Howard dayton crown financial ministries



Baixar 0.59 Mb.
Página1/11
Encontro19.07.2016
Tamanho0.59 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11
tO Seu Dinheiro
Um guia bíblico para ganhar, gastar, economizar, investir, contribuir

e livrar-se das dívidas.

HOWARD DAYTON

CROWN FINANCIAL MINISTRIES

Digitalizado por Neuza

Revisado e doado por id







www.semeadoresdapalavra.net
Nossos e-books são disponibilizados gratuitamente, com a única finalidade de oferecer leitura edificante a todos aqueles que não tem condições econômicas para comprar.

Se você é financeiramente privilegiado, então utilize nosso acervo apenas para avaliação, e, se gostar, abençoe autores, editoras e livrarias, adquirindo os livros.



Semeadores da Palavra e-books evangélicos

O Seu Dinheiro

Copyright ©1996 por Crown Ministries, Inc.

Todos os direitos reservados.

Parte deste material apareceu previamente em Your Money: Frustration or Freedom? (Seu Dinheiro: Frustração ou Liberdade?) publicado por Tyndale House Publishers, © 1979 por Howard Dayton, Jr.


A não ser que seja de outra forma indicado, as citações bíblicas são da Bíblia Revista e Atualizada no Brasil, Segunda Edição, Sociedade Bíblica do Brasil, 1996.

Versículos identificados como (NVI) foram retirados da Bíblia Sagrada: Nova Versão Internacional.© 1993, 2000, de International Bible Society.

Versículos identificados como (BV) foram retirados da Bíblia Viva.Copyright © 1981 por The Living Bible International 8ª ed. - São Paulo: Mundo Cristão, 1995.

Versículos traduzidos diretamente da versão inglesa amplificada são identificados como (Amplificada).


©1965 por Zondervan Publishing House.

Titulo Original: Your Money Counts

Traducao: Elaine Carneiro D.Sant'Anna

Revisto: Marco Antonio D. Sant'Anna,

Allan H. Mc Leod

Capa: Pedro Jr. / Goiânia

1ª Edição no Brasil – 2002

Rev Julho 2003

Edição Agosto 2003

Número do cartão do Catalogo da Biblioteca do Congresso,

95-83819 – ISBN 0-9651114-0-7

Impressão e Acabamento:

Bless Gráfica e Editora Ltda.

Rua Humberto Polizio, 173-Centro

CEP 17580-000 - Pompéia - SP - Brasil

Fone: (14) 3452-2799 - E-mail: bless@blessgrafica.com.br



Para Bev, minha esposa,

presente escolhido por Deus para nossa família.
Para Matlhew, filho querido,

e Danielle, nossa alegria.
Para Jim Seneff,

cuja visão proporcionou a concepção deste livro.
Para Will Norton, cuja habilidade trouxe a luz apresente obra.
Para Tim Manor, mais chegado que um irmão,

e George Fooshee, meu mentor.
Para a Família do Ministério Crown, preciosos cooperadores,

de um valor inestimável que jamais poderia ser expressado por mim.
ÍNDICE


UM

O PROBLEMA

DOIS

A RESPOSTA

TRES

A PARTE DE DEUS - O FUNDAMENTO

QUATRO

A NOSSA PARTE - BONDADE E FIDELIDADE

CINCO

DÍVIDAS - GUIDE DE SUA RENDA

SEIS

LIVRANDO-SE DAS DÍVIDAS

SETE

CONSELHO - UM CORDÃO DE TRES DOBRAS

OITO

HONESTIDADE - EM TUDO

NOVE

CONTRIBUIÇÃO - QUAL E A SUA ATITUDE?

DEZ

TRABALHO - QUEM E SEU VERDADEIRO PATRAO?

ONZE

INVESTIMENTO - UMA LABUTA CONSTANTE

DOZE

O UNICO INVESTIMENTO GARANTIDO

TREZE

FILHOS - OS ABC'S DO DINHEIRO

CATORZE

ORÇAMENTO - MANTENHA-SE A PAR DOS FATOS

QUINZE

PADRAO DE VIDA - COMO DEVEMOS VIVER?

DEZESSEIS

PERSPECTIVA - O QUE E IMPORTANTE DE FATO

DEZESSETE

RESUMO GERAL




PERGUNTAS E RESPOSTAS




NOTAS

UM

O PROBLEMA



ALLEN e JEAN HITCHCOCK decidiram separar-se após vinte e quatro anos de casamento.

Antecipando os acertos do processo de divórcio, Allen começou a dar uma olhada nos arquivos financeiros da família. Em uma das pastas, encontrou canhotos desbotados de talões de cheque antigos; um cheque tinha sido feito para o hotel onde ele e Jean haviam passado a lua-de-mel; com um outro, haviam pago uma prestação do primeiro carro deles.Pegou mais um e lembrou-se, com orgulho paternal, do momento em que o havia preenchido, no hospital em que a filha nascera. E então, o do pagamento antecipado na compra da primeira casa deles...

Depois de varias horas mexendo nos talões de cheque, Allen percebeu o quanto ele e sua esposa haviam investido no casamento.Parou e ficou pensando profundamente durante alguns minutos.Então, fechou a pasta e discou para a mulher. Depois de trocar algumas palavras sem graça, deixou escapar a razão de seu telefonema: será que ela aceitaria, junto com ele, trabalhar para reconstruírem o casamento?

Embora uma crise familiar como a de Allen e Jean possa estar bem distante de alguns de nos, a mensagem dos canhotos de cheques da família deles e a mesma. E a historia de nossas vidas. Ela fala de nossos valores, nossas economias, nossos gastos e a quem fizemos doações. De fato, os canhotos de nossos cheques revelam mais sobre nossas prioridades do que qualquer outra coisa.

É por isso que Jesus falou tanto sobre dinheiro. Dezesseis das trinta e oito parábolas tratam da forma de se lidar com o dinheiro e com as posses. Na verdade, Jesus Cristo falou mais sobre dinheiro do que sobre quase todos os outros assuntos. Ha na Bíblia quinhentos versículos sobre oração, menos de quinhentos sobre a fé, porém, mais de dois mil trezentos e cinqüenta sobre dinheiro e posses.

Se o Senhor falou tanto sobre isso e porque deseja que conheçamos Sua perspectiva a respeito desta área critica da vida. Ele importou-se com a questão do dinheiro porque dinheiro é importante!

DOIS
A RESPOSTA

A BÍBLIA É UM PROJETO DE VIDA




ENQUANTO EU GUARDAVA PAPEIS e relatórios em minha pasta, o telefone em minha escrivaninha tocou. Eram cinco e meia da tarde e me aprontava para it para casa, apos um longo dia trabalhando com papeis e participando de conferencias. Sentia-me cansado e, com relutância, atendi ao telefone.

"Oi, Howard. Aqui é o Allen Hitchcock."

Senti um certo embaraço. Negligenciara-me a ligar-lhe de volta, em resposta a um telefonema dele. Ele parecia deprimido e dei uma desculpa esfarrapada por não ter respondido sua ligação.

"Jean e eu pensamos em nos divorciar, mas decidimos tentar trabalhar em nosso casamento", falou com uma voz que parecia tensa.

Os problemas financeiros deles estavam a beira de destruir seu casamento. Perguntou se podíamos nos encontrar para conversarmos sobre a situação. Tínhamos nos conhecido ha dois anos na igreja, quando haviam se mudado de St Louis para Orlando. Allen recebia um salário médio como assistente de gerente numa loja de departamentos, mas não conseguia entender onde é que seu dinheiro is parar. Suas despesas cresciam ja que a família também crescia e, dentro de poucos anos, os filhos precisariam de fundos para a faculdade. Nem ele nem Jean tinham expectativas de um futuro melhor.

Mais ainda, a família Hitchcock tinha uma dívida substancial com médicos, lojas, cartões de crédito e banco, alem do financiamento da casa que era de um valor alto.

Devido a dívidas e as despesas diárias que cresciam cada vez mais, a família tomava cuidado nas compras e, às vezes, passava por ate seis lojas de fabrica comparando preços para uma determinada compra. Nos supermercados, usavam os cupons que davam descontos de centavos; Allen fazia a maior parte dos consertos do carro e Jean evitava comprar alimentos semiprontos que custavam mais caro. Mas, mesmo assim, a família estava enfrentando uma crise. Nenhum dos dois tinha uma orientação clara para lidar com dinheiro e nunca haviam sido capazes de calcular seus gastos. Raramente decidiam deixar de comprar algo que desejassem e não tinham planos de economia ou investimento para o futuro.

Entendi a situação difícil pela qual passavam. Já fazia vários anos que Jim Seneff, um amigo e eu, descobrimos que estávamos tomando decisões financeiras diárias para nossos negócios em expansão e para nossas famílias jovens sem ter um ponto de referencia bíblico. Sentíamo-nos compelidos a fazer um estudo profundo sobre o que as Escrituras diziam a respeito do dinheiro para sermos os melhores maridos e homens de negócios possíveis. Lemos a Bíblia juntos localizando 2.350 versículos que tratavam de dinheiro e os organizamos em tópicos. Então, montamos um seminário com tais informações e o apresentamos na igreja. Que reação marcante! Fomos bombardeados com perguntas e os ouvintes descreveram varias áreas de intensa frustração. Outras igrejas pediram o seminário que, ao longo dos anos, tornou-se o Ministério Crown de Pequenos Grupos de Estudo Financeiro e que, atualmente, e desenvolvido em igrejas por toda a nossa nação.

É através desses estudos em grupos pequenos que milhares de pessoas como as da família Hitchcock tem sido ajudadas.
Descobrimos a Resposta que a maioria das pessoas - na verdade, a maioria dos cristãos – ou desconhece ou não tem aplicado os princípios financeiros de Deus em suas vidas. No entanto, a aplicação desses princípios e crucial por haverá razões:
1. A maneira como lidamos com o dinheiro afeta nossa comunhão com o Senhor.

Em Lucas 16:11 lemos: "Se, pois, não vos tornastes fieis na aplicação das riquezas de origem injusta, quem vos confiara a verdadeira riqueza?" Nesse versículo, Jesus equipara a maneira de lidarmos com o dinheiro com a qualidade de vida espiritual que temos. Se lidarmos com nosso dinheiro de maneira apropriada, de acordo com os princípios das Escrituras, nossa comunhão com Cristo ficara mais forte. No entanto, se gerenciarmos nosso dinheiro de forma infiel, nossa comunhão com Ele será afetada negativamente.

Certa vez, alguém me disse que o Senhor muitas vezes permite que uma pessoa ensine determinado assunto porque ela precisa desesperadamente aprendê-lo. Tenho tido o privilegio de liderar dezenas de pequenos grupos do Crown e jamais encontrei alguém que tivesse atitudes mais erradas ou que lidasse com as próprias finanças de forma mais contraria as Escrituras do que eu mesmo. Quando aprendi esses princípios e os apliquei, experimentei um progresso tremendo em minha comunhão com o Senhor. Quando seguimos os princípios financeiros de Deus ficamos mais perto de Cristo.
2. As posses competem com o Senhor pelo domínio de nossa vida.

As posses são as maiores competidoras com o senhorio de Cristo em nossa vida. Jesus nos diz que precisamos decidir a qual dos dois senhores serviremos: "Ninguém pode servir a dois senhores; pois odiará um e amará o outro, ou se dedicara a um e desprezara o outro. Vocês não podem servir a Deus e ao dinheiro”.(Mateus 6:24, NVI). E impossível servirmos ao dinheiro - mesmo de forma limitada - e ainda servirmos ao Senhor.

No século XII, durante as Cruzadas, os cruzados usavam mercenários para lutarem no lugar deles. Como as Cruzadas eram guerras religiosas, os cruzados insistiam que os mercenários fossem batizados antes da luta. Durante o batismo, os mercenários mantinham suas espadas fora da água, simbolizando um ponto sobre o qual Jesus Cristo não tinha controle. Eram livres para usarem suas espadas de qualquer forma que desejassem.

Hoje em dia, mesmo não o fazendo de forma tão obvia, muitas pessoas lidam com dinheiro de modo semelhante. Seguram suas carteiras “fora da água”, dizendo, com efeito, Deus, podes ser o Senhor de tudo em minha vida, exceto do dinheiro. Tenho capacidade total Mara lidar com ele por mim mesmo.


3. Grande parte da vida gira em torno do dinheiro.

Durante uma semana comum, quanto tempo você passa ganhando dinheiro com seu trabalho, tomando decisões em como gastá-lo, pensando sobre formas de economia ou investimentos ou orando por uma forma de ofertá-lo? Que bom que Deus prepara-nos para essas tarefas dando-nos a Bíblia como uma planta para lidar com o dinheiro.


A RESPOSTA
Cada vez mais, as pessoas questionam-se a respeito de onde buscar ajuda.Ha duas alternativas básicas: a Bíblia e as respostas formuladas por pessoas. A maioria delas lida com o dinheiro de forma bem contrastante com os princípios financeiros de Deus. Isaias 55:8 diz: "Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o SENHOR"

No final de cada capítulo, ha uma rápida comparação sob o titulo "Contraste", para ajudar o leitor a reconhecer as diferenças entre esses dois caminhos.


APRENDENDO A VIVER CONTENTE
O contentamento é mencionado sete vezes na Bíblia e, em leis delas, refere-se ao dinheiro.

Em Filipenses 4:11-13 Paulo escreve:


“Não estou dizendo isso porque esteja necessitado, pois aprendi a adaptar-me a toda e qualquer circunstancia. Seio que e passar necessidade e sei o que e ter fartura. Aprendi o segredo de viver contente em toda e qualquer situação, seja bem alimentado, ou passando necessidade. Tudo posso naquele que me fortalece” (NVI).
Examine esses versículos com cuidado. Não nascemos com o instinto do contentamento; em vez disso, ele e aprendido.

O propósito deste livro é ajudá-lo a aprender os princípios bíblicos para lidar com o dinheiro e com as posses. Ele oferece caminhos práticos para tornar estes princípios parte de sua vida. À medida que for descobrindo esses princípios e for colocando-os em pratica, ficara mais próximo de Cristo, ira submeter-se mais inteiramente a Ele Como Senhor, aprendera a viver contente e a deixar a área financeira de sua casa em ordem.


CONTRASTE
A sociedade diz: Deus não tem parte na utilização do dinheiro e minha felicidade esta baseada em minha capacidade de financiar o padrão de vida por mim desejado.

As Escrituras dizem: Ao aprender e seguir os princípios das Escrituras para lidar com o dinheiro, ficara mais próximo de Cristo e aprendera a viver contente em qualquer circunstancia.
TRÊS
A PARTE DE DEUS

O FUNDAMENTO



NUMA MANHA CHUVOSA DE NOVEMBRO, Allen e Jean Hitchcok chegaram ao meu escritório para conversarem a respeito de seus problemas financeiros, numa tentativa de salvarem o casamento.

Allen e Jean eram cristãos, mas nunca tinham ouvido a respeito da perspectiva bíblica sobre dinheiro e posses. Gostavam de seu lindo sobrado num bairro de Orlando, de seus dois carros ultimo modelo e de suas posses. Ambos sentiam que tinham trabalhado arduamente para obter o que possuíam, e achavam que tinham o direito de desfrutar da "vida boa”. No entanto, depois que as pressões financeiras ameaçaram seu padrão de vida, a falta de contentamento dos dois emergiu numa grande crise conjugal.Havia uma falta de comunicação grave com respeito às finanças da família.Cada um tinha sua própria opinião a respeito da forma de gastarem a renda familiar e jamais haviam sido capazes de conversar sobre o assunto sem terminarem em discussão.

Estavam prestes a perder tudo para os credores. Esse fato, junto com a possibilidade de divorcio, os tirara de seu comodismo. Assim, quando sentei-me com Allen e Jean numa sexta-feira apos o Dia de Ações de Graças, eles estavam motivados a aprenderem o que a Bíblia dizia sobre o dinheiro.

As Escrituras ensinam que ha duas partes distintas na forma de se lidar com o dinheiro: a de Deus e a nossa. Creio que a maior parte da confusão relativa ao trato com o dinheiro surge da falta de um entendimento claro sobre essas duas partes.


Seu é o grande poder,

e a gloria, e a vitória e a majestade. Tudo o que existe nos céus e na terra é seu, ó Senhor e seu este reino.

Nos adoramos a Deus porque

Ele dirige todas as coisas. Riquezas e honra vem somente do Senhor e Ele e o Governador de toda a humanidade; sua mão controla força e poder, e é por sua vontade que os homens se tornam importantes e recebem força.

REI DAVI,

I CRONICAS 29:11-12 (NVI)


A parte de Deus e o fundamento do contentamento. Nas Escrituras, Deus se autodenomina com mais de duzentos e cinqüenta nomes. Aquele que melhor descreve Deus nessa área do dinheiro e Senhor. Este capítulo e o mais importante do livro inteiro, pois a forma como vemos a Deus determina a forma como vivemos. Jó, por exemplo, apos perder todos as filhos e filhas e todas as suas posses, ainda foi capaz de adorar a Deus. Conhecia a Deus e Seu papel como Senhor de suas posses. De forma semelhante, Moises desistiu dos tesouros do Egito e escolheu sofrer maus-tratos juntamente com o povo de Deus. Tanto Jó quanto Moises conheciam a Deus e aceitaram Seu papel de Senhor.


Examinemos o que a Bíblia tem a dizer sobre o papel de Deus em haverá áreas cruciais: domínio, controle e provisão.


DOMÍNIO
A Bíblia afirma claramente que Deus e o único dono de tudo. "Ao SENHOR pertence a terra e tudo o que nela se contem, o mundo e as que nele habitam" (Salmo 24:1). As Escrituras revelam até mesmo itens específicos possuídos por Deus. Levíticos 25:23 identifica-o como o dono de toda a terra: Também a terra não se vendera em perpetuidade, porque a terra e minha “Ageu 2:8 revela que “Minha é a prata, meu é o ouro, diz o SENHOR dos Exércitos.” E o Senhor nos diz no Salmo 50:10”, Pois são meus todos os animais do bosque e as alimárias aos milhares sobre as montanhas."

Deus é o Criador de todas as coisas e jamais transferiu a posse de Sua criação as pessoas. Colossenses 1:17 diz que "Nele tudo subsiste”. Neste exato momento, o Senhor mantêm tudo junto pelo Seu poder. Reconhecer que Deus tem o domínio e crucial para se permitir que Jesus Cristo seja o Senhor de nosso dinheiro e posses.


Domínio ou Senhorio?

Se queremos ser seguidores genuínos de Cristo, devemos transferir o domínio de nossas posses ao Senhor. "Assim, pois, todo aquele que dentre vos não renuncia a tudo quanto tem, não pode ser meu discípulo" (Lucas 14:33). Em minha experiência, descobri que o Senhor testa-nos algumas vezes perguntando-nos se temos o desejo de renunciar todas as nossas posses mais queridas.

O exemplo mais vivido das Escrituras e o do momento em que o Senhor disse a Abraão: "Toma teu filho, teu único filho, Isaque, a quem amas... oferece-o ali em holocausto" (Gênesis 22:2). Quando Abraão obedeceu, demonstrando seu desejo de renunciar ao bem mais precioso que possuía, Deus providenciou um cordeiro para a oferta, e Isaque não foi sacrificado.

Larry Burkett, um escritor de renome, observou, “Quando reconhecemos o domínio de Deus, cada decisão quanto ao gasto do dinheiro torna-se uma decisão espiritual. Ja não mais perguntamos, Senhor, o que queres que faça com meu dinheiro? A pergunta é reformulada para, Senhor, o que queres que eu faça com teu dinheiro? Quando temos essa perspectiva, as decisões de gastar e economizar são decisões tanto espirituais quanto as decisões de contribuir”.


O primeiro Passo em Direção ao Contentamento

Para aprender a viver contente, você precisa reconhecer que Deus e o dono de todas as suas posses. Se você crê que você é dono ate mesmo de uma única coisa, as circunstancias que afetam tal posse serão refletidas em sua atitude. Se algo favorável acontecer com aquela posse, você ficará feliz; mas, se a situação for adversa, você se sentira contrariado.

Depois que Jim Seneff passou pelo exercício de transferir a Deus o domínio de tudo que possuía, comprou um carro novo. Apenas dois dias depois alguém bateu em uma lateral do veículo. A primeira reação de Jim foi, "Bom, Deus, não sei porque o Senhor quer um amassado na lateral de Seu carro novo, mas com certeza tem uma grande razão!" Deforma semelhante, quando John Wesley tomou conhecimento de que sua casa tinha sido destruída por um incêndio, exclamou, "A casa do Senhor foi queimada. Uma responsabilidade a menos para mim!”.

De fato, não e fácil manter uma perspectiva como essa de forma consistente. E muito mais fácil pensar que nossas posses e o dinheiro que ganhamos são inteiramente resultados de nossas habilidades e realizações. Achamos difícil não crer que temos o direito de domínio sobre elas. "Sou o dono de meu destino”, diz o humanista. "Só eu domino minhas posses”. É óbvio que, em nossa cultura, este e o ponto de vista que prevalece.

Não e fácil desistir desse tipo de domínio e isso também não e um acontecimento único e para sempre. Precisamos sempre ser lembrado de que Deus e o dono de todas as nossas posses.

CONTROLE
A segunda responsabilidade que Deus retêm para si e o controle máximo de todos os eventos que ocorrem na terra. Examine vários dos nomes de Deus nas Escrituras: Senhor, Todo-poderoso, Criador, Pastor, Senhor dos senhores e Rei dos reis. Fica óbvio quem tem o controle:

Seu e o grande poder, e a glória, e a vitória e a majestade. Tudo o que existe nos céus e na terra é seu, ó Senhor, e seu e este reino. Nós adoramos a Deus porque Ele dirige todas as coisas. Riquezas e honra vem somente do Senhor, e Ele e o Governador de toda a humanidade; sua mão controla força e poder, e é por sua vontade que os homens se tornam importantes e recebem força (I Crônicas 29:11-12, BV).


No Salmo 135:6 lemos, "O SENHOR faz tudo o que lhe agrada, nos céus e na terra". E em Daniel 4:34-35 o Rei Nabucodonozor afirma: "louvei o Altíssimo... ele age como lhe agrada com os exércitos dos céus e com os habitantes da terra. Ninguém e capaz de resistir a sua mão ou dizer-lhe: `O que fizeste?"' (NVI).

O Senhor está no controle, até mesmo dos eventos difíceis. "Eu sou o SENHOR e não ha outro. Eu formo a luz e crio as trevas; faço a paz e crio o mal; eu o SENHOR, faço todas estas cousas" (Isaias 45:6-7). E importante que os filhos de Deus percebam que o Pai celeste conduz até mesmo a circunstancia que parece devastadora, em direção a um bem maior nas vidas de seus santos. "Sabemos que todas as cousas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito" (Romanos 8:28).

Os momentos mais traumáticos que Bev e eu vivemos em nosso casamento aconteceram durante o processo de adoção de Andrew, nosso segundo filho. Nós o recebemos quando ele tinha quatro dias de vida.Era um nenê lindíssimo! Por volta de seus haverá meses, percebemos que tinha problemas físicos. Ao longo de dois meses, passamos por uma experiência dificílima, quando os médicos não conseguiam chegar a um acordo quanto ao diagnostico.

Por fim, descobrimos que sua mãe natural havia usado narcóticos fortíssimos antes e durante a gravidez, e que Andrew tinha nascido apenas com o "tronco" do cérebro. Em meio a nossa profunda dor e sofrimento, voltávamo-nos continuamente ao fato fundamental de que nosso Pai celeste amava Andrew muito mais do que nós, e que Deus queria deixá-lo sob nossos cuidados durante um período. Ficamos amigos íntimos dos avós naturais do menino e nossa família aprendeu a ter compaixão pelos que se encontram em situação desfavorável. Vimos o Senhor dando o melhor cuidado a Andrew e experimentamos muitas bênçãos em meio aquele tempo de fortes emoções.



O Senhor permite circunstancias difíceis por haverá razões:
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal