FundaçÃo getúlio vargas escola brasileira de administraçÃo pública e de emrpesas



Baixar 166.19 Kb.
Página2/6
Encontro21.07.2016
Tamanho166.19 Kb.
1   2   3   4   5   6

1.1 Dell Computers


A Dell foi escolhida por ser uma empresa de porte e sucesso mundial, além de possuir uma presença forte no Brasil e usar o marketing digital nas mídias sociais como parte integrante de sua estratégia. Foi fundada em 1984, baseando seu sistema de vendas em entregas personalizadas, diretamente aos consumidores, além da possibilidade do consumidor escolher a configuração que desejasse para seu computador. Com isso, o preço final dos computadores era mais competitivo e o modo de compra mais conveniente.

De acordo com informações encontradas no site www.dell.com.br, em novembro de 1999, a Dell Brasil instalava-se na cidade gaúcha de Eldorado do Sul, na grande Porto Alegre, para produzir notebooks e desktops. Dez anos depois, o investimento constante que fez no Brasil colocou-a no posto de número 1 em vendas para o Mercado Corporativo Brasileiro, segundo dados do IDC. Atualmente, a multinacional de tecnologia produz e comercializa mais de dez linhas de produtos, abrangendo desde o consumidor final até grandes corporações, incluindo os segmentos público, privado, pequenas e médias empresas.

A empresa foi uma das primeiras a ter uma loja online e, atualmente, possui uma das maiores operações online do mundo. Lutou por certo tempo para acabar com a imagem de fornecer computadores de baixa qualidade devido ao preço inferior aos de seus concorrentes. A saída foi investir em marketing e em uma assistência técnica pós-venda competente. E, como uma das bases para tal empreendimento, está o marketing digital realizado em várias mídias sociais. Seu caso de sucesso nas mídias sociais será estudado por este trabalho.




1.2 Problema

Como a Dell atua nas mídias sociais?



1.3 Objetivo Geral

Descrever as estratégias usadas pela Dell para gerenciar sua participação nas mídias sociais.



1.4 Objetivos específicos

Verificar as mídias sociais nas quais a Dell está presente; analisar as ações da empresas nas principais mídias em que está inserida; descobrir se ações nas mídias sociais obtêm êxito em realizar impactos significativos nas vendas da empresa; descobrir se ações nas mídias sociais têm impacto na imagem da empresa; descobrir como a empresa mensura os efeitos de suas ações.



2 REFERENCIAL TEÓRICO


Nesta parte do trabalho, serão apresentados os conceitos que foram utilizados, além de considerações sobre marketing, redes sociais e mídias sociais.




2.1 Internet e Marketing


A internet afetou profundamente as práticas de marketing. O marketing é uma função organizacional e um conjunto de processos que envolvem a criação, a comunicação e a entrega de valor para os clientes, bem como a administração do relacionamento com eles, de modo que beneficie a organização e seu público interessado (KOTLER e KELLER 2009). A mídia na Web afeta o marketing de uma empresa de diversas formas, seja na comunicação corporativa seja na publicidade.

De acordo com Torres (2009, p.61):
“A internet se tornou um ambiente que afeta o marketing de sua empresa de diversas formas, seja na comunicação corporativa seja na publicidade e continuará afetando o marketing mesmo que você não invista um centavo nela. Ao contrário da mídia tradicional, em que o controle é dos grupos empresariais, na Internet o controle é do consumidor. Assim, mesmo que você não participe dela, seus consumidores estão lá, falando sobre seus produtos e serviços, [...] buscando formas de se relacionar com sua marca.”
Complementando a idéia exposta acima, Kendzerski (2009, p.18), ao analisar o ambiente atual, afirma que “o que importa, hoje, é quem está mais bem preparado para conhecer, entender, respeitar e comunicar-se com as gerações de novos consumidores [...]”. Segundo Cipriani (2010), a internet quebrou barreiras físicas e tornou mais fácil e rápido o acesso à informação, aumentando, dessa forma, o poder de barganha dos clientes. As empresas, agora, fomentam a discussão em torno de seus produtos, podendo perceber as opiniões de grandes grupos no que diz respeito à sua marca, trazendo inovação e diferenciação para seus produtos.


2.2 Marketing Digital


Pode-se dizer que o conceito de Marketing Digital em si é simples, é todo o tipo de comunicação de marketing que utiliza canais em formato digital (LANGER, 2008). No entanto, é perceptível que a Internet é muito vasta e dispersa, e determinar onde e como investir pode ser uma tarefa difícil. É necessário um alto nível de coordenação para evitar desperdícios. Anúncios no Google, criar um site da empresa, criar um blog, estar presente nas redes sociais: essas possibilidades estão ao alcance de todos, selecioná-las irá requerer uma análise sistêmica e ampla.

Segundo McKenna (apud VIEIRA, 2004), existem cinco regras que o novo marketing deve seguir:



 

Regra

Significado

1

A estrutura digital muda tudo

O acesso direto leva ao aumento da individualidade e à fragmentação do mercado.

2

A fidelidade à marca desaparece

Há uma enorme variedade de produtos, preço e escolha têm um valor maior que a marca em si.

3

Redefine-se o conceito de imagem

A imagem vai originar-se menos dos meios de comunicação estáticos e mais das experiências interativas com os consumidores, que devem ser constantemente renovadas.

4

O cliente torna-se seu próprio “marketeiro”

Existe um novo tipo de cliente, e um novo tipo de relacionamento com o mesmo totalmente baseado no acesso, na interface, nos serviços incorporados e nos sistemas inteligentes de informações que operam por trás de tudo. Logo, é cada vez mais importante entender as atitudes do consumidor.

5

O marketing será centrado na tecnologia de informação

O marketing deve mudar seu foco na imagem para o foco na tecnologia da informação, dado à cada vez maior convergência entre empresas de software e agências de publicidade.

Tabela 1 – As 5 regras do novo Marketing

Fonte – McKenna (2000)

De acordo com Vieira (2004), essas novas regras transformam o marketing em um processo de aprendizado constante em que as empresas ganham conhecimento interagindo com os clientes e o mercado, e com isso consegue adaptar-se ao ambiente e competir à altura.

Segundo Torres (2009), existem três visões para o marketing digital. A primeira delas vê a Internet como um conglomerado de sites e tecnologias para serem utilizados de acordo com suas aplicações específicas, como por exemplo, o Google e Yahoo, sendo ferramentas de busca, Orkut e Facebook sendo sites de relacionamento onde as pessoas podem criar seus perfis, entrar em comunidades e criar redes de relacionamento com outras pessoas, e YouTube e Flickr, compartilhamento de vídeo e fotos respectivamente. A falha dessa visão centrada em sites é o fato de que ela não permite um entendimento mais profundo dos movimentos dos consumidores entre as diversas plataformas. O autor exemplifica essa falha usando como exemplo o Twitter, o qual é um site que permite interações curtas e rápidas, primeiramente criado com o objetivo de informar a seus amigos e contatos o que um determinado indivíduo está fazendo no momento. Todavia, os internautas que moldam os sites, não o contrário. Sendo assim, atualmente o Twitter tem centenas de aplicações não projetadas pelos seus criadores originais, mas incorporadas pelos seus "clientes". Um exemplo disso é o uso do Twitter pelas agências de notícias e jornais para fornecimento de notícias instantâneas.

A segunda visão não se fixa na tecnologia, mas sim nas atividades dos internautas, dividindo-as em mandar mensagens, baixar músicas, assistir a vídeos, etc. Contudo, ela também é uma visão limitada, pois usa uma abordagem muito simplista, definindo as pessoas pelas atividades que realizam e não considerando os motivos que as levaram a entrar em determinado site ou rede social. Essa falha é exemplificada com o chamado investimento “publieditorial”, mas para entendê-lo, deve-se primeiro definir alguns termos. Segundo Torres (2009), um blog é definido como uma plataforma que permite escrever e publicar qualquer tipo de conteúdo através de atualizações chamadas de artigos ou “posts”. Normalmente, há um foco e uma temática e podem ser classificados em blogs pessoais (onde indivíduos falam sobre si mesmos e seus interesses), blogs profissionais (onde pessoas ou grupos falam sobre assuntos que buscam desenvolver uma audiência grande e fiel, de modo a explorar o blog comercialmente) e blogs empresariais (onde empresas relacionam-se com comunidades, divulgando informações úteis e relacionadas ao negócio).

Retornando à temática anterior, o investimento “publieditorial” consiste em um post pago por uma empresa para que um blogueiro (dono de um blog) conceituado fale bem de seu produto. Por mais que esse blog tenha milhões de leitores, é incorreto afirmar que o dono do blog tenha de fato influência sobre todos eles a ponto de moldar suas intenções de compra.

A última visão para o marketing digital, e a apontada como mais ampla e correta, mostra o comportamento do consumidor, suas intenções, seus desejos e necessidades como os aspectos que devem ser levados em consideração. Essa visão fornece as quatro atividades básicas das pessoas quando utilizam a Internet: relacionamento, informação, comunicação e diversão. Ao considerar esses quatro comportamentos do consumidor, é possível ter uma maior eficiência na análise das motivações dos internautas.

É dessa visão que se desencadeia o modelo do marketing digital completo, o qual é composto por sete ações estratégicas interdependentes que devem possuir um alto grau de coordenação: Marketing de Conteúdo, o qual foca no planejamento, criação e publicação de conteúdo em um determinado site, de modo a deixá-lo mais visível na Internet e mais atraente ao possível consumidor; Marketing nas Mídias Sociais, consistindo em uma ação voltada para as Mídias Sociais (ex: YouTube, Orkut, Twitter); Marketing Viral, focada na disseminação de uma mensagem de marketing online, a qual devido às volumosas redes de relacionamento, é espalhada como um vírus; E-mail Marketing, que engloba o uso do e-mail como uma ferramenta de marketing direto; Pesquisa Online, que aproveita a característica de persistência da Internet (o que é escrito ou publicado nela, lá permanece) e permite pesquisas mais elaboradas e baratas do que métodos convencionais, como entrevistas; Publicidade Online, consiste na publicação de anúncios em sites, utilizando diversas ferramentas (ex: banners), e por fim, Monitoramento, que enfatiza a verificação dos resultados de todas as outras ações estratégicas, táticas e operacionais.

De acordo com Kendzerski (2009, p.24) as principais estratégias de marketing digital utilizadas pelas empresas de hoje visam a “posicionar o site de forma eficiente nos mecanismos de busca, criar ações de relacionamento com seu público alvo, desenvolver campanhas de comunicação digital, transformar a empresa numa marca “forte” no ambiente WEB, ampliar os negócios da empresa.” Dentro do aspecto que diz respeito à formulação de estratégias de marketing, os “4 Ps” (Preço, Produto, Praça e Promoção), usados para o desenvolvimento de alternativas tradicionais, agora, precisam agir de forma conjunta com a Metodologia 3C, a qual engloba Comunidades, Comunicação e Comércio. Essa metodologia fornece uma ponte entre o meio “online” e “offline” (KENDZERSKI 2009). Essa metodologia consiste em uma estratégia de negócio usada por empresas em projetos online, no entanto, não prega o abandono dos “4Ps”, mas sim a adição desses novos alvos (Comunidades, Comunicação e Comércio), visto que as práticas tradicionais não se encaixam completamente nos novos requisitos do marketing digital.

Kendzerski (2009) estabelece que as Comunidades segmentam o publico alvo, tornando mais fácil para as empresas perceberem as preferências de seus clientes. Quanto mais segmentada for a comunidade, maior será a chance de sucesso da empresa, pois a personalização da informação será mais eficiente.

A Comunicação também é importante, porque proporciona um canal direto entre a empresa e seus clientes, sendo isso muito valorizado pelo novo perfil de compradores. “A definição de formatos, tipo de informação a transmitir e principalmente a periodicidade são fundamentais para o sucesso.” (KENDZERSKI, 2009, p.43).

Por fim, o Comércio é mencionado uma vez que “sempre que uma empresa consegue implantar uma estratégia digital eficiente, baseada na Metodologia 3C, ela amplia as oportunidades de negócios e obtém resultados excelentes para a área comercial.” (KENDZERSKI, 2009, p.43).

É importante perceber que o consumidor e seus desejos continuam os mesmos, são os meios de atingi-los que se transformam de acordo com a evolução da sociedade. Neste trabalho, foi dada uma ênfase maior às ações nas redes e mídias sociais.


Catálogo: sites
sites -> Lei n. º 796, de 05 de Maio de 1999
sites -> Contabilidade financeira, contabilidade de custos e contabilidade gerencial
sites -> Carta 389 Estado/Cidade
sites -> Projeto Nacional phpb-equipe Regional de São Paulo
sites -> Secretaria de estado da fazenda diretoria de contabilidade geral
sites -> Universidade Federal Rural de Pernambuco Superintendência de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas
sites -> Estudo do plano nacional pela primeira infância contribuições das Instituições de Educação Infantil do Município de Sorocaba
sites -> Esclarecimentos solicitados por licitantes sobre o pregão presencial d-075/2010
sites -> Forum sobre Agricultura Familiar e Segurança Alimentar na cplp contribuições recebidas
sites -> Psicologia Analítica no Brasil, contribuições para a sua história


Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal