Larissa lima manoel amancio coelho regina magna franco



Baixar 47.15 Kb.
Encontro31.07.2016
Tamanho47.15 Kb.




ANA FABRÍCIA TOMASZEWSKI

FABRÍCIO PEREIRA DA SILVA

GUILHERME MENDONÇA

LARISSA LIMA

MANOEL AMANCIO COELHO

REGINA MAGNA FRANCO

PLANO MUNICIPAL DE TURISMO PARA O MUNICÍPIO DE



SÃO FRANCISCO DO SUL



LONDRINA

2010

INTRODUÇÃO

O trabalho pretende apresentar propostas e sugestões para o desenvolvimento do turismo na cidade de São Francisco do Sul, localizada no estado de Santa Catarina, que é uma cidade pouco conhecida pelos brasileiros em geral.

Há uma necessidade de novos planos e metas para desenvolver o turismo nesta cidade, devido à beleza que a própria oferece. Além de praias e áreas de lazer, o lado urbano é outro fator importante, que poderá também chamar a atenção de turistas, já que é uma cidade que é movida pelo porto, tendo como atividades principais, a importação e a exportação de mercadorias.

Como toda cidade porto, onde as praias é o atrativo principal dos turistas em épocas de temporadas de verão ou carnaval, ela também sofre com a falta de recursos no saneamento básico, falta de hospitais, falta de cursos técnicos e empregos aos jovens.

Iremos citar alguns desafios, que implicam no desenvolvimento da atividade turística na cidade de São Francisco do Sul, e por outro lado, iremos citar metas e números para que este desenvolvimento ocorra de maneira mais ágil.

1. DIAGNÓSTICO

1.1 HISTÓRIA E LOCALIZAÇÃO



A cidade de São Francisco do Sul, localizado na litoral norte do Estado de Santa Catarina figura como uma das mais antigas cidades do Brasil, com sua ocupação datada de 1553.

Em 1641 é fundada a Vila Nossa Senhora das Graças do Rio São Francisco. Em 1847 é elevada a categoria de cidade. Conta com algumas atrações turísticas como o Museu Histórico, o Forte, Museu Marítimo, casarões antigos além, é claro, de algumas praias.

1.2 DINÂMICA POPULACIONAL

Segundo dados do IBGE (2009) a cidade conta com uma população de 40.030 habitantes e densidade demográfica de 76,5 habitantes por km². Dados do PNUD (2000) a apontam com o IDH de 0,82. Seu PIB esta na marca de R$ 2.960.030 milhões com renda per capita de R$ 78.697,00 (dados de 2007). Na faixa de 0 a 3 anos 2.385 pessoas. E ainda 3.025 pessoas na faixa da terceira idade.

1.3 EMPREGO E RENDA


A principal fonte de renda e emprego é o porto que figura como o 5º maior do país em movimentação de containers e o 6º em volume de cargas. No que se refere à renda segundo dados de 200:

  • 1 salário mínimo: 2.315

  • De 2 a 3 salários: 2.315 pessoas;

  • De 3 a 5 salários: 2.525 pessoas;

  • De 5 a 10 salários: 2.358 pessoas;

  • De 10 a 20 salários: 716 pessoas;

  • Acima de 20 salários: 303 pessoas;

  • Há também 10.774 pessoas sem rendimentos.

1.4 INFRA ESTRUTURA SOCIAL



  • Segundo dados do IBGE de 2009 há 6.571 alunos matriculados na rede de ensino fundamental que conta com 358 docentes. No ensino médio são 1.687 matrículas e 109 docentes.

  • O município conta ainda com 26 estabelecimentos de saúde sendo 21 público e 5 privado.

  • O município conta com 9205 domicílios segundo dados do IBGE de 2000. Conta ainda com 2.316 empresas (dados de 2008) que geram 8,810 empregos formais.

  • 63,1% do domicílios estão ligados à rede geral de água, sendo que outros 30% se utilizam de poços e nascentes

  • 9,3% dos domicílios estão ligados à rede de esgoto. Outros 74,7% utilizam fossa séptica.

1.5 AGROPECUÁRIA

De acordo com dados do IBGE de 2008 no que se refere à agropecuária a cidade de São Francisco conta com rebanho de bovinos, eqüinos, bubalinos, suínos, caprinos, ovinos, frangos, galinha, gado leiteiro. Além de produzir 240.000 litros de leite, 5 mil ovos. O número de estabelecimentos é de 113 unidades (2007) com 1.839 hectares correspondendo a área total dos estabelecimentos agropecuários.

Lavouras permanentes produzem abacate, banana, palmito e tangerina. As lavouras temporárias produzem arroz, batata doce, cana, feijão, mandioca, melancia, milho. E conta com extrativismo de madeira.


1.6 FINANÇAS PÚBLICAS


Os dados desse item são do ano de 2008:

  • Orçamento: 97.463.072,24

  • Verba da União: 36.276.547,50

  • Verba do Estado: 19.678.869,00

  • Despesas: 95.326.443,41


2. DIRETRIZES
A fim de atender primeiramente as necessidades básicas da população

francisquense, atualmente, deficitária e, portanto, forma de reprodução das

desigualdades sociais aponta-se 5 diretrizes para atender essa urgência e

impulsionar o desenvolvimento socioeconômico e cultural do município:


Melhorias em saneamento básico como canalização de todo o esgoto

produzido na cidade; construção da rede de tratamento de esgoto; criação de

reservas de água para a garantia de fornecimento da mesma durante o ano

todo e implantação de lixeiras publicas por toda a cidade, especialmente ao

longo das praias; criação da associação de catadores de lixo e reciclagem.
•Melhorias nos serviços de saúde, criação de estabelecimentos de emergência

cirúrgica com especialidades essenciais a obstetrícia, a pediatria, a traumato

ortopedia; aumentar o numero de leitos para internação e garantir a prestação

de serviços do SUS UTI/CTI; compra de equipamentos para exames clínicos

como raio – X, ultrasom.
•Melhorias no sistema viário, tanto nas ruas internas da cidade como na

rodovia BR 280 para garantir a acessibilidade ao município. Assim como a

construção de ciclovias na cidade como incentivo a utilização de meios de

transporte menos poluentes, diminuição do fluxo de veículos motorizados e

consequentemente o trânsito, além de poder aumentar a interação do homem

com a natureza,


•Melhorias na educação: diminuir o analfabetismo e a evasão escolar através

de melhorias na estrutura física da escola; garantia de transporte escolar e

contratar professores mestres para todos as series do ensino fundamental

e médio; determinar a educação ambiental como obrigatória no currículo

escolar; valorizar a cultura regional nas escolas atrás de atividades dentro

dela e que dela possa transcender; fundação de faculdades no município,

especialmente cursos importantes para formação superior dos trabalhadores

das principais áreas da economia local.


•Incentivo e fortalecimento a pequenas e médias empresas que gerem

empregos a população local, como créditos, capacitação da mão de

obra, colaboração técnica em todos os tipos de empreendimentos no que

compreendem na informação, fornecimento e desenvolvimento técnico.



3. DESAFIOS

  • Falta de emprego;

  • Falta de profissionais qualificados

  • Falta de infra-estrutura básica;

  • Falta de renda na baixa temporada;

  • Falta de divulgação do turismo local.


4. GESTÃO

FEEC – Federação de Entidades Ecológicas Catarinenses;

AMECA – Associação Movimento Ecológico Carijós – São Francisco do Sul

APPF – Associação Popular Preservacionista Francisquense

Prefeitura Municipal de São Francisco do Sul;

Ministério do Turismo;

QUEM PODE OPINAR?

Em prol do melhoramento do turismo todos as entidades governamentais e não governamentais junto aos líderes locais (presidente de bairro, associação de pescadores) devem opinar para o melhoramento local, junto a Universidades próximas.

QUEM PODE DECIDR?

A prefeitura, mais representantes de organizações locais.

COMO ISSO SERÁ ORGANIZADO?

Com a organização de uma secretaria, com um plano Municipal e contratação de geógrafo, turismólogo, consultores ambientais, historiadores, restauradores, trabalhando em conjunto com lideranças locais e instituições já presentes na cidade, como por exemplo a FEEC, AMECA, APPF.

O QUE DEVEM FAZER?

Primeiramente, reuniões para definir a diretrizes de um plano municipal que atraia o turismo e atenda as necessidades da população local, criando estruturas para atender as necessidades e curiosidades dos turistas.



5 PROFISSIONAIS ENVOLVIDOS

Contratação de apenas 1 geógrafo e 1 turismólogo, para mapeamento de centros históricos, com análise local, o turismologo atende os turistas fornecedores e consumidores em geral, fazer propaganda dos locais turísticos tanto no setor comercial como autônomo, viabiliza diversas tarefas em qualquer atividade que tenha algum envolvimento com o fluxo de veranistas e a dinâmica multidisciplinar do fenômeno turístico.



6. METAS

Segundo dados do IBGE do ano de 2001, o município de São Francisco do Sul contava com 10.774 pessoas desocupadas. Conforme dados do SEBRAE-SC a concorrência no município é de 4,5 habitantes por vaga disponível. Sendo assim a meta seria a de aumentar em 3% o número de pessoal ocupado no período de quatro anos. Isso representa a geração de aproximadamente 300 novos postos de trabalho.

O exercício da atividade turística demanda mão-de-obra específica com qualificação especializada. Segundo dados do Sistema Nacional de Informações da Educação Profissional (SISTEC) em 2009 não foram identificados instituições de ensino técnico profissionalizante no município. Partindo desse pressuposto serão ofertadas, através de programas criados para este fim, 225 vagas de capacitação profissional.

No que diz respeito à infra-estrutura dados colhidos pelo SEBRAE-SC 63,1% dos domicílios de São Francisco do Sul estão ligados à rede de água e outros 30% utilizam água de poços ou nascentes. E ainda somente 9,3% estão ligados à rede de esgoto sendo que 74,7% se utilizam de fossa séptica. Diante desses dados a meta é de, em 4 anos, aumentar para 100% de domicílios servidos com água tratada e para 30% de domicílios ligados à rede de esgoto. Além disso coletar 100% do lixo produzido na cidade.

Apesar de não haver estimativas a respeito do número de visitantes à cidade no período da alta temporada de verão, é sabido que na baixa temporada há uma redução desse fluxo. Sendo assim será implementados programas que visam a atração de visitantes neste período focando principalmente consumidores da terceira idade e jovens universitários.

A propaganda é a alma do negócio. É preciso divulgar um produto se si deseja vendê-lo. Dentro desse pensamento a meta é a implementação do Projeto Conheça São Francisco do Sul. Além disso criar 02 posto de atendimento ao turista, bem como a elaboração de folders contando guia gastronômico e turístico.



7. PROGRAMAS

Para o enfrentamento do desafio de falta de emprego será criado o programa Pequeno Empreendedor em parceria com entidades como o SEBRAE, que irá qualificar e orientar e financiar os pequenos comerciantes no que tange a oferta de produtos e serviços voltados aos turistas.

No que se refere ao desafio da falta de profissionais qualificados será criado o programa São Francisco para Todos, voltado para a capacitação profissional na área de turismo. Este programa ofertará cursos nas áreas de hotelaria, informática, atividades aquáticas como mergulho de baixa profundidade, guia turístico, artesanato, língua estrangeira.

A falta de infra-estrutura básica será enfrentada pelo programa Eco São Francisco, que almeja tratar 100% da água disponibilizada para a população. Como a cidade não possui rede de esgoto, o programa contemplará que pelo menos 30% do esgoto da cidade seja tratado. Dentro desse programa o lixo terá maior destaque. Para isso o serviço de colete contemplará toda a cidade e será paulatinamente introduzido processo de reciclagem. E por último e não menos importante o programa visará à melhoria da rede viária e dos acessos a cidade,

O desafio da falta de renda na baixa temporada será lançado o programa Férias Escolares. Este programa focará o público da terceira idade e jovens universitários nas férias de inverno. Para isso o programa visará a estruturação de pousadas e hotéis para receber turistas de inverno. Será, também, implementado e estruturado a prática de esportes radicais voltados para universitários. E outro objetivo será introduzir São Francisco do Sul no circuito nacional de surf.

O quinto e último desafio, a falta de divulgação do turismo local, será enfrentado pelo programa Conheça São Francisco do Sul. A divulgação através da mídia. Convênios com empresas de turismo. A criação de dois postos de informações turística em pontos estratégicos da cidade. A confecção de um guia gastronômico e de atrações turísticas.



BIBLIOGRAFIA

BRASIL. Ministério do Turismo. Plano Nacional de Turismo 2007/2010: uma viagem de inclusão.



IBGE CIDADES. Disponível em <www.ibge.gov.br/cidadesat/default2.php.> Acessado em 28/10/2010.
PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO FRANCISCO DO SUL. Disponível em www.saofranciscodosul.sc.gov.br . Acessado em 09/11/2010.
SEBRAE-SC. Disponível em www.sebrae-sc.com.br. Acessado em 09/11/2010.




Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal