Istituto Figlie di Maria Ausiliatrice Via Ateneo salesiano, 81



Baixar 19.59 Kb.
Encontro30.07.2016
Tamanho19.59 Kb.
Istituto Figlie di Maria Ausiliatrice

Via Ateneo salesiano, 81

00139 ROMA

____________________________________________________



Às Inspetoras

Superioras de Visitadoria

Queridas,

com alegria comunico-lhes que a festa da gratidão do Instituto em nível mundial será celebrada este ano na Inspetoria Argentina “São Francisco Xavier” (Bahia Blanca). É uma das Inspetorias cujas origens estão ligadas diretamente a Mornese e que conheceram o ardor e a coragem missionária das primeiras irmãs na terra da Patagônia. Entre elas, particularmente significativa para o Instituto, é Madre Angela Vallese, de quem celebramos este ano os 100 anos da morte.

São muitos os motivos de gratidão que temos no coração pela nossa Madre, na conclusão destes seis anos de seu serviço de animação e governo. Com sua guia sábia, corajosa, entusiasmada, criativa, orientada para o futuro e ardentemente missionária, cada Inspetoria e comunidade educativa está oferecendo aos jovens de hoje, à Igreja e à Sociedade, a beleza e a significatividade do nosso carisma, como resposta ao chamado de Deus.


Todos nós nos sentimos envolvidos, FMA-leigos-jovens, antes de tudo no agradecimento coral ao Senhor pela sua fidelidade, pela confiança e o amor com que continua a nos oferecer o dom de um carisma tão vivo e fecundo em todas as culturas. No agradecimento ao Senhor cada comunidade educativa celebre o obrigado recíproco pela responsabilidade educativa partilhada entre FMA e leigos, pela coragem de juntos crer no valor do carisma, pela busca paciente e confiante de novos caminhos de futuro para os jovens, pelo empenho de ser com eles “casa que evangeliza” em um amplo tecido de relações e de colaborações.

É um agradecimento coral que dos cinco continentes chega ao coração da Madre, centro de unidade e de comunhão do Instituto.


O vento do teu Espírito nos torna fecundos é o tema que a Inspetoria “S.Francisco Xavier” propõe para preparar e celebrar a festa. Lembra o vento que açoita as Terras patagônicas, sinal da força criativa do Espírito que, onde chega, purifica, renova, recria, dá vida.
O Logotipo representa um ramo florido inclinado pela força do vento. O ramo termina, lembrando na sua forma as raízes, e tem sinais dos cortes e das feridas deixadas pelo tempo.

Evoca a vida do Instituto nessas Terras, uma história cujas raízes se afundam no Coração de Jesus e na experiência da comunidade de Mornese.

A circularidade das linhas e as folhas despregadas representam a ação do vento, o vigor com que o Espírito Santo impulsiona para horizontes missionários.

As flores são sinais da santidade que o Espírito Santo gerou na terra da Patagônia: Beata Laura Vicuña, Beato Zeferino Namuncurá, Beato Artemide Zatti, e que continua hoje a gerar em nós.

A vivacidade das cores fala da alegria e da festa, cracterísticas da espiritualidade salesiana e, em particular, do agradecimento que queremos manifestar à Madre.


Do Evangelho de João foi tirada a Palavra motivo da festa da gratidão: ‘O vento sopra onde quer: tu ouves sua voz, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai. O mesmo acontece com quem nasceu do Espírito” (Jo 3,8).

A citação se encontra no contexto do diálogo noturno de Jesus com Nicodemos e lembra o novo nascimento, um nascimento do alto. É a atualização do “coração novo” anunciado por Ezequiel (11,19). Mas Nicodemos não compreende, faz perguntas. Jesus responde que é um renascer do alto pela ação do Espírito Santo. Como o sopro do vento que se sente e se percebe nos movimentos que provoca, assim a ação misteriosa do Espírito está visível nas obras dos homens e mulheres por Ele recriados: “O mesmo acontece com quem nasceu do Espírito”.


A Palavra escolhida pode ajudar-nos, em nível pessoal e comunitário, a interiorizar a ação do Espírito e a deixar-nos impelir por seu surpreendente dinamismo, que dá fecundidade à nossa vida, às comunidades e a toda a história.

Somos convidadas a escolher um tempo para a leitura orante e a partilha.

Podem ajudar-nos estas perguntas ou outras semelhantes:


  • Quais são os sinais da presença do Espírito Santo, da sua ação em nossa Terra e em nossa comunidade? Para que novidade nos convida?

Do ponto de vista do carisma, a Terra patagônica, açoitada pelos ventos, testemunha a ação do Espírito Santo nas primeiras missionárias que, enviadas por Dom Bosco e por Madre Mazzarello, levaram para lá, desde o início do Instituto, as sementes do carisma do qual amadureceram frutos de santidade.

Madre Mazzarello, em suas cartas, deixa intuir a vida dessas irmãs e da comunidade, uma vida heroica na normalidade do cotidiano, enraizada no Senhor Jesus e animada com muita simplicidade fraterna:

  • Carta 37: às Irmãs da Casa de Carmen de Patagones ( 4 de maio de 1880)

  • Carta 47: à Diretora da Casa de Carmen de Patagones Ir. Angela Vallese e Comunidade (21 de outubro de 1880)

  • Carta 55: às Irmãs da Casa de Carmen de Patagones ( 20 de dezembro de 1880)

  • Carta 68: às Irmãs de Carmen de Patagones (10 de abril de 1881).

É importante conceder-se um tempo para reler estas cartas e descobrir nelas a passagem do Senhor e a ação do Espírito na vida de nossas irmãs, das comunidades, no clima educativo e evangélico por elas gerado, no qual amadureceram frutos de santidade: Laura Vicunã, Zeferino Namuncurá e Artemide Zatti. Todos os três marcados particularmente pelos cansaços e contradições da vida, provados por dificuldades e sofrimentos, abertos à ação criativa do Espírito que os tornou capazes de coragem e do dom incondicionado aos outros.


O Dossier da festa da gratidão, que vocês podem encontrar no site do Instituto, oferece um breve perfil dos dois adolescentes e do Salesiano Leigo. Cada comunidade educativa tem por certo a possibilidade de ampliar o conhecimento da vida e da experiência deles, das condições educativas oferecidas pelas famílias e comunidades nas quais viveram.
Juntas podemos perguntar-nos: que indicações oferece ao nosso caminho espiritual, à nossa missão educativa o testemunho de Laura, Zeferino e Artemide ?
Agradecer é contemplar, é entrar no dinamismo do Espírito Santo, é se deter, é reconhecer o que Deus realizou e realiza em nossa Terra. É deixar-se levar por este Vento que sopra onde quer, de modo imprevisível e irrepetível, em todo lugar e em toda pessoa.

Em clima de oração, deixemos que o nosso coração, o coração da comunidade, se detenha, reconheça a presença do Espírito, a sua ação, sempre geradora de vida, e agradeça.

Unidas a todas as FMA, às Comunidades educativas, aos jovens, manifestemos, sobretudo no dia 26 de abril próximo, de maneira espontânea e criativa, a nossa gratidão à Madre. Podemos enviar as expressões do nosso agradecimento para o Âmbito da Comunicação Social (amministratoreweb@cgfma.org) para que possam ser incluídas na página web do Instituto.
Em preparação à festa, as irmãs da Inspetoria “S.Francisco Xavier” indicam alguns cantos e a visão de três vídeos sobre Laura, Zeferino e Artemide Zatti ( cf Dossier Festa da Gratidão).
A festa da Gratidão une também as Inspetorias em um gesto de solidariedade.

A proposta é dupla:




  • Para ajudar, neste ano, a Inspetoria S. Francisco Xavier a reestruturar os ambientes de Laura Vicuña, tanto em Junín de Los Andes como em Bahia Blanca e a preparar subsídios que favoreçam o conhecimento e a devoção tanto no Instituto como entre o povo;

  • Para as necessidades mais urgentes da missão do Instituto com atenção aos jovens e às jovens mais pobres.

É bom que as ofertas sejam enviadas ao Economato Geral, especificando que são para a festa da gratidão.

Começamos o terceiro ano de preparação ao Bicentenário do nascimento de Dom Bosco com o compromisso de aprofundar a sua espiritualidade, a sua profunda união com Deus, rica de fé, de esperança e de caridade pastoral.

É uma oportunidade, diz a nossa Madre, que nos ajuda a colocar-nos com mais coragem, empreendimento e decisão na estradas da santidade vivida no espírito do da mihi animas cetera tolle.

Laura Vicuña, Zeferino Namuncurá e Artemide Zatti confirmam que a espiritualidade de Dom Bosco, a nossa espiritualidade, abre caminho para a santidade, para a medida alta da vida cristã.


O horizonte e o compromisso de santidade nos colocam diretamente no coração do próximo CG XXIII. Ser hoje com os jovens casa que evangeliza é caminhar com eles na via da santidade, testemunhando e anunciando a alegria do encontro com o Senhor Jesus.

Com esta experiência e em profunda comunhão preparemos e celebremos a festa da gratidão.

A Maria, guia, Mãe, verdadeira Superiora do nosso Instituto, confiamos a vida e a missão da nossa Madre.
Saúdo a vocês em nome dela e das irmãs do Conselho. Juntas continuamos a rezar pela paz em tantos países feridos pela guerra e por tantas violências. Lembremos de nossas irmãs que vivem e trabalham nessas Terras, condividindo temores, esperanças, medos de tanta gente.

Com afeto e gratidão


Roma 2 de fevereiro de 2014
Ir. Emília Musatti



©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal