Indice procrastinaçÃO 3



Baixar 118.3 Kb.
Encontro31.07.2016
Tamanho118.3 Kb.
INDICE


PROCRASTINAÇÃO 3

O Abridor de Latas 3



PREPARO PARA A VOLTA DE CRISTO 4

Carta Supositícia, Recentemente Enviada ao Céu 4



INFÂNCIA 7

O Que é um Menino? 7



INFÂNCIA 9

O Que é uma Menina? 9



USO DA TELEVISÃO 10

Canal 23 10



CONDUTA CRISTÃ 11

Como Cantamos e Como vivemos 11



NÃO HÁ MAIS REUNIÕES DE ORAÇÃO 12

Nota de Falecimento 12



PASTORES SEMPRE CRITICADOS 13

Pastores à beira de um Ataque de Nervos 13



HONESTIDADE 15

O Vendedor de Ilinóis 15



VERDADES SOBRE A IGREJA CATÓLICA 15

Pedro e o Sucessor 15



PECADO 16

Vai à Própria Fonte da Vida 16



AMOR DIVINO 16

Deus é Amor 16



ORAÇÃO: 17

Juntando Letrinhas (Lucas 11:1-4; 11:9-13) 17



SALVAÇÃO 17

A Decisão de aceitar a salvação ou rejeitá-la está em nossas mãos 17



PECADO 18

Perigo de Brincar com o Pecado 18



COMUNHÃO 18

Ligados a Fonte 18



CEGUEIRA ESPIRITUAL 19

O Pior Cego é aquele que não quer ver 19



ARREPENDIMENTO 20

O Adeus Definitivo 20



CONDUTA CRISTÃ 21

Sê Tu uma Bênção (Gên. 12:2) 21



PAI NEGLIGENTE 21

Pai Pródigo 21



ESFORÇO E DETERNINAÇÃO 22

Ver o Mar de Longe 22



FASES DA VIDA DO HOMEM 23

Assim é o Homem 23



Dever de todos 24

Cada um deve fazer o que está ao seu alcance 24



Comunicação 25

O Poder das Palavras 25



Comunicação 26

Das Tripas... Coração 26



Postura 27

Pare de Reclamar 27



diferenças pessoais 28

“A Escola dos Bichos” 28



Mudanças de personalidade 29

Se Eu Mudasse 29



política 30

Eu e o Político 30



Qualidade 31

Quem é responsável pela qualidade? 31



Pré-Julgamento 32

O Crime da Ponte 32



Pré-Julgamento 33

O Pastor que Brincava com sua Esposa 33



Condenação 33

É melhor o Amor a Críticas Condenatórias 34



PROCRASTINAÇÃO

O Abridor de Latas



Pela primeira vez, no Brasil, um conto escrito inteiramente em câmera lenta.

  1. Quando esta história se inicia, já passaram quinhentos anos, tal a lentidão com que ela é narrada. Então sentadas à beira de uma estrada três tartarugas jovens, com 800 anos cada uma, uma tartaruga velha com 1200 anos, e uma tartaruga bem pequenina, com apenas 85 anos. As cinco tartarugas estão sentadas, dizia eu. E dizia muito bem pois elas estão sentadas mesmo. Vinte e oito anos depois do começo desta história a tartaruga mais velha abriu a boca e disse.

  2. Que tal se fizéssemos alguma coisa para quebrar a monotonia desta vida?

  3. Formidável! disse a tartaruga mais nova 12 anos depois vamos fazer um piquenique?

  4. Vinte e cinco anos depois as tartarugas se decidiram a realizar o piquenique. Quarenta anos depois, tendo comprado algumas dezenas de latas de sardinhas e várias dúzias de refrigerante, elas partiram. Oitenta anos depois chegaram a um lugar mais ou menos aconselhável para um piquenique.

  5. Ah disse a tartaruguinha, 8 anos depois excelente local este!

  6. Sete anos depois todas as tartarugas tinham concordado. Quinze anos se passaram e, rapidamente, elas tinham arrumado tudo para o convescote. Mas súbito, três anos depois, elas perceberam que faltava o abridor de latas para as sardinhas.

  7. Discutiram e, ao fim de vinte anos, chegam à conclusão de que a tartaruga menor devia ir buscar o abridor de latas.

  8. Está bem concordou a tartaruguinha três anos depois mas só vou se vocês prometerem que não tocam em nada enquanto eu não voltar.

  9. Dois anos depois as tartarugas concordaram imediatamente que não tocariam em nada, nem no pão nem nos doces. E a tartaruga partiu.

  10. Passaram-se cinquenta anos e a tartaruga não apareceu. As outras continuava esperando. Mais dezessete anos e nada. Mais oito anos e nada ainda. Afinal uma das tartarugas murmurou.

  11. Ela está demorando muito. vamos comer alguma coisa enquanto ela não vem?

  12. As outras não concordaram, rapidamente, dois anos depois. E esperam mais dezessete anos. Ai outra tartaruga disse.

  13. Já estou com muita fome. Vamos comer só um pedacinho de doce que ela nem notará.

  14. As outras tartarugas hesitaram um pouco mas, quinze anos depois, acharam que deveriam esperar pela outra. E se passou mais um século nessa espera. Afinal a tartaruga mais velha não pôde mesmo e disse.

  15. Ora, vamos comer mesmo só uns docinhos enquanto ela não vem.

  16. Como um raio as tartarugas caíram sobre os doces seis meses depois. E justamente quando iam morder o doce ouviram um barulho no mato por detrás delas e a tartaruga mais jovem apareceu.

  17. Ah, murmurou ela eu sabia, eu sabia, que vocês não cumpririam o prometido e por isso que fiquei escondida atrás da árvore. Agora eu não vou mais buscar o abridor, pronto.

PREPARO PARA A VOLTA DE CRISTO

Carta Supositícia, Recentemente Enviada ao Céu



Senhor Jesus

Remeto-te esta carta, urgente, via Santuário (onde sei que estás), para dizer-te que estou agora assaz preocupado com a tua volta. Embora devido à vida agitada, ocupadíssima e absorvente que levo (porque vivo a minha independência econômica) não disponha de tempo para estudar bem a nossa doutrina, noto que os sinais que indicaste do fim do mundo estão acontecendo. O ecumenismo, por exemplo, está vindo aos poucos. O desentendimento entre países, a poluição, a violência, a fome, a confusão religiosa, as milagrices sei lá o que mais! Bem, eu quase não estudo esse assunto, por falta de tempo. Ouvi dizer que, quando voltares, um grupo estará fugindo, perseguido e errantes pelos montes, enquanto a maioria estará simplesmente vivendo a vida comum, e assim um será tirado e outro será deixado. Virás como relâmpago, ou como ladrão à noite, portanto, para muitos, virás de surpresa. parece que foi isso que ouvi.

Porque estou atemorizado com a idéia de tua breve volta, apresso-me a escrever-te, para te suplicar, por favor, Jesus, não venhas agora. Adia um pouco mais a tua vinda. Estou entalado em muitos negócios, e alguns bem enrolados, que não podem ser interrompidos no pé em que estão. Permite, sim que eu primeiro solucione isto, e então depois podes voltar. Ah, há outras coisas que preciso acertar. Não venhas, por favor, quando estou registrando meus resultados financeiros, lançando a menor por causa dos impostos. Sabes como é, neste mundo quem quiser ser muito honesto não progride mesmo. Também não deves vir exatamente no momento em que realizo uma transação, pois tenho de usar muita lábia e mentiras comerciais, senão levo desvantagem em favor dos concorrentes. Sabes como é, sem umas mentirinhas não se fazem bons negócios, e os contratos nem sempre devem refletir o que se promete. Isto é próprio do mundo dos negócios, né? Não venhas agora (exatamente agora!!!) que estou trocando meu fusca por um possante Chevrolet, minha esposa está trocando as cortinas e redecorando a casa, e gostaríamos de gozar um pouco esta nova situação. Não achas que é humano?

Ainda bem que virás à meia noite. Ufa! É um alívio saber isto. Porque se acaso viesses numa sexta-feira, ao anoitecer, mesmo depois do pôr do sol, é provável que eu estivesse lendo uma revista mundana ou lendo as cotações da bolsa, e minha esposa e filha certamente estariam vendo televisão, pois não podem perder o capítulo daquela novela. E elas sabem de cor a biografia de quase todos os atores e atrizes do vídeo. Que memória elas tem!

Também não deves vir num domingo à tarde, pois muito provavelmente estarei no estádio, torcendo pela vitória do fluminense

Bom Mestre, por favor avise-me com antecedência de semanas se possível pretendes vir. Preciso ainda convencer minha filha a que deixe aquela ousada minissaia que usa com o abono e o aplauso da mãe, pois esta acha que a filha não pode ser diferente das outras moças, colegas do colégio, e que vivemos em tempos modernos. Não venhas já, Senhor, pois eu poderia ser surpreendido fezinha na Loteria Esportiva.(Sabes como é uma bolada até que me arrumaria completamente a vida). Dá-me prazo para a tua volta, Senhor. Preciso concluir a leitura do ano Bíblico, iniciada há sete anos, e parada em juízes, capítulo 5. Pelo menos uma vez na vida gostaria de ler a Bíblia, mas os negócios têm atrapalhado. Avisa-me, pelo menos, com algumas semanas de antecedência, sim para que eu procure o tesoureiro da igreja, e lhe entregue meus dízimos atrasados (e olha não são poucos). Falam por aí de um negócio de pacto, de mordomia, mas não consegui entender o assunto, portanto deixemos isso pra lá. Preciso ainda de tempo para acertar uma situação com meus empregados. Reconheço que fui desumano com eles, pagando-lhes ínfimos salários, e deles exigindo tarefa pesadíssimas. Com essa exploração de suor alheio, tive muito lucro.( Sabes como é todo mundo faz assim).

Senhor, preciso de tempo para fazer as pazes com meu cunhado, a quem ofendi. Tenho de pedir perdão ao pastor, pois concordei com meu filho, cabeludo, quando afirmou que nossos pastores são todos uns quadrados. Preciso especialmente de tempo para pedir perdão àquele irmão de que comprei, por um terço do valor, sua mobília de sala que me vendeu para poder pagar a operação de esposa. Na época exultei achando ter feito um ótimo negócio, mas vejo agora que tripudiei desumanamente sobre a necessidade daquele coitado Dá-me tempo, Senhor, para que eu possa consertar também esta situação.

Não venhas, Senhor, num momento de saída do templo, após um culto, pois talvez eu esteja olhado maliciosamente para a irmã eufrosina. Sabes que na igreja tenho tirado o corpo de qualquer participação, pois é bem mais cômodo ser apenas um papa-sermões. Quem sabe, nestes próximas semanas que antecedem tua volta, eu poderia até fazer um trabalhinho missionário, tentar ser vegetariano, evitar a malzbier que tomo de vez em quando, o cafezinho brado, e outras coisas que tu sabes.

Avisa-me, sim, dias antes da tua volta. Quero ver se dá tempo de ler um livro do Espírito de profecia, pelo menos o Veredinha. Vou tentar fazê-lo, apesar de muito ocupado. E vou pedir ao pastor instrução sobre como fazer o culto doméstico, pois aqui em casa não estamos acostumados a isso.

Bom seria se viesses num dia de sol, num feriado. Assim eu traria para casa uns pobres para almoçar comigo, e eu seria surpreendido fazendo uma caridade. Se me disseres o dia exato da tua vinda, serei capaz até de doar meu apartamento à igreja. Ouvi dizer que na Nova terra há uma mansão à minha espera.

Por isso te escrevo, Jesus. Preciso de tua ajuda. Avisa-me antes de voltares, sim?

Com grande estima e apreço

Um Adventista

RESPOSTA DE CRISTO Apenas uma anotação no verso do envelope, para retorno. DEVOLVA-SE AO REMETENTE. Deve ter-se enganado quanto ao Destinatário. Jamais conheci o remetente. J.C.

INFÂNCIA

O Que é um Menino?

Entre a inocência da infância e a dignidade do adulto, encontramos uma agradável criatura chamada menino. Os meninos são de diversos tamanhos, pesos e cores, mas todos têm a mesma filosofia: gozar cada segundo, de cada minuto, de cada hora, de cada dia e de protestar com barulho (sua única arma), quando seu último minuto está esgotado e o adulto os envia para cama, à noite.

Os meninos são encontrados em todos os lugares: em cima de, debaixo de, dentro de, subindo, balançando, correndo em volta ou pulando. As mães os amam, as meninas os odeiam, os irmãos mais velhos os toleram, os adultos os ignoram e o céu os protegem. O menino é a verdade com barro no rosto, beleza com um corte no dedo, sabedoria com goma de mascar no cabelo, e a esperança do futuro com uma rã no bolso.

Quando estamos ocupados, o menino é um discordante barulhento, intruso, e sem consideração. Quando queremos que dê boa impressão seu cérebro vira gelatina, ou então se torna selvagem, uma criatura do jângal, sádica, decidida a destruir o mundo e ele próprio junto.

O menino é um composto: tem o apetite de um cavalo, e digestão de um engolidor de espadas, a energia de uma bomba atômica de bolso, a curiosidade de um gato, os pulmões de um ditador, a imaginação de Paul Bunyan (autor do livro o Peregrino), a singeleza de uma violeta, a audácia de uma armadilha de aço, o entusiasmo dos fogos de artifícios, porém, quando faz alguma coisa, tem cinco dedos em cada mão.

Ele gosta de: sorvete, facas, serras, Natal, livros cômicos, do menino do outro lado da rua, floresta, água (no seu habitat), animais grandes, pai, trens, sábado de manhã e locomotiva. Ele não gosta muito de Escola, visitas, livros sem gravuras, lições de música, guardanapos, barbeiros, meninas, casacos, adulto ou hora de dormir.

Ninguém mais se levanta tão cedo ou chega tão tarde para o jantar. Ninguém mais se diverte tanto com as árvores, cachorros e brisas. Ninguém mais consegue entulhar num bolso uma faca enferrujada, uma maçã comida pela metade, um metro de barbante, um saco vazio de papel, dois chicles, algumas, moedas, uma funda, um pedaço de qualquer coisa e um código misterioso, com compartimentos ultra-secretos.

O menino é uma criatura mágica. Podemos tirá-lo de nossa presença no trabalho, mas não podemos tirá-lo de nosso coração. Podemos tirá-lo de nosso estudo, mas não podemos tirá-lo de nossa mente. É melhor desistir. Ele é nosso captor, nosso carcereiro, nosso chefe e nosso mestre, um monte de barulho, perseguidor de gatos, sujo e sardento! Mas, à noite, quando chegamos em casa, trazendo somente os fragmentos de nossas esperanças e sonhos, ele pode juntar cada pedaço, tornando tudo como se fosse novo, proferindo apenas duas palavras mágicas:



ALÔ, PAPAI!

INFÂNCIA

O Que é uma Menina?

As meninas são as coisas mais lindas que as pessoas podem receber. Nascem com um pouquinho de brilho angélico ao seu redor, e embora este as vezes se torne bem reduzido resta o suficiente para vos laçar o coração , mesmo quando estão assentadas na lama, ou derramando lágrimas temperamentais, ou passeando na rua com as melhores roupas da mamãe.

Amiúde pode a menina ser mais dócil (ou pior) do que qualquer pessoa do mundo. Pode girar nervosamente e fazer barulhos engraçados que vos irritam os nervos, no entanto, justamente quando abris a boca, lá está ela séria, tendo nos olhos aquele olhar especial. A menina é inocente brincando na lama, beleza plantando bananeira, e maternidade quando arrasta uma boneca pelo pé.

Encontram-se meninas em cinco cores, preta, branca, vermelha, amarela e parda, e ainda assim a mãe natureza sempre consegue escolher vossa cor predileta quando fazeis a encomenda. Não concordam com a lei da oferta e da procura, há milhões de menininhas, porém cada uma delas é tão preciosa como rubis.

Deus toma emprestado de muitas criaturas para fazer uma meninazinha. Usa o canto de um pássaro, o grunhido do porco, a insubordinação de uma mula, as travessuras de um macaco, e agilidade de gafanhoto, a curiosidade do gato, a velocidade de uma gazeta, a astúcia da raposa, a brandura de um gatinho, e, culminando tudo isso, acrescenta ele a mente misteriosa de uma mulher.

A menina gosta de sapatos novos, de roupa de festa, de pequenos animais, do primeiro ano, de coisas que fazem barulho, da menina da casa vizinha, de bonecas, de fingir, de sorvete, da cozinha, de livros coloridos, de vasilha de água, de fazer visitas, de reuniões de chá, de um menino. Não se importa muito com as visitas, com os meninos em geral, com os cães grandes, com artigos de segunda mão, cadeiras duras, verduras, roupas para frio, ou de ficar no pátio, em frente de casa. Ela é mais barulhenta quando estais pensado, a mais gentil quando vos tem provocado, a mais culpada na hora de ir para a cama, e mais quieta quando a quereis apresentar, e a mais atraente quando ela não deve, absolutamente, tirar de novo vantagem alguma.

Quem mais vos poderá causar mais tristeza, alegria, irritação, satisfação, embaraço, e genuíno deleite do que essa combinação de Eva, Salomé, e Florence Nightingale? Ela vos pode sujar a casa, o cabelo e a dignidade, gastar vosso dinheiro, vosso tempo, e vossos nervos, então justamente quando vossa paciência está preste a se acabar, seu sorridente semblante reaparece e vós perdestes outra vez.

Sim ela é um torturante incômodo para os nervos, justamente um barulhento feixe de maldade. Mas quando vossos sonhos se desvanecem e o mundo é uma confusão , quando vos parece que afinal de contas não passais de um tolo, pode ela fazer de vós um rei, ao trepar em vossos joelhos e cochichar: É do senhor que EU GOSTO MAIS!

USO DA TELEVISÃO

Canal 23

Se você é vidrado na televisão aqui está uma nova versão do Salmo 23 dos telespectadores. O Salmos 23 passa a ser o canal 23 fazendo-se a seguinte paráfrase dos seus versículos:


  1. O televisor é meu pastor; meu crescimento espiritual faltará.

  2. Ele me faz deitar nos pastos mundanos para levantar-me vazio das coisas de Deus. Faz me abandonar meus deveres de cristão, porque preciso assistir meus programas prediletos.

  3. Ele renova meu conhecimento sobre as coisas do mundo e não me deixa estudar a palavra de Deus. A minha mente está tão saturada dos valores mundanos que agora tudo é normal para mim. Duvido até da existência do pecado.

  4. Mesmo estando para morrer, continuarei assistindo ao meu televisor enquanto ele funcionar, porque ele é o meu companheiro mais achegado; suas musicas e imagens me confortam e me fascinam.

  5. Ele me oferece muita distração trazendo o mundo para casa a fim de orientar minha família. Ele enche minha cabeça de suas coisas de modo que meu cálice trasnsborda e eu estou sempre a falar e a pensar nos seus programas. Falo tanto neles, que a palavra de Deus não tem mais lugar na minha vida, na minha família, na minha casa.

  6. Assim sendo, certamente o mal e a miséria me seguirão todos os dias da minha vida, porque o televisor está em primeiro lugar na minha vida; assim habitarei no lugar preparado para o diabo e os seus anjos para todo sempre.

Extraido e adaptado de (vigiai e orai)

Para muitos as palavras acima podem parecer muito agressivas, e exageradas ou patéticas. Alias para muitos crentes a piedade é coisa do passado, está obsoleta. A própria Bíblia já prediz que nos fim dos tempos (o amor de muitos se esfriará) (Mat 24:12).

Sem duvida não podemos condenar o telespectador às penas do inferno só porque assiste sua TV. A televisão em si não é o problema mas sim a maneira como a utilizamos. Se a colocamos acima de Deus de nossa própria vida, da convivência familiar, pode estar certo que estamos falhando gravemente. A televisão fascina nossos olhos, nossas emoções se não soubermos utilizá-la.

De modo geral o uso adequado de um televisor reside em dois botões de controle. NO SELETOR DE CANAIS: se o programa de um canal não é proveitoso para minha vida e a minha família é só mudar de canal. No botão de liga /desliga: se não há nada de proveitoso em nenhum canal, o melhor estão é desligar a TV. Por que perder meu precioso tempo. Remindo o tempo, porquanto os dias são maus (Efe. 5:16).

Há muita coisa proveitosa na TV, mas há muito inproveitoso que Deus nos de sabedoria para utilizarmos nosso TV.

CONDUTA CRISTÃ

Como Cantamos e Como vivemos

Eis algumas comparações desafiadoras entre os hinos que cantamos e o mundo que vivemos.

Cantamos- Quão doce e orar a Deus, e nos contentamos com apenas 3 a 5 minutos por dia em oração.

Cantamos - Chuvas de bênção teremos, mas não vamos à igreja quando está chovendo.

Cantamos- Ó cristãos avante, é esperamos ser convocados para o trabalho missionário, é ? Quando vamos.

Cantamos- Benditos sagrados serão os laços fraternos do amor, e permitimos que qualquer ofensa nos isole do amor para com os irmãos.

Cantamos- Ao mestre alegremente devemos servir, e nos queixamos de tudo que temos que fazer, para o mestre.

Cantamos- Marchando para Sião, mais deixamos de marchar para a igreja.

Cantamos- Conta a feliz história, e nunca contamos ao nossos vizinhos e amigos.

Cantamos- Sobre seu amor me reclino e descanso, e nos consumimos de preocupações até ao colapso nervoso.

Cantamos- Por mui longínquas terras nos vamos sem temor por vales e por serras pregando o salvador, E nunca convidamos nossos vizinhos do lado para irem à igreja.

Cantamos- É finda a luta semanal, feliz descanso retornou, e nos esgotamos indo tão longe se necessidade aos sábados.

Irmãos que Deus abençõe que possamos não estar fazendo parte de alguns destes itens, para não estarmos mentindo para nos mesmos.

NÃO HÁ MAIS REUNIÕES DE ORAÇÃO

Nota de Falecimento

Faleceu, na Igreja.

Dos negligentes e frios, situada na rua do mundanismo numero 666, dona reunião de oração, que já estava enferma desde os primeiros séculos da Era cristã.

Foi proprietária de grandes avivamentos Bíblicos e de grande poder e influência no passado.

Os médicos constataram que sua doença foi motivada pela frieza de coração, devido à falta de circulação do sangue da fé. Constataram ainda dureza de joelhos, não dobravam mais, fraqueza de ânimo e muita falta de boa vontade.

Foi medicada, mas erradamente, pois lhe deram grande dose de administração de empresa, mudando-lhe o regime o xarope de reuniões sociais, sufocou-a deram-lhe injeções de competições esportivas, o que provocou má circulação nas amizades, trazendo, ainda, os males da carne: Rivalidade, ciúmes, diz que principalmente entre os jovens. Administraram-lhes muitos acampamentos e comprimidos de clube de campo. Até cápsulas de gincana lhe deram para tomar. Resultado: Morreu dona semana de oração.

A autópsia, revelou: Falta de alimentação com pão da vida, carência de água viva. e ausência de vida espiritual.

Agora, uma pergunta: Será que o irmão não ajudou a matar a dona reunião oração? Pense bem.

PASTORES SEMPRE CRITICADOS

Pastores à beira de um Ataque de Nervos

Se é jovem, falta-lhe experiência; se tem cabelos brancos, é velho demais. Se tem cinco ou seis filhos, tem filhos demais; se não os tem, está dando mau exemplo.

Se a esposa canta no coro, ela quer exibir-se; se não canta, não se interessa pelo trabalho do marido.

Se usa esboço, prefere sermões em conserva e é seco; se é extemporâneo, não é profundo.

Se gasta tempo demais no estudo, negligencia o povo; se faz muitas visitas aos pobres, está procurando nome; se visita somente os ricos, está querendo ser aristocrata.

Se sugere melhoramentos para a igreja, é ditador; se não tem sugestões, é simples figura.

Se usa muitas ilustrações, negligencia a Bíblia; se não usa, não é claro; se não condena é condescendente. Se prega uma hora é prolixo; se prega menos é preguiçoso.

Se prega a verdade, é ofensivo; se não prega é hipócrita. Se deixa de agradar a todos está prejudicando a igreja, se a todos agrada, não tem convicções.

Se prega sobre dízimo, é usuário; se não prega, falha em desenvolver o povo. Se recebe bom salário, é mercenário; se o salário é pequeno, é prova de não vale muito.

Se prega sempre, o povo se cansa dele; se convida outros pregadores, não compreende bem sua responsabilidade.

Se é ativo, é ambicioso; Se é calmo, é acomodado, preguiçoso.

Se é exigente, é intolerante; Se não exige é displicente.

Se visita o membro é icômodo; Se não visita, é irresponsável com as ovelhas.

Se fica muito com os jovens, é imaturo; Se fica com os adultos é antiquado e ultrapassado.

Se fica mais com as crianças, é infantil.

Se procura atualizar-se, é mundano; Se não se atualiza é mente fechada

Se cuida de sua família, é descuidado com a igreja; Se cuida da igreja é descuidado com a família.

Se é positivo e procura corrigir, é parcial.

Se o pastor se veste bem, é vaidoso; Se se veste mal é relaxado.

Se sorri sempre, é irreverente; Se não sorri, é cara fechada.

Se realiza programas novos, é que só vive e quer viver de promoções; Se não realiza, é porque não tem idéias.

Se o pastor é alegre, é sem linha; Se chora no púlpito, é chorão.

Se organiza trabalhos, é explorador do rebanho; Se não organiza é que não dá trabalho ao rebanho.

Se o pastor fala alto, é porque não tem argumento; Se fala baixo, é um coitado que não tem voz.

Se prega nas ruas, está barateando o evangelho; Se só fica na igreja, é acomodado nas quatro paredes.

Realmente trata-se de um contraditado, mas não tem problema, qualquer imitador de Cristo sempre será criticado pelos homens ( e muitas mulheres )

E AINDA DIZEM QUE O PASTOR TEM VIDA FOLGADA

HONESTIDADE

O Vendedor de Ilinóis

Num pequeno armazém rural em Ilinóis, havia um moço rústico, alto e feio, servindo como caixeiro. Certo dia entrou na venda uma senhora idosa a fim de fazer algumas compras. Ela entregou-lhe uma nota e ele recebeu seu dinheiro, devolvendo-lhe o troco.

Naquela noite, ao fechar o livro caixa verificou que havia alguns centavos a mais. Passou em revista, mentalmente, todas as vendas feitas no dia e lembrou-se do troco que dera à idosa senhora pela manhã. Deixara de dar-lhe a quantia exata.

Aqueles poucos centavos pertenciam a ela. Pôs o chapéu na cabeça, fechou o armazém, e andou vários quilômetros a pé para devolver os centavos à freguesa.

Aquele rapaz rústico era Abraão Lincoln que, como se sabe, tornou-se mais tarde presidente dos Estados Unidos.

VERDADES SOBRE A IGREJA CATÓLICA

Pedro e o Sucessor

Conta-se que tendo ido Thomaz de Aquino, o “Doutor Angélico” da Igreja Romana, visitar o Papa Inocêncio IV; este, depois de lhe haver mostrado toda a fabulosa riqueza do Vaticano, disse, fazendo aluzão às palavras de Pedro ao côxo da porta Formosa.

-Vês, Thomaz? A igreja não pode mais dizer como nos primeiros dias: “não tenho prata nem outro...”

-É verdade, -confirmou Thomaz - também ela não pode dizer mais ao côxo: “Levanta-te e anda.”

PECADO

Vai à Própria Fonte da Vida

O patrão de um servo fiel, um dia presenteou-o com um relógio. Aquele homem simples não se continha de alegria.

O relógio era sua posse mais estimada. Levava-o sempre consigo e mostrava-o a todos.

Depois de algum tempo, o relógio parou. Os ponteiros, naturalmente não andavam. Em vão procurou ele mesmo localizar e corrigir o desarranjo. Em sua ignorância, o velho tirou os ponteiros e os levou a um relojoeiro.

Foi com dificuldade que este afinal o convenceu de que o desarranjo não estava nos ponteiros, mas no maquinismo. Devia haver alguma sujeira ou ferrugem no interior, de modo que os penteiros só caminhariam depois de removido aquilo.

AMOR DIVINO

Deus é Amor

O célebre orador romano Cícero refere que Hieron rei da Silícia, pediu a simônides lhe dissesse que idéia formava da natureza da divindade, e concedeu-lhe um dia para pensar sobre o assunto.

No fim daquele dia Simônides declarou que a coisa não lhe parecia ainda claramente explicável e pediu mais dois dias para refletir. Terminado esse tempo, pediu mais três dias; e instando o príncipe pela definição de Deus, estranhando a demora do filósofo, este francamente confessou que quanto mais concentrava sua atenção sobre o assunto, quanto mais refletia, menos capaz se julgava de responder quem era Deus.

O que Simônides não pôde fazer, o discípulo amado fez uma só palavra: “Deus é Amor

ORAÇÃO:

Juntando Letrinhas (Lucas 11:1-4; 11:9-13)

Certa noite um pai ao passar pelo qurto de seu filhinho, onde a porta estava semi-aberta, ouve o menino falando baixinho o seguinte: a, b, c, d, ...

Curioso o pai pergunta:

- Filho, o que você está fazendo?

- Orando - disse o filho. O pai exclama! Desse jeito!

- Papai, eu tenho dificuldades para orar, então faço assim, falo as letras e Jesus as juntando saberá minhas necessidades.

Para orar não precisa palavras complexas. A oração é abrir o coração a Deus como a um amigo. Jesus sempre orava. Terminou a Sua vida de oração na cruz.

SALVAÇÃO

A Decisão de aceitar a salvação ou rejeitá-la está em nossas mãos

Havia em um determinado reino, um velho sábio. Todas as questões difíceis eram levadas diante dele e com muita sabedoria ele dava uma boa solução. Certo dia dois adolescentes combinaram em apresentar ou fazer duas perguntas ao grande sábio com o objetivo de mostrar que o sábio não era tão sábio assim.

Combinaram o seguinte: vamos diante do sábio com um pássaro na mão e vamos fazer as seguintes perguntas:


  1. O que tenho em minha mão? O sábio dirá - é um pássaro.

  2. O pássaro está vivo ou está morto? Se o sábio disser está vivo, eu aperto o pássaro e o apresento morto, mas se ele disser o pássaro está morto eu abro a mão e o pássaro voa, então de qualquer forma o sábio errará.

Após combinarem foram diante do sábio e fizeram as perguntas pré-combinadas, o sábio parou um pouco e respondeu:

A resposta às suas perguntas está em suas mãos e depende única e exclusivamente de você.

PECADO

Perigo de Brincar com o Pecado

Uma certa pessoa caminhava sobre a neve quando viu uma pequena serpente dando as últimas mexidas. O viajante ficou paralisado, pegou a serpente e a colocou em seu peito para aquecê-la. Quando a serpente se aqueceu ela picou o seu benfeitor. Aplicação: Não podemos brincar com o pecado, mais cedo ou mais tarde ele nos destruirá.

COMUNHÃO

Ligados a Fonte

Laurence, um famoso explorador francês foi à Àfrica para fazer um estudo junto a uma tribo africana.

Lá ele pode ver a dificuldade que aqueles homens tinham para conseguir água no deserto.

Um dia ele levou quatro homens daquela tribo para a França a fim de participarem em Paris num congresso de civilizações.

Os homens ficaram estarrecidos com tanta novidade. Admiravam-se de tudo o que viam: carros, bondes, etc. Mas nada causou mais admiração naqueles homens do que as torneiras de água. Desrosqueando a torneira a água jorrava em abundância. Para nós isso é comum, mas para aqueles homens que viviam num lugar de tanta escassez isso era algo extraordinário.

Quando Laurence se praparava para voltar à África, ele procurou os homens, mas nãos os encontrava, até que viu os quatro tentando arrancar uma torneira do banheiro. Estavam certos de que munidos daquele instrumento, teriam água a vontade no deserto.

Desconheciam que aquela torneira só liberava a água pois estava ligada a uma fonte.

Muitos podem até rir da ignorância desses homens, mas esta é uma experiência muito semelhante a de muitos Adventistas. Querem ter vitória na vida espiritual sem estar ligados à fonte de todo o poder e vitória.

CEGUEIRA ESPIRITUAL

O Pior Cego é aquele que não quer ver

Esse ditado popular tem história.

Em 1647 em Nimes, na França, na Univeersidade local, o doutor Vicente Paul D’Argente fez um transplante de córnea num aldeão cego chamado Angel.

Foi um sucesso para a medicina da época, menos para Angel, que ficou horrorizado.

Disse que imaginava um mundo muito melhor. Queria voltar a ser cego.

O caso foi parar no tribunal de Paris e por fim no Vaticano.

Angel acabou ganhando a causa e entrou na história como o cego que não quis ver.

Muitas pessoas hoje se conformam com o seu estado de cegueira espiritual, e assim não permitem a transformação operada por Jesus.

ARREPENDIMENTO

O Adeus Definitivo

Um ancião já cansado da luta, aguardava no leito o dia da partida. Pediu então que queria ver toda a família para despedir-se de cada um.

Acontece que um de seus filhos tinha se desviado do caminho do Senhor, mas este também ao seu pedido deveria estar lá.

Logo todos estavam reunidos ao redor do leito do moribundo e este começou a despedir-se:

Disse à sua esposa:

- Até logo querida, Jesus logo voltará e nos veremos.

A seguir disse para o primeiro filho:

- Até logo meu filho!

E assim sucessivamente, até que chegou naquele filho que estava longe de Deus. A esse ele disse:

- Adeus filho, até nunca mais.

Então este filho irritado perguntou:

- Papai, por que o senhor disse até logo para todo mundo, e para mim disse até nunca mais?

- Meu filho, explicou o pai, todos esses tenho certeza que os verei no céu quando Jesus voltar, mas você está longe de Deus, a única coisa que te posso dizer é até nunca mais.

Logo aquele ancião morreu, mas aquele filho chorou amargamente e resolveu mudar de vida, voltando para Jesus.

CONDUTA CRISTÃ

Sê Tu uma Bênção (Gên. 12:2)

Certo dia um pastor se aproximou de uma garotinha e perguntou a ela:

- O que você quer ser quando crescer?

Com um lindo sorriso nos lábios e firmeza na sua voz infantil, ela respondeu:

- Pastor, quando crescer eu quero ser uma bênção.

Oxalá cada Adventista do Sétimo Dia tivesse o desejo daquela garotinha. Ser uma bênção.

PAI NEGLIGENTE

Pai Pródigo

Havia um homem que possuia dois filhos. O menor, especialmente, sempre lhe dizia: Pai, dá-nos parte do teu tempo e de tua companhia.

Entretanto, o pai preferiu multiplicar seus bens materiais. Com essa preocupação algum tempo depois, o pai reuniu todos os seus bens e aspirações terrenas e partiu rumo a uma terra longínqua, chamada o país dos negócio, onde viveu muitos anos indiferente ao lar. Um dia sentiu saudades de seus filhos.

Que me vale ter as mãos cheias de bens e o coração vazio pela ausência dos meus filhos? Levantar-me-ei e irei ter com meu lara e direi aos meus filhos: pequei contra o céu e contra vocês e já não sou digno de ser chamado vosso pai.

Estando ainda longe, reconheceu a seus filhos mas eles não o reconheceram. Lançando-se a seus pés disse-lhes:

- Filhos não cumpri meu dever. Não sou digno de ser chamado pai. Perdoem-me e façam-me pelo menos como um de seus amigos.

O filho menor respondeu:

Desejaríamos que fosse assim, mas é demasiado tarde. Quando mais necessitávamos de tua amizade, companheirismo e conselhos, fomos deixados de lado. Teu lugar foi tomado por outros que nos arruinaram o corpo com seus maus conselhos. Por que nos procurar agora? Já não podes fazer mais nada por nós. É tarde demais.

Não está esta parábola sendo uma realidade em nosso lar?

ESFORÇO E DETERNINAÇÃO

Ver o Mar de Longe

Conta-se a história de um chefe indígena moribundo, que quis escolher um dentre seus três filhos, para seu sucessor como chefe da tribo. Apontando para uma montanha próxima, disse ele:

_ Meus filhos, quero que cada um de vocês suba àquela montanha e aquele que alcançar o cume será meu sucessor.

Logo um deles retornou, trazendo uma linda flor.

_ Eu subi ao ponto mais alto da montanha, meu Pai, disse ele, e trago-lhe como prova esta flor.

_ Ponha-se ao lado! Ordenou o pai.

Logo o segundo filho voltou, tendo na mão um ramo verde:

_ Meu pai, escalei o último pico da montanha, e trago-lhe como prova este ramo verde.

_ Ponha-se ao lado! Disse o pai.

Não tardou cheou o terceiro filho, cansado, combalido, pés sangrando pelos ferimentos nas agudas pedras, mas nada trazendo nas mãos.

_ Subi ao mais elevado cume, meu pai, mas nada trago como prova, pois onde estive não medra vegetação alguma. Mas, acrescentou, olhos brilhantes, eu vi o oceano!

_ Venha cá, meu filho, disse o pai. Você é o chefe da tribo, pois eu também vi o mar!

FASES DA VIDA DO HOMEM

Assim é o Homem

Deus criou o burro e disse:


  • Obedecerás ao homem, carregarás fardos pesados nas costas e viverás 30 anos.

O burro virou-se para Deus e disse:

  • Senhor ser burro, obedecer ao homem, carregar fardos nas costas e viver 30 anos? É muito. Bastam-me apenas 10 anos.

Deus criou o cachorro e disse:

  • Comerás o osso que te jogarem ao chão, tomarás conta da casa do homem e viverás 20 anos. Serás cachorro.

O cachorro virou-se para Deus e disse:

  • Senhor, tomar conta da casa, do homem, comer o que me jogarem ao chão e viver 20 anos? É muito Senhor, bastam-me 10 anos

Deus criou o macaco e disse:

  • Pularás de galho em galho, farás macaquices e viverás 30 anos. Serás macaco.

O macaco virou-se para Deus e disse:

  • Senhor, pular de galho em galho, fazer macaquices e viver 30 anos? É muito Senhor. Bastam-me 20 anos.

E Deus fez o homem e disse:

  • Serás o rei dos animais. Dominarás o mundo. Serás inteligente e viverás 30 anos.

O homem virou-se para Deus e disse:

  • Senhor, ser rei dos animais, dominar o mundo, ser inteligente e viver 30 anos é pouco, Senhor. 20 anos lque o burro não quis, 10 anos que o cachorro recusou e 10 anos que o macaco não quis, daí-me a mim, Senhor para que eu viva pelo menos 70 anos.

E Deus atendeu ao homem. Até aos 30 anos, o homem vive a vida que Deus lhe deu, é homem.

Dos 30 aos 50 anos o homem casa e carrega os fardos nas costas para sustentar a família, é burro.

Dos 50 aos 60 anos já cansado ele passa a tomar conta da casa, é cachorro.

Dos 60 aos 70 anos, mais cansado ainda, ele passa a viver aqui e ali na casa de um filho ou de outro e faz gracinhas para os netos rirem, é macaco.

Dever de todos

Cada um deve fazer o que está ao seu alcance

Um homem sábio fazia um passeio pela praia, ao alvorecer. Ao longe, avistou um jovem rapaz que parecia dançar ao longo das ondas. Ao se aproximar, perceberu que o jovem pegava estrelas do mar da areia e as atirava suavemente de volta à água. E então o homem sábio lhe perguntou:

_ “O que você está fazendo?”

_ ”O sol está subindo e a maré está baixando; se eu não as devolver ao mar, irão morrer.”

_ “Mas, meu caro jovem, há quilômetros e quilômetros de praias cobertas de estrelas do mar... Você não vai conseguir fazer qualquer diferença.”

O jovem se curvou, pegou mais uma estrela do mar e atirou-a carinhosamente de volta ao oceano, além da arrebentação das ondas. E retrucou:

_ “Fiz diferença para essa aí.”

A atitude daquele jovem representa alguma coisa de especial que existe em nós. Todos fomos dotados da capacidade de fazer diferença. Cada um de nós pode moldar o próprio futuro.

Cada um de nós tem o poder de ajudar nossas organizações a atingirem seus objetivos.

Comunicação

O Poder das Palavras

Palavras são mistérios que às vezes dizem menos que um olhar, outras vezes, dizem mais do que elas mesmas.

Muitas vezes as palavras carregam em si a essência de tudo o que somos. Elas traduzem em sons aquilo que sentimos e as paixões que nós vivemos.

Porém, há ocasiões em que palavras são como o vento. Acariciam com suavidade, passam por nós úteis, boas, sensíveis e férteis como quem leva o pólen da vida a uma flor.

Outras vezes, agitadas por obscuros sentimentos, traduzem fúria, destróem, machucam, danificam e ferem num furor imenso.

Mas nada há mais doce do que dizer. Dizer o que se é e o que se pensa. Aqui está a magia da verdade, carregada de transparência e calor como um sol de brilho intenso.

Dizer é importante, comunicar é vida, vida que é feita com palavras... ou quem sabe... com silêncio.

Comunicação

Das Tripas... Coração

Certa vez, lá pelos idos de 1940, numa pequena cidadezinha do interior de Santa Catarina, Pilarzinho para ser mais exato, aconteceu um fato pitoresco, mas típico de falta de comunicação.

Um casal de velhinhos combinou que se comunicariam através da Rádio Chapecó, a mais ouvida da região. Como haviam poucos telefones no local, o modo mais fácil de comunicação era através do rádio.

Dona Angelina foi à Chapecó fazer uma consulta, para saber se seria operada ou não. Uma de suas vizinhas encomendou da cidade, tripas de carneiro para fazer salame as quais dona Angelina traria quando voltasse.

Chegando ao hospital, a senhora teve que ser internada e operada às pressas, pois seu estado inspirava cuidados.

Preocupada com a urgência da encomenda da vizinha, fez chegar até a rádio de Chapecó o seguinte recado:

“Atenção Sr. Laurentino, sua esposa Angelina manda avisar que foi operada e que as tripas seguem amanhã pelo ônibus.” Coitado do Sr. Laurentino!

Pois é, na igreja às vezes, acontece a mesma coisa.

Uma idéia, providência ou determinação que o pastor por exemplo queira passar à sua equipe chega às vezes completamente distorcida, causando atritos e preocupações que retiram energia da equipe, prejudicando sua concentração.

Por vezes, um recado mal-entendido, causa consideráveis estragos, pois mexe com a motivação das pessoas. E motivação é o alicerce do envolvimento.

Portanto, pastor, reflita sobre como anda sua comunicação com a equipe. Você tem o hábito de testar o entendimento para certificar-se que eles entenderam o que você quis dizer?

Você pede para alguém ler suas comunicações escritas antes de enviá-las e depois pergunta a quem leu o que ele/ela entendeu?

Quando você passa uma orientação pelo telefone você pergunta o que o seu interlocutor entendeu?

Parece muito trabalho, mas na verdade é economia de trabalho e de aborrecimento lá na frente.

Que tal todos nós aprendermos a lição da Dona Angelina e Sr. Laurentino.

“Faça da Tripas coração para melhorar sua comunicação.”

Postura

Pare de Reclamar

Tem gente que não percebe que viver reclamando só serve para piorar as coisas. Conheço pessoas que vivem para reclamar de tudo. Com uma visão extremamente negativa das coisas, essas pessoas só conseguem ver defeitos, erros, encontrar motivos para, cada vez mais, reclamar de tudo e de todos.

Conheço empregados que ao invés de olharem os benefícios que recebem da empresa, as coisas positivas que seu emprego lhes oferece, vivem reclamando de pequenas coisas, achando ruim de coisas sem importância e criando um clima de insatisfação nos outros e em si próprio. Esses funcionários só reconhecem os valores e benefícios de sua empresa, depois que são dispensados, depois que deixam a empresa e depois, arrependidos, vão ter maior contato com a realidade exterior e ver que a empresa em que trabalhavam era, de fato, uma boa empresa ou pelo menos procurava ser o melhor que podia ou fazer o melhor que podia.

Conheço pessoas que só falam mal de seus chefes, de seus subordinados, de sua empresa, de seus colegas de trabalho. Essas pessoas são doentes. Não podem ser consideradas pessoas sãs. Quem vive reclamando, falando mal dos outros, reivindicando dia e noite maiores benefícios, é uma pessoa que precisa ser re-treinada a ver o outro lado do mundo, o outro lado das pessoas.

Gostaria que você se analisasse mais uma vez. Como é você? Será que você não adquiriu um verdadeiro “vício”de reclamar de tudo e de todos? Será que você não adquiriu o mau hábito de falar mal de sua empresa, de seu chefe, de seus subordinados, de tudo e de todos? Mude enquanto é tempo. Seja sincero com a sua própria consciência e veja que há muitas coisas positivas em seu trabalho, em sua empresa, no seu chefe, nos seus subordinados. Pense nisso.

Luis Almeida Marins Filho, Ph.D.

diferenças pessoais

A Escola dos Bichos”

Era uma vez, um grupo de animais que decidiu fazer algo de heróico para resolver os problemas de um “Novo Mundo”, de modo que fundaram uma escola. Adotaram um currículo de atividades que incluía: corrida, alpinismo, natação e vôo.

Para tornar mais fácil a administração, todos os animais participaram de todos os cursos:



  • O pato era excelente em natação. Na verdade melhor do que o professor e conseguiu boas notas em vôo, mas não se deu bem em corrida. Como ele era muito lento na corrida, precisou ficar após as aulas para praticar mais, inclusive abandonando a natação. E manteve este esquema até que seu pe’de pato ficou muito machucado, e ele no máximo conseguia nadar um pouco, dentro da média. Como ele estava dentro da média, de acordo com os objetivos da escola, ninguém se importou com o problema, fora o próprio pato.

  • O coelho começou em primeiro lugar na aula de corrida, mas sofreu um colapso nervoso por causa das dificuldades com a natação.

  • O Esquilo Mostrou-se excelente em alpinismo, mas ficou frustrado com a aula de vôo, porque seu professor o obrigava a começar do chão sem permitir a decolagem do alto das árvores. Também passou a sofrer de cãimbras por excesso de esforço físico e acabou tirando “C” em alpinismo e “D” em corrida.

  • A águia era uma aluno problema, e teve de ser castigada severamente. Na aula de alpinismo ela ganhou de todos, mas insistia em atingir o alto com suas próprias técnicas. No final do ano,

  • Uma cobra que conseguiu nadar muito bem, e também sabia correr, praticar alpinismo e até voar um pouquinho tirou a média mais alta e foi considerada a melhor aluna.

  • Os cachorros-do-mato fugiram da escola e não pagaram as mensalidades, porque a direção se recusava a incluir cavar e farejar no currículo. Eles mesmos ensinaram seus filhos a latir, e mais tarde uniram-se aos porcos e tatus para fundar uma escola particular.”

A Escola dos bichos nos ensina uma grande lição:

Valorizar as diferenças.

Dr. R. H. Reeves.

Mudanças de personalidade

Se Eu Mudasse

Se eu mudasse minha maneira de pensar frente aos outros, me sentiria mais feliz.

Se eu mudasse minha maneira de agir, faria os outros mais felizes.

Se eu me aceitasse como eu sou, eu tornaria mais alegre o meu ambiente.

Se eu desejasse sempre o melhor para os outros.

Se visse sempre o positivo em todos, a vida seria mais fácil de ser vivida.

Se eu mudasse o mundo, talvez ele mudasse...

Se eu lastimasse menos e ajudasse mais,

Se eu criticasse menos e perdoasse mais,

Se eu mudasse... mudaria o muindo.

Conclusão: Se todos nós mudássemos o nosso modo de pensar, agir, aceitar, desejar, amar as pessoas conforme elas são, com certeza, teríamos um mundo melhor...

política

Eu e o Político

Eu e o Político

Eu fico lá e o J.K.

Eu brigo a soco e o Jorge a chute

Eu sou pai e o Salgado Filho

Eu gosto de laranja e o Negrão de Lima

Eu crio galinha e o Magalhães Pinto

Eu sou fraco e o Bias fortes

Eu vendo casas e o Roberto Campos

Eu planto eucalipto e o Israel Pinheiro

Eu vendo fazendas e o Teixeira Lotes

Eu mato mosquito e o Dalton Coelho

Eu caço lebre e o Oswaldo Aranha

Eu sou filho e o Bueno Neto

Eu tomo água e o Armando Leite

Eu corto o cabelo e o Clóvis Pestana

Eu provoco chuva e o Tancredo Neves

Eu dou pulo e o Mário Pinotti

Eu vendo doce e o Prinio Salgado

Eu pinto parede e o Janio Quadros

Eu sou Moreno e o Castelo Branco

Eu crio coelhos e o Armando Falcão

Eu abro caminho e o Toledo Pisa

Eu lavo prato e o Antonio Pires

Eu tenho barraco e o Jango Lar

Eu sou de Carne e o Ademar de Barros

Eu crio pombo e o Jarbas Passarinho

Eu sou branco e o Garrasta Azul Médici

Eu cato pedras e o Otacílio Lajes

Eu mato elefante e o Julio Barata

Eu fui assaltado e o Celso furtado

Eu dou salto e o Oscar Passos

Eu sou rio e o Lagoa Bonita

Moral da História:

Se eu não fizesse, o Cordeiro Faria

Qualidade

Quem é responsável pela qualidade?

Esta é uma estória sobre quatro pessoas chamadas:


  • Todo Mundo

  • Alguém,

  • Qualquer um e

  • Ninguém

A qualidade era um serviço importante a ser feito e

Todo mundo estava certo de que alguém faria.

Qualquer um poderia ter feito.

Alguém ficou zangado sobre isso, porque era serviço de Todo Mundo.

Todo mundo pensou que Qualquer um podia fazê-lo, mas ninguém percebeu que Todo mundo não o faria. No fim, Todo mundo culpou alguém quando Ninguém fez o que Qualquer um poderia ter feito.

Pré-Julgamento

O Crime da Ponte

Certo dia um cristão passava por uma ponte, e algo lhe chamou a atenção. Um homem agonizava em seus últimos minutos de vida com uma faca encravada no peito.

O cristão se aproximou, e vendo aquela cena se compadeceu daquele moribundo. O homem que mal podia falar lhe pediu encarecidamente para que tirasse aquela faca de seu peito. O cristão mais que depressa se aproximou e puxou aquela faca do seu peito.

Acontece que o vizinho mais próximo viu aquela cena, um homem abaixado e puxando uma faca toda ensangüentada do outro.

Ao fazer-se o levantamento policial aquele vizinho foi testemunha do caso e acusou aquele cristão. O mesmo foi condenado a 18 anos de prisão.

As tentativas para provar que não era ele não se sustentavam diante do fato de a testemunha ter visto o ato do crime e a vítima, a única que sabia a verdade havia morrido.

Passaram-se vários anos e voltou àquela cidade um trombadinha que morava ali próximo àquela ponte.

O trombadinha perguntou à vizinhança no que tinha dado o caso do crime da ponte, os vizinhos lhe informaram que o assassino, aquele cristão que passava aqui todas as manhãs havia sido preso e estava condenado a 18 anos de prisão.

Aquele garoto com o coração partido, sai e vai até a delegacia e se entrega, o criminoso era ele e havia fugido. Aquele cristão muitas vezes havia dado alimento àquele trombadinha e agora ele se lembra de tudo aquilo e não se conforma.

O pré-julgamento prejudica e até mata o seu semelhante.

Pré-Julgamento

O Pastor que Brincava com sua Esposa

Um certo dia uma irmã da igreja estava visitando uma amiga que morava do lado da casa do pastor.

De repente, ela ouve barulhos de móveis, gritos da esposa, correrias e fica preocupada. Chega então para as outras irmãs da igreja e começa a dizer que o pastor estava espancando a sua esposa, causando mal testemunho para o nome da igreja.

O boato começa a se estender e o pastor é chamado na comissão da igreja. O pastor fica sem saber do que se trata, quando lhe é dado a conhecer o caso, ele solta umas gargalhadas e conta-lhes a história verdadeira.

Acontece que por ser muito brincalhão e serem muito unidos, o casal de vez em quando brincava de pega-pega dentro de casa e provocava uma grande correria e arrastava os móveis para lá e para cá e como é próprio das mulheres quando em situações parecidas gritarem, a sua esposa gritava quando se sentia em perigo de ser pega e tudo isto foi levado à frente como espancamento por parte do pastor à sua esposa.

Aquele pastor pegou um travesseiro de penas e convidou aquela irmã para ir com ele ao alto de uma montanha. Ao chegarem lá, em silêncio o pastor abriu aquele travesseiro e soltou aquelas penas ao vento. Depois de alguns instantes pediu para que aquela mulher ajuntasse todas aquelas penas. Algo praticamente impossível então o pastor bondosamente lhe disse que tivesse cuidado com o que dizia, pois algo que falamos é impossível de trazermos de volta, como aquelas penas voltarem todas ao travesseiro.

Condenação

É melhor o Amor a Críticas Condenatórias

Um pastor passa por um bar e vê um garoto com roupa de desbravador tomando bebida alcoólica. Fica ali por um tempo sem que o garoto perceba a sua presença e depois de alguns instantes calmamente chega-se até o garoto que leva um tremendo susto e diz:

“Meu filho acho que você está passando por uma situação difícil, mas não se esqueça, Jesus te ama e te espera.” E foi embora.



Aquelas palavras tiveram muito mais efeito do que se viesse em forma de repreensão.





©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal