I – dados de identificaçÃo carga Horária Teórica: 60h Carga Horária Prática: 00 II – ementa



Baixar 22.63 Kb.
Encontro30.07.2016
Tamanho22.63 Kb.
PLANO DE ENSINO 2012-2

DISCIPLINA: Perspectivas investigativas em História da Educação

Código:

PROFESSOR: Elbio Gerardo Silveira Ramos



I – DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

Carga Horária Teórica:60h

Carga Horária Prática: 00

II – EMENTA

Estuda as diferentes concepções de história e a relação destas com aconstituição da história da educação como campo de investigação. Investe no aprofundamento de temas que buscam construir uma história da educação a partir do ponto de vista dos diversos sujeitos sociais e culturais.



III – OBJETIVOS

GERAL

Refletir criticamente sobre a dimensão histórica do sujeito humano que se constitui num cruzamento de relações. Tomar consciência desta complexidade para futuras pesquisas em história da educação.



ESPECÍFICOS

Aprofundar o conceito de História e suas implicações no campo da Educação.

Compreender as possibilidades, limitações e dificuldades na construção do discurso historiográfico em Educação.

Compreender mais apuradamente o processo de formação histórica da Educação.



IV – CONTEÚDOS

Reflexão e análise de conceitos fundamentais para a construção de uma História da Educação.

História Geral da Educação: tópicos sobre o desenvolvimento do campo.

História da Educação no Brasil: elementos introdutórios para a compreensão do seu processo de evolução.



V – METODOLOGIA

TÉCNICAS

Aulas expositivo-dialogadas combinadas com dinâmicas grupais. Estudos dirigidos em sala de aula. Delimitação prévia de grupos de trabalho (definidos de acordo com a quantidade de alunos da turma) que auxiliarão no andamento das aulas de acordocom os temas propostos. Elaboração de sínteses de aula.


RECURSOS

Quadro negro, computador e projetor multimídia para projeção de arquivos Powerpoint. Textos e outros recursos bibliográficos.



VI – CRONOGRAMA DE ATIVIDADES

1º encontro

Apresentação da proposta da disciplina e do cronograma de atividades. Exposição sobre as principais questões e dificuldades envolvidas no estudo da História da Educação.

encontro

O que é a História? A possibilidade de uma reflexão crítica.

JENKINS, Keith. “O que é a História?”

encontro

Argumentação e pesquisa histórica. Fontes históricas.

PINSKY, Carla B. (Org.) “Fontes históricas.”

JENKINS, Keith. “Algumas perguntas e algumas respostas”

encontro

Pensar a história no contexto pós-moderno.

JENKINS, Keith. “Construindo a história no mundo pós-moderno.”

5º encontro

Discursos historiográficos. Problemas de método e de sentido.

CERTEAU, Michel de. Capítulo 1 “Fazer história.”

6º encontro

História e História da Educação. Culturas tribais e educação difusa.

ARANHA, Maria Lúcia de A. “Introdução” e Capítulo 1 “Comunidades tribais: a educação difusa.”

7º encontro

A educação grega antiga. Pedagogia como reflexão sobre a Paideia.

ARANHA, Maria Lúcia de A. Capítulo 3 “Antiguidade grega: a paideia.

8º encontro

Educação e fé: a Idade Média. O cristianismo.

ARANHA, Maria Lúcia de A. Capítulo 5 “Idade Média: a educação mediada pela fé.”

Projeção de vídeo.

9º encontro

O Renascimento e a transformação na educação. O humanismo.

ARANHA, Maria Lúcia de A. Capítulo 6 “Renascimento: humanismo, reforma e contra-reforma.

10º encontro

A pedagogia realista do século XVII. A influência burguesa.

ARANHA, Maria Lúcia de A. Capítulo 7 “Século XVII: a pedagogia realista.”

11º encontro

A educação liberal. Pensamento iluminista.

ARANHA, Maria Lúcia de A. Capítulo 8 “Século das Luzes: o ideal liberal de Educação.”

12º encontro

História da educação no Brasil. Da Colônia ao Império.

ARANHA, Maria Lúcia de A. Capítulo 9 – parte 2 “Brasil: de Colônia a Império.”

13º encontro

Educação no Rio Grande do Sul. Magistério sul-riograndense.

TAMBARÁ, Elomar. “Profissionalização, Escola Normal, feminização e feminilização. Magistério Sul-Riograndense de Instrução Pública – 1880/1935.”

14º encontro

Vídeo sobre positivismo no Rio Grande do Sul.

15º encontro

Revolução capitalista e a expansão do ensino no Brasil.

ROMANELLI, Otaiza de O. Cap. 3.2 “As novas exigências educacionais da industrialização.”

ARANHA, Maria Lúcia de A. Cap. 10 “A educação para a democracia.”

16º encontro

Síntese e avaliação geral dos conteúdos estudados. Reflexão sobre a proposta metodológica da disciplina.

17º encontro

Avaliação final.

VII– AVALIAÇÃO

Avaliação Diagnóstica:

Contato inicial com a turma para verificação das expectativas, dificuldades e potencialidades do grupo.


Avaliação Formativa:

O processo de avaliação será contínuo, ao longo do desenvolvimento de todas as atividades propostas, priorizando o aspecto formativo dos acadêmicos. Será considerado o envolvimento nos debates e na exposição de ideias, além da apresentação de resumos, sínteses e outras reflexões críticas.



Avaliação Somativa:

Uma prova (avaliação escrita), que levará em conta a interpretação dos textos estudados, a clareza na exposição das ideias, a correção linguística e a criatividade. (Peso 10)

Resumo dos textos trabalhados. (Peso 10)

Apresentação de trabalhos. (Peso 10)

A média final será obtida com base na média das três avaliações (prova, resumos e apresentação de trabalhos).

VIII – REFERÊNCIAS

BÁSICA

ARANHA, Maria Lúcia de O. História da educação e Pedagogia. São Paulo: Moderna, 2006.

JENKINS, Keith. A história repensada. São Paulo: Contexto, 2009.

COMPLEMENTAR

CERTEAU, Michel de. A escrita da história. Rio de Janeiro: Forense, 2010.

PINSKY, Carla B. (Org.) Fontes históricas. São Paulo: Contexto, 2010.

ROMANELLI, Otaiza de O. História da educação no Brasil. Petrópolis: Vozes, 2007.



TAMBARÁ, Elomar. Introdução à História da Educação no RS. Ed. Universitária/Seiva, 2000.



©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal