Ii colóquio de práticas pedagógicas inovadoras na universidade oficinas para docentes universitários



Baixar 46.63 Kb.
Encontro20.07.2016
Tamanho46.63 Kb.
II COLÓQUIO DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS INOVADORAS NA UNIVERSIDADE

OFICINAS PARA DOCENTES UNIVERSITÁRIOS

Oficina 1. FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS A SERVIÇO DA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA

Ementa

A oficina oferecerá alternativas para o uso das tecnologias em processo de ensino-aprendizagem de natureza construtivista em projeto didático interdisciplinar.


Mediador

Antônio Carlos de Almeida Gouveia
Pedagogo pela UCSAL, Especialista em Psicologia Transpessoal aplicada à Educação (FBDC); Tutor Presencial e Tutor WEB (Educação e Tecnologias, Laboratório de Tecnologias de Ensino, Introdução ao Trabalho Científico, Psicologia da Educação) nos cursos de Pedagogia, Letras e Administração, da UNIFACS; Coordenador Executivo do Programa de Extensão "Educação em Foco" - UNIFACS; Professor do SENAI/CIMATEC no Curso de Extensão "Produção de Material Didático"; Professor da UNEB/UAB no Curso de Extensão "Mídias na Educação".


Oficina 2. CINEMA E DOCÊNCIA: A linguagem fílmica como dispositivo do/no fazer pedagógico
Ementa

Possibilidades de uso da linguagem fílmica no fazer pedagógico como dispositivo para o processo de ensino-aprendizagem. Contribuição da linguagem fílmica para a mobilização das diversas dimensões do sujeito-aprendiz, imprescindíveis no processo de aprendizagem significativa.



Mediadores

Jussara Portugal

Licenciada em Geografia, Mestre e Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade – PPGEduC/UNEB. Professora Assistente da Universidade do Estado da Bahia – UNEB/Campus XI. Pesquisadora do Grupo de Pesquisa (Auto) Biografia, Formação e História Oral GRAFHO/PPGEduC/UNEB. Sócia efetiva da Associação Brasileira de Pesquisa (Auto) biográfica – BIOgraph. Bolsista Fapesb.


Ana Cristina Silva de Oliveira Pereira

Licenciada em Pedagogia e Especialista em Alfabetização pela UEFS. Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade – PPGEduC/UNEB. Membro do Grupo de Pesquisa Docência Universitária e formação do Professor – DUFOP. Professora Auxiliar da Universidade do Estado da Bahia – UNEB/Campus XI.


Simone Santos de Oliveira

Licenciada em Geografia. Especialista em Metodologia do Ensino de Geografia. Mestranda no Programa de Pós-graduação em Desenho, Cultura e Interatividade – PPGDCI/UEFS. Professora Substituta da Universidade do Estado da Bahia – UNEB/Campus XI.





Oficina 3. A EPISTEMOLOGIA DA PRÁTICA NUMA PERSPECTIVA DA COMPLEXIDADE: desafios e perspectivas
Ementa

Qual epistemologia é necessária para operar na prática da Docência Universitária contemporânea? Configurações da Epistemologia da complexidade e suas implicações interdisciplinares e transdisciplinares na modelagem antropossocial da Docência Universitária contemporânea. Os desafios divisados da prática da Docência Universitária através da epistemologia da complexidade. Perspectivas da Docência Universitária interdisciplinar e transdisciplinar como polilógica pragmática: a construção de operadores qualitativos e ampliação de operadores quantitativos.


Mediador
Dr. Dante Augusto Galeffi
Graduação em Arquitetura pela Universidade Federal da Bahia (1979), especialização na Universidade de Roma em Restauração de Monumentos (1980-1982), mestrado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal da Bahia (1994) e doutorado em Educação pela Universidade Federal da Bahia – Filosofia da Educação (1999). Atualmente é professor adjunto IV da Universidade Federal da Bahia, lotado no Departamento de Educação II da Faculdade de Educação. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Filosofia da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: ensino de filosofia, filosofia da educação, epistemologia do educar, fenomenologia, hermenêutica, linguagem, educação transdisciplinar, ciências cognitivas, estética e ética. É professor permanente do Programa de Pesquisa e Pós-Graduação em Educação (mestrado e doutorado) e do Doutorado Multi-institucional e Multidisciplinar em Difusão do Conhecimento (DMMDC), ambos da UFBA. É o atual Coordenador do DMMDC (2009-2011). É líder do Grupo de Pesquisa Epistemologia do Educar e Práxis Pedagógica. Atualmente desenvolve pesquisas de epistemologia da complexidade, transdisciplinaridade, interdisciplinaridade, epistemologia do educar transdisciplinar, ética, estética, antropologia cultural (do ponto de vista pedagógico instrumental pragmático apropriativo).



Oficina 4. PORTFÓLIO COMO PRÁTICA INOVADORA NA UNIVERSIDADE
Ementa

O paradigma emergente na educação e na avaliação. O interesse pelos processos de aprendizagem dos estudantes. O portfólio como instrumento facilitador da reconstrução e reelaboração do processo de aprendizagem do estudante. O portfólio: partes constitutivas. O portfólio na prática educativa: uma experiência inovadora no ensino superior.




Mediador
Profª Marinalva Lopes Ribeiro, Ph. D.
Professora titular do Departamento de Educação da Universidade Estadual de Feira de Santana. Doutorado em Educação pela Université de Sherbrooke-QC-Canada. Pós-doutorado em Pedagogia Universitária pela UNIINOS-RGS. Experiência com ensino da disciplina Didática nos cursos de Licenciatura e de Mestrado em Saúde Coletiva da UEFS.Coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Pedagogia Universitária (NEPPU).



Oficina 5. LIBERDADE PARA APRENDER: novas estratégias pedagógicas para emancipação do trabalho docente

Ementa

Abordagem teórico-vivencial de novas estratégias pedagógicas integradas,que inclui centralmente o dispositivo dos grupos operativos e aprendizagem baseada em problemas que, através da construção coletiva do conhecimento, gera uma organização emancipadora do trabalho docente que possibilita o resgate do sujeito através da articulação das dimensões do pensar, sentir e agir.


Mediadores

Denise Lemos
Psicóloga, Doutora em Ciências Sociais, Professora do Instituto de Humanidades, Artes e Ciências (IHAC) da Universidade Federal da Bahia, Diretora do Núcleo de Psicologia Social da Bahia e Professora do Curso de Formação em Coordenação de Grupos Operativos.
Daiana Pereira

Estudante do Bacharelado de Humanidades do Instituto de humanidades Artes e Ciências. Coordenadora de Grupos Operativos.


Aline Matheus

Estudante do Núcleo de Psicologia Social da Bahia, monitora do Instituto de Humanidades Artes e Ciências da Universidade Federal da Bahia.






Oficina 6. CUIDANDO DAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS EM SALA DE AULA NA PERSPECTIVA DA APRENDIZAGEM COOPERATIVA
Ementa

A importância do clima de confiança e de abertura no contexto da sala de aula. Estratégias voltadas para fortalecimento das relações interpessoais no processo de ensino-aprendizagem na universidade.


Mediador

Rita de Cássia Beraldo

Psicóloga pela Terapeuta de Família e Casal pelo Instituto de Terapia de Família e Casal de Campinas, Especialista em Violência Doméstica pela USP, Mestranda em Desenvolvimento Regional pela UNIFACS. Professora de Psicologia da UNIFACS. Coordenadora Executiva em Cursos de Graduação UNIFACS.





Oficina 7. A MÚSICA COMO ESTRATÉGIA FORMATIVA NA UNIVERSIDADE
Ementa

A música como área de conhecimento e como forma de comunicação, expressão e de leitura do mundo. A música como um fato social. A música como estratégia potencializadora da formação humanística em todos os níveis da educação. Contextos e possibilidades de utilização da linguagem musical na sala de aula da universidade.




Mediador
Professora Edineiram Marinho Maciel
Professora de Arte Educação e de Educação, Ludicidade e Corporeidade, no DCHT Campus XVI - Irecê, onde desenvolve projeto de extensão com canto coral e coordena o Núcleo de Arte Educação - N'ARTE. Licenciada em Música, pós- graduada em Educação Musical, mestre em Educação e Contemporaneidade. Pesquisa a presença da Educação Musical em diferentes espaços educacionais, escolares e não escolares.



Oficina 8. CONTRIBUIÇÕES DA PESQUISA PARA A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DA EDUCAÇÃO BÁSICA
Ementa

O diálogo com autores que discutem ensino, pesquisa, currículo e contemporaneidade. A relevância da pesquisa na/para a formação docente. A pesquisa como uma demanda curricular e transversal ao processo de formação docente. A formação do professor por meio do ensino pela pesquisa.


Mediador
Marcea Sales

Doutora em Educação pela Universidade Federal da Bahia. Professora da Universidade do Estado da Bahia - Departamento de Educação/Campus I. Atua na Área de Didática e Tecnologias da Educação, na Licenciatura em Pedagogia. Integra a Coordenação Geral do Programa Nacional de Formação de Professores da Educação Básica - Plataforma Freire/UNEB, para Acompanhamento e Gestão do Currículo do Programa. Na área de Ensino, discute os seguintes temas: ensino e pesquisa, prática docente, currículo e formação docente. Lidera o Grupo de Pesquisa Forma (em) Ação – GEFEP/CNPq e orienta pesquisas sobre o ensino pela pesquisa e suas contribuições para a formação docente




Oficina 9. ABORDAGENS CONTEMPORÂNEAS SOBRE LEITURA E ESCRITURA: o paradigma conexionista
Ementa

Estratégias de leitura e escritura: da psicolinguística ao paradigma conexionista. A compreensão da aquisição da linguagem e de qualquer conhecimento por meio do funcionamento do Sistema Nervoso Central. Pesquisas sobre leitura e escritura desenvolvidas a partir dos pressupostos da neurociência. Novas perspectivas para o ensino de língua materna.


Mediador
Valquíria Claudete Machado Borba

Graduada em Letras/ Português/Inglês (PUCRS - 1996), especialista em Estudos Avançados em Língua Inglesa (PUCRS - 2002), mestre em Letras (PUCRS - 2005) e doutora em Letras e Linguística (UFAL- 2009). Atualmente é professora adjunta da Universidade Estadual da Bahia - UNEB. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Lingüística. Áreas de interesse: psicolingüística, leitura, escritura, processos cognitivos, conexionismo, aquisição da linguagem, educação a distância





Oficina 10. NÓS E O ESPELHO...
Ementa

Convite ao imaginário e à fantasia de ser você. E tantos outros, num só tempo e na mesma roda. Traz à tona as marcas afetivas, culturais e sociais que constituem cada um e sua relação com a literatura, a educação e a vida, uma vez que ninguém se forma e se constrói no vazio. A constituição do ser supõe trocas experiências, interações sociais, culturais e afetivas, aprendizagens. Vamos, quem sabe, redescobrir vivências e emoções perdidas, redesenhar um mosaico de vozes que contam e cantam a memória individual e coletiva do grupo participante da oficina.




Mediador
Verbena M. Rocha

Graduação em Letras pela Universidade Federal da Bahia, especialização em Técnica de Ensino pelo Ministério do Exército, mestrado em Educação pela Universidade Federal da Bahia, doutorado em Teoria da Literatura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul e pós-doutorado pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. É professora titular da Universidade do Estado da Bahia e do Programa de Pós-Graduação em

Programa de Pós-Graduação em Estudo de Linguagens – PPGEL. Larga experiência em utilização de metodologias que envolvem a participação ativa.



Oficina 11. MOSAICO DE LINGUAGENS AFRICANO-BRASILEIRAS
Ementa

A riqueza do universo simbólico africano-brasileiro, seu repertório técnico e estético de linguagens que estruturam/organizam comunidades, hierarquias, instituições e vínculos de sociabilidades. Para aproximar a docência universitária do conhecimento singular africano-brasileiro, apelaremos para o repertório dos contos e provérbios que compõem as narrativas de elaboração de mundo características do patrimônio civilizatório milenar africano seu contínuo no Brasil, de modo especial na Bahia.


Mediadores
Narcimária Correa do Patrocínio Luz

Graduada em Pedagogia, Mestrado em Educação, Doutorado em Educação, Pós-Doutorado no campo da Comunicação e Cultura,Professora Titular Plena do Departamento de Educação Campus I da Universidade do Estado da Bahia;coordenadora do PRODESE- Programa Descolonização e Educação, grupo de pesquisa que vem se destacando pelas iniciativas junto às comunidades tradicionais da Bahia; Membro da Alliance pour un Monde Responsable, Pluriel et Solidaire,onde coordena na Bahia o projeto de sua autoria Dayó: compartilhando a alegria socioxistencial em comunalidades africano-brasileiras (indicado como semifinalista, no Prêmio Itaú-Unicef 2009) em parceira com a ACRA- Associação Crianças Raízes do Abaeté no bairro de Itapuã em Salvador(http://blogdoacra.blogspot.com/).Atua na área de Educação desenvolvendo estudos e pesquisas no campo da ancestralidade africano-brasileira e educação, comunalidades africano-brasileiras e educação, dimensão lúdico-estética da comunicação africano-brasileira, dinâmica da violência escolar em territorialidades africano-brasileiras.


MILLE CAROLINE RODRIGUES FERNANDES:

Mestranda do Programa de Pós-graduação em Educação e Contemporaneidade pela Universidade do Estado da Bahia. Graduada em Pedagogia (2006) e com especialização em Psicopedagogia Clínica e Institucional;  pesquisadora do PRODESE – Programa Descolonização e Educação CNPQ/UNEB. Atua na área de Educação, desenvolvendo projetos voltados a contemplar a Lei 10.639/03 e pesquisas em educação nas comunidades quilombolas.

 SÉRGIO RICARDO SANTOS DA SILVA

Mestrando do programa de Pós-graduação em Educação e Contemporaneidade pela Universidade do Estado da Bahia. Possui graduação em Pedagogia pela Universidade do Estado da Bahia ; especialização em Psicopedagogia Escolar e Clínica ;pesquisador do PRODESE - Programa Descolonização e Educação CNPQ/UNEB. Tem experiência na área de Educação, , atuando principalmente nos seguintes temas: formação para cidadania, Literatura de Cordel na educação, arte educação, produção cultural, alfabetização de EJA e rap nordestino.




Oficina 12. A "METALINGUAGEM" DO LÚDICO: entre o prazer de aprender e o prazer de ensinar
Ementa

A metalinguagem entre o ensinar e o aprender com as ferramentas da ludicidade. Ludicidade e ato criador, (re)criador e crítico. Ludicidade e sensibilidade. Alegria de viver a sala de aula permitindo perceber um estado de inteireza e de “estar” pleno no sentir e fazer sua ação pedagógica. Buscar-se-á entender e vivenciar a ludicidade como fazer pedagógico docente, ligada diretamente com o lado humano.



Mediador
Vanessa Fragosso

Pedagoga, Arte Educadora, Terapeuta.





Oficina 13. A CONTRIBUIÇÃO DO PROCESSO GRUPAL NAS COMUNIDADES DE ENSINO-APRENDIZAGEM
Ementa

Espaço teórico-vivencial de reflexão sobre grupo, em geral e no contexto da sala de aula. A necessidade como processo motivacional da construção de um grupo. As redes de papéis e os aspectos visíveis e invisíveis da dinâmica grupal. A importância da comunicação para a produção e superação de obstáculos à articulação grupal. O professor no papel de facilitador do processo grupal.


Mediador
Azenilda Pimentel dos Anjos
Psicóloga, com especialização em Recursos Humanos pela FGV do Rio de Janeiro, em Metodologia de Ensino e Pesquisa em Psicologia pela UFBA, em Consultoria Organizacional pela UFBA e em Formação em Grupos Operativos pelo Instituto Pichon Rivière de São Paulo. Vinte e dois anos de experiência em Recursos Humanos.Trabalhou na Copene como Consultora interna nas áreas de clima organizacional, reorganização do trabalho e Desenvolvimento Gerencial. É atualmente Professora de cursos de Graduação e Pós-Graduação na UNIFACS, Professora de Pós-Graduação da Faculdade Olga Mettig. É também Diretora, Consultora de Organizações e Professora do curso de Agentes Sociais de Mudança do Núcleo de Psicologia Social da Bahia, atuando em programas de Desenvolvimento de Equipe, Desenvolvimento Gerencial, Integração e Motivação, Desenvolvimento de Consultores, Planejamento Participativo, Educação para o Trabalho e Relações Interpessoais.




Oficina 14. SEXUALIDADE, GÊNERO E DOCÊNCIA UNIVERSITÁRIA

Ementa

Sexualidade e gênero: aproximações conceituais e vivenciais. As representações de sexualidade e de gênero do professor e as relações interpessoais na sala de aula na universidade. Reflexão sobre sexualidade e gênero a partir da sua própria história de vida. Contribuições dessas dimensões para o desenvolvimento de ações educativas.


Mediador

Tereza Cristina Pereira C. Fagundez

Graduada em Pedagogia com mestrado e doutorado em Educação pela UFBA. Docente, pesquisadora e extensionista: UFBA e UNIFACS na Graduação em Pedagogia.








©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal