I encontro Regional de Agroecologia da Mantiqueira-Mogiana



Baixar 6.88 Kb.
Encontro04.08.2016
Tamanho6.88 Kb.
I Encontro Regional de Agroecologia da Mantiqueira-Mogiana

FOTO
Durante o dia 14 de abril de 2005, na Estação Experimental do Pólo Regional da APTA, em Monte Alegre do Sul, SP, foi realizado o I Encontro da Rede Regional de Agroecologia Mantiqueira-Mogiana. O esforço de muitos anos de agricultores e ONGs da região da Serra da Mantiqueira e da região Mogiana, dedicados a promoverem a prática da produção e do consumo de alimentos saudáveis e limpos, livres de agrotóxicos e adubos sintéticos, é somado a associações e instituições de pesquisa e extensão rural para construir um relacionamento forte e duradouro dentro de toda cadeia produtiva de alimentos orgânicos, estimulando um salto maior rumo a sustentabilidade destes processos através de conceitos da agroecologia.
Esse encontro visou promover o processo local da organização da Rede Regional de Agroecologia, definindo coletivamente uma agenda de ações para a consolidação de parcerias e o intercâmbio de conhecimentos nessa temática. Participam inicialmente deste grupo organizador técnicos e agricultores das seguintes instituições: Associação de Agricultura Natural de Campinas (AANC), Associação de Agricultura Orgânica (AAO - Regional Amparo), Associação Mata Ciliar, Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI), Embrapa Informática Agropecuária, Embrapa Meio Ambiente (Jaguariúna, SP), Embrapa Monitoramento por Satélite (Campinas –SP), Instituto de Biologia Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Laboratório de Engenharia Ecológica e Informática Aplicada - Faculdade de Engenharia de Alimentos (UNICAMP), Sindicato Rural de Amparo.
A
foto
Agroecologia é um conjunto de princípios, conceitos e metodologias, a partir de um enfoque sistêmico, que fornece bases para promover a transição para a Agricultura Sustentável, além de oferecer os parâmetros para a implementação de tecnologias de base ecológica, adequadas às especificidade de cada agroecossistema. Possibilita dispor dos referenciais às mudanças individuais e coletivas que promovam melhorias de qualidade ambiental. Ou seja, sua contribuição vai além das dimensões tecnológicas ou agronômicas de produção, abrangendo também variáveis culturais, políticas e éticas da sustentabilidade.
Nesse contexto, a participação dos diversos setores da sociedade no processo de transição de modelo de agricultura mostra-se fundamental na análise, na tomada de decisões e nas ações voltadas a promover as mudanças rumo ao desenvolvimento rural, compreendido em seu sentido amplo, nos aspectos sociais, econômicos e ambientais.
Esse encontro buscou estabelecer uma agenda de trabalho entre instituições (governamentais e não-governamentais), agricultores e grupos de consumidores organizados, definindo ações que permitam a conciliação entre índices satisfatórios de produtividade agropecuária, conservação dos recursos naturais, rentabilidade e justiça social. Essas iniciativas se tornarão viáveis pela cooperação entre os diversos segmentos da sociedade, especialmente agricultores, extensionistas rurais, pesquisadores, movimentos sociais e consumidores.
Durante o evento foram apresentadas e discutidas as expectativas dos agricultores e técnicos em relação ao papel da rede. Através de grupos de trabalho foram selecionados temas prioritários a serem estudados pela Rede de Agroecologia. Houve também um espaço para troca de experiências através do depoimento de famílias de agricultores que praticam os princípios agroecológicos e de representantes de grupo de comunidades urbanas que adquirem alimentos gerados nesse sistema de produção.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal