História de santa cecília a padroeira da música



Baixar 5.33 Kb.
Encontro02.08.2016
Tamanho5.33 Kb.
HISTÓRIA DE SANTA CECÍLIA

A

PADROEIRA DA MÚSICA
Santa Cecília era de família romana pagã, nobre, rica e influente. Ela adorava estudar música, filosofia e o evangelho. Desde a infância era muito religiosa, e por decisão própria afastou-se dos prazeres da vida da Corte, para ser esposa de Cristo, pelo voto secreto de virgindade. Os pais, acreditando que ela mudaria de idéia, a casou com Valeriano que também era da nobreza romana. Ao saber da notícia Cecília rezou pedindo proteção do seu anjo da guarda, de Maria e de Deus, para não romper com o voto.

Após o casamento, Cecília contou ao marido que era cristã e do seu compromisso de castidade, e ainda, que para isso estava sob a proteção de um anjo. Valeriano ficou comovido com a sinceridade da esposa e prometeu também proteger sua pureza, mas para isso queria ver tal anjo. Ela o aconselhou a visitar o papa Urbano, e ele foi, levando consigo seu irmão Tibúrcio. Os dois ouviram a pregação do papa, se converteram e foram batizados. Valeriano cumpriu a promessa.Depois ao chegar em casa um dia, viu Cecília rezando e, ao seu lado, o anjo da guarda. Entretanto a denúncia de que Cecília, seu esposo, e o cunhado eram cristãos chegou às autoridades romanas. Os três foram presos, Cecília em casa, os dois, quando sepultavam corpos de mártires em catacumbas, recusaram-se a renegar a fé em Cristo e foram decapitados. As autoridades exigiu que Cecília abandonasse a religião sob pena de morte, como ela se negou, foi colocada no balneário de sua casa própria casa, para morrer asfixiada pelos vapores, mas saiu ilesa. Foi tentada então a decapitação, golpearam três vezes, e, mesmo assim, sua cabeça permaneceu ao corpo. Mortalmente ferida ficou no chão três dias, todos os pagãos que a viam, passaram a acreditar em Cristo. O corpo de Cecília foi enterrado nas catacumbas romanas, mais tarde seu túmulo ficou perdido naquelas ruínas por muitos séculos. Mas no terreno da sua antiga casa foi construída a Igreja de Santa Cecília, onde era celebrada a sua memória no dia 22 de novembro já no século VI. Meados dos anos de 817 e 824, o papa Pascoal I, teve uma visão de Santa Cecília e o seu caixão foi encontrado e aberto, e contatou-se, então, que seu corpo permanecia intacto. Depois, foi fechado e colocado numa urna de mármore sob o altar daquela igreja dedicada a ela. Outros séculos se passaram, e em 1559, o cardeal Sfondrat ordenou nova abertura do túmulo e viu-se que o corpo permanecia da mesma forma. A devoção à Santa Cecília avançou pelos séculos sempre acompanhada de incontáveis milagres. Ela é uma das santas mais veneradas pelos fiéis cristãos do Oriente e Ocidente,a que mais tem igrejas com seu nome na Europa, e desde o século XV é celebrada como padroeira da música e dos músicos.


SANTA CECÍLIA, ROGAI POR NÓS!


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal