Gabarito Capítulo 09 Módulo I (p. 137)



Baixar 16.27 Kb.
Encontro06.08.2016
Tamanho16.27 Kb.
Gabarito Capítulo 09

Módulo I (p. 137)

Documentos

1 - O Estado era o órgão supremo da nação, ao qual todos os cidadãos e todos os poderes deveriam estar subordinados. Ao se referir aos imortais princípios de 1789, Mussolini se referia ao lema iluminista de liberdade, igualdade e fraternidade. Para ele, esses princípios seriam definitivamente superados pelo Estado fascista. O chefe do Estado fascista é a autoridade máxima, absoluta e inquestionável; por isso o cartaz traz a afirmação “Mussolini tem sempre razão”. Autarquia significa governo próprio, autonomia máxima, mas, no cartaz, tem o sentido de autocracia, governo exercido por um só homem ou um grupo de homens sem responsabilidade perante um eleitorado ou qualquer outro corpo político e sem restrições legais. O Estado fascista foi uma autocracia.

2 - Não, muitas pessoas foram coagidas a aderir ao fascismo. Aqueles que resistiam eram considerados “pessoas contaminadas”, isto é, contra o governo, e, portanto, deveriam ser afastadas ou mesmo eliminadas. È antidemocrática a atitude do prefeito por desrespeitar a opinião e a opção política de Piscitello e por ameaçá-lo com a demissão se não se inscrevesse no fascismo.
Atividades

1 - Livre. Manter coerência na resposta.

2 - Nacionalismo extremo ou ultranacionalismo; supremacia do Estado sobre a sociedade, autocracia, ditadura monopartidária, censura à imprensa, proibição das greves, limitação dos poderes do Legislativo, antidemocrático, antiliberal, anticomunista podem ser apontadas como características do fascismo.
Módulo II (p. 139)

Documentos

1 - A tela transmite a idéia de desordem geral e de antagonismos. Ao fundo, à esquerda, um prédio pega fogo sem que nenhuma das figuras se preocupe com isso. O juiz cego ergue os braços para o vazio e dá as costas ao militar com fisionomia enfurecida, parecendo pronto para o ataque - uma clara alusão de que a justiça e a força policial-militar não estavam juntas. Indiferentes a essa situação, os políticos se agarram aos “seus bens”: os jornais e a pena ( a imprensa e a lei), os livros ( a teoria política), a espada e a bebida (a força militar e a loucura ou insensatez). A figura nazista é a mais militarista, tem uma espada na mão direita para a qual dirige o olhar e de sua cabeça sai a imagem de um soldado a cavalo. Portanto, segundo o artista, a sociedade alemã naqueles anos de 1920 estava assentada em pilares não confiáveis e perigosos: um exército truculento e arbitrário, uma justiça cega e políticos fracos ou enlouquecidos. Ao contrário dos democratas e dos liberais, os nazistas não toleravam qualquer crítica às sua idéias e atitudes, e por isso, ao assumirem o poder, condenaram obras como essa tela de George Grosz.

2 - O cartaz faz a propaganda de Hitler, a “última esperança” do povo alemão para sair da grave recessão em que estava vivendo, especialmente do desemprego - por isso a tristeza em seu rosto. Os nazistas prometiam recuperar a economia do país, dar trabalho aos desempregados e fortalecer o povo alemão, que consideravam como a “raça superior”.

3 - No ano de 1930, os nazistas tiveram um enorme aumento do número de filiados, superando os índices de outros anos. Esse crescimento se explica pela crise em que o país mergulhou naquele ano com a saída maciça de capitais americanos que levou à falência bancos e indústrias e ao desemprego milhões de alemães.

4 - O nazistas chamavam de “espaço vital” o território da Grande Alemanha, onde se reuniriam todos os alemães. Entendiam por cidadão alemão aquele que possuía sangue alemão, isto é, a noção de cidadania dos nazistas era racial, o que excluía os judeus.


Atividades

1 - As crises que a Alemanha sofreu (no pós-guerra e nos anos de 1930) abalaram a confiança do povo alemão nas instituições políticas e na democracia. Em sua pregações, os nazistas estimulavam o orgulho nacional dos alemães, prometendo acabar com suas dificuldades e recuperar a economia do país.

2 - A falarem em “um povo, os nazistas se referiam unicamente aos alemães, a “raça superior”, e excluíam todos os outros povos e culturas, considerando “inferiores” - o que denota o racismo dessa doutrina. Por “um império” entediam a Grande Alemanha, um território a ser conquistado para o povo alemão - o que revela o espírito expansionista do nazismo. Exaltando “um guia”, o lema valoriza o poder absoluto de um único chefe, o que demonstra o ideal antidemocrático dos nazistas.

3 - Ambas as doutrinas eram antidemocráticas, ditatoriais , ultranacionalistas, antiliberais, anticomunistas, monopartidários e exaltavam a supremacia do Estado. Diferenciavam-nas o racismo e o ódio ao judeu expresso pelo nazismo ( noção de cidadania alemã).


Módulo III (p.141)

Documentos

1 - Mussolini era socialista quando jovem e chegou a dirigir o jornal socialista Avanti!. Mas acabou sendo expulso do partido por discordar do neutralismo defendido pelos socialistas. Transformou-se num anticomunista lutando contra socialistas, sindicalistas, grevistas e invasores de terras - o que o tornou um aliado da burguesia e dos grandes proprietários.

2 - A multidão reunida para ouvir Mussolini (embaixo, em um palanque) formando a palavra Dux (chefe) em dimensão gigantesca é uma cena que simboliza a nação reunida sob o poder do Estado fascista. Manifestações desse tipo eram uma demonstração pública da força do fascismo que causavam admiração e medo à população.

3 - Os partidos nazista e fascista nasceram praticamente na mesma época (1920 - 21), mas tiveram um ritmo de crescimento diferente. Em pouco tempo, os fascistas chegaram ao poder na Itália. Em 1923, enquanto Hitler estava preso depois de uma tentativa frustrada de golpe de Estado, Mussolini já era primeiro-ministro na Itália. Hitler ainda levaria dez anos para chegar a ser nomeado chanceler na Alemanha.

4 - Os nazistas festejam a nomeação de Hitler como chanceler (primeiro-ministro) da Alemanha, cargo que lhe dava a direção política do país. Isso foi possível porque na eleições de 1932 os nazistas obtiveram uma votação expressiva. Os braços erguidos da multidão que assiste à parada são gestos de saudação a Hitler, que breve se tornaria o chefe único, o Fürher, do Estado nazista.


Módulo IV (p.143)

Documentos

1 - Não. De acordo com o documento, Lênin considerava Stalin um homem violento e caprichoso, o que era inaceitável para a função de secretário-geral do Partido Comunista, o mais alto cargo do regime soviético. Lênin gozava de enorme prestígio e respeito junto ao povo russo, que o venerava como líder e obedecia suas palavras como ordens. Se viesse a público que Lênin desaprovava Stalin como secretário-geral, seria muito difícil que este se mantivesse no poder. Daí as notas de Lênin ditadas poucos antes de sua morte terem sido mantidas em segredo durante todo o período stalinista. O cartaz é uma propaganda stalinista que procurava passar a idéia de Stalin como o líder natural para suceder Lênin, aprovado por este e pela população - exatamente o oposto do que revelam as notas.

2 - Não Enquanto a produção industrial apresentou um intenso crescimento (evidenciado pelo aumento da produção de carvão, aço e eletricidade), a produção rural teve uma forte queda por volta de 1932, ano em que a coletivização das terras chegou a 53% do total, recuperando-se um pouco em 1940. O resultado disso foi uma evolução econômica desequilibrada: a URSS se industrializava, mas faltavam alimentos para a população.

3 - O cartaz transmite a idéia de cooperação entre os trabalhadores de diferentes setores da economia soviética. O camponês e o operário parecem seguros e satisfeitos com seus trabalhos. Seus corpos são vigorosos, dando a idéia de uma produção abundante que garante um bom padrão de vida à população. Contudo, o cartaz omite a queda da produção agrícola, a resistência da população rural à coletivização das terras, a proibição das greves, a rigorosa vigilância sobre o trabalho dos operários e a repressão policial contra os opositores do regime comunista.
Atividades

1 - Intervenção do Estado na economia;

- plenos poderes concentrados no chefe do Estado;

- forte repressão policial aos opositores;

- planejamento da economia;

- desenvolvimento rápido da indústria pesada;

- coletivização das terras.

2 - O principal objetivo econômico de Stalin era dotar a URSS de uma poderosa indústria de base e de grandes obras como hidrelétricas e ferrovias. Para isso, implantou a partir de 1928 os planos qüinqüenais, um planejamento racional da economia que estabelecia as metas e os meios para um prazo de cinco anos, visando o desenvolvimento econômico do país.


Módulo V (p. 145)

Documento

As imagens mostram claramente três características do totalitarismo: o controle da sociedade pelo Estado (imagens A, B e D), antiliberalismo (A e D), a intervenção do Estado na economia (C e E) e o culto ao Estado e ao chefe (E). Para controlar a sociedade, o Estado totalitário se vale da educação, da propaganda, das manifestações coletivas, da censura e da emoção.
Atividades

1 - São regimes semelhantes porque têm em comum o culto ao Estado e ao chefe, o antiliberalismo, a oposição à democracia, e o controle da sociedade pelo Estado.



2 - O nazismo e o fascismo são ultranacionalistas e anticomunistas e se opõem ao stalinismo, que é internacionalista e comunista. O nazismo distingue-se pelo racismo e o anti-semitismo.

3 - Livre. Mantenha a coerência.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal