História  questões de 51 a 60



Baixar 33.97 Kb.
Encontro27.07.2016
Tamanho33.97 Kb.

2o PROCESSO SELETIVO2002 – CGE – GAB. 1 2o DIA

HISTÓRIA  QUESTÕES DE 51 A 60

51. A Guerra do Paraguai, chamada pelos paraguaios de “Guerra Grande”, vem merecendo vários estudos, tanto de escritores brasileiros quanto de escritores dos demais países que se envolveram no conflito. Novas pesquisas históricas têm evidenciado informações que exigem revisão das antigas interpretações.


Sobre a Guerra do Paraguai, é INCORRETO afirmar que:
a) a livre navegação na Bacia Platina, estratégica para os países envolvidos no conflito, estava ameaçada pela instabilidade política uruguaia.

b) o tratado da Tríplice Aliança, celebrado entre Brasil, Argentina e Uruguai, visava ver restauradas a autoridade e a autonomia do governo paraguaio.

c) o desenvolvimento econômico do Paraguai, no século XIX, ameaçava os interesses ingleses e a possível expansão, pela região platina, de países como Brasil e Argentina.

d) o Brasil e a Argentina conquistaram algumas fatias de terra, mas tornaram-se mais dependentes do capitalismo inglês, principalmente do Banco de Rothschild, acumulando uma dívida enorme.

e) o extermínio do povo paraguaio, nesta guerra, explica em muito as características do país nos dias atuais, como a dependência financeira e o exíguo desenvolvimento industrial.

52. Das alternativas abaixo, aquela que diz respeito à modificação das relações entre a Metrópole e a Colônia, a partir da transferência da família real para o Brasil, em 1808, é:


a) a diminuição das tarifas dos impostos, já que a presença da Corte portuguesa na Colônia reduzia os seus custos de administração.

b) a repartição do território brasileiro em 15 capitanias, o que modificou a forma de poder da Coroa portuguesa.

c) a abertura dos portos às nações amigas, que interrompeu uma proibição que perdurou 300 anos.

d) a criação de uma política agrícola, com o objetivo de incentivar a produção de alimentos destinados ao mercado interno.

e) a diminuição da desigualdade regional, o que pôs fim a diversas revoltas sociais, principalmente na região Nordeste.

53. A presença holandesa no Brasil, a partir de 1650, apresentou algumas semelhanças e algumas diferenças, se comparada com a colonização portuguesa. Das alternativas abaixo, aquela que NÃO corresponde à presença holandesa é:


a) A política de tolerância aplicada por Nassau significou igualdade perante a lei para todos, garantia de vida e de posse de terras, isenção do serviço militar e liberdade religiosa.

b) A valorização das atividades artísticas e culturais no governo de Maurício de Nassau trouxe para o Brasil vários estudiosos e artistas europeus, que retrataram e estudaram a vida e a paisagem brasileira.

c) O incentivo à produção açucareira se deu por meio de empréstimos da Companhia das Índias Ocidentais, o que permitiu a recuperação das lavouras, o reaparelhamento dos engenhos e a compra de escravos.

d) A ocupação holandesa se deu em toda a costa nordestina, da Bahia ao que é hoje o Rio Grande do Norte, sendo rejeitada, todo o tempo, pela população luso-brasileira incluindo os senhores de engenho.

e) O embelezamento e saneamento urbano da cidade de Recife, chamada de capital da Nova Holanda, se fez com construções vultosas como ruas, pontes, os palácios de Torres e Boa Vista, um zoológico e um observatório astronômico.

54. Sobre as comunas medievais entre os séculos XI e XIII, é INCORRETO afirmar que:


a) favoreciam o poder arbitrário que os senhores, laicos ou eclesiásticos, exerciam sobre as cidades e feudos.

b) baseavam-se, inicialmente, em princípios igualitários contra a ideologia dominante das três ordens providenciais.

c) apoiavam a emancipação das cidades e a autonomia administrativa, limitando a arbitrariedade dos domínios senhoriais.

d) originaram-se da expansão econômica e comercial, que provocou um aumento do número de comerciantes e artesãos.

e) surgiram da necessidade de combater as ações de cobranças abusivas de obrigações e exações por parte da nobreza.

55. A respeito do processo de declínio do Império Romano do Ocidente entre os séculos III e V, marque (V) para as afirmativas VERDADEIRAS e (F) para as afirmativas FALSAS.




( )

Com o fim das conquistas romanas houve uma considerável escassez de mão-de-obra cativa que abalou as estruturas da economia escravista, culminando ainda com a crise de produção de alimentos e metais.




( )

As sucessivas disputas pelo poder e a corrupção dos políticos romanos destruíram os valores tradicionais de respeito à hierarquia militar e política.




( )

A desestabilização econômica, com a substituição do escravismo pelo colonato, provocou uma retirada dos grandes proprietários de terra para cidade, ocasionando uma reestruturação comercial urbana.




( )

No intuito de proteger as fronteiras e controlar as províncias romanas, o governo utilizou um grande contingente militar, provocando um aumento de despesas para o Estado.




( )

As pressões exercidas pelos povos germânicos nas fronteiras e a possibilidade de ocupação das terras romanas aceleraram o processo de desintegração do Império.

Assinale a seqüência CORRETA:


a) F – V – F – V – F

b) V – V – F – V – V

c) V – F – V – F – V

d) F – F – V – F – F

e) V – V – F – V – F
56. Sobre a relação dos EUA e a América Latina, a partir do século XX, é INCORRETO dizer que:
a) os governos latino-americanos, ao longo do século XX, eram identificados pelos EUA como “frágeis democracias” e foram depostos com intensas manifestações populares como acontece atualmente.

b) a intervenção dos EUA na América Latina intensificou-se a partir do final da 1ª Grande Guerra, com o declínio e o endividamento europeu das nações destruídas pela guerra.

c) a Revolução Mexicana de 1910, o movimento sandinista na Nicarágua em 1927 e a Revolução Cubana de 1959 foram motivados pela presença imperialista dos EUA nesses países.

d) a política externa de intervenção militar do governo Roosevelt conhecida como big-stick, “grande porrete”, tem no Panamá um exemplo, justificado pela posição estratégica do Canal.

e) a Revolução Cubana marcou a América Latina influenciando muitos movimentos revolucionários, que, além de catalisar emoções anti-imperialistas, motivavam a organização de novas formas de oposição.

57. No Brasil, no século XVIII, a administração do ministro Sebastião José de Carvalho e Mello, mais conhecido como Marquês de Pombal, implementou ações de grande impacto na Colônia. Foram medidas deste período, EXCETO:


a) a instituição do imposto de captação com o intuito de melhorar a arrecadação de tributos.

b) a criação da Companhia Geral do Comércio do Grão-Pará e Maranhão em 1755.

c) a proibição das fábricas ou manufaturas de tecidos destinados ao consumo da elite local.

d) a expulsão dos jesuítas, o que fragilizou ainda mais o ensino na Colônia.

e) a colocação de membros da elite colonial nos órgãos administrativos e fiscais do governo.
58. O conflito entre palestinos e israelenses é secular. Sobre esse conflito, no período contemporâneo, é CORRETO dizer que:
a) a criação da Organização dos Países Produtores de Petróleo (OPEP), na década de 60, enfraqueceu a luta palestina porque os árabes, judeus e libaneses não concordam com a criação de uma nação autônoma.

b) os muçulmanos, os católicos e os judeus disputam verdades e direitos sobre um mesmo território porque essas religiões pregam a violência incondicional como procedimento legítimo de libertação das almas.

c) o reconhecimento do Estado Palestino pela ONU não ocorrerá porque a região da Cisjordânia foi doada ao novo Estado de Israel em 1948 e desde então os muçulmanos dirigiram-se para o Líbano e o Egito.

d) a chamada “intifada” (revolta das pedras) foi uma revolta dos palestinos, em 1987, nos territórios ocupados por Israel, que reprimiu as manifestações violentamente, tendo resultado em milhares de mortos e feridos.

e) a cidade de Jerusalém é um local sagrado para muçulmanos e católicos, mas os judeus, originários do Extremo Oriente, são considerados intrusos à população local.

59. Desde a instalação da República no Brasil, várias políticas econômicas foram implementadas no país. Considerando a caracterização dessas políticas, marque (V) para as VERDADEIRAS e (F) para as FALSAS.




( )

A chamada política de encilhamento consistiu na criação de estabelecimentos bancários que poderiam emitir moeda para empréstimos e incentivo à indústria. Como conseqüência, o país foi inundado de dinheiro sem valor, ocorreram a especulação na Bolsa de Valores, o encarecimento de produtos importados, o aumento das empresas fantasmas, as falências e o desemprego da população.




( )

A chamada política do café com leite foi uma estratégia dos dois estados com maior representação política, que se aliaram para garantir alternância no poder. Fazia parte de uma política maior conhecida como política dos governadores, que, por sua vez, foi um pacto entre o Presidente da República e os poderosos de cada estado num sistema de “troca de favores”.




( )

Diante das dificuldades de importação criadas pela Crise de 1929, a política de internacionalização da economia incentivou a indústria nacional à medida que o Estado passou a ser tanto agente regulador (intervenção no sistema de crédito, na política cambial, no controle de preços, na política tributária, fiscal e até salarial) quanto produtor direto (criação de empresas públicas em setores básicos como aço e minério de ferro).




( )

A partir do segundo governo Vargas, diante das pressões externas e das demandas internas, as importações foram liberadas, inclusive a importação de capitais, para assegurar a acumulação industrial e expansão de créditos que o estado continuou a fornecer via emissões de moedas e apoio de empréstimos externos. Essa política foi intensificada e se tornou dominante após o Golpe, garantindo o aumento da dependência ao capital externo. A esse tipo de política dá-se o nome de substituição de importações.

Assinale a seqüência CORRETA:


a) V – F – V – V

b) F – V – V – F

c) V – V – F – F

d) F – V – F – V

e) V – F – F – F

60. Para compreender o pensamento do mundo ocidental, é importante ter clareza do significado de algumas expressões que representam ou caracterizam o processo histórico de constituição das sociedades ocidentais.

A alternativa em que o termo em destaque aparece INCORRETAMENTE caracterizado é:
a) Liberalismo – foi uma doutrina econômica que, na primeira fase do capitalismo industrial, preconizava a liberdade de produção e de comércio, o individualismo, a livre concorrência e a não-intervenção do Estado na economia.

b) Humanismo – caracterizou-se como um movimento intelectual universalista que, inspirado nas sociedades greco-romanas, valorizava o Homem numa concepção antropocêntrica contraposta ao teocentrismo medieval.

c) Despotismo Esclarecido – baseava-se na utilização das idéias propostas pelos filósofos iluministas. Essa atuação dos soberanos europeus consistia na tentativa de reformas que modernizassem o Estado, através de práticas políticas autoritárias que fortalecessem o seu próprio poder.

d) Socialismo – pode ser considerado uma ideologia que, desde seus primórdios, acreditava na derrocada natural do sistema capitalista de produção, o que garantia uma sociedade sem Estado, onde todos teriam direito à propriedade privada.



e) Racionalismo – trata-se de uma concepção em que o homem compreende o mundo com o uso da razão. Foi propagada a partir da Revolução Científica do século XVII, principalmente com Descartes, com a expressão “penso, logo existo”.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal