História  questões de 51 a 60



Baixar 48.73 Kb.
Encontro04.08.2016
Tamanho48.73 Kb.

PROCESSO SELETIVO/2003 CGE GAB. 1 2o DIA

HISTÓRIA  QUESTÕES DE 51 A 60

51. Antes da Revolução de 1959, os cubanos sofreram com o agudo processo de concentração de renda e terra, e com o aumento do desemprego. A miséria crescia entre os trabalhadores da agricultura e os migrantes alojados nas periferias das grandes cidades. Neste período, outros fatores contribuíram para agravar a conjuntura que levou Cuba à Revolução, tais como:




I



o estabelecimento de acordos econômicos e militares do governo cubano com a URSS, visando à organização de uma base estratégica do socialismo na América Latina.










II



a ampliação dos investimentos externos na extração dos poucos recursos minerais, no turismo e na produção de cana que transformou Cuba no maior produtor mundial de açúcar.










III



a diminuição da dependência cultural e do controle dos EUA, o que levou a Ilha a obter maior visibilidade junto aos países latino-americanos e simpatizantes das esquerdas nacionais.










IV



a instalação da ditadura de Fulgencio Batista, a partir de 1952, que estabeleceu um clima de Terror e repressão às oposições, o que correspondia à tensão internacional da Guerra Fria.










V



a abertura irrestrita de concessões aos capitais estadunidenses, que converteu Havana em campo de ação da Máfia americana, da exploração do jogo, do tráfico de drogas e da prostituição.

Assinale a alternativa que apresenta os fatores CORRETOS:


a) III, IV, V.

b) I, IV, V.

c) II, III, IV.

d) II, IV, V.

e) I, II, V.
52. O domínio que as metrópoles européias exerciam sobre as diversas colônias americanas começou a sofrer mudanças a partir da segunda metade do século XVIII. Sobre esse período, em se tratando dos processos de independência ou emancipação dessas colônias, é CORRETO dizer que:
a) os movimentos de contestação ao controle metropolitano na América tiveram como conseqüência a libertação econômica e política das colônias, o que resultou na formação de nações americanas soberanas, semelhantes às que se conhecem hoje.

b) a partilha do território espanhol na América foi desencadeada a partir da emancipação das colônias, processo conduzido pela elite criolla, com apoio de índios, escravos e comerciantes, que teve o objetivo de manter a forma de governo monárquico.

c) a Guerra dos Sete Anos teve como conseqüência a decretação de impostos para aumentar a arrecadação nas Treze Colônias, o que desencadeou o confronto armado, entre ingleses e colonos, conhecido como Massacre de Boston.

d) a colonização de povoamento nas colônias do norte da América possibilitou o acúmulo de capital e a formação de uma elite empresarial dinâmica e autogestionada, desencadeando um processo de independência de caráter pacífico e negociado.

e) as revoltas que antecederam a emancipação política brasileira envolveram membros da elite rural, classes médias urbanas e escravos, como a Confederação do Equador, a Sabinada e a Balaiada, que tinham o intuito de manter a integridade do território nacional.

53. Diante da polarização internacional entre os EUA e a URSS, vários representantes de Estados da África e da Ásia, entre os quais Paquistão, Índia, Ceilão, Birmânia e Indonésia, recém-independentes, reuniram-se, em 1955, na chamada Conferência de Bandung e se autodenominaram países de Terceiro Mundo. Esta conferência prenunciou a conferência de 1961 em Belgrado, Iugoslávia, quando se instituiu o Movimento dos Países Não-Alinhados.


Das alternativas abaixo, a que NÃO corresponde às intenções estabelecidas em Bandung é:
a) O reconhecimento da legitimidade de cada nação defender-se, individualmente ou coletivamente, e posição contrária às ingerências externas em assuntos internos às nações.

  1. A defesa da posição de respeito à soberania e integridade territorial das nações e dos direitos humanos fundamentais previstos na Carta das Nações Unidas.

c) O anúncio de um acordo entre os países participantes, visando compor um bloco militar de oposição a soviéticos e americanos, em resposta às pressões colonialistas da Guerra Fria.

d) A proposta de solução pacífica para conflitos por meio de negociações, conciliações, arbitragens e acordos perante tribunais internacionais ou quaisquer outras formas pacíficas de acordo entre interessados.

e) A abstenção ou recusa de participação em atos e ameaças de agressão, e não envolvimento com preparativos de defesa coletiva que servissem aos interesses particulares das grande potências.

54. Durante o período colonial no Brasil, a desorganização da administração metropolitana e a prática da venalidade do funcionalismo real (compra e venda de cargos), aliadas às dificuldades de comunicação entre a Europa e a América, contribuíram para o crescimento do poder dos “homens bons”. Essa expressão era utilizada para designar aqueles que:


a) integravam a Companhia de Jesus, ordem religiosa formada em torno de Inácio de Loyola, a qual, no Brasil, buscou promover a conversão dos índios ao cristianismo.

b) podiam eleger e ser eleitos para os cargos públicos ligados às câmaras municipais, principal instância de representação local da monarquia portuguesa.

c) participaram da Inconfidência Mineira, um levante contra o governo colonial, no final do século XVIII, tendo como uma de suas motivações a cobrança da derrama.

d) habitavam os quilombos e mocambos e lutavam pela liberdade, sendo em sua maioria comerciantes e escravos negros fugidos, de origem africana ou nascidos no Brasil.

e) integravam as expedições armadas, de caráter oficial ou particular, entre os séculos XVI e XVIII, e se aventuravam pelo interior do Brasil, em busca de ouro ou de indígenas para fazê-los escravos.
55. O período que se estende de 1624 a 1654 é caracterizado por tentativas de colonização costeira do Brasil e pelo efetivo domínio holandês no nordeste. Sobre as “Invasões Holandesas”, nesse momento da história colonial brasileira, é INCORRETO afirmar que elas:
a) iniciaram-se pela Bahia, de onde os holandeses foram expulsos, mas expandiram-se em direção a Recife até atingir o entorno de São Luís, região estratégica para o ataque às frotas oriundas das minas espanholas que por lá passavam carregadas de ouro e prata.

b) estavam relacionadas com a União Ibérica e a conseqüente guerra pela autonomia das Províncias Unidas dos Países Baixos frente ao domínio espanhol, que interferiu nas relações políticas e comerciais entre portugueses e holandeses.

c) contaram com a participação da Companhia das Índias Ocidentais, empresa responsável pela administração do território holandês conquistado e que, em troca de apoio, ofereceu vantagens aos senhores de engenhos de Pernambuco.

d) entraram em decadência a partir de 1642, devido à nova política adotada pela Companhia das Índias Ocidentais, que obrigou os senhores de engenho a aumentar a produção de açúcar para que conseguissem pagar suas dívidas com os holandeses.

e) propiciaram a substituição da mão-de-obra escrava pela livre nas lavouras canavieiras do nordeste, durante o governo do conde Maurício de Nassau, também conhecido por implementar a urbanização e o embelezamento do Recife.
56.

Vejam só!

A minha vida como está mudada

Não sou mais aquele

Que entrava em casa alta madrugada

Faça o que eu fiz

Porque a vida é do trabalhador

Tenho um doce lar

E sou feliz com meu amor

O Estado Novo

Veio para nos orientar

No Brasil não falta nada

Mas precisa trabalhar

Tem café, petróleo e ouro

Ninguém pode duvidar

E quem for pai de quatro filhos

O presidente manda premiar

É negócio casar!

(Citado por SALIBA, Elias Thomé. A dimensão cômica da vida privada na República. In: SEVCENKO, Nicolau (org.). História da Vida Privada no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1998. v. 3. p. 355.)


Os versos acima são de um samba composto por Ataulfo Alves e Felisberto Martins, em 1941. Nele se encontra expressa, de forma irreverente, a ideologia do Estado Novo, conhecida como:
a) Trabalhismo.

b) Tenentismo.

c) Queremismo.

d) Paternalismo.



e) Totalitarismo.
57. Após a Segunda Guerra Mundial, Jerusalém, território sagrado para três religiões, continuou sendo palco de tensões e disputas envolvendo muçulmanos, judeus e cristãos. Intermináveis conflitos entre israelenses, palestinos, libaneses e seus vizinhos intensificaram-se desde então, envolvendo também potências mundiais. A Guerra dos Seis Dias, a Guerra do Yom Kippur, a Guerra do Irã-Iraque e a recente investida dos EUA sobre o Afeganistão são alguns dos principais conflitos relacionados com a questão árabe-israelense.
Utilizando seus conhecimentos sobre tais conflitos, enumere a segunda coluna de acordo com a primeira.



I



Liga Árabe (1945)

( )

Estabelece paz entre Israel e Egito e firma compromisso israelense de negociar auto-nomia de territórios palesti-nos.
















II



Organização para Li-bertação da Palesti-na (1964)

( )

Levou à eclosão da rebelião palestina nos territórios ocu-pados por Israel, resultando em retaliações por parte de Israel e do terrorismo pales-tino.
















III



Autoridade Nacional Palestina (1995)

( )

Foi criada por chefes de Estado árabes para enfrentar a expansão do povo judeu na Palestina.
















IV



Intifada (1987)

( )

Reúne palestinos guerrilhei-ros para combater o poder do Estado de Israel, sob o comando de Yasser Arafat.
















V



Acordo de Camp David (1977)

( )

Tem o reconhecimento da ONU e busca controlar territórios palestinos ocupados anterior-mente por Israel na Faixa de Gaza e na Cisjordânia.

A seqüência CORRETA é:


a) V, IV, I, II, III.

b) IV, V, III, II, I.

c) II, III, I, IV, V.

d) V, II, IV, I, III.

e) III, IV, II, V, I.

58. Durante o governo do presidente Juscelino Kubitschek, a política econômica predominante foi o nacional-desenvolvimentismo, que teve como característica:


a) a adoção de uma política de substituição das importações, de caráter nacionalista, em que o Estado assumia a produção de bens não-duráveis.

b) o incentivo à ampliação do parque industrial, por meio de ações combinadas envolvendo o Estado, as empresas privadas nacionais e o capital estrangeiro.

c) a implementação de reformas no serviço público e de controle dos meios de comunicação como ainda não se vira antes, destinadas a racionalizar a máquina estatal e a divulgar as obras do governo.

d) a criação de incentivos fiscais voltados para a diversificação da produção agrícola, visando tornar concreto o mito de que o Brasil era o grande celeiro do mundo.

e) o controle estatal da infra-estrutura (transportes, comunicação e energia) e da indústria básica, ficando as outras áreas de atividade econômica com a empresa privada nacional.

59. A respeito das classes que compunham a sociedade romana na Antigüidade, é CORRETO afirmar que:


a) os plebeus podiam casar-se com membros das famílias patrícias, forma pela qual conseguiam quitar suas pendências de terra e dinheiro, conseguindo assim certa ascensão social.

b) os plebeus compunham a classe formada pelos camponeses, artesãos e alguns que conseguiam enriquecer-se por meio do comércio, atividade que lhes era permitida.

c) os clientes eram estrangeiros acolhidos pelos patrícios e transformados em escravos, quando sua conduta moral não condizia com a de seus protetores.

d) os patrícios foram igualados aos plebeus, durante a democracia romana, quando da revolta dos clientes, que lutaram contra a exclusão social da qual eram vítimas.

e) os escravos por dívida eram o resultado da transformação de qualquer romano em propriedade de outrem, o que ocorria para todos que violassem a obrigação de pagar os impostos que sustentavam o Estado expansionista.

60. O termo Renascimento tem origem nos textos evangélicos de São João e São Paulo, significando a idéia do segundo nascimento, o nascimento do homem novo ou o renascimento espiritual do homem para Deus. Na Idade Média, este sentido permaneceu indicando a volta do homem a Deus. No entanto, quando utilizado para descrever o processo que teve início na Itália e se propagou pela Europa Ocidental, no final século XIV, adquiriu outros significados, tais como:




I



a renovação das concepções políticas do Estado e o resgate da idéia das origens naturais das instituições humanas.










II



a reprovação a todo e qualquer movimento de renovação religiosa que pregasse o retorno às fontes originais do cristianismo.










III



a reafirmação das concepções filosóficas humanistas, entre elas a valorização da cultura da Antigüidade Clássica.










IV



a difusão do naturalismo e do interesse pela investigação empírica da Natureza.










V



a crítica ao preceito do caráter divino do poder terreno e a adoção da prática de interferência do papado na política.

Dos significados adquiridos pelo termo Renascimento, são CORRETOS:


a) II, IV e V.

b) I, II e V.

c) II, III e IV.

d) I, II e III.



e) I, III e IV.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal