[imagem de aplicação halógena 09]



Baixar 21.51 Kb.
Encontro07.08.2016
Tamanho21.51 Kb.
HALÓGENAS
[imagem de aplicação – halógena 09]
As lâmpadas Halógenas são semelhantes às Incandescentes, pois possuem basicamente as mesmas características e o mesmo princípio de funcionamento, ou seja, a corrente elétrica passa pelo filamento de tungstênio, fazendo com que se incandesça, produzindo luz.

O bulbo das lâmpadas halógenas é produzido em quartzo, e possui como gás de preenchimento o gás halógeno, responsável por prover às lâmpadas halógenas maior eficiência, aumentar a durabilidade das mesmas e permitir a elaboração de lâmpadas com maior diâmetro.


As principais características das lâmpadas Halógenas são:

- disponibilidade de opções com tamanhos mais compactos;

- maior eficiência luminosa;

- melhor manutenção do fluxo luminoso ao longo da vida;

- possibilidade de uso junto a sensores de presença e reguladores de luminosidade (dimmers);

- excelente índice de reprodução de cor;

- vários modelos de bulbos.
A seguir serão apresentados os diferentes modelos de lâmpadas Halógenas.
Cápsula Bi-Pino
Seu tamanho é bastante reduzido, o que lhe confere flexibilidade na utilização em vários tipos de luminárias.

Está disponível nas potências de 20 e 50 watts, e é produzida para instalação em 12 volts, necessitando portanto de um transformador.


Cápsula G-9
É basicamente uma evolução da cápsula, projetada para ser conectada diretamente à rede elétrica, sem a necessidade do transformador, resultando numa instalação simplificada e compacta.

Esse tipo de lâmpada está disponível nas potências de 40 e 60 watts, nas tensões de 127 e 220 volts, e com acabamento claro ou fosco.

A cápsula clara é uma boa escolha quando se deseja um brilho mais intenso, por exemplo, num lustre de estilo clássico onde os cristais reproduzem o brilho gerado pela cápsula.

Deve-se preferir a utilização da lâmpada fosca quando se deseja distribuir melhor a luz e reduzir o ofuscamento.


Dicróicas
As lâmpadas dicróicas são compostas por uma cápsula associada a um refletor dicróico de tamanho compacto, resultando numa produção de luz intensa e direcionada.

Elas são produzidas com uma lente que protege a lâmpada de umidade ou eventual contato interno com a cápsula halógena e facilita sua limpeza, além de bloquear a passagem do ultra-violeta produzido pela lâmpada para o ambiente ou objeto a ser iluminado.

As lâmpadas dicróicas são disponibilizadas com 3 diferentes tipos de bases :
Dicróica Bi-Pino

[aplicação Pralines]

É o modelo de lâmpada dicróica mais difundido dentre as demais.

É produzida para instalação em 12 volts, necessitando portanto de um transformador e está disponível nas potências de 20 e 50 watts.



Dicróica E-27

Possui a mesma base das lâmpadas incandescentes, permitindo assim uma substituição direta no local onde existe esse tipo de base.

Ela está disponível em 127 e 220 volts, e na potência de 50 watts.

Dicróicas GU-10

[aplicação halógena 03.jpg]

Pode ser usada diretamente na rede elétrica, dispensando o uso de transformador. Isso possibilita ainda a fabricação de luminárias mais compactas.

Sua base permite uma conexão fácil e rápida.

Ela está disponível em 127 e 220 volts, e na potência de 50 watts.
Duplo-Contato
[aplicação Monumento – Duplo Contato]

As lâmpadas halógenas duplo-contato permitem uma distribuição mais linear da luz. Para evitar a queima precoce é necessário manusear a lâmpada pela base, sem tocar com os dedos no bulbo. [ilustração de apoio]

(aplicação) seu formato permite sua aplicação num projetor ou numa luminária, possibilitando uma luz bem intensa num formato bem compacto.

Essas lâmpadas são conectadas diretamente à rede elétrica, trabalhando nas tensões de 127 e 220 volts, nas potências de 100 até 500 watts.

Ela deve ser instalada na posição horizontal evitando-se o superaquecimento em uma das extremidades, o que causaria sua queima prematura.

[ilustração de apoio]

Outro item que deve ser observado
AR-111
As lâmpadas AR-111 são compostas por uma cápsula associada a um refletor metálico e um anteparo defletor, fazendo com que toda a luz seja projetada por reflexão.

(aplicação) esta lâmpada eh uma boa opção quando se deseja um facho com distribuição uniforme, e com grande redução de ofuscamento.

Elas estão disponíveis na potência de 50 watts, e com dois ângulos de abertura: ângulo fechado (8 graus) e ângulo aberto (24 graus).

São alimentadas em 12 volts, necessitando portanto de um transformador para o seu acendimento.


AR-70
[aplicação Sala – PAR 38]

É uma evolução da AR-111, pois possui as mesmas características, a mesma potência, os mesmos ângulos de abertura de 8 e 24 graus, com a vantagem de ser oferecida numa dimensão menor.

Está disponível com 2 tipos de bases: BA 15D e G 53.
PAR
As lâmpadas PAR recebem esse nome pois contam com um Refletor Parabólico Aluminizado que é responsável por refletir toda a luz gerada pela cápsula numa mesma direção.

Sua aplicação resulta num maior destaque e valorização de ambientes e formas.

Existem lâmpada PAR com diferentes ângulos de abertura, diferentes dimensões, cores e potências, todas para instalação diretamente na rede elétrica.

Para a correta utilização dessa lâmpada, ela deve ser instalada abrigada de umidade e choques térmicos.


PAR 20

[aplicação Flores – PAR 20]

O modelo PAR 20 é indicado para aplicações internas e externas de pequeno porte.

Essa lâmpada está disponível na potência de 50 watts, com vidro frontal claro ou colorido.

No caso da opção com vidro claro é possível ainda optar-se entre os ângulos de abertura de 30 ou 60 graus, em 127 ou 220 volts.

No caso da opção com vidro colorido, estão disponíveis as cores: azul, amarelo, verde e vermelho, todas com ângulo de abertura de 60 graus, em 127 ou 220 volts.



PAR 30

[aplicação Fachada – Duplo Contato]

É uma lâmpada com vidro frontal claro indicada para aplicações internas e externas de médio porte.

As lâmpadas PAR 30 estão disponíveis nas potências de 75 e 100 watts e nas tensões de 127 e 220 volts.



PAR 38

[aplicação Coqueiros AR111]

O modelo PAR 38 é indicado para aplicações internas e externas de grande porte, estando disponível nas versões com vidro frontal claro ou colorido.

No caso da opção com vidro claro, a lâmpada é disponibilizada na potência de 100 watts, sendo que é possível ainda optar-se entre os ângulos de abertura de 10 ou 30 graus, em 127 ou 220 volts.

A versão 10 graus resulta num facho de luz concentrado com alta intensidade de luz. Já o facho de luz produzido pela versão 30 graus abrange uma área maior com uma menor intensidade de luz.

No caso da opção com vidro colorido, a lâmpada é produzida na potência de 80 watts, nas cores: azul, amarelo, verde e vermelho, todas com ângulo de abertura de 60 graus, em 127 ou 220 volts.


Os vários modelos de lâmpadas PAR permitem aplicações variadas. Por exemplo, em um jardim a lâmpada PAR 20 iluminaria de baixo para cima um pequeno arbusto, enquanto que a PAR 30 poderia iluminar um arbusto de 2 a 3 metros de altura. Para áreas maiores pode ser usada a PAR 38. Esta última lâmpada também pode ser empregada em cenários, entre outros.
Precauções
Umidade

Conforme mencionado, as lâmpadas PAR devem sempre ser instaladas protegidas contra choques térmicos ou umidade. Essa precaução se deve à existência de pequenos orifícios localizados na junção da lente com o refletor, por onde pode entrar umidade que se depositaria internamente na lâmpada, levando a sua queima precoce. Estes orifícios servem para a saída do ar expandido de dentro da lâmpada acesa, e retorno do ar quando apagada.



Manuseio

As lâmpadas halógenas não devem ter o bulbo tocado com as mãos. Caso isso ocorra, antes de instalar a lâmpadas limpe-a com um pano seco até retirar qualquer traço de gordura (proveniente das mãos).



As lâmpadas halógenas do tipo duplo contato (ou lapiseira) devem ser instaladas somente na posição horizontal, caso contrário pode haver uma redução sensível em sua vida.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal