



SILVIO FONTOURA

 

 



Jesus, através do tempo,

Vencendo as sombras do Mal

Pode encontrar detratores

Mas não encontra rival



MEIMEI

 

Livro Recanto de Paz. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.


CAPÍTULO XXVII

verdade  e  amor


 

Perante os Céus, a verdade

Não é fogo que se atiça.

Com Jesus, a caridade

É o coração da justiça.

MARCELO GAMA

 

 



Sonhos, planos, teorias:

Valores postos no ar ...

A verdade está no tempo,

O tempo é que vai contar.



SILVIO FONTOURA

 

 



Quem, conhecendo a verdade,

Ajuda e ama a quem erra,

Já começou a ser anjo

Embora viva na Terra.



JOSÉ DE CASTRO

 

 



Verdade que rege a todos

Por leis e efeitos exatos:

Cada pessoa recolhe

O fruto dos próprios atos.



LUIZ SÁ

 

 



Deus conhece em todo tempo

A verdade justa e certa

Mas nos deixa a cada um

O esforço da descoberta



DERALDO NEVILLE

 

 



Céu auxilia aos homens

Por esta dupla divina:

A verdade mostra a sombra,

O amor socorre e ilumina.



VIVITA CARTIER

 

 



Quando a verdade se veste

Na paz com que nos alcança,

Recorda orvalho celeste

Que nos alenta a esperança.



MEIMEI

 

 



Remédio da Humanidade

Com que Deus suprime a dor:

Uma gota de verdade

Em cada litro de amor.



LUCANO REIS

 

 



Bendita a palavra santa,

Que aponta o Sol do porvir,

Que surge, ampara, levanta

E apóia sem destruir.



BENIGNA DA CUNHA

 

 



Amor que a verdade feira

Com desenganos fatais,

Perdoa qualquer mentira

E espera servindo mais.



AMÉRICO FALCÃO

 

 



Disse Jesus: “a verdade

Todos livres nos fará ...”

Cada qual tem o seu dia,

Quem ama compreenderá.



AUTA DE SOUZA

 

 



Em verdade, o amor perfeito

É aquele afeto sem fim

Que nos conhece o defeito

Mas nos ama mesmo assim.



JESUS GONÇALVES

 

 



Verdade que vem do amor

Sempre a serviço do bem,

Ajuda em qualquer lugar,

Não atrapalha a ninguém.



CASIMIRO CUNHA

 

 



Quem busque paz sobre a Terra,

Note a lição de Jesus:

Ensino em luz de verdade,

Amor em forma de cruz.



JOSÉ ALBANO

 

Livro Recanto de Paz. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.







Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal