FundamentaçÃo da atribuiçÃo de reumeritus 2008



Baixar 6.42 Kb.
Encontro19.07.2016
Tamanho6.42 Kb.
FUNDAMENTAÇÃO DA ATRIBUIÇÃO DE REUMERITUS

2008

Professor Bernard AMOR

O Professor Bernard Amor nasceu em Argel em 1929 e terminou os estudos de Medicina em 1954. Fez a sua carreira médica nos Hospitais de Paris, onde foi Director de pesquisa das doenças osteo-articulares, Director do Serviço de reabilitação e depois do Serviço de Clínica de Reumatologia, no Hospital Cochin. Já aposentado, foi Presidente da UEMS (União Europeia de Médicos Especialistas.

Os seus trabalhos científicos mais relevantes foram os relacionados com a patogénese da Síndroma de Reiter e artrites reactivas, levando ao isolamento serológico de chlamydia e mycoplama e reprodução experimental da doença em ratos e macacos. Descreveu o reumatismo por deposição de cristais de hidroxipatite e as artropatias destrutivas da condrocalcinose. Estudou inúmeros fármacos modificadores da artrite reumatóide, trabalhou na patogénese das doenças difusas do tecido conjuntivo e da artrite reumatóide. No final da carreira interessou-se sobre a osteoporose e sobretudo a osteoartrose.

No entanto, aquilo por que mais o conhecemos foi pelo notável trabalho desempenhado como Director do Serviço de Clínica Reumatológica do Hospital Cochin (Serviço B), com mais de 30 camas de internamento, sector para investigação clínica e ensino universitário, onde acolheu durante a década de 90 cerca de 10 médicos portugueses, na altura internos de especialidade, que com ele escolheram passar entre três a seis meses do seu Internato.

Personalidade forte e respeitada, ficava sempre para ele a última palavra. Infatigável, trabalhava muitos dias entre as oito da manhã e as dez da noite, fazendo uma frugal refeição ao meio do dia em que bebia água e comia queijo, enquanto adiantava algum trabalho para publicação. Não perdia uma oportunidade para ensinar, nas suas consultas especiais que duravam toda a tarde e em que nunca havia pressa ou nas revisões dos processos dos doentes com alta na manhã de sábado. Muito exigente, também sabia respeitar a nossa opinião diagnóstica ou terapêutica, dando-nos por vezes uma importância em relação aos seus internos e Chefes de Clínica que nos deixavam até embaraçados. A sua atitude para com o ensino e o trabalho era tal que, das poucas vezes que perdi um fim-de-semana para me deslocar para vir a Portugal, não se conteve na semana seguinte deixando escapar: “sabe, a reunião do último sábado foi uma das melhores de sempre…”.

Sem querer parecer injusto e porque a nossa disponibilidade para aprender era enorme, foi sem dúvida o período em que mais rapidamente aprendemos Reumatologia, até porque no Serviço do Professor Amor o ensino era a preocupação dominante.

Por isso, pelo médico excelente que ainda é, pelo que ensinou a esse punhado de portugueses que têm vindo a assumir posições de destaque na Reumatologia nacional e pela contribuição que teve, ao nível individual e colectivo, para o desenvolvimento da Especialidade, não restam quaisquer dúvidas que o Professor Bernard Amor é merecedor deste mais elevado galardão atribuído pela Sociedade Portuguesa de Reumatologia.

Vilamoura, 2 de Abril de 2008 (no XIV Congresso Português de Reumatologia)

Rui André



Presidente–Eleito da S. P. R.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal