Howard dayton crown financial ministries



Baixar 0.59 Mb.
Página2/11
Encontro19.07.2016
Tamanho0.59 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11

1. Para realizar Seus propósitos. Isso está ilustrado na vida de José que, ainda adolescente, foi vendido como escravo pelos irmãos invejosos. Anos mais tarde, Jose falou a eles: "Não vos entristeçais, nem vos irriteis contra vos mesmos por me haverdes vendido para aqui; porque para conservação da vida Deus me enviou adiante de vós... Assim não fostes vós que me enviastes para cá, e, sim, Deus" (Gênesis 45:5, 8; ênfase do autor).
2. Para desenvolver nosso caráter. O caráter divino, algo precioso para Deus, e sempre desenvolvido em meio aos tempos de provações. Romanos 5:3-4 diz, "mas também nos gloriemos nas próprias tribulações, sabendo que a tribulação produz perseverança; e a perseverança, experiência." A.W Tozer, escrevendo sobre esse tema, falou, "Deus não pode usar ao máximo uma pessoa enquanto esta não for profundamente ferida". Creio que isso seja verdade. Aprendi lições sobre confiança no Senhor e, durante os tempos difíceis, me cheguei mais perto dele do que jamais chegara antes.
3. Para disciplinar Seus filhos. Quando desobedecemos, podemos esperar que nosso amado Senhor administre disciplina para nos encorajara abandonar o pecado. Ela, com freqüência, vem através das circunstancias difíceis.
Porque o Senhor corrige a quem ama...Deus, porém, nos disciplina para aproveitamento, a fim de sermos participantes da sua santidade. Toda disciplina, com efeito, no momento não parece ser motivo de alegria, mas de tristeza; ao depois, entretanto, produz fruto pacifico aos que tem sido por ela exercitados, fruto de justiça (Hebreus 12:6, 10-11).
O Senhor tem controle absoluto de cada circunstancia que você terá de enfrentar. Você pode ter a satisfação de saber que seu amado Pai celestial pretende usar cada situação primordialmente para um bom propósito.

PROVISÃO
O terceiro elemento da parte de Deus e que Ele prometeu prover nossas necessidades. "Buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas cousas vos serão acrescentadas" (Mateus 6:33). Em Gênesis 22:14, Deus e chamado de "Jehovah-jireh," que significa "o Senhor proverá." Ele cuida de seu povo e não precisa de uma economia próspera para tal provisão. Deu maná para os filhos de Israel, a cada dia, durante os quarenta anos em que peregrinaram no deserto. Jesus alimentou cinco mil pessoas com apenas cinco Paes e dois peixes.

Deus e tanto previsível quanto imprevisível. É totalmente previsível em sua fidelidade para prover nossas necessidades. Mas o que não podemos prever e a forma como o Senhor fará isso. Ele usa meios variados e, às vezes, surpreendentes para it ao encontro de nossas necessidades. Pode aumentar nosso salário, providenciar um presenteou aumentar nossos recursos limitados, através de poupanças. Independente da forma escolhida para prover nossas necessidades, Ele e absolutamente confiável.

Lemos em I Timóteo 6:8 que nossas necessidades são alimento e roupa. Em outras palavras, ha uma diferença entre necessidades e desejos. Uma necessidade diz respeito a elementos básicos da vida -alimento, roupa ou abrigo. Um desejo e mais que uma necessidade. Um jantar com file mignon, um carro novo e produtos de ultima moda são todos desejos.

A parte de Deus em nos ajudar a ter contentamento esta ligada ao fato de Ele ter-se obrigado a si mesmo a prover nossas necessidades.No entanto, Ele não prometeu prover nossos desejos. Ele promete prover nossas necessidades e diz para vivermos contentes quando essas necessidades são satisfeitas. "Tendo sustento e com que nos vestir, estejamos contentes" (I Timóteo 6:8).

Deixe-me ilustrar a provisão de Deus com uma estória.


Quando a II Grande Guerra aproximava-se do fim, as forças aliadas juntaram muitos órfãos famintos, colocaram-nos em campos onde eram bem alimentados. Apesar do ótimo cuidado recebido, sempre dormiam mal. Pareciam nervosos e com medo. Finalmente, um psicólogo encontrou uma solução. Cada criança receberia um pedaço de pão para segurar, antes de ir para a cama. Se ficasse com fome, receberia mais comida, mas quando acabasse de comer, aquele pedaço de pão era só para ser segurado - não para ser comido.

O pedaço de pão produziu um efeito maravilhoso! As crianças iam para a cama sabendo, por instinto, que teriam alimento no dia seguinte. Essa garantia deu as crianças um sono restaurador e tranqüilo.'
De maneira semelhante, o Senhor deu-nos Sua garantia – nosso "pedaço de pão." Quando nos agarramos a Suas promessas de provisão, podemos relaxar e ficar tranqüilos. "E o meu Deus, segundo a sua riqueza em gloria, ha de suprir em Cristo Jesus, cada uma de vossas necessidades" (Filipenses 4:19). Assim, mesmo que você esteja em meio a um enorme problema financeiro, pode ficar contente porque o Senhor prometeu alimentar, vestir e dar abrigo a você.

Tenho convicção de que o Senhor provê no momento exato os recursos necessários para realizarmos o propósito e o chamado que Ele tem para cada um de nos. Isso está ilustrado em 2 Samuel 12:7-8, quando Ele falou a Davi através do profeta Nata: "Assim diz o SENHOR Deus de Israel: Eu to ungi rei sobre Israel, e eu to livrei das mãos de Saul, dei-te a casa de teu senhor e as mulheres de teu senhor em teus bravos, e também to dei a casa de Israel e de Judá, e, se isto fora pouco, eu teria acrescentado tais e tais cousas."

A partir da vida de Davi, vemos que Deus não provê de imediato todos os recursos necessários para ele ser rei. Eles chegaram no momento apropriado, quando Davi mais precisava deles. Em certas ocasiões, o Senhor reteve recursos para o Ministério Crown. Algumas vezes em que isso aconteceu, fiquei confuso. Mais tarde, descobri que se tivéssemos recebido os recursos de forma rápida, não os teríamos gasto de forma sábia.
CONHECENDO A DEUS
A razão básica pela qual falhamos em reconhecer a parte de Deus é que não entendemos quem e Deus. Não é comum termos uma admiração genuína pelo Senhor "que estendeu os céus e fundou a terra" (Isaias 51:13). Nossa tendência é diminuir a imagem que temos de Deus e encaixá-lo em uma forma com habilidades e limitações humanas. No entanto, podemos expandir nossa visão para capturar a verdadeira perspectiva de Deus, estudando o que a Bíblia diz sobre Ele. O que vem a seguir é apenas uma amostra:
Senhor do Universo

O poder do Senhor é incompreensível para nos humanos. Por exemplo, os astrônomos. estimam que ha mais de 100 bilhões de galáxias no universo e que cada uma contém bilhões de estrelas. A distancia entre o final de uma galáxia e a outra é sempre medida em milhões de anos-luz. A grandiosidade do universo é espantosa para nossas mentes.Em Isaias 40:26 lemos: "Levantai ao alto os vossos olhos, e vede. Quem criou estas cousas? Aquele que faz sair o seu exército de estrelas, todas bem contadas, as quais ele chama pelos seus nomes; por ser ele grande em forca e forte em poder, nem uma só vem a faltar."


Senhor das Nações

Examine o papel e a posição do Senhor em relação as nações e as pessoas. Isaias 40:21-24 diz: "Acaso não sabes? Porventura não ouvis'?... Ele é o que esta assentado sobre a redondeza da terra, cujos moradores são como gafanhotos...é ele quem reduz a nada os príncipes, e torna em nulidade os juízos da terra. Mal foram plantados e semeados... ja se secam quando um sopro passa por eles"

E em Isaias 40:15, 17 lemos: "Eis que as nações são consideradas por ele como um pingo que cai dum balde, e como um grão de pó na balança... Todas as nações são perante ele como cousa que não e nada; ele as considera menos do que nada, como um vácuo."
Senhor do Individuo

Deus não é uma "força" distante, desinteressada. Pelo contrario, Ele esta envolvido, de forma intima, com cada um de nos como indivíduos. Salmo 139:3-4, 16 revela: "Todos os meus caminhos são bem conhecidos por ti. Antes mesmo que a palavra me chegue a língua, tu ja a conheces inteiramente... todos os dias determinados para mim foram escritos no teu livro antes de qualquer deles existir"(NVI). O Senhor está tão envolvido em nossas vidas e nos assegura que, "Ate os cabelos todos de nossa cabeça estão contados" (Mateus 10:30). Nosso Pai celestial e Aquele que mais nos conhece e nos ama.

Deus pendurou as estrelas no espaço, desenhou as montanhas altaneiras e os oceanos poderosos e determinou o destino das nações. Jeremias observou de modo correto: "Cousa alguma to e demasiadamente maravilhosa" (Jeremias 32:17). No entanto, Deus sabe quando um pardal cai no chão. Ele e o Senhor do infinito e do infinitesimal.

Em resumo, revisemos qual e a parte de Deus. Ele e o dono, ele tem o controle de todas as circunstancias e prometeu it ao encontro de nossas necessidades. Em outras palavras, o Deus que criou o mundo e o mantém e capaz de cumprir Suas responsabilidades e manter Suas promessas. No entanto, a parte de Deus e apenas metade da equação. E a mais importante, mas, ainda, apenas metade. No capítulo seguinte, você começara a examinar a outra metade, a nossa parte.



CONTRASTE
A sociedade diz: O que eu possuo e só meu e só eu controlo meu destino.
As Escrituras dizem: O que eu possuo e de Deus. Ele e o Deus soberano e vivo, que controla todos os acontecimentos.
No final da maioria dos capítulos, após o CONTRASTE entre a sociedade e as Escrituras, haverá uma seção de COMENTARIO, que dará a oportunidade de você praticar o principio bíblico que acabamos de analisar. Desafio e encorajo você a fazer a seção do COMPROMISSO, pois terá um auxilio a mais para que o principio se torne parte de sua vida.
COMPROMISSO
No grupo pequeno do Ministério Crown, fazemos um exercício de transferência da propriedade de nossas posses para o Senhor.Usamos uma escritura formal para fazer isso, pois ela e sempre usada nas transferências de propriedade.

Quando as participantes do grupo completamente assinam a escritura, estão tomando conhecimento de que Deus é o proprietário de seus bens. O exercício e importante, pois todos nós, ocasionalmente, nos esquecemos de que Deus e o dono de tudo.Agimos como se fossemos os donos de tudo. Ao assinar o documento, a pessoa estabelece um tempo especifico em que aposse de Deus torna-se conhecida. Assim, a pessoa pode referir-se ao documento varias vezes e lembrar-se de que Deus e quem tudo possui.

As instruções seguintes irão auxiliar você a completar o documento:
1. Coloque a data de hoje.

2. Escreva o seu nome. Você e quem esta transferindo a posse.

3. O Senhor e Aquele que esta recebendo os bens.

4. Considere, em oração, as posses das quais você deseja que Deus seja o proprietário. Então faça uma lista desses itens.

5. Assine seu nome.

6. No canto inferior direito, ha um espaço para a assinatura de duas testemunhas. Estes amigos poderão ajudar você a se manter responsável em reconhecer a Deus como o proprietário de suas posses.

ESTE DOCUMENTO NÃO TEM VALOR LEGAL NEM PODE SER USADO PARA A TRANSFERENCIA DE PRORIEDADES.

QUATRO
NOSSA PARTE

BOM E FIEL




D



Muito bem, servo bom e fiel; foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei: entra no gozo do teu Senhor.

MATEUS 25:21

EPOIS QUE ELE E JEAN TERMINARAM de assinar a escritura, Allen entregou-a a mim, deslizando-a sobre a escrivaninha. "Sinto-me muito aliviado," falou. "Mas sinto também que tenho algo para fazer." Allen estava certo. Não podemos simplesmente ficar sentados, sem fazer nada, esperando pela atuação de Deus. Temos uma responsabilidade. Mas, como Allen, talvez não saibamos qual e a nossa parte.

Deus, o Senhor, e o dono de tudo, o que tem o controle de todos os eventos e o nosso provedor. Nossa responsabilidade e sermos mordomos.


A palavra mordomo pode ser traduzida de duas formas: gerente ou supervisor. Nas Escrituras, a posição de um mordomo e de grande responsabilidade. Ele e a autoridade suprema depois do senhor e tem total responsabilidade por todas as posses do Senhor e pelos cuidados domésticos.


O

contentamento é

o subproduto do

desempenho fiel

dos nossos deveres.

Ao examinarmos as Escrituras, vemos que Deus, como Senhor, deu o contentamento e o subproduto do desempenho fiel dos nossos deveres nos autoridade para sermos mordomos. "Deste ao homem o domínio de toda a criação, autoridade sobre todas as criaturas" (Salmo 8:6, BV).

A única responsabilidade da pessoa e ser fiel. "Ora, alem disso o que se requer dos despenseiros e que cada um deles seja encontrado fiel" (I Coríntios 4:2).

Antes de sermos fieis, precisamos conhecer a tarefa que temos a realizar. Da mesma forma que o proprietário de um automóvel estuda o manual do fabricante para aprender a operar o carro de forma apropriada, precisamos examinar o manual do Criador, a Bíblia, para descobrirmos como Ele deseja que lidemos com Suas posses.E importante entender vários elementos da fidelidade.


1. A fidelidade em todos os nossos recursos

Somos desafiados a ser fieis em lidar com 100 por cento, e não apenas 10 por cento. Infelizmente, muitas igrejas concentraram-se apenas em ensinar os membros a lidarem com apenas 10 por cento de sua receita - a área de contribuições. Embora essa área seja crucial, permitimos que os cristãos aprendam a lidar com os outros 90 por cento na perspectiva mundana e não na do Senhor.

Como não sabem lidar com o dinheiro de forma bíblica, muitos cristãos tem atitudes erradas em relação às posses e tomam decisões financeiras incorretas, que conduzem a conseqüências dolorosas. Oséias 4:6 diz: "O meu povo esta sendo destruído porque lhe falta o conhecimento." A desobediência ou ignorância quanto aos princípios financeiros bíblicos, com freqüência, gera problemas com dinheiro.
2. A fidelidade a despeito daquilo que temos

A questão nas Escrituras e como lidar fielmente com tudo que Deus nos confiou. O mordomo fiel e responsável por aquilo que tem, seja muito ou pouco. A Parábola dos Talentos ilustra isso. "Pois será como um homem que, ausentando-se do país, chamou os seus servos e lhes confiou os seus bens. A um deu cinco talentos, a outros dois e a outro um..." (Mateus 25:14-15). Quando o senhor retornou, pediu que cada escravo prestasse contas da fidelidade com que cuidaram de suas posses.Ele premiou o escravo fiel que recebera cinco talentos: "Muito bem, servo bom e fiel; foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei: entra no gozo do teu senhor" (Mateus 25:21). E interessante que o escravo que recebera dois talentos recebeu um premio igual ao do escravo que recebera cinco (veja Mateus 25:23). Somos ordenados a sermos fieis, tanto se recebemos muito, quanto se recebemos pouco. Como alguém disse certa vez, "O importante não é aquilo que faria se tivesse um milhão de reais, mas aquilo que estou fazendo com os dez reais que possuo."


3. A fidelidade nas pequenas coisas

Lemos em Lucas 16:10, "Quem e fiel no pouco, também é fiel no muito; e quem é injusto no pouco, também e injusto no muito". Como você pode saber se um de seus filhos cuidara bem de seu primeiro carro? Observe como e que ele cuida de sua bicicleta. Como saber se um vendedor fará um trabalho com competência ao servir um cliente de posses? Observe como e que ele serve um cliente menos abastado. Se nosso caráter determina que sejamos fieis nas pequenas coisas, o Senhor sabe que pode confiar em nos para as responsabilidades maiores.

"Coisas pequenas são coisas pequenas," disse Hudson Taylor, um missionário estadista, "mas, fidelidade nas coisas pequenas é uma grande coisa."
4. A fidelidade com as posses de outros

A fidelidade em relação às posses de outras pessoas determina, de certa forma, o quanto você é confiável. "Se não vos tornastes fieis na aplicação do alheio, quem vos dará o que e vosso?" (Lucas 16:12). Com freqüência, esse principio e desprezado. Você e fiel em relação as posses de outros? Você deixa de ser cuidadoso com os objetos do escritório de seu empregador? Gasta eletricidade em excesso quando esta no quarto de um hotel? Quando toma emprestado algo de alguém, toma cuidado para devolve-lo em bom estado? Tenho certeza de que algumas pessoas deixaram de receber mais por não terem sido fieis com as posses de outros.


5. A fidelidade forma o caráter

Deus usa o dinheiro para refinar nosso caráter. Em 1918, David McConaughy escreveu um livro chamado Money, The Acid Test (Dinheiro, o Teste de Acido), no qual fala:

O dinheiro, a mais comum dentre as coisas temporárias, envolve conseqüências incomuns e eternas. Embora aconteça de forma muito inconsciente, as pessoas são moldadas pelo dinheiro - no processo de ganhá-lo, economizá-lo, usá-lo, dá-lo ou avaliarem-no. Dependendo do modo como e usado, submete seu possuidor à bênção ou a maldição; ou a pessoa torna-se o Senhor do dinheiro ou o dinheiro torna-se o senhor da pessoa.
Nosso Senhor toma o dinheiro, coisa que, embora sendo essencial a nossa vida comum, às vezes, parece tão sórdida, e faz dele um fundamento para provar as vidas das pessoas e um instrumento para moldá-las a semelhança de Si mesmo.
De forma muito clara, enquanto estamos lidando com nossas posses como mordomos fieis, nosso caráter esta sendo formado. Se somos infiéis, nosso caráter esta sendo prejudicado. Richard Halverson disse com muita precisão: "Jesus Cristo falou mais sobre dinheiro que sobre qualquer outra coisa porque dinheiro e de suma importância, quando se trata da verdadeira natureza de uma pessoa. Através do dinheiro, faz-se uma avaliação precisa de nosso verdadeiro caráter. Através das Escrituras, encontramos uma intima correlação entre o desenvolvimento do caráter de uma pessoa e a forma como ela lida com o dinheiro."
6. A fidelidade gera contentamento

Uma vez que tenhamos consciência da parte de Deus e da nossa parte, podemos viver contentes. Descobrimos em Filipenses que Paulo aprendeu a viver contente porque sabia que Deus supriria todas as suas necessidades (Filipenses 4:19), e ele tinha sido fiel. "O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso praticai; e o Deus da paz será convosco" (Filipenses 4:9).

Quando aplicarmos os princípios da economia de Deus, começaremos a sair das dívidas, a gastar com mais sabedoria, a começara economizar para nossos projetos futuros e a ofertar mais ainda para o trabalho de Cristo. A Bíblia oferece soluções reais para os problemas financeiros atuais. Cada um dos capítulos seguintes trata de uma área especifica necessária para equipar-nos para que nos tornemos mordomos fieis.
No início da maioria dos próximos capítulos completaremos uma seção intitulada a "roda da fidelidade", apresentada aqui com o objetivo de ajudar a tornar mais claras as responsabilidades de um mordomo fiel.





CONTRASTE
A sociedade diz: Você ganhou o seu dinheiro; agora gaste-o da forma que quiser e você será feliz.
As Escrituras dizem: Você só conseguira estar contente se tiver sido um mordomo fiel ao lidar com o dinheiro sob a perspectiva de Deus.

CINCO
DÍVIDAS

CUIDE DE SUA RENDA





O PROBLEMA FINANCEIRO MAIS IMEDIATO que Jean e Allen enfrentavam era a pressão de seus credores. E como havia credores!


T
Qualquer governo, da mesma forma que qualquer família, pode gastar durante o ano mais do que recebe. Mas você e eu sabemos que, a perpetuação desse hábito conduz a pendria.

FRANKLIN D.

ROOSEVELT, 1932

inham dois empréstimos de um banco, contas em haverá lojas de departamento e um saldo negativo fora do comum de vários cartões de crédito. Alem de tudo isso, a hipoteca da casa.

O endividamento da família Hitchcock começou tão logo se casaram e fizeram o pedido do primeiro empréstimo. Jean, que havia sido criada numa família abastada falou, "Nossos amigos tinham carros novos e nós nos sentíamos diminuídos. Precisávamos ter um carro novo também." Mais tarde, ao serem transferidos para Orlando, compraram uma casa numa área nobre, tomando emprestado dinheiro para o pagamento do sinal.


As dívidas continuaram a se acumular. "Finalmente," falou Jean, "o funcionário do banco disse que teria que tomar nossa casa e ainda continuar debitando o valor restante direto do próprio salário de Allen."

"A maioria de nossas dívidas foi crescendo tão devagar ao longo dos anos," falou Allen, "que não percebemos o que estava acontecendo, ate que ja era tarde demais."

A cada ano, milhões de pessoas encontram-se na situação desagradável da família Hitchcock. Um especialista em créditos diz que a principal razão disso e "que a capacidade de pagar e afetada”. As pessoas fazem empréstimos pressupondo que terão um fluxo constante de renda mas, então, acontece o inesperado. Alguém fica doente; surge um novo bebe no caminho; um patrão fecha a loja
Aumento de dívidas

As dívidas pessoais, do comercio, e do governo estão explodindo em nossa nação. Se o total de dívidas fosse convertido em notas de um dólar, ligadas em suas extremidades e alinhadas em direção ao espaço, alcançariam mais de um bilhão de milhas... para alem do sol! A economia esta assentada sobre uma montanha crescente de dívidas.




... livre do domínio do vicio; pela pratica do trabalho diligente e da vida simples, livre das dívidas,

que expõem o homem ao confinamento e escravidão de seus credores.
BENJAMIN FRANKLIN,

SECULO XVIII


"Cercados por tantas formas de créditos, ficamos suscetíveis a algum acidente," explica Vem Countryman, um professor de Harvard. "E o mesmo que ocorre com acidentes automobilísticos. Com tantos carros por ai, vamos ter acidentes." Ha poucos anos atrás, mais de 850.000 indivíduos foram a falência- número maior que o de falências nos tempos da Grande Depressão. Hoje em dia, os consumidores gastam em torno de um dólar para cada cinco dólares de salário liquido com dívidas pessoais, sem incluir a prestação da casa. Ainda mais grave e o resultado de uma pesquisa pela Gallup Poll que descobriu que 56 por cento de todos os divórcios e resultado de uma tensão financeira no lar. Para muitos casais, o voto de casamento mais adequado teria sido "ate que a dívida nos separe."

Uma grande razão para a existência dessa tensão financeira e o fato de os consumidores acreditarem num "evangelho segundo a avenida Madison," que diz: "Compre agora e pague mais tarde com pagamentos mensais simples." Nos sabemos que não há facilidade alguma quanto aos pagamentos mensais.



O QUE E DÍVIDA?
Aqueles que promovem os financiamentos e as propagandas usam definições atraentes sobre dívida, as quais mascaram a realidade sombria da publicidade. O dicionário Roget's College Thesaurusa lista os seguintes sinônimos para a palavra dívida: responsabilidade, negativo, dever, obrigação, penhora, ônus, insolvência, estado de ser confrontado, de estar-se no buraco, quebrado.

Da mesma forma

que o rico, domina o pobre, aquele que

toma emprestado torna-se servo que empresta.
REI SALOMÃO SECULO X a. C.
Você sente um desconforto ao ler essa lista? Continue esperando para ver urna propaganda que do prometa a boa vida de "comprar agora e pagar depois" equilibrada com essas palavras que descrevem a realidade da dívida. Você esta começando a sentir que o "evangelho segundo a avenida Madison" talvez não esteja pregando a verdade total da vida abundante para o membro do "clube dos endividados"?

O dicionário define dívida como "dinheiro ou propriedade que uma pessoa e obrigada a pagar a outra." Dívida inclui dinheiro a pagar a companhias de cartões de crédito, empréstimos de bancos, dinheiro emprestado de parentes, financiamento da casa própria e contas antigas ainda devidas a serviços médicos. As contas que chegam para vencer, tais como a conta mensal de eletricidade, não sao consideradas dívidas, quando pagas dentro do prazo.


1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal