Informação à imprensa



Baixar 38.7 Kb.
Encontro31.07.2016
Tamanho38.7 Kb.



Informação à imprensa | Maio de 2012

Passos à Volta da Memória (III):

A Presença Judaica na Guarda
Passos à Volta da Memória (IV):

Romagem Teatral ao Cabeço das Fráguas
Feira de São João

Culturguarda, E.M.

Rua Batalha Reis, 12

6300-668 Guarda | Portugal
Tel. 271 205 240

www.tmg.com.pt
Gabinete de Comunicação e Imagem

gci@tmg.com.pt



Passos à Volta da Memória (III):

A Presença Judaica na Guarda

19 de Junho a 31 de Agosto | 2012

Terça a Sábado

(54 sessões)

17h30

Início na Praça Luís de Camões
Ficha

Coordenação geral: Américo Rodrigues

Texto e encenação: Antónia Terrinha

Interpretação: Antónia Terrinha ou Isabel Leitão
Coordenação de Produção: Sílvia Fernandes

Produção Executiva: Lara Morais

Coordenação de Comunicação e Imagem e Design do Cartaz: Sérgio Currais

Divulgação e imprensa: Susana Adaixo

Relações Públicas: Carlos Antunes

Agradecimentos: Bar Aqui Jazz, Maria Antonieta Garcia
Uma produção da Culturguarda para a Câmara Municipal da Guarda
Sinopse

“Seja bem-vindo quem vier por bem” é o mote para uma visita ao “tempo e espaço” daquilo que foi a presença dos Judeus na Guarda. Entre cultura, tradições e fé, os visitantes são convidados a assistir a uma história, que embora ficcionada, podia muito bem ter acontecido. Percorrendo as suas ruas, visitando suas casas, observando seus altares, damo-nos conta daquilo que foram os amores e desamores, hábitos e perseguições de hebreus. São estes os ingredientes duma visita que pretende chamar a atenção para esta comunidade que tanto contribuiu para o desenvolvimento da cidade.


Antónia Terrinha (encenadora)
Antónia Terrinha começou o seu percurso no Teatro O Bando, tendo passado por outras companhias como A Comuna e a Cornucópia. Esteve ligada a projectos de teatro infantil, como actriz e como encenadora. Dirigiu com Cândido Ferreira a Companhia do Teatro Chaby Pinheiro da Nazaré e fundou a companhia “Teatro em Curso”. Participou também em filmes para cinema e televisão.

Como actriz trabalhou com os seguintes encenadores: João Brites, João Mota, Luís Miguel Cintra, Fernando Jorge Lopes, Rui Madeira, Fernando Gomes, Cândido Ferreira, Miguel Moreira.

Encenou, entre outros “The Last Spy”, de António Moncada de Sousa-Mendes, “A dulcinha” (a partir de um conto de Élia Correia); “É preciso viver”, de Aquilino Ribeiro; “A dama Pé-de-Cabra” (a partir de um conto de Alexandre Herculano), “Histórias Mínimas em Pedaços”, de Javier Tomeo, “Cândido”, de Voltaire, “Elephans pinguim” de Maria Alberta Menéres e “Cirineu, uma morte anunciada”, de Fernando Paulouro Neves.

Foi também a encenadora das duas edições da iniciativa Passos à Volta da Memória: Uma visita Encenada ao Centro Histórico da Guarda, em 2010, e Uma visita encenada à Sé Catedral da Guarda, em 2011.

Assinou e encenou as seguintes peças: “A Água”, “Amigos e Sarilhos”, “Dom Fuas” e “Preto no Branco”.

Passos à Volta da Memória (IV):

Romagem Teatral ao Cabeço das Fráguas

De 14 de Julho a 22 de Setembro | 2012

Todos os Sábados

(11 sessões)

16h30 – 20h00
Partida: Largo Dr. João de Almeida (junto à Igreja da Misericórdia)

Viagem Guarda > Demoura, em autocarro (25m)

Percurso Demoura > Cabeço das Fráguas, a pé (60m) - Grau de dificuldade: médio

Chegada à Guarda: prevista para as 20h00
Limite de participantes: 25

Bilheteira no Turismo Guarda (venda e reservas a partir de 1 de Julho)

Bilhete: 5 euros (sem descontos)
Recomenda-se o uso de roupa e calçado confortáveis, bem como de chapéu e protector solar

Os participantes devem levar água e uma merenda para partilhar no final


Sinopse

A montanha sobe-se e os vales, antes caminhos, tornam-se horizontes aos olhos de todos. O Cabeço das Fráguas será transformado nesta migração de sensações. Da História à lenda. Do Teatro ao mito. Das palavras rigorosas às oníricas fantasias.

As personagens históricas e contemporâneas, divinas ou humanas, misturam-se nesta caminhada, serra acima, até à inscrição lusitana com caracteres latinos, a célebre “Laje da Moura”. Aí, a 1015 metros, terá lugar o ritual de oferenda aos deuses que será partilhado por todos, actores e público, numa comunhão de memórias.
Ficha

Coordenação geral: Américo Rodrigues

Texto e encenação: João Neca

Interpretação: António Rebelo, David Ribeiro, João Neca, João Pereira, Luís Teixeira, Marco Cruz, Nuno Rebelo e Pedro Sousa (elenco* constituído por 4 actores, que se revesam)

* actores do “Gambozinos e Peobardos – Grupo de Teatro da Vela



Colaboração: Clube de Montanhismo da Guarda

Coordenação de Produção: Lucinda Gomes

Coordenação de Comunicação e Imagem: Sérgio Currais

Design do Cartaz: Tiago Rodrigues

Divulgação e imprensa: Susana Adaixo

Relações Públicas: Carlos Antunes
Uma produção da Culturguarda para a Câmara Municipal da Guarda

Sobre o Cabeço das Fráguas e a Laje da Moura

Trata-se de um sítio arqueológico da maior importância, referente a um antigo local de culto a divindades lusitanas, datado do séc. V a.C..


No topo do cabeço encontra-se uma escavação arqueológica que prova a existência de algumas edificações lusitanas possivelmente destinadas ao culto. A consubstanciar essa mesma ideia está a existência de uma das únicas inscrições em língua lusitana escrita com caracteres latinos.
Nas imediações do cabeço foram encontradas 20 aras religiosas contemporâneas dos lusitanos, o que se reveste da maior importância já que, por comparação, em toda a província vizinha de Salamanca, Espanha, apenas existem 18 aras.
Localização

Localiza-se junto da Quinta de S. Domingos, na zona Este da freguesia de Benespera, no concelho da Guarda. A altitude do cabeço é de 1015 metros. No seu topo existe um planalto onde estavam implantadas as edificações religiosas. Em todas as portelas existem vestígios de muralhas. O acesso só é possível a pé.


João Neca (encenador)
Concluiu a licenciatura de Estudos Artísticos, com especialização em Teatro, na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, e o Mestrado em Estudos Artísticos na mesma Universidade. No âmbito do curso fez assistência de encenação no espectáculo “Pedro e Inês”, criação do Teatro O Bando, com direcção artística de João Brites e encenação de Anatoly Praudin. Porém, o seu envolvimento com o Teatro começou muito mais cedo. Aos 5 anos estreou-se num grupo de teatro amador, o já extinto Teatro à Vela. Mais recentemente dedicou-se à escrita, dramaturgia e encenação de vários espectáculos, entre 2008 e 2011, no grupo de teatro “Gambozinos e Peobardos”. É membro fundador e integra a direcção artística do referido grupo de teatro. Recentemente encenou através do Projéc~, a estrutura de produção teatral do Teatro Municipal da Guarda, a peça “Fragas”, a partir de Miguel Torga.

Feira de São João

23 e 24 de Junho | 2012

Sábado e Domingo

Largo João de Deus, Guarda

Das 14h às 24h
Uma produção da Culturguarda, E.M. para a Câmara Municipal da Guarda
A Feira de São João

Trata-se de uma das mais antigas feiras da região. O certame, anual, era considerado de grande importância económica para a região durante o século passado. A feira juntava feirantes e populares de toda a região e outras zonas do interior do país. De há quatro anos a esta parte, a Culturguarda EM tem vindo recriar esta feira, juntando-lhe um programa lúdico que inclui Teatro, Música, Jogos e um baile de São João onde não falta a tradicional fogueira, tentando reproduzir fielmente o ambiente que se vivia nas feiras antigas.


Objectivos

• Promover e recuperar as artes e saberes tradicionais caracterizadores da região da Guarda;

• Recriar uma realidade histórica com intuito de a fazer perdurar na memória colectiva;

• Valorizar e preservar o património histórico-cultural e etnográfico da Guarda e das aldeias do concelho;

• Evidenciar a Feira de S. João para as gentes locais e para o desenvolvimento da cidade e da região;

• Divulgar a cidade e a região através do evento;

• Envolver a população local de forma a criar uma dinâmica cultural na qual se revejam como elementos participativos;

• Envolver as colectividades locais, promovendo o associativismo como motor de desenvolvimento local.




Feirantes, colectividades e produtos

Para além de muitas participações individuais, a Feira de S. João conta com a forte e efusiva adesão de colectividades que se juntam à festa ora com a venda de produtos, ora com a animação do recinto.


- Alberto Carvalhinho – Cestaria em vime

- Aníbal Pinto – Cestos em madeira e castanho

- António Ferreira – Esculturas em madeira

- António Faria de Almeida – Azeite, vinho, azeitonas, pasta de azeitona galega e - castanha em calda

- António Fernandes – Foles

- António Luís Chaves – Artigos em madeira, ferragens e produtos de agricultura

- Anunciação Saraiva – Enguias

- Associação Cultural e Recreativa da Sequeira – Pão, biscoitos e produtos hortícolas

- Associação Cultural e Desportiva do Jarmelo – Tesouras de tosquia, facas, biscoitos, pão, cactos.

- Cecília Varandas – Licores, ginja e chocolates

- Centro Cultural e Social do Marmeleiro – Biscoitos, pão, chá, tecelagem manual em linho, lã, algodão e artesanato em madeira.

- Davide Bernardo - Presuntos

- Elsa Gonçalves - Sacos de serapilheira com alfazema, matrões (biscoitos), pão caseiro, esquecidos, rebuçados caramelizados, filhós com abóbora e licor de ginja

- Esmeralda Figueira – Doces, compotas, licores, bolachas, bichos de lã com alfazema

- Grupo de Cantares da Arrifana – Associação Cultural – Taberna ambulante (vinho, gasosa, ovos cozidos, torresmos, pataniscas e bolinhos de bacalhau).

- Grupo de Amigos de Manigoto – Doce de abóbora, coscoreis e queijo de ovelha

- Grupo de Cantares “Ontem, Hoje e Amanha” de Maçainhas – Campainhas de bronze, compotas, cobertores de papa, produtos hortícolas.

- Os Beirões de Maçainhas – Tasquinha com caldo de grão, carne assada, sardinhas, azeitonas, pimentos e vinho

- Hermínia Gama e Manuel Barros – Mantas de trapos e garrafas de vidro revestidas com arame.

- Joaquim Venâncio – Cestos em madeira de castanho

- Maria da Glória Ferreira - Tecelagem manual em linho, algodão e farrapos

- Maria Emília – Pão, bolos e biscoitos

- Maria Odete Morgado – Bolos diversos, pães diversos, produtos salgados e doces.

- Museu dos Meios - Tapetes

- Pétala da Torre – Manjericos

- Quinta da Maúnça – Couves, alfaces, hortaliça, flores e licores

- Filipe Almeida Andrez – Vinagre de vinho, frutos secos, tremoços, rebuçados caramelizados, alfinetes e carteiras em retalho
Proveniência dos feirantes

De todo o concelho da Guarda e também do distrito e da região: Trancoso, Seia, Tortosendo, Almeida, Manigoto, Gouveias, Sabugal, Freixedas, entre outros.


Animação do recinto

Nesta edição, a animação da feira estará entregue exclusivamente às colectividades do concelho da Guarda, que vão animar o recinto com pequenas representações teatrais, cantares, ranchos folclóricos, concertinas, bombos e jogos tradicionais:


- Associação Cultural e Desportiva do Jarmelo – Ronda do Jarmelo

- Associação Cultural, Social e Recreativa da Sequeira – Grupo de Cantares da Sequeira

- Rancho Folclórico da CERCIG

- Grupo de Cantares da Arrifana – Associação Cultural

- Grupo de Cantares S. Miguel da Guarda “A Mensagem”

- Grupo de Concertinas Estrelas da Serra

- Rancho Folclórico de Videmonte

- Aquilo Teatro

- Alunos de Animação Sociocultural do IPG

- Raiz de Trinta – Associação Juvenil - Grupo de Bombos “Trinta por uma Linha”

- Associação de Jogos Tradicionais da Guarda

- Centro Cultural da Guarda - Rancho Folclórico da Guarda

- Centro de Cultura e Desporto de Aldeia do Bispo - Camponeses de Aldeia do Bispo

- Egitúnica



Baile de São João
"Acordeão em Espectáculo", com Rodrigo Maurício, Patrícia Santos & João Paulico

Este projecto musical baseia-se no trabalho desenvolvido por Rodrigo Maurício, apresentando Música Tradicional Portuguesa e do Mundo, às quais se juntam sonoridades e arranjos próprios. Trata-se de um espectáculo em trio: 2 acordeões e uma concertina, com um repertório que, de certeza, irá ao encontro do gosto do público da Feira de São João.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal