História da Bahia



Baixar 5.72 Kb.
Encontro27.07.2016
Tamanho5.72 Kb.

História da Bahia

Edivaldo Boaventura


A História da Bahia, de Luís Henrique Dias Tavares, é um livro que todo baiano deve ter em casa. Para leitura e para consulta. Como referencial, começa com os povos que habitaram o atual território do Estado da Bahia antes e depois da chegada dos europeus e dos africanos. Inclui os três séculos de colônia com o centro de decisão mais importante na Bahia, o período imperial e chegada da República dos nossos dias com Canudos, os coronéis e as poderosas oligarquias interioranas, os governadores e outros. Luís conseguiu ainda fazer a difícil síntese histórica. Síntese da história baiana tão necessária aos estudantes e aos habitantes para compreenderem mistérios e problemas.

A História alcançou a 10a. edição em 2001. Ora, os livros são como os filhos crescem, mudam, obedecem aos pais até certo ponto, depois tomam o seu destino. Como os filhos, em pleno período piageteano de crescimento, os livros devem ser pelos autores educados. Luís Henrique pôde “educar” esse seu filho de 42 anos, pois nasceu a primeira edição em 1959, na casa Editora Civilização Brasileira com declarado propósito pedagógico. A disciplina História da Bahia compunha o então currículo do curso normal. Com o crescimento, transcendeu de objetivo. Como adolescente pensando senhor do seu destino, a História deixou de ser um texto didático e ganhou o mundo dos adultos, dos leitores, do mercado das livrarias, das feiras de livros, dos redutos sagrados das bibliotecas. Assim, a História da Bahia é o melhor presente para um baiano fora de casa. Já enviei um exemplar pelo Natal para um ilustre conterrâneo que reside no Rio de Janeiro. Agradeceu-me embevecido. E para os residentes, baianos e não baianos, no território de todas as Bahias, incluindo a Bahia feirense, o livro é uma dádiva, um encontro do sujeito com a sua História.



Lembro-me como entrei nesta História quando ele tinha apenas a segunda edição! Foi em 1963. Começava pela descoberta da Bahia. A adolescência colonial era grande. Para o Império e a República pouco espaço. Li toda de um trago. Quando secretário da Educação, adquiri o que restava da 7a. edição, pela Ática, e fiz distribuir nas escolas e colégios estaduais Tenho sempre o meu exemplar à mão. Releio-o sempre na dúvida para a certeza da consulta. Agora, com a 10a.edição a História da Bahia de Luís Henrique cresceu de verdade. É um livro desenvolvido, constituído, adulto, firme, seguro, fonte de consulta e também de baianidade. Estou a consultá-lo, mas preciso lê-lo todo na grandeza do esforço da pesquisa para rever a Bahia, mandando na Colônia, aderindo ao Brasil independente, desiludindo-se com a federação, engolindo a República, enfim, buscando a síntese que o historiador Luís Henrique Dias Tavares soube construir. É preciso não esquecer que já fomos corte, também.


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal