Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge Av.ª Padre Cruz



Baixar 1.06 Mb.
Página3/20
Encontro25.07.2016
Tamanho1.06 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   20

Orientações Específicas prosseguidas pelo organismo

Relativamente aos objectivos estratégicos definidos para o ano de 2005 foram, na sua grande maioria atingidos, pese embora os constrangimentos orçamentais e legislativos verificados, nomeadamente:


Ambiente externo


  • Celebração de contratos / protocolos e parcerias institucionais;




  • Desenvolvimento de uma política de imagem e comunicação externa;




  • Inicio, em colaboração com a DGS, de legislação relevante nas suas áreas de actuação;




  • Atribuição de incentivos à formação. (atribuição de bolsas de doutoramento ou pós-doutoramento, ou apoiá-la mais directamente através do apoio a estágios, organização ou colaboração em cursos de interesse relevante para a saúde);




  • Produção, no âmbito do PNAEQ, de normas de actividade laboratorial, principalmente no que diz respeito à orientação da actividade dos laboratórios de saúde pública;




  • Conclusão do processo de transferência da função de autoridade, em matéria de dispositivos médicos, do INSA para o INFARMED.


Monitorização da saúde


  • Estabelecimento e desenvolvimento de novos instrumentos de observação;




  • Inicio do procedimento de reavaliação dos programas e planos nacionais coordenado pelo INSA de acordo com os princípios emanados do PNS 2004-2010.


Prestação de serviços


  • Oferta de novos serviços diferenciados e capacitação dos laboratórios;




  • Melhoria do “nível de comercialização” da prestação de serviços de forma a melhorar a sua rentabilização.


I&D


  • Liderança, em articulação com o ACS, do movimento conducente a uma agenda nacional de investigação em saúde no contexto do que é recomendado no PNS 2004-2010;




  • Apoio financeiro (Prémios de investigação, Bolsas), à investigação de prioridade nacional;




  • Capacitação dos recursos humanos necessários para uma actividade de I&D de qualidade.



Ambiente interno
Gestão dos Recursos Humanos


  • Implementação de programas de actualização profissional permanentes, no contexto de uma melhor gestão do capital humano e do seu conhecimento;




  • Investimento nas condições de trabalho através de melhoria das infra-estruturas;


Produtividade / Gestão da Despesa / Ganhos de Eficiência


  • Continuação do esforço de supressão da duplicação de serviços entre o Porto e Lisboa;




  • Criação do GPG - Gabinete de Planeamento e Gestão.




  • Envio ao Instituto Português de Acreditação (IPAC) de mais 6 processos para acreditação de algumas Unidades Laboratoriais, e início do processo de certificação da Qualidade global do INSA.


Renovação do parque tecnológico do INSA
De uma forma crescente as acções do INSA foram desenvolvidas de forma integrada e estruturada, sendo o investimento tecnológico associado, prioritariamente, a novas linhas de investigação.
Os projectos de I&D, de monitorização da saúde, garantia da qualidade e a acreditação, ou ainda a prestação de serviços, apresentados de acordo com uma linha de orientação específica, foram equacionados de acordo com as áreas de intervenção técnico-científica, duração e recursos humanos e materiais bem definidos cujos resultados são susceptíveis de avaliação.
  1. Actividades desenvolvidas e recursos humanos




    1. Consecução dos objectivos do plano

No que concerne aos objectivos definidos pelos Centros do INSA para o ano de 2005 foram, alcançados.


Tabela I - Objectivos alcançados pelos Centros


Centro




Objectivos










CBP




Implementação do Sistema da Qualidade visando a acreditação de ensaios.




Formação para consolidação da rede de LSP




Implementação de novos ensaios laboratoriais.




Submissão de projectos de I&D a entidades financiadoras




Frequência dos colaboradores em acções de formação de interesse para o trabalho que executam










CEVDI




Contribuir para o melhor conhecimento dos vectores e dos agentes de doenças por eles transmitidos no território nacional e seu impacto em Saúde Pública




Manter a vigilância epidemiológica em Portugal, a propósito dos agentes transmitidos por vectores (arbovírus, hantavírus, arenavírus, rickettsias, coxielas, bartonelas, ehrlichias, anaplasmas, borrélias e franciselas)




Efectuar o diagnóstico laboratorial das patologias estudadas no CEVDI (arboviroses, febres hemorrágicas, coriomeningite linfocitária, febre escaro-nodular, febre Q, tifo epidémico, bartoneloses, ehrlichioses, borreliose de Lyme, e tularémia);




Centralizar a informação técnico-científica disponível acerca das doenças transmitidas por vectores e promover a sua divulgação às autoridades competentes; Contribuir para a cooperação científica nos domínios da formação, actualização tecnológica e controlo de qualidade.




Contribuir para o estudo de agentes transmitidos por vectores referidos como agentes emergentes ou de importação










CGH




Aumentar a prestação de serviços em 4%




Aumentar a formação externa




Reorganizar o Centro, através da criação do Laboratório de Diagnóstico por Biologia Molecular, visando uma maior racionalização de meios e produtividade










CP




Aumentar o nº de projectos de investigação e desenvolvimento garantindo a monitorização dos resultados




Aumentar a prestação de serviços por introdução de dois novos parametros de diagnóstico na gama analitica




Investir na formação externa e interna










CQH




Participar no processo de certificação da Qualidade do INSA - submeter ensaios do CQH para acreditação




Colaborar na consolidação da rede nacional de Laboratório de Saúde Pública - por acções de intercalibração e complementaridade metodológica em articulação com LSP e incremento de acções de formação.




Melhorar a prestação de serviço, colaborar em programas de monitorização ambiental - aumentar a diversidade analítica




Desenvolver os Projectos de I&D e OS/VE - identificação do perigo, avaliação de exposição, caracterização do risco - e aumentar a divulgação de resultados.










CSAN




Continuar o processo para a acreditação das unidades laboratoriais




Aumentar a prestação de serviços




Aumentar o número de horas de formação interna e externa




Dar continuidade à execução e/ou planeamento dos projectos com financiamento assegurado










CSAO




Aumentar a prestação de serviços










CV




Prestação de Serviços analiticos / diagnostico laboratorial: Vírus responsáveis por infecções do S.N.C , infecções respiratórias, cardiopatias, doenças exantemáticas da criança e do adulto, imunodeficiência, hepatites e ITS.

 




Desenvolvimento de Actividades de Referência: vírus influenza, vírus polio, vírus do sarampo, vírus da imunodeficiência humana e vírus da hepatite A,B,C e Delta

 




Implementação e desenvolvimento de Actividades de Investigação e Vigilância Epidemiológica: HTLV, vírus das Hepatites, vírus da imunodeficiência humana, vírus do papiloma humano, vírus influenza, vírus polio, vírus do sarampo, adenovírus e ITS

 




Promover Actividades de Formação pré-graduada e pós-graduada on site para licenciados de várias áreas e profissionais de saúde; participação em cursos nacionais e internacionais

 




Cooperar com as Instituições nacionais e internacionais responsáveis por sistemas de alerta precoce para doenças víricas emergentes e/ou organismos disseminados deliberadamente.










ONSA




Assegurar a gestão corrente de 8 instrumentos de observação (INS, MSENT, CERAC, ECOS, ADÉLIA, ÍCARO, PIO) e do sistema de vigilância "RIOS"

 




Prosseguir o Projecto ISADORA

 




Lançar o Projecto "Atlas das Determinantes da Saúde"

 




Lançar o Projecto "Diabetes"

 




Apoiar em metodologia epidemiológica e estatística até 5 Projectos ou Actividades, coordenados por outros centros do INSA ou outra +C28S entidades

 




Promover a divulgação de dados e indicadores de saúde, através de publicações próprias ou externas










PNAEQ




Reuniões anuais/acções de Formação com Laboratórios Participantes para discussão de resultados e problemas encontrados.

 




Arranque do novo software para ensaios em curso, com tratamento estatístico por ele realizado.

 




Implementação de novas áreas laboratoriais.










PNCI




Desenvolver nas Unidades de saúde as competências e os meios necessários para que sejam evitadas as infecções cruzadas a nível da prestação de cuidados, protegendo os doentes e os profissionais

 




Conhecer a verdadeira dimensão das infecções nosocomiais na Unidades de Saúde.

 




Promover as medidas necessárias para a sua prevenção, através da identificação e modificação das práticas de risco










CB-P




Prestação de serviços Laboratoriais

 




Gestão da qualidade laboratorial

 




Formação de recursos humanos










CQH-P




Caracterização físico-química, microbiológica e ecotoxicológica da água nas suas diferentes utilizações, de acordo com as exigências da actual legislação, da directiva comunitária e com recomendações da OMS para a qualidade, numa abordagem de problemas ambientais que representam risco para a saúde humana.

 




Investigação e actualização para desenvolvimento da capacidade de intervenção e promoção de actividades de formação.

 




Garantia de qualidade e cumprimento da missão de referência laboratorial neste âmbito de actividade.

 




Prestação de serviço analítico, dando prioridade à integração em planos de vigilância e controlo que envolvam a monitorização de factores de risco, estabelecidos com Serviços de Saúde e outros com âmbito alargado de utilização pública (empresas de distribuição de água, águas de recreio com contacto directo, águas residuais, etc)










CSAO-P




Manter o volume de trabalho na vertente de prestação de serviços e o nível de satisfação dos clientes

 




Cumprir os programas dos projectos de investigação em curso e iniciar novos projectos

 




Manter a acreditação dos ensaios de ruído e estender a outros ensaios

 




Implementar o sistema de gestão integrado de qualidade, ambiente e segurança no CSAO-Porto

 




Desenvolver a vertente de formação para o exterior, na componente de acções de formação dirigidas a públicos específicos










CTM




Prestação de Serviços

 




Garantia da Qualidade Laboratorial

 




Execução e Promoção de Projectos de Investigação

 




Formação


1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   20


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal