ippb instituto de Pesquisas Projeciológicas e Bioenergéticas



Baixar 0.91 Mb.
Página3/25
Encontro18.07.2016
Tamanho0.91 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   25

Introdução



  1. ENERGIAS e BIOENERGIAS




  1. Definição

A palavra ‘energia’ vem do grego enérgeia e significa atividade ou movimento. O prefixo ‘bio’ também vem do grego bios e significa vida. Assim, energia é movimento ou atividade, e bioenergia é o movimento ou atividade da vida ou de tudo o que é vivo; ou o movimento/atividade que caracteriza tudo o que tem vida.

Hoje a Física já reconhece que tudo no universo é energia, em variados graus de condensação. Assim, até a matéria mais grosseira de que é feito o nosso corpo físico é energia e, portanto, é movimento.

Se tudo no universo é energia e energia é movimento, tudo possui uma vibração característica, uma pulsação, uma freqüência própria, de acordo com a velocidade com que o seu movimento próprio se repete num determinado espaço de tempo.

  1. Tipos e fontes de energias


Com base no que diz Wagner Borges em seu site em www.ippb.org.br, temos:

  • energia cósmica ou imanente - é o principio vital que interpenetra e nutre a todas as coisas do universo interdimensional. É, aparentemente, onipresente e impessoal, permeando praticamente todos os planos de manifestação.

  • energia consciencial ou pessoal - é a energia cósmica que a consciência (espírito) absorve e emprega em todas as suas manifestações. Essa energia consciencial é chamada, em geral, de energia anímica ou magnetismo pessoal. Ao ser metabolizada pela consciência, a energia cósmica deixa de ser impessoal e assume as características pessoais da criatura.

As energias que os seres vivos absorvem e metabolizam são oriundas de fontes variadas, tais como o Sol, o espaço infinito, o próprio planeta, a água, os outros astros do universo, e outras fontes básicas como:

  • ar atmosférico, através do aparelho respiratório e da pele;

  • alimentação com sólidos e líquidos, através do aparelho digestório;

  • absorção de energia pelos chacras;

  • sono, através da descoincidência dos veículos de manifestação da consciência;

  • projeção da consciência, através da absorção energética no plano astral.

Os ocultistas orientais dividiram essas energias em três grupos principais distintos:



  1. Fohat (eletricidade): energia conversível em calor, luz, som, movimento, etc.;

  2. Prana (vitalidade): energia integrante que coordena as moléculas e células físicas e as reúne num organismo definido. O prana, por sua vez, divide-se em cinco tipos:

  • Prana - concentra-se no cérebro e move-se para baixo governando a respiração. Está ligado à inteligência, à sensibilidade, às funções motoras principais. Penetra no corpo sutil pelo chacra da coroa ou coronário, situado no alto da cabeça, e pela inspiração do ar passando pelas narinas. É o principal tipo de energia cósmica.

  • Vyana - concentra-se no coração. Age no corpo inteiro governando o sistema circulatório, as articulações e os músculos. É captado do ar inspirado nos pulmões e da energia dos alimentos.

  • Samana - concentra-se no intestino delgado, governa o aparelho digestivo e é captado principalmente pela energia vital doa alimentos vivos (sementes, frutas, etc.).

  • Udhana - concentra-se na região da garganta e governa a fala, o teor da voz, a força vital, a força de vontade, o esforço, a memória e a exalação do ar. É captado sobretudo da energia que advém do chacra da garganta.

  • Apana - concentra-se no baixo ventre, governa a evacuação e a micção, a potência sexual, o fluxo menstrual e o processo de parto. É captado pelo chacra localizado na base da coluna, básico, e pelo dos órgãos genitais (chacra sexual ou genésico).

  1. Kundalini (fogo serpentino): energia primária, violenta, estruturadora das formas. É oriunda do centro do planeta, também captada pelo chacra básico.



  1. Energias, pensamentos e sentimentos

Uma vez que, depois de absorvida, a energia cósmica se transforma em energia consciencial ou pessoal, assumindo as características vibratórias pessoais da criatura que a absorveu, natural que falemos da relação entre energias, pensamentos e sentimentos.

Pensamentos e sentimentos são atividades pessoais dinâmicas e contínuas de cada consciência. Todos as criaturas pensam e sentem 24 horas por dia, acordadas ou adormecidas. E são os seus pensamentos e sentimentos que as identificam espiritual e energeticamente no universo.

Por serem atividades muito dinâmicas, pensamentos e sentimentos agem facilmente nas energias ambientes e de outras criaturas, atuando diretamente sobre elas, interferindo em suas características, intensificando-as ou anulando-as, ao mesmo tempo em que sofrem a ação de todas elas.

Natural, portanto, que pensamentos e sentimentos sejam captadores, transformadores e emissores ou irradiadores de energias, de consciência para consciência, entre consciência e ambiente, da consciência para si mesma, etc.

Vejamos o que diz Ricardo Di Bernardi, médico homeopata, espírita, presidente da Associação Médica Espírita de Santa Catarina, em sua coluna no site A Jornada (www.ajornada.hpg.ig.com.br):

“Nós, médicos homeopatas e espíritas, procuramos esclarecer que a origem das doenças costuma estar numa causa ou fator de origem espiritual. Ou seja, quem adoece inicialmente é a alma do indivíduo. Seus sentimentos e pensamentos fragilizam-no, permitindo que adoeça.

“Adoecemos, quase sempre, pelo desequilíbrio psíquico, o qual provoca uma alteração energética (fluídica), que irá repercutir depois no corpo físico.”

Daí a importância do conselho de Jesus quando disse “orai e vigiai”. Não se trata de algo místico, misterioso ou religioso, mas de regra básica de bem estar físico, espiritual e energético, pois quando vigiamos nossos pensamentos, alinhando-os cosmoeticamente, e mantemos nossos sentimentos em “oração”, ou seja, voltados para o amor incondicional e irrestrito que, em essência, é o próprio Deus ou o que quer que entendamos como o ser supremo do universo, não há como não estarmos em sintonia com o bem maior, o bem universal, o bem de tudo e de todos, inclusive o nosso próprio.

1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   25


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal