História (prova amarela)



Baixar 74.87 Kb.
Encontro28.07.2016
Tamanho74.87 Kb.



HISTÓRIA (PROVA AMARELA)


Fonte: www.cnn.com



13) No dia 11 de setembro de 2001, o mundo foi surpreendido pelo ataque às torres gêmeas do World Trade Center em Nova Iorque e ao Pentágono em Washington.
Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S) em relação a esses acontecimentos e suas repercussões.
01. Os ataques às torres do World Trade Center e ao Pentágono foram atribuídos, pelo governo dos Estados Unidos, a uma organização terrorista comandada por Osama bin Laden.

02. Após o ataque a Nova Iorque e ao Pentágono, Bin Laden e os principais líderes da Al Qaeda fugiram para o Iraque onde instalaram bases militares. Os Estados Unidos, com o apoio da OTAN, visando destruir as bases terroristas, atacaram o território iraquiano algumas semanas após os atentados de Nova Iorque e Washington.

04. A Al Qaeda, que teria atacado as torres gêmeas do World Trade Center e o Pentágono, é um grupo formado por Judeus Fundamentalistas, cuja base estava localizada no Afeganistão. Tal grupo estaria imbuído do propósito de destruir os Estados Unidos, vistos como um inimigo do Islã.

08. O governo dos Estados Unidos, numa reunião dos países que formam a Organização do Tra-tado do Atlântico Norte (OTAN), apresentou provas que, na opinião do governo norte-americano, incriminavam Osama bin Laden e o grupo que controlava a organização Al Qaeda pelo ataque às suas cidades em setembro de 2001.

16. Atacando as suas bases no Iran, Iraque, Afeganistão e sul do Líbano, os Estados Unidos conseguiram exterminar a organização que atacou Nova Iorque e Washington no dia 11 de setembro de 2001.

32. O Brasil, participando do bloco de países solidários aos Estados Unidos, enviou para a Ásia uma força tarefa, formada por soldados do Exército Brasileiro. A tropa brasileira participou do combate aos grupos terroristas em Cabul, Mazar-e-Sharif e Jalalabad.




Comentário
Resposta: 09
02. Incorreta. O paradeiro de Bin Laden é ainda desconhecido, porém os Estados Unidos defenderam que ele encontrava-se no Afeganistão, daí a ocorrência da Guerra do Afeganistão no final de 2001.

04. Incorreta. A Al Qaeda é formada por fundamentalistas islâmicos.

16. Incorreta. Os Estados Unidos atacaram apenas o Afeganistão, e a Al Qaeda não foi exterminada, pois continuou a praticar atos terroristas em 2002.

32. Incorreta. O Brasil, seguindo sua política internacional de buscar soluções pacíficas aos conflitos, não enviou quaisquer tropas para combater terroristas.




14) A imprensa do Brasil publicou com freqüência, durante o ano de 2002, notícias com conteúdo semelhante ao que segue: “Há trinta e cinco anos, depois de três semanas de atividade militar, Israel atacou o Egito, no dia 5 de junho de 1967, destruindo a aviação árabe e ocupando o Sinai, as colinas de Golã, a Cisjordânia, a Faixa de Gaza e a parte leste de Jerusalém. Nesta quarta-feira, um atentado suicida, em que um carro-bomba se lançou contra um ônibus, matou 16 israelenses e feriu outros 37 no cruzamento de Megiddo, no norte do país”.
GUERRA dos seis dias segue matando. Correio do Povo, Porto Alegre, 06 jun. 2002. p. 12.
Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S) referente(s) à história dos Palestinos e Israelenses.
01. O processo de dispersão dos Judeus pelo mundo teve início com as perseguições dos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial.
02. Durante o século XIX organizou-se o Movimento Sionista, que visava a reconstrução da nação judaica.
04. Em 1948 foi fundado o Estado de Israel e os ataques mútuos entre Palestinos e Judeus sucederam-se a partir de então até o ano de 2002, quando a paz foi alcançada.
08. Em 1947, a ONU aprovou projeto de divisão do território palestino definindo áreas para Palestinos e Judeus.
16. Em 1983 a ONU, tratando de estabelecer a paz na região, criou o Estado da Palestina, nomeando Yasser Arafat para governá-lo.
32. A eleição do Primeiro-Ministro de Israel, Ariel Sharon, em 2001, foi decisiva para que a paz voltasse a reinar na região.
64. Os ataques suicidas têm se destacado entre as estratégias utilizadas pelos Palestinos na sua luta contra os Judeus.

Comentário

Resposta: 74

01. Incorreta. A perseguição aos judeus data da Idade Antiga.

04. Incorreta. A paz entre judeus e palestinos nunca foi alcançada.

16. Incorreta. Ainda não existe um Estado palestino.

32. Incorreta. Com o primeiro-ministro Ariel Sharon, o clima de guerra tornou-se ainda mais freqüente.

15) Índia e Paquistão disputam, desde 1948, a região da Caxemira. Em 2002 irrompeu uma nova crise na região, causando grande apreen-são à comunidade internacional.
Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S) a respeito desse conflito.
01. As autoridades de Nova Déli acusam o governo do Paquistão de apoiar os grupos separatistas islâmicos que lutam pela independência da região da Caxemira.
02. O Paquistão, cuja população também segue, na sua esmagadora maioria, a religião hindu, deseja anexar a Caxemira ao seu território.
04. A Caxemira é a única região da Índia onde a religião predominante é a hindu.
08. O governo paquistanês, embora negue o apoio a grupos terroristas, apóia a luta pela libertação da Caxemira.
16. A comunidade internacional teme um conflito entre a Índia e o Paquistão, pois estes países possuem armas nucleares.
32. A Índia, cuja população é predominantemente muçulmana, resiste a aceitar a influência do hinduísmo na região da Caxemira.

Comentário
Resposta: 25
02. Incorreta. No Paquistão a religião predominante é o islamismo.

04. Incorreta. Em toda a Índia predomina o hinduísmo.

32. Incorreta. Como foi dito anteriormente, a Índia é, predominantemente, hinduísta.

16) A manchete Líderes querem manter espírito da Eco-92 está em destaque no Jornal Folha de S. Paulo do dia 25 de junho de 2002, p. A 20. Na seqüência lê-se o seguinte texto:
O presidente Fernando Henrique Cardoso, o primeiro-ministro sueco, Göran Person, e o presidente da África do Sul, Thabo Mbeki, reconheceram ontem a responsabilidade dos três países de manter o ‘espírito do Rio’ e fazer avançar a Rio+10, conferência da ONU sobre o desenvolvimento sustentável que ocorre em agosto em Johannesburgo. FHC, que tem sido pressionado pelos ambientalistas a assumir o papel de liderança regional latino-americana na questão ambiental, disse, durante a audiência pública que reuniu os três chefes de Estado, que é necessário trazer para o debate ‘todos os países, inclusive alguns que são um tanto reacionários – uma alusão aos EUA”.
Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S) referente(s) à história das negociações que tratam da questão ambiental e de limitar o aquecimento global.
01. Líderes representantes de várias nações, reunidos no Rio de Janeiro em 1992, criaram a Convenção do Clima com o objetivo de reduzir as emissões de gases-estufa dos países industrializados.
02. Países como o Canadá, Japão e Austrália discordam da necessidade de cortes na emissão de gases-estufa, pois consideram que não oferecem risco ao Planeta.
04. Em 2002, realizou-se o encontro preparatório no Brasil para a conferência da ONU Rio+10, evento realizado na África do Sul sobre Desenvolvimento Sustentável.
08. Reunidos no Japão, em 1997, os países membros da Convenção do Clima adotaram um tratado mundial para reduzir as emissões de gases-estufa denominado Protocolo de Kyoto.
16. Os representantes do Brasil nos eventos realizados para tratar da emissão de gases e do aquecimento global têm acompanhado a posição dos EUA.
32. Os EUA, país responsável pelo maior índice das emissões mundiais, têm resistido à redução de emissão de gases-estufa pois, segundo o presidente George W. Bush, tal redução é prejudicial à economia do país.

Comentário
Resposta: 45
02. Incorreta. Embora Canadá, Japão e Austrália tenham feito pouco esforço para conter a emissão de gases-estufa, não declararam em nenhum momento que os efeitos de tais emissões não oferecem riscos ao planeta.

16. Incorreta. O Brasil discorda da posição norte-americana sobre ambientalismo.



17) Entre as contribuições mais originais dos Romanos para a Civilização Ocidental destaca-se o Direito. O Corpus Juris Civilis fundamentou os conceitos de justiça e dos direitos do indivíduo ainda presentes nos códigos contemporâneos.
Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S) que identificam princípios do Direito romano.
01. Ninguém pode ser retirado à força da sua casa = inviolabilidade do lar.
02. O ônus da prova é de responsabilidade do acusador = comprovação do crime pela acusação.
04. Tudo se permite ao acusador, nada ao acusado = ampla proteção ao direito de acusar.
08. Na aplicação da penalidade devem ser levadas em conta a idade e a inexperiência do culpado = proteção ao menor de idade.
16. Um pai não pode ser testemunha competente contra o filho, nem o filho contra o pai = proteção da família.
32. Ninguém sofrerá penalidade pelo que pensa = proteção à liberdade de pensamento.

Comentário
Resposta: 59
04. Incorreta. As leis romanas beneficiavam apenas os cidadãos, que eram um segmento minoritário. Para estes o direito de defesa ao acusado era concedido.

18)Se uma pessoa chega na terra a alcançar dois pares de escravos, ou meia dúzia deles, ainda que outra coisa não tenha de seu, logo tem remédio para poder honradamente sustentar a sua família. Porque um lhe pesca e outro lhe caça, e os outros lhe cultivam e granjeiam suas roças, e desta maneira nem fazem os homens despesas em mantimentos com os seus escravos, nem com suas pessoas ...”

GANDAVO, Magalhães. Apud NADAI, Elza; NEVES, Joana. História do Brasil. São Paulo: Saraiva, 1996. p. 62.


Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S), com base no texto e nas circunstâncias em que foi escrito.
01. O autor justifica a escravidão, como uma necessidade econômica, mas adverte que não é moralmente aceitável entre os homens honrados da colônia.
02. Segundo o texto só uns poucos homens livres poderiam ter escravos, uma vez que a sua manutenção era extremamente dispendiosa.
04. No texto caracteriza-se a relação típica da escravidão. Uma pessoa (escravo) é considerada propriedade do seu dono, para quem terá de trabalhar e produzir o seu sustento.
08. A escravidão no Brasil, apesar da violência, teve pouca duração. Os primeiros escravos foram importados como mão-de-obra para a extração do pau-brasil, mas já no início do século XVIII as idéias iluministas influenciaram o governo a libertar os escravos.
16. O autor demonstra grande preocupação com o destino do escravo. Defende que, devido aos méritos do seu trabalho, deve ser alforriado.
32. O clima e o solo faziam com que os europeus, por si sós, não pudessem sobreviver no Brasil. Por esta razão, segundo o texto, tinham escravos adaptados à terra que podiam garantir a sua sobrevivência.
64. O escravo era um instrumento de trabalho. Cuidava das plantações e provia seu próprio sustento e o do seu senhor.

Comentário
Resposta: 68
01. Incorreta. O autor não demonstra qualquer preocupação moral em relação à escravidão.

02. Incorreta. O texto não menciona que a escravidão era algo exclusivo de poucos homens livres nem que o sistema escravista era dispendioso.

08. Incorreta. A escravidão no Brasil foi uma das mais duradouras do continente americano.

16. Incorreta. O autor não apresenta preocupação com o destino dos escravos.

32. Incorreta. Os europeus conviveram com os escravos e se beneficiaram financeiramente com a estrutura escravista.

19) O navegador Dupperrey Lesson, que em 1822 estava em Santa Catarina, assim descreveu a reação dos catarinenses à independência do Brasil:
... Cheios de confiança em seus propósitos, os partidários numerosos da independência estavam inspirados com um entusiasmo (...) que seu espírito ardente havia reprimido há longo tempo. No excesso da sua alegria, eles haviam coberto de luzes as Vilas de Nossa Senhora do Desterro, de Laguna e de São Francisco, onde percorrendo as ruas entoavam canções em honra de D. Pedro ...”.

DUPERREY, Louis Isidore. Voyage autour du monde. In: Ilha de Santa Catarina, relatos de viajantes estrangeiros nos séculos XVIII e XIX. Florianópolis: UFSC, 1984.

Assinale a(s) proposição(ões) VERDADEI-RA(S) com base no texto e nos seus conhecimentos sobre o processo de independência do Brasil.
01. A declaração de independência do Brasil, feita por D. Pedro I em 1822, foi aceita em Santa Catarina e em todas as demais províncias brasileiras, com grande júbilo.
02. Segundo o visitante, houve nas ruas de algumas vilas de Santa Catarina um conflito entre os partidários da independência (que eram muito numerosos) e os que eram contrários a ela.
04. De acordo com o autor, os catarinenses de algumas vilas cometeram tamanhos excessos que tiveram de ser reprimidos pelas tropas portuguesas.
08. Ao contrário do que o autor presenciou em Santa Catarina, em outras províncias, como a da Bahia, Pará e Cisplatina, ocorreram reações desfavoráveis ao ato de D. Pedro.
16. Segundo o texto, a notícia da independência foi recebida com grande entusiasmo nas Vilas do Desterro, Laguna e São Francisco.
32. Não obstante as reações de alguns portugueses que temiam o fim dos seus privilégios, o governo de Lisboa, forçado pela França, aceitou de pronto o rompimento. Em outubro de 1822 foi assinado o tratado de reconhecimento, havendo grande júbilo em todo o país, como bem atesta Dupperrey Lesson.

Comentário
Resposta: 24
01. Incorreta. As províncias do Pará, Maranhão, Piauí, da Bahia e Cisplatina não aceitaram a declaração de Independência do Brasil.

02. Incorreta. De acordo com o navegador não ocorreram conflitos nas vilas de Santa Catarina.

04. Incorreta. No texto não se fala em repressões realizadas por tropas portuguesas por ocasião da Independência do Brasil.

32. Incorreta. O primeiro reconhecimento externo da Independência do Brasil veio dos Estados Unidos.



20)Brasileiros do norte! Pedro de Alcântara, filho de D. João VI, rei de Portugal, a quem vós por uma estúpida condescendência com os Brasileiros do sul aclamastes vosso imperador, quer descaradamente escravizar-vos. Que desaforado atrevimento de um europeu no Brasil! Acaso pensará esse estrangeiro ingrato e sem costumes, que tem algum direito à coroa, por descender da Casa de Bragança, de quem já somos independentes de fato e de direito? (...). Se os do sul, gelados pelo frio do trópico, não têm valor para te punir num cadafalso; Se aceitam da tua mão, o vil projeto de constituição, que deveriam considerar um novo insulto, depois da dissolução do congresso; Se finalmente querem ser teus escravos, engana-te, sultão, pois no sul ficará circunscrito o teu império ...”.
Fragmentos retirados do Manifesto da Confederação do Equador.
Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S) relacionada(s) com o conteúdo do documento e com episódios da Confederação do Equador.
01. O Manifesto demonstrava o descontentamento dos líderes do movimento com a permanência de D. Pedro I no Brasil após a proclamação da Independência.
02. O frio do sul foi o maior responsável pelo apoio da sua população à Constituição antidemocrática de 1824, outorgada por D. Pedro I.
04. O Manifesto torna público que os súditos do sul não concordavam com a legitimidade da aclamação de D. Pedro I como Imperador do Brasil.
08. Pode-se considerar o Manifesto uma declaração favorável dos líderes da Confederação do Equador à aclamação de D. Pedro I, considerado herdeiro legítimo da Casa de Bragança.
16. A dissolução da Constituinte, por D. Pedro I, e a outorga da Constituição de 1824 geraram uma crise política, como se percebe nas palavras do Manifesto.
32. Os manifestantes consideravam justa a atitude de D. Pedro I ao ordenar a execução sumária dos revoltosos do norte, entre eles, Frei Caneca.

Comentário
Resposta: 17
02. Incorreta. O texto faz alusão ao frio do Sul de forma metafórica, e não como o responsável pelo apoio à Constituição de 1824.

04. Incorreta. O manifesto deixa claro o apoio do Sul à aclamação de D. Pedro I como imperador do Brasil.

08. Incorreta. O manifesto se opôs à aclamação do imperador.

32. Incorreta. O manifesto contesta as ações de D. Pedro I.



21) “No ano de 1649 partiram os moradores de São Paulo para o sertão, em demanda de uma nação de índios distante daquela capitania muitas léguas pela terra adentro, com a intenção de os arrancarem de suas terras e os trazerem às de São Paulo e aí se servirem deles como costumam. Após meses de viagem, encontraram uma aldeia de índios da doutrina dos padres da Companhia, pertencentes à Província do Paraguai. Todos estavam na igreja, e o padre rezava missa, quando entraram os soldados de mão armada na aldeia, e dentro da mesma igreja prenderam todos os índios e índias que não puderam escapar”.
Carta do Pe. Antônio Vieira, ao Provincial dos Jesuítas, escrita do Maranhão em 1653.
Fundamentado(a) no fragmento da correspondência do Pe. Antônio Vieira e nos seus conhecimentos da História do Brasil Colonial, assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S).
01. Pe. Vieira informava ao seu provincial sobre as ações de apresamento de índios realizadas pelos Bandeirantes.
02. As denúncias do Pe. Vieira eram justificadas, pois durante a colonização do Brasil era proibida a escravização dos índios aldeados.
04. Os Bandeirantes agiam por ordem dos Reis de Portugal, que desejavam enfraquecer o poderio militar dos espanhóis apoiados pelos índios do Paraguai.
08. Foram freqüentes os ataques dos Bandeirantes às Reduções Jesuíticas, durante o século XVII, com o objetivo de apresamento de índios a serem utilizados como escravos.
16. Durante o período histórico conhecido como Brasil Colônia, os jesuítas justificavam a escravização dos negros, mas condenavam a escravização dos índios aldeados.
32. A escravização de índios e negros era uma exigência da Santa Sé para facilitar a sua evangelização.


Comentário
Resposta: 27
04. Incorreta. Os bandeirantes atacavam as missões jesuíticas para apresar índios independentemente das decisões políticas de Portugal.

32. Incorreta. A Igreja Católica sempre condenou a escravidão indígena, porém foi conivente com a escravidão de negros.



22) Os florianopolitanos e visitantes podem, durante todo o ano, visitar as fortalezas de Santa Cruz de Anhatomirim, São José da Ponta Grossa e Santo Antônio de Ratones, notáveis obras da engenharia militar portuguesa.
Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S) sobre os acontecimentos que envolveram a construção dessas fortalezas.
01. A construção das fortalezas foi idealizada pelo Engenheiro Militar Brigadeiro José da Silva Paes, primeiro governador da Capitania de Santa Catarina.
02. A construção das fortalezas de Santa Cruz de Anhatomirim, São José da Ponta Grossa e Santo Antônio de Ratones fazia parte da estratégia de consolidar a ocupação portuguesa no sul da colônia e evitar uma invasão espanhola.
04. As fortalezas de Santa Cruz de Anhatomirim, São José da Ponta Grossa e Santo Antônio de Ratones foram construídas durante o Primeiro Império (1822-1831) e faziam parte do sistema defensivo que visava impedir a reconquista do Brasil meridional pelos portugueses.
08. As fortalezas de Santa Cruz de Anhatomirim, São José da Ponta Grossa e Santo Antônio de Ratones deviam proteger a ilha contra investidas estrangeiras.
16. Na época em que foram construídas as fortalezas mencionadas, o governo português temia os corsários franceses que, provenientes do Rio da Prata, poderiam tomar a ilha, caso não fosse defendida.
32. Durante as lutas pela independência do Brasil as referidas fortalezas foram usadas como prisão militar. Nelas foram encarcerados os revoltosos do Desterro que desejavam implantar um governo federalista.

Comentário
Resposta: 11
04. Incorreta. As fortalezas foram construídas no século XVIII quando o Brasil ainda era uma colônia.

16. Incorreta. Os portugueses temiam as ações da Espanha, e não da França.

32. Incorreta. A Revolução Federalista ocorreu no início da República em 1893.

23) “Hoje você é quem manda

Falou, tá falado

Não tem discussão

A minha gente hoje anda


Falando de lado

E olhando pro chão, viu

Você que inventou esse estado

E inventou de inventar

Toda a escuridão

Você que inventou o pecado

Esqueceu-se de inventar

O perdão
Apesar de você

Amanhã há de ser

Outro dia

Eu pergunto a você
Onde vai se esconder

Da enorme euforia ...”
HOLANDA, Chico Buarque de. Rio de Janeiro: Phillips / Polygram,1978. Lado 2, faixa 6.
Apesar de Você foi editada e fez grande sucesso em 1978.
Com base no fragmento da canção e levando em conta os seus conhecimentos sobre o período da História do Brasil em que foi escrita, assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S).
01. A canção de Chico Buarque retrata um momento de grande euforia na sociedade brasileira, em virtude da redemocratização do país.
02. Apesar de Você foi sucesso no período dos governos militares, quando a militância política sofreu restrições e existia a censura da produção artística e musical.
04. Apesar de Você é um libelo contra a escravidão. Chico Buarque e outros intelectuais defendiam o fim da escravatura que ainda persistia no Brasil em meados do século passado.
08. A canção mencionada foi escrita num momento em que as liberdades democráticas tinham sido cerceadas e processos estavam sendo instaurados contra os que se opunham ao sistema vigente.
16. Os versos de Chico Buarque retratam uma época de restrição às liberdades, o “Estado Novo”: A minha gente hoje anda falando de lado e olhando pro chão.


Comentário
Resposta: 10
01. Incorreta. Em 1978, o Brasil vivenciava a ditadura militar sob o comando do presidente Geisel.

04. Incorreta. O momento histórico a que se refere à canção Apesar de Você, de Chico Buarque de Holanda, é referente à ditadura militar (1964-1985).

16. Incorreta. O Estado Novo aconteceu entre 1937 e 1945.

24) “Cinqüenta anos em cinco”. Com esse lema Juscelino Kubitschek de Oliveira venceu as eleições para a Presidência da República, realizadas em 1955, tendo como vice João Goulart. O governo JK foi impulsionado por objetivos agrupados no Plano de Metas, entre os quais os prioritários eram: energia, trans-porte, alimentação, indústria de base, educação e construção da nova Capital Federal.
Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S) nas suas referências às realizações do Governo Kubitschek.
01. Brasília foi construída, e foi inaugurada em abril de 1960, favorecendo a ocupação territorial do Centro-Oeste.
02. Política de investimentos direcionados à produção agrícola, em detrimento de incentivos à indústria de bens duráveis como automóveis e caminhões.
04. Proibição expressa quanto à remessa de lucros ao exterior como forma de incentivar a poupança interna e evitar a inflação.
08. O Plano de Metas fez crescer o número de indústrias, as estradas de rodagem e a produção de petróleo e aço.
16. O cumprimento do Plano de Metas favoreceu a distribuição harmônica do parque industrial do Brasil em todos os estados, evitando a concentração regional.
32. Investimento de capitais disponíveis no país, tratando de evitar o endividamento e a dependência externa.


Comentário
Resposta: 09
02. Incorreta. No governo JK a prioridade era a indústria de bens duráveis.

04. Incorreta. A inflação teve um considerável aumento no governo de Juscelino.

16. Incorreta. A região Nordeste foi preterida no setor industrial.

32. Incorreta. Houve um grande endividamento externo a partir da busca de recursos no exterior.






©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal