I – diagnóstico



Baixar 2.54 Mb.
Página16/23
Encontro18.07.2016
Tamanho2.54 Mb.
1   ...   12   13   14   15   16   17   18   19   ...   23

Sub-bacia do Ribeirão Betim


Localizada ao sul da bacia de Vargem das Flores e com a totalidade de seu território dentro do município de Contagem, a sub-bacia do ribeirão Betim possui área de 3539 ha correspondendo a 28,9% da área total da Bacia. É entre todas as sub-bacias a maior e mais ocupada, com um grande número de parcelamentos.
A parte da sub-bacia do ribeirão Betim denominada Área com Reversão representa 25,3% da Sub-bacia somando 897 ha. É constituída do centro tradicional, denominado Sede, onde a ocupação ocorreu de forma espontânea dando início à formação do atual núcleo urbano, acrescida posteriormente de 30 parcelamentos implantados na área e de três vilas originárias de invasões. Insere-se também nessa Sub-bacia, parte da área industrial de Contagem conhecida como Cinquinho. As áreas desocupadas ou sem utilização urbana nessa unidade de análise são constituídas, principalmente, por fundos de vale não urbanizados, verificando poucas glebas ainda em condições de parcelamento. Figura 6.4.
Estando integralmente incluída dentro dos limites do perímetro urbano estabelecido pelo Plano Diretor do município de Contagem, essa área é entre todas as unidades estudadas a mais comprometida com a urbanização sendo cerca de 80% (716,8 ha) de sua área já parcelada, seja através de projetos aprovados e registrados ou não, conforme mostra a Tabela 6.32, abaixo. Ressalta-se a maioria absoluta de parcelamentos cujos lotes possuem área média de 360 m2 .

Figura 6.4- Ribeirão Betim

Tabela 6.32-Situação dos Parcelamentos da Sub-bacia do Córrego Betim-Área Com Reversão

Bacia de Vargem das Flores-1997



Nome do

Situação Legal

Área

Área média

Total

Observações

Parcelamento

Aprovação

Registro

Total

Lotes

Vias

Institucional

Verde

(m2)

Quadras

Lotes







Status

Data

Cartório

(ha)

%

%

%

%













Alvorada

Sim

1976

Sim

70,00

SI

SI

0

0

360

61

1280

1ª aprovação 1963

Arcádia

Sim

1979

Sim

14.46

65,0

19,6

7,7

7,7

500

SI

179




Camilo Alves

Sim

1957

Sim

10.03

SI

SI

0

0

360

17

204

Desmembrado em 1980/84

Canadá

Sim

1966

Sim

22.5

SI

SI

0

0

360

18

435

Parte não aprov./Modificado1979

Central Parque

Sim

1976

Sim

9.52

58.8

22,7

6,3

12,2

400

7

142




Chácara Riachinho

Não




Não

2.77

SI

SI

0

0

1200

3

25




Cinquinho

SI

SI

SI

SI

SI

SI

SI

SI

SI

SI

SI




Conj. Habitacional Fonte Grande

Sim

1978

Não

9.55

42,3

27,2

6,3

22,2

250

SI

164




Coração de Jesus 1

Sim

1954

Sim

1.86

SI

SI

0

0

400

2

61




Coração de Jesus 2

Sim

1979

Sim

1.31

SI

SI

SI

SI

600

SI

19




Fonte Grande 1ª Seção

Não




Sim

9

SI

SI

0

0

360

9

130




Fonte Grande 2ª Seção

Sim

1959

Sim

26.5

SI

SI

0

1,5

360

36

427




Fonte Grande 3ª Seção

Sim

1957

Sim

15

SI

SI

0

0

360

19

307




Fonte Grande 4ª Seção

Não




Sim

40

SI

SI

0

0,6

360

39

601

Planta com modificações em 1979

Fonte Grande 5ª Seção

Não




SI

16,59

47,0

1,8

24,0

17,0

360

14

186




Jardim Vera Cruz

Sim

1958

Sim

17.83

72,5

27,5

0

0

360

20

322




Jardim Piraquara

Não

-

SI

44,87*

SI

SI

SI

SI

SI

SI

SI




Linda Vista

Sim

1961

Sim

18.96

SI

SI

0

0

360

20

329




Los Angeles

Sim

1964

Sim

4.56

81,1

18,9

0

0

360

3

89




Maracanã

Sim

1954

Sim

32,0

85,1

14,9

0

0

360

26

639




Nossa Senhora do Carmo

Sim

1957

Sim

25.81

72,6

22,0

0

5,4

360

SI

460




Nossa Senhora de Fátima

Sim

1954

Sim

14.22

SI

SI

0

0

360

24

396




Olinda

Sim

1963

Sim

14.78

80,6

19,4

0

0

360 e 5000

18

173

5 Lotes têm 5000

Panamá

Sim

1952

Sim

8.15

SI

SI

0

0

360

7

183

-

São Gonçalo 1

Não

-

Sim

9.5

SI

SI

0

0

450

5

115




São Gonçalo 2

Sim

1953

Sim

3.5

SI

SI

0

14,3

500

4

63




Três Barras

Sim

1960

Sim

38.26

SI

SI

10,0

9,0

360 e 5000

32

488

5 lotes têm 5000m2

Universitário

Sim

1980

Não

2.99

73,6

16,7

0

6,7

360

3

59

Sem anuência do Plambel

Vila Betânia

Sim

1955

Sim

7.78

SI

SI

0

0

360

12

158




Vila Madalena

Sim

1955

Sim

2.83

SI

SI

0

0

360

7

72




Obs: SI-Sem Informação

(*) Área planimetrada

Fonte: Prefeitura Municipal de Contagem

No que diz respeito aos índices de ocupação, observa-se a predominância de parcelamentos em que as quadras apresentam índices acima de 50% . Em geral, verifica-se a horizontalidade das edificações, com taxas de ocupação de terreno em torno de 50 a 60%. Na área de uso industrial, as edificações são também, em geral, de um pavimento e as taxas de ocupação variam conforme o porte e tipo de indústria. As características dos modelos de assentamento predominantes na área, com afastamentos maiores, principalmente de fundos, quase sempre arborizados, conferem à área uma ambientação agradável, onde o verde tem destaque na paisagem.


Nessa sub-bacia a maioria das vias tem pavimentação asfáltica e drenagem superficial, sendo que poucas delas possuem drenagem profunda. Verifica-se que é significativo o número daquelas desprovidas de qualquer elemento de drenagem.
Toda a área é abastecida por água da COPASA. Já a rede coletora de esgotos atendia a reduzido trecho até o início de implantação do projeto que prevê a reversão dos esgotos da área, mas as ligações domiciliares deverão aguardar a complementação do sistema, sendo a fossa a solução, até então, adotada pela maioria dos domicílios. Observou-se também, durante a pesquisa de campo, o esgoto sendo lançado e correndo a céu aberto nos logradouros públicos em vários bairros do setor.
Em termos do uso do solo, essa parte da sub-bacia do ribeirão Betim é a que apresenta a maior diversidade de usos, incluindo tanto o uso residencial quanto comercial, serviços e industrial.
Sobre o potencial de adensamento, verificou-se que dos 10714 lotes identificados nessa parte da sub-bacia do Ribeirão Betim, 6299 ou 59% encontram-se ocupados e 4415 unidades ou 41% ainda estão disponíveis para ocupação. Ressalta-se que embora essa seja a unidade de análise com o maior percentual de lotes ocupados, é também a que apresenta em números absolutos o maior estoque de lotes vagos.
A Área sem Reversão da sub-bacia do ribeirão Betim representa 74,65 % do total da Sub-bacia, correspondendo a um área de 2642,20 ha com grande parte dela incluída dentro dos limites do perímetro urbano definido pelo Plano Diretor do Município de Contagem.
Esta área em estudo tem atualmente 21,43% de seu território comprometido com o uso urbano representado por vários parcelamentos com grande diversidade no que diz respeito ao tamanho médio dos lotes. Conforme mostrado na Tabela 6.33, encontram-se na área desde parcelamentos com lotes médios de 200m2 a 360m2, passando por aqueles que apresentam lotes em uma faixa intermediária de 500 a 1000m2 até aqueles com características de chácaras cujos lotes variam de 2500m2 a tamanhos ainda maiores. Figura 6.4. Deve-se ressaltar que a diversidade na área é marcante também quanto aos aspectos morfológicos, índices de ocupação e uso do solo.
No que diz respeito aos índices de ocupação, observam-se estágios variados entre os parcelamentos localizados nessa área. Alguns apresentam índices médios de ocupação mais altos, em torno de 80%, outros situam-se no intervalo entre 50 e 80% ou 20 a 50% e há por fim aqueles cujas densidades são ainda menores, em torno de 15%. Quanto às características da ocupação, observa-se a predominância em todos os parcelamentos de edificações horizontais com taxas de ocupação do lote que variam de 50 a 80% a valores mais baixos.

Tabela 6.33-Situação dos Parcelamentos da Sub-bacia do Córrego Betim Área Sem Reversão



Bacia de Vargem das Flores-1997



Nome do

Situação Legal

Área

Área média

Total

Observações

Parcelamento

Aprovação

Registro

Total

Lotes

Vias

Institucional

Verde

(m2)

Quadras

Lotes







Status

Data

Cartório

(ha)

%

%

%

%













Chácaras Califórnia

Não

-

Sim

22.88

85.3

12.1

0

0

480 a 8000

9

79

-

Chácaras Campestre

Sim

1977

Não

16.00

91.0

9.4

0

0

1750 a 6400

3

33

-

Chácaras Colonial

Sim

1980

Não

9.44

SI

SI

SI

SI

1500 a 12000

SI

17

Sem planta, só decreto

Chácaras Contagem 1

Não

-

Sim

21.08

93

7

0

0

1500

2

54

14 lotes com 6000 a 17000

Chácaras Contagem 2

Não

-

Sim

38.40

97.4

2.6

0

0

6000 a 11000

1

12

2 lotes mais de 25000

Chácaras Contagem 3

Não

-

Sim

26.06

92.3

7.7

0

0

1000 a 10000

4

67

-

Chácaras Del Rey

Não

-

Não

1,47

SI

SI

SI

SI

200

5

59

Reparcelamento clandestino

Chácaras São Geraldo

Não

-

Não

36.94

SI

SI

SI

SI

5000

SI

54

Desocupado em 1990

Colonial

Sim

1974

Sim

76.03

61.0

25.0

4.0

10.0

660

36

655

Parcelamento ortogonal

Estância Hibisco

Sim

1976

Sim

69.25

79.1

8.1

3.0

9.8

2500

SI

191

3.6% de lotes comerciais

Granjas Ouro Branco

Sim

1996

-

58.50

63.9

22.1

4

10

2100

21

156

Cortado pela MG 432

Granjas Vista Alegre

Não

-

Sim

57.91

SI

SI

0

0

1000 a 8400

13

345

Lotes

Grupo Comolatti

Não

-

-

SI

SI

SI

SI

SI

2000

SI

SI

Pleiteiam lotes de 360 m2

Praia

Sim

1976

Não

30.00

SI

SI

SI

0

360

12

215

Planta sem informação

Quintas Coloniais

Sim

1990

Sim

57.92

66.3

13.2

4.4

16.1

3000

12

130

1ª aprov. em 76 e 2ª em 78

Quintas do Jacuba

Não

-

Não

16,26(*)

SI

SI

SI

SI

SI

SI

SI

-

Santo Antônio

Sim

1980

Sim

13.83

64.5

13.8

11.7

10

500 a1000

5

119

Não implantado

Santa Luzia

Sim

1953

Sim

12.01

SI

SI

0

2,3

360

16

229

-

Vila Beneves

Sim

1967

Sim

2.38

72.7

27.3

0

0

360

2

44

-








































OBS: SI: Sem Informação

(*) Área planimetrada

Fonte: Prefeitura Municipal de Contagem

Verifica-se nessa unidade de análise a presença dos usos residencial, comercial, serviços e industrial. O uso industrial é representado, principalmente, por unidades de pequeno a médio porte, localizando-se de maneira dispersa na área.


Os levantamentos de campo indicaram que a grande maioria dos parcelamentos é atendida pelo sistema da COPASA no que diz respeito ao abastecimento de água. O mesmo não ocorre em termos do esgoto sanitário, pois em todos os parcelamentos predomina a utilização de fossas rudimentares, ocorrendo casos, principalmente nas invasões, de lançamento de efluentes a céu aberto. Quanto à drenagem pluvial, observa-se reduzido número de elementos de drenagem sejam eles profundos ou superficiais.
Sobre a infra-estrutura, verifica-se ainda que a maioria das vias apresenta algum tipo de revestimento, sendo o mais comum a pavimentação asfáltica.
Os vetores de crescimento observados concentram-se ao longo da MG-432, onde já se encontra, um parcelamento em processo de implantação. Além disso, observou-se também o reparcelamento de quadras e áreas livres nas Quintas do Jacuba, bairro Colonial e Quintas Coloniais.
Do ponto de vista do potencial de adensamento dessa área, verifica-se grande disponibilidade de lotes, nos parcelamentos implantados. Dos 2687 lotes identificados nessa unidade, 1001 ou 37% encontram-se ocupados e 1686 ou 63% disponíveis para ocupação.
1   ...   12   13   14   15   16   17   18   19   ...   23


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal