Lettres de Marcellin J. B. Champagnat (1789-1840) Fondateur de l’Institut des Frères Maristes



Baixar 1.34 Mb.
Página1/108
Encontro18.07.2016
Tamanho1.34 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   108


CARTAS DE

MARCELINO

CHAMPAGNAT

Título original: Lettres de Marcellin J. B. Champagnat (1789-1840) Fondateur de l’Institut des Frères Maristes, présentés par Frère Paul Sester. Rome, Casa Generalizia dei Fratelli Maristi, 1985.



Tradução: Ir. Sulpício José e Ir. Ireneu Martim

Revisão: Ir. Ireneu Martim e Ir. Afonso Levis

Diagramação: Ir. Roque Brugnara

Secretariado Interprovincial Marista – SIMAR

Rua Cesário Ramalho, 288 – Cambuci

Telefone: (011) 270 5576; FAX: (011) 278 7071

E-Mail: simar@marista.org.br

01521-000 – SÃO PAULO – SP



1999

RELAÇÃO DAS CARTAS



CAPÍTULO I – 1823 a 1833


1 - 1823, 1º de dezembro. Ao Irmão Jean-Marie Granjon, em Saint-Symphorien-le-Château, para dar notícias dos estabelecimentos que visitara.

2 - 1826, fins de setembro. Ao Padre Jean-Claude Courveille para marcar um encontro.

3 - 1827, maio. Ao Padre Philibert Gardette, superior do Seminário Maior de Lião, para colocá-lo a par de uma situação crítica.

4 - 1827, maio. Ao Padre Simon Cattet. Vigário Geral de Lião, para que apoie a nomeação de um padre para ajudar em l’Hermitage.

5 - 1827, maio. Ao Padre Gilbert Durand, pároco de Neuville, para corrigir uma situação irregular na comunidade dos Irmãos.

6 - 1827, maio. A Dom Gaston De Pins, sobre o mesmo assunto exposto na carta ao Vigário Geral, Padre Simon Cattet.

7 - 1827, maio. Ao Padre Jean Joseph Barou, outro Vigário Geral de Lião, para sugerir a nomeação do Padre Etienne Séon para l’Hermitage.

8 - 1827, final do ano. A Alexandre Devaux de Pleyne, prefeito de Bourg-Argental, para convencê-lo de que o município da impossibilidade de reduzir o pagamento para o sustento dos Irmãos, que já é o mínimo indispensável.

9 - 1828. Aos párocos de Annecy: promete Irmãos para a próxima festa de Todos os Santos e dá a conhecer as exigências para assumir a direção de uma escola.

10 - 1828, janeiro. Circular aos Irmãos: pede orações para que Dom Gaston De Pins consiga, em Paris, boa acolhida ao pedido da autorização legal do Instituto.

11 - 1828, 18 de dezembro. Ao Padre Simon Cattet, Vigário Geral, para solicitar-lhe que destaque um padre a mais para Notre Dame de l’Hermitage.

12 - 1829, 11 de abril. Ao senhor Raoul Desrautours de Chaulieu, prefeito do Departamento do Loire, para agradecer a subvenção que concede às escolas.

13 - 1829, setembro. Ao Padre Claude Terrel, pároco de Charlieu: participa seu pensamento a respeito da escola de Charlieu e sugere os meios para melhorar a situação.

14 - 1830, 21 de janeiro. Ao Irmão Barthélemy, em Ampuis, para animar sua vocação de professor primário dos meninos.

15 - 1830, 12 de fevereiro. Ao Padre Simon Cattet, Vigário Geral de Lião: solicita que sejam outorgados aos Padres pertencentes à Sociedade de Maria poderes mais amplos relativos à confissão.

16 - 15 de agosto. Ao Irmão Antoine e seus coirmãos, em Millery: notifica a data das férias e exorta os Irmãos a não se apavorarem diante dos distúrbios causados pela revolução de junho de 1830.

17 - 10 de setembro. Ao Irmão Antoine, em Millery para avisá-lo da supressão do retiro e férias comunitárias em l’Hermitage devido às circunstâncias.

18 - A um vizinho, para esclarecer sua posição na questão de uma disputa de terra e água.

19 - 1831, 3 de janeiro. Ao Irmão Barthélemy, em Ampuis: Retribui os votos de Feliz Ano Novo e o anima na missão de educador.

20 - 4 de fevereiro. Aos Irmãos Antoine e Gonzague, que estão em Millery. É resposta à carta deles. O Fundador os exorta a se dedicarem totalmente ao apostolado junto às crianças.

21 - abril. A Jean-Baptiste Mondon, prefeito de Feurs, avisa que retira os Irmãos.

22 - abril. A Jean-Baptiste Merlat, prefeito de Saint-Symphorien, propõe a troca de um Irmão da escola.

23 - 29 de agosto. Ao jovem Alexis Labrosse, estudante de Ranchal, comunica as condições de admissão no Instituto.

24 - 1º de novembro. Ao Irmão Barthélemy, em Saint-Symphorien d’Ozon para conceder-lhe a autorização de comungar às terças-feiras e para animá-lo a enfrentar as dificuldades do cargo valendo-se da proteção de Maria.

25 - 1832, final de agosto. À Madre Saint-Joseph, fundadora das Irmãs Maristas comunica que está mandando três moças de Saint-Laurent d’Agny, para o noviciado de Bonrepos, em Belley.

26 - 1832. Ao Padre Claude Duplay, pároco de Marlhes, fala de Jean-Louis Duplay, que desempenhou papel relevante na fundação do Instituto.

27 - 1833, primavera. À senhora Marie Fournas, em Saint-Chamond, pede que continue sua generosa contribuição, em favor do abrigo dos velhinhos.

28 - Final de julho. A Dom Alexandre Devie, bispo de Belley, suplica-lhe conceda um prazo para mandar os Irmãos que prometera para Bresse.

29 - 10 de agosto. CIRCULAR aos Irmãos dos Estabelecimentos para lhes anunciar as férias.

30 - agosto/setembro. Ao Padre Jean Cholleton, Vigário Geral de Lião, manifesta sua desconfiança com relação à fusão dos Irmãozinhos de Maria com a Congregação do padre Querbes; lembra os contratempos que tivera.

31 - 3 de novembro. Ao Irmão Alphonse, em Mornant, para o estimular ao cumprimento de sua missão de educador cristão.

32 - 10 de novembro. Ao Irmão Antoine, em Millery, para anunciar a substituição, por um tempo, do Irmão Isidore pelo Irmão Théophile.

CAPÍTULO II - 1834 a 1835


33 - 1834, janeiro. Ao Irmão Antoine, em Millery, responde aos votos de Boas Festas e expõe a situação de alguns Irmãos, perante a nova legislação de ensino, Lei de 28 de junho de 1833.

34 - 28 de janeiro. Ao Rei Louis-Philippe, solicita a aprovação legal do Instituto dos Irmãozinhos de Maria.

35 - fevereiro. Ao Padre Jean-Baptiste Rossary, pároco de Saint-Paul-en-Jarret, para pedir que pague aos Irmãos a quantia combinada com o antecessor quando da fundação da escola.

36 - 6 de março. Ao Irmão Dominique, em Charlieu, para exortá-lo a só buscar a vontade de Deus.

37 - 1834, inícios. Ao Padre Barthélemy Caumette, cadjutor de Mèze, para informá-lo sobre quem são os Irmãos.

38 - 1834, inícios. Ao Padre Ferréol Douillet, em La Côte-Saint-André, para reiterar que nossos costumes não admitem pessoas de fora para cozinhar.

39 - 1834, 14 de março. Ao Padre Jean-Pierre Cussier, pároco de Viriville, para advertir que a escola de Viriville não poderá prosseguir, nas condições em que se encontra.

40 - 14 de abril. A Jacques Ardaillon, deputado do Departamento do Loire, agradece pelos bons serviços que prestou à Congregação, no sentido de conseguir a autorização legal.

41 - abril. Ao Padre Joseph Gaucher, pároco de Chavanay, para que este use sua influência junto do prefeito, que vem pondo entraves à ação educativa dos Irmãos.

42 - verão. Ao Irmão Cassien, em Sorbiers, para ajudá-lo a superar a crise por que está passando.

43 - verão. Ao Padre Jean-Marie Frain, Vigário Geral de Nevers: informa sobre a missão dos Irmãos, as condições exigidas pelo prospecto que rege as fundações; pede que espere até saber com certeza da possibilidade de conseguir Irmãos.

44 - agosto. Ao Padre Jean Cholleton, Vigário Geral de Lião: põe à disposição da diocese o sítio de Grange-Payre, para servir de residência aos Padres da Sociedade.

45 - 8 de setembro. Ao mesmo Vigário Geral, para mostrar-lhe as vantagens oferecidas por La Grange-Payre e os inconvenientes de Valbenoîte.

46 - setembro. Ao Padre Charles Chirat, pároco de Neuville: solicita que deixe os Irmãos partirem para a casa mãe, nas férias.

47 - princípios de outubro. Ao Jean François Preynat, prefeito de Sorbiers, para perguntar-lhe em que pé está o novo local para a escola.

48 - 4 de novembro. Ao Irmão Antoine, em Millery: anuncia-lhe o envio de vários objetos.

49 - 23 de novembro. Ao Irmão Dominique, em Charlieu: exorta-o a suportar com paciência certas dificuldades passageiras.

50 - outono. A Jacques-Marie Ardaillon, prefeito de Saint-Chamond, para agradecer sua intervenção, mediante a qual foi conseguida a aprovação dos Estatutos, pelo Conselho Real da Instrução Pública.

51 - final de 1834, ou inícios de 1835. A Jean-André Sers, prefeito departamental do Loire: solicita que isente um Irmão do serviço militar.

52 - 1835, inícios. A Conde Adrien de Gasparin, prefeito do Departamento do Rhône: comunica que o Irmão S. F., sujeito a ser convocado, saiu da Congregação.

53 - 1835, 9 de janeiro. Ao Irmão Antoine: agradece os votos de Boas Festas, comunica a doença do Irmão Moïse e dá outras notícias de l’Hermitage.

54 - 22 de janeiro. A um pároco: impossível atendê-lo de imediato ea disposição de atendê-lo, se puder esperar.

55 - 29 de março. Ao Padre Jean-Claude Colin, Superior em Belley: informa-o a respeito das condições de admissão de candidatos e trata de alguns problemas particulares.

56 - quaresma. A Dom Gaston de Pins, Administrador Apostólico da diocese de Lião: pede que destaque, para ajudar em l’Hermitage, o Padre Jean Décultieux, coadjutor em Pélussin.

57 - 30 de abril. A Jacques-Marie Ardaillon, prefeito de Saint-Chamond: lembra-lhe a carta anterior (cf. Carta no 51) e roga que use sua influência junto aos altos escalões do governo a fim de apressar a assinatura do Decreto de autorização.

58 - 3 de maio. A Désiré Lacheze, deputado do Departamento do Loire: pede a ele que se associe ao senhor Ardaillon para apressarem a assinatura do Decreto da autorização.

59 - primeiros dias de maio. À rainha Marie-Amélie: para que use de seu prestígio junto do Rei, a fim que este assine logo o Decreto que vai dar existência legal ao Instituto Marista.

60 - final de maio. Ao Padre François Mazelier, em Saint-Paul-Trois-Châteaux: manda-lhe os formulários do compromisso decenal, que os Irmãos devem preencher, e agradece os serviços prestados.

61 - 12 de julho. Ao Irmão Théophile, em Marlhes: anima-o a suportar os contratempos com que se defronta.

62 - 24 de agosto. CIRCULAR aos Irmãos: convoca-os a l’Hermitage, a fim de participarem juntos do retiro e das férias.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   108


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal