Kinshasa r. D. C



Baixar 359.68 Kb.
Página1/12
Encontro23.07.2016
Tamanho359.68 Kb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   12





GIUSEPPE LEONARDI


Notas para um curso

sobre a História da Congregação

das Escolas de Caridade

Instituto Cavanis

KINSHASA – R. D. C.
2007

_________________________

Stampa: anno 2010

Curia generalizia dei Padri Cavanis

Via Casilina, 600

00177 ROMA


INDICE


INTRODUÇÃO 4

AGRADECIMENTOS 4

OS TEMPOS EM QUE FORAM SUPERIORES GERAIS OS PADRES: FRIGIOLINI, CASARA e TRAIBER 6

A VIDA DO INSTITUTO APÓS CASARA 10

OS CAPITULOS GERAIS DO SÉCULO XIX 13

A PRIMEIRA METADE DO SÉCULO XX 17

SEGUNDA METADE DO SÉCULO XX - O INÍCIO DO SÉCULO XXI 23

ALGUNS RELIGIOSOS CAVANIS DO SÉCULO XX 32

MISSÕES CAVANIS (RESUMO CRONOLÓGICO DESDE O INICIO) 38

PARTES TERRITORIAIS 39

BREVE CRONOLOGIA DAS CONSTITUIÇÕES 47

BREVE CRONOLOGIA DA PIA SOCIEDADE DO SANTO NOME DE DEUS “IRMÃS CAVANIS” 48

BIBLIOGRAFIA 50

APÊNDICE 1: O PALÁCIO NATAL DOS FUNDADORES 51

APPENDICE 2: LA CAPELA DO CRUCIFIXO, MEMORIAL DOS FONDADORES E A IGRJA SANTA INÊS 53

AGREDECIMENTOS 59





INTRODUÇÃO

Este breve ensaio de história ou melhor de cronologia da Congregação foi preparado com os poucos livros e documentos disponíveis em 2007 da comunidade em Kinshasa, República Democrática do Congo, na nossa pequena biblioteca.Não é um estudo sério do ponto de vista da crítica histórica; e sim uma apostila para o Curso de História da Congregação, com o primeiro grupo de noviços Cavanis (2006-2007) em Kinshasa. Mesmo assim, este ensaio pode ainda ser uma pequena contribuição original da Delegação Cavanis da R. D. Congo.

A Congregação, de fato, dispõe de um número suficiente de obras sobre os nossos Fundadores, graças, sobretudo dos inesquecíveis padres F. S. Zanon e A. Servini e, temos um livro sobre Padre Casara através Pe D .Beggiao. Os primeiros 25 anos da Província do Brasil tem sido muito bem documentados pelo Pe Giovanni de Biasio e seus colaboradores. A história da Congregação, desde que Casara foi Superior Geral até hoje, ainda é muito pouco conhecida, não só em casas de formação, mas também entre os religiosos.

Nós sentimos a necessidade urgente de uma verdadeira história da Congregação, pelo menos, para o período 1850-1950: uma história que seja muito mais profunda do que esse breve ensaio. É urgente também retomar o estudo dos Fundadores e do segundo fundador, Pe. Sebastião Casara. É necessário, em geral, recomeçar os estudos arquivisticos em nosso arquivo histórico da Congregação (AIC Veneza) e, em nossas outros arquivos, principalmente nas casas mais antigas. Ressaltamos também a importância que todas as nossas casas e partes territoriais tem ao fazer um Diário regular para servir a história.

Este texto, modesto ensaio, devido às suas muitas fontes (biografias, outros livros, necrológios, brochura "Dies quas fecit Dominus", recordações pessoais e arquivos do autor, velhos artigos do autor etc., é muito desigual e é uma mistura, ou uma miscelânea de dados; o gênero literario deveria (deve) ser unificado.

A decisão de dividir o corpo principal desta história em função dos Superiores Gerais é muito simplista e discutiveis. Tem-se, assim, a impressão de que a história é feita pelos Superiores Gerais, e não por simples membros e pelos Superiores Maiores nas partes territoriais; mas não foi fácil ou conveniente trabalhar de forma diferente em função dos dados disponíveis.

Este trabalho continuará a ser expandido. Então, desde agora, agradeço aos irmãos e amigos que colaborarem, especialmente os mais anciãos da nossa Congregação que nos enviarem comentários, críticas, correções, dados, episódios, anedotas e outros acessórios necessários.


AGRADECIMENTOS


Agradeço o primeiro grupo de noviços Cavanis da República Democrática do Congo, Kinshasa (Tiburcio, Théotime, Théodore, Jean Jacques, Benjamin, Blaise Pascal e Trésor). Durante o ano de noviciado eles me seguiram e estimularam com muita atenção, paciência e amor durante o curso da História da Congregação (2006-2007); a eles dedico este modesto ensaio, mas também o dedico a todos os noviços, postulantes, aspirantes, professos dos seminários Cavanis e aos seus formadores.

Comemoramos recentemente (2002) o segundo centenário do Instituto. Vamos envolver todos a fim de que, depois destes primeiros duzentos e cinco anos, nossa Congregação possa viver pelo menos mais dois século; de modo que outras crianças e jovens educados nas nossas instituições, com outros leigos associados ao Instituto, outros religiosos e religiosas Cavanis possam estar aqui em 02 de Maio de 2202, e nós com eles, no Céu com os nossos amados Fundadores, para celebrar o quarto centenário e constatar que o Instituto continuou até esta data, com os meios renovados, mas com o espírito inalterado ou melhor, sempre Instituto Cavanis.



OS FUNDADORES E SUAS OBRAS (2)

16.01.1772 – Nascimento em Veneza, Itália, do Conde Antonio Angelo Cavanis.

19.05.1774 – Nascimento em Veneza, Itália, de seu irmão, o conde Marcantonio Cavanis (3)

1794- Antonio é ordenado Sacerdote.

1806 - Marcos também é ordenado padre .

1802 (2 de maio) – inicio da obra com a fundação da Congregação Mariana

1803 - O "ORTO" (ou seja “a horta”, como um local de recreação)

1804 – Abertura das Escolas Cavanis gratuitas na paróquia de São Trovaso.

16.07.1806 - compra do “palacio da Mosto” para as escolas

1808 - Abertura de uma tipografia (escola profissional).

1808-Fundação do Instituto Feminino (escolas e ramo feminino do Instituto), com a ajuda de Madalena de Canossa.

1812- Primeiro projeto dos dois institutos (cfr, Positio pag. 322 – 327).

1815 e 1819 - Duas visitas do imperador do Império Austro-Húngaro. Atitudes diferentes do Imperador e da estrutura burocratica do Estado do Império Austro-Húngaro.

1819 - Aprovação do Instituto por parte do Império Austro-Húngaro e do Patriarca de Veneza para os dois ramos, masculino e feminino, do Instituto.

1820 - Início da vida comunitária na "CASETTA" (27 de agosto, na festa de São José de Calasanz).

O seminário, as vocações, poucas vocacões, muitas mortes entre os seminaristas, algumas renúncias.

1823 - As regras internas da nova comunidade da “CASETTA" “(Em "Notícias ao Cardeal Patriarca Pyrker")

1823-25 - A luta com o Império para as escolas.

1831 - As regras da comunidade dos Clérigos seculares das Escolas de Caridade, manuscrito.

1834 - Fundação da casa e da escola de Lendinara (a Congregação tem agora duas casas, e isso permite considerá-la como uma Congregação). (4)

1834 - e seguintes- Dificuldade em Lendinara.

1835 - Pe Marcos vai a Roma e com Pe Antonio que fica em Veneza, são escritas as constituições (volume IV da coleção dos escritos dos fundadores). Debate por correspondência entre os dois irmãos e da elaboração das Constituições, que são apresentadas à Santa Sé.

1836 - Aprovação do Institudo masculino e das Constituições pelo Papa Gregório XVI.

1837 - A publicação da Constituição, que inclui apenas a primeira parte e não a segunda sobre o governo e as estruturas

16- 07-1838 – Aprovação canônica da Congregação. As Constituições entram de fato em vigor com a Ereção Canônica do Instituto.

(NB: O Intituto Feminino nunca será erigido canonicamente. Mais tarde (1861) será realizada a fusão com as Irmãs Canossianas)

Após esta data, a fase criativa da vida de nossos Fundadores terminou e começa uma fase mais conservadora.

No início dos anos cinqüenta do século XIX, as forças deles começam a declinar rapidamente.

11.10.1853- morte do Padre Marcos

12.03.1858- morte do Padre Antonio






Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   12


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal