Generalidades



Baixar 23.53 Kb.
Encontro24.07.2016
Tamanho23.53 Kb.
MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO
GENERALIDADES:

O presente memorial, destina-se fornecer informações dos principais serviços e materiais utilizados na construção de uma Casa de Farinha com capacidade para beneficiar 3000 Kg de Mandioca/dia


CASA DE FARINHA – PRODUÇÃO DE FARINHA DE MANDIOCA
01 – Nome da Empresa:
______________________________________CNPJ/ CPF______________________

02 – Localização do estabelecimento:

___________________________________________________________
TEL:________________________e-mail______________________
03 – Natureza do estabelecimento:

Agroindústria de Beneficiamento de Mandioca


04 – Responsável técnico:
____________________________________________CREA nº____________

05 – Área do terreno:

A área do terreno será de aproximadamente ___1000(*)_______ m².

06 – Área construída:

Agroindústria........................................................................130,95 m²

Vestiário............................................................................... 17,50 m²

Totais................................................................................... 148,45 m²

(*)-Área mínima

07 – Área útil da indústria:

Recepção 1 e 2 ................................................................... 46,32 m²

Sala de processamento ..................................................... 48,90 m²

Depósito / expedição.......................................................... 13,80 m²

Depósito de Lenha e cobertura das fornalhas.................... 21,93 m²

Área útil (total)................................................................... 130,95 m²


08 – Recuo do alinhamento:

O recuo do alinhamento do prédio industrial com relação à cerca/alambrado, ou qualquer outra benfeitoria é de aproximadamente 30,00 metros.

09 – Tempo provável para execução da obra:

O prazo de execução das obras civis será de aproximadamente _____ dias.


10- ESPECIFICAÇÃO DOS MATERIAIS E SERVIÇOS


  1. Materiais: Todos os materiais a serem empregados na obra, deverão ser de primeira qualidade, satisfazendo todas as exigências das Normas Técnicas sobre o assunto.

  2. Serviços: Todos os serviços necessários para a execução da obra, obedecerão fielmente ás determinações do responsável técnico.

B 1. Movimento de Terra: serão executados serviços de corte e aterro deixando uma declividade de 1,5% no sentido das águas e escavações manuais no solo já devidamente marcado. Serão abertas valas com seção de 30 X 60 cm e serão escavados os locais onde serão locadas as sapatas, nas dimensões especificadas em planta. As sapatas deverão estar assentadas em solo firme de resistência inferior à  = 1,0 Kg/ cm² . Em situações adversas, como solo de baixa capacidade de suporte, deverão ser adotados outros tipos de elementos estruturais para as fundações (estacas Strauss ou Broca).

B 2. Vigas de Fundação (Baldrames): sobre o concreto ciclópico nivelado e blocos de coroamento, serão executas as vigas baldrames, que serão de concreto armado, fck = 15 Mpa, com armaduras longitudinal e transversal, conforme projeto estrutural específico.

B 3. Impermeabilização: sobre as vigas da fundação (baldrames), serão executadas duas camadas com hidro-asfalto, sendo uma no sentido longitudinal e outra no sentido transversal.

B 4. Supra –Estrutura:

B 4.1 ) Cintamento: Será executado o cintamento em toda a alvenaria, obedecendo sempre, o projeto estrutural específico,. O cintamento será executado com armadura especificada no projeto estrutural, devendo seguir rigorosamente as especificações da ABNT – NBR 6120/ NBR 5627 / NBR 7480 / EB-565/78 .

B 5- Alvenarias : Serão utilizados tijolos cerâmicos de 6 ou 8 furos que atendam as seguintes especificações : 20 x 20 x 10 cm . O traço empregado no assentamento da alvenaria, será 1:2:8 (cimento – cal –areia). As fiadas deverão estar perfeitamente alinhadas e prumadas.

As juntas deverão apresentar espessura máxima de 15 mm , sendo reguladas à ponta de colher. Todas as superfícies de concreto em contato com alvenaria deverão ser previamente chapiscadas com argamassa de cimento e areia, traço 1:3 (cimento – areia).



B 5.1-Peitoris

Todos os peitoris das janelas da fábrica são cortados em ângulo de 45º para a parte interna, revestidos com azulejo. Na parte externa será usado cerâmica com pingadeira, com 5% de inclinação.


B 6 – Forro : Laje de concreto pré-moldado apenas no depósito/expedição o restante da agroindústria não terá forro, na sala de processamento a estrutura do telhado será metálica com perfil tubular e longarinas em “U” pé direito de 4,0 m ,

B 6.1- Laje Pré-moldada: será usada somente na expedição, sede administrativa banheiro e vestiário.
B 7 – Cobertura : A cobertura será executada com estrutura em madeira aparelhada ( nas quatro faces, com madeira perfeitamente seca, e,cobertura em telhas cerâmica.
B 8 – Esquadrias : As janelas serão todas metálicas do tipo basculante .. As portas de acesso a sala de processamento deverão possuir em sua porção externa portas de tela com sistema de fechamento automático (mola) e todas as janelas das referidas salas também deverão possuir quadro de telas de fácil remoção (facilitar a limpeza)

B 9 – Revestimento : Os revestimentos empregados na obra serão os seguintes:

-Paredes Externas : Será utilizado revestimento com chapisco emboço e reboco.

O chapisco será executado com argamassa de cimento e areia, no traço 1:3, com espessura de aproximadamente 5 mm.

O emboço será executado em argamassa de cimento, cal e areia no traço de 1:2:oito.

Após a cura do emboço, deverá ser executada a limpeza das paredes (retirada de material pulverulento), e, molhar as paredes, para dar início ao reboco, que deverá ser executado com argamassa de cimento, cal e areia fina, no traço de 5:2:6, com espessura não superior à 5 mm.

Paredes Internas: Será utilizado revestimento com chapisco, emboço perfeitamente aplainadas e em todos os compartimentos.



a)Azulejos: liso de cor clara serão aplicados até uma altura de 2,0 m no banheiro e vestiário.

B 10 Pavimentação:

a) Contrapiso de concreto:

O contrapiso será executado em concreto magro, desempenado e regulado, com espessura de 10cm.



b)- Piso Frio:

Nos vestiários com cerâmica industrial ou cimento alisado.



c) - Piso nas dependência da indústria:

O piso da fábrica será revestido somente com cimento de alta resistência ( Korodur) alisado. Opcionalmente poderá ser em cerâmica industrial ou pedra basalto rejuntado com cimento antiácido.



d) – Paralelepípedos regulares:

A área de circulação e/ou pátio da usina será em paralelepípedos regulares, com caimento de 2% para condução das águas pluviais.


B 11. Pinturas: A pintura externa será executada com uma demão de selador. E após, duas demãos de tinta acrílica branca.

A pintura interna será executada com uma demão de selador e duas demãos de tinta acrílica branca.

As esquadrias de ferro serão pintadas com esmalte sintético, sobre fundo antioxidante (zarcão). As esquadrias deverão ser previamente lixadas, de modo a retirar todo e qualquer material que possa prejudicar ou criar foco de corrosão futura.

B 12. Vidros: Serão empregados vidros lisos espessura de 3,0 mm em todas as janelas, apenas no óculo de saída.

B 13. CERCA:

O terreno deverá ser cercado nos limites da área industrial.



B 14 . Instalações Hidro-Sanitárias: Serão executadas de acordo com o projeto específico. O tratamento dos dejetos será feito conforme projeto em anexo (memorial econômico sanitário)

B 14.1 - Reservatório de água

Um reservatório de água, a nível elevado, executado em alvenaria, metálico ou fibrocimento, com capacidade para 5.000 litros.



B15 . Instalações Elétricas: será todo externo, com a utilização de eletrodutos de PVC fixados nas paredes por meio de abraçadeiras com interruptores e tomadas de sobrepor de acordo com as normas da concessionária local.

CONCLUSÃO:

Estará em condições da obra ser entregue, quando fiscalizada pelo órgão competente.


______________________________________

PROPRIETÁRIO.

___________________________________________



RESPONSÁVEL TÉCNICO
___________________,de_________________de 2008
Catálogo: sitemda -> sites -> sitemda -> files -> user arquivos 64
user arquivos 64 -> Universidade estadual paulista campus botucatu
user arquivos 64 -> O agronegócio Familiar no Brasil e nos seus Estados: a contribuição a Agricultura Familiar para a Riqueza Nacional
user arquivos 64 -> Programa de Agroindustrialização da Produção da Agricultura Familiar manual de orientaçÕes sobre formas associativas e redes de agroindústrias da agricultura familiar
user arquivos 64 -> Generalidades
user arquivos 64 -> Generalidades
user arquivos 64 -> Generalidades
user arquivos 64 -> Secretaria da agricultura familiar
user arquivos 64 -> LÓgicas socioculturais e estratégias produtivas no assentamento menina dos olhos dos sem-terra marcos Botton Piccin
user arquivos 64 -> Ministério do Desenvolvimento Agrário Secretaria da Agricultura Familiar Departamento de Assistência Técnica e Extensão Rural política nacional de assistência técnica e extensão rural brasília, novembro 2007
user arquivos 64 -> Programa de agroindustrializaçÃo da produçÃo da agricultura familiar – saf/mda sugestão de regulamento de inspeçÃo industrial e sanitária de produtos de origem animal para serviços de inspeçÃo municipais elaboração


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal