Lettres de Marcellin J. B. Champagnat (1789-1840) Fondateur de l’Institut des Frères Maristes



Baixar 1.34 Mb.
Página2/108
Encontro18.07.2016
Tamanho1.34 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   108

CAPÍTULO III - 1836


63 - 19 de janeiro. CIRCULAR aos Irmãos: faz votos de que tenham fervor e zelo, caridade fraterna e ânimo na fidelidade.

64 - 12-13 de abril. Ao senhor Charles Arquillière, diretor em Montbrison: informa que o Irmão pedido só estará disponível a partir da próxima Festa de Todos os Santos.

65 - 8 de maio. Ao Padre François Mazelier, em Saint-Paul-Trois-Châteaux: confia-lhe quatro Irmãos e pede uma colaboração mais efetiva entre as duas Congregações.

66 - inícios de julho. Ao Padre François Mazelier: nova proposta de fusão das duas Congregações.

67 - 28 de agosto. Ao Irmão François comunica a chegada a Paris e lhe faz algumas recomendações.

68 - agosto. Ao rei Louis-Philippe, solicitando a autorização legal do Instituto.

69 - 28 de setembro. Bilhete: convida para a inauguração da nova capela.

70 - outubro. Ao Padre Ferréol Douillet: notifica a volta do Irmão Louis-Marie a La Côte-Saint-André e as medidas que este vai tomar com relação à escola.

71 - outubro. Ao Padre François-Régis Gilloz, pároco de Vienne (França): diz-lhe que não pode abrir mão das condições em que os Irmãos aceitaram a escola.

72 - 4 de novembro. Ao Padre François Mazelier: convida-o a vir passar alguns dias em l’Hermitage, para conversarem sobre a fusão das duas Congregações.

73 - 3 de dezembro. Ao senhor Jean François Preynat, prefeito de Sorbiers: protesta contra a supressão da subvenção legal devida aos Irmãos.

74 - 21 de dezembro. Ao Irmão Antoine, em Millery: anuncia o envio de dois Irmãos e a troca de um dos que estão lá.

75 - dezembro. A Dom Alexandre Devie, bispo de Belley: comunica a chegada dos Irmãos em Saint-Didier-sur-Chalaronne e informa em que ponto se encontra o caso da autorização legal do Instituto.

76 - final de dezembro. Ao pároco Étienne Coignet e ao prefeito Pierre Preynat, de Sorbiers. Faz saber a eles em que termos o vice-prefeito departamental anuncia a Champagnat um medida vexatória contra os Irmãos.

77 - 1836. Ao Dr. Hyppolyte Fredet, médico em Saint-Chamond, ao qual se justifica de ter chamado outro médico para um doente.

78 - 1836/1837. Circular aos fundadores de escolas: pede-lhes documentos referentes à fundação para conservá-los nos arquivos.

CAPÍTULO IV - 1837


79 - 1º de janeiro. CIRCULAR: votos de Feliz Ano Novo; comunica também a carta do Irmão Marie-Nizier em viagem para as missões da Oceânia.

80 - 2 de janeiro. Ao Irmão Louis-Marie, Diretor de La Côte-Saint-André: autoriza-o a assinar o contrato de arrendamento proposto pelo Padre Douillet e dá notícias sobre o Instituto.

81 - 4 de janeiro. Ao industrial Etienne Génissieux, de Terrenoire: pede que complete o guarda-roupa dos Irmãos que passaram a ser três, na comunidade.

82 - 6 de janeiro. Ao Padre Jean-François Chossat, superior do Seminário Maior de Albi: manda os prospectos que lhe pedira.

83 - 12 de janeiro. Ao Padre Jean-Antoine Dubois, superior do Seminário das Missões Estrangeiras de Paris: pede que vá informar-se com o senhor Delebecque, em que pé estão as negociações para a aprovação do Instituto.

84 - 18 de janeiro. Ao Padre Pierre Froget, pároco em Saint-Étienne: dá as informações pedidas sobre um moço que fora admitido em l’Hermitage.

85 - 18 de janeiro. Ao industrial de Saint-Chamond, Antoine Thiollière: convida a fazer parte de uma associação religiosa, na qual seriam copartícipes das boas obras que um e outro fizessem.

86 - 21 de janeiro. Ao Irmão Louis-Marie, Diretor de La Côte-Saint-André: exorta-o a prosseguir na sua tarefa, apesar das dificuldades.

87 - 23 de janeiro. Ao Padre Jean-Pierre Combe, pároco de Ganges: manda-lhe os prospectos que solicitara.

88 - janeiro. Ao industrial Joseph Robichon, de Rive-de-Gier, a quem agradece a caixa de copos que mandara para l’Hermitage.

89 - janeiro. CIRCULAR, que acompanha a Regra impressa.

90 - meados de fevereiro. A Dom Alexandre Devie, bispo de Belley: agradece pelo que fez em favor da autorização do Instituto.

91 - 10 de fevereiro. Ao Padre Antoine Maunier, pároco de Callas: responde a uma solicitação de mandar Irmãos; que tenha a paciência de esperar ou então que se dirija a outra Congregação.

92 - 12 de fevereiro. A Claude Terrion, prefeito de Semur-en-Brionnais: informa-o sobre a situação do Irmão De La Croix perante o serviço militar.

93 - 15 de fevereiro. A Dom Philibert De Bruillard, bispo de Grenoble: comunica-lhe que vai retirar os Irmãos da La Côte-Saint-André.

94 - 15 de fevereiro. Ao Padre André Berthier, pároco de La Côte-Saint-André: comunica-lhe que retira os Irmãos de sua paróquia.

95 - 23 de fevereiro. Ao Padre François Mazelier, em Saint-Paul-Trois-Châteaux: coloca-o a par da situação em que se encontram os Irmãos que lhe seriam confiados.

96 - 26 de fevereiro. Ao Padre Jean-Pierre Combe, pároco de Ganges: diz que não acha que seja possível mandar-lhe Irmãos imediatamente.

97 - 1º de março. Ao Padre Claude Page, pároco de Digoin: especifica como deve ser a casa para os Irmãos.

98 - 10 de março. Ao Padre François Vincheneux, pároco de Tréport: responde dissipando um mal-entendido que surgira nas relações entre ambos.

99 - 11 de março. Ao Padre André Berthier, Vigário Geral de Grenoble: informa-o das dificuldades causadas pelo Padre Douillet aos Irmãos e dá a conhecer sua decisão.

100 - 14 de março. Ao Padre Touzet, sacerdote de Aigueperse: explica por que não se manifestou antes e pede mais informes sobre o projeto que o padre alimenta.

101 - 19 de março. Ao Padre Antoine Mollin, pároco de La Côte-Saint-André: o assunto é o mesmo que o tratado com o Padre Berthier (cf. Carta no 99), a saber: a questão com o Padre Douillet.

102 - 19 de março. Ao Irmão Euthyme, em Ampuis: carta de orientação espiritual.

103 - 21 de março. Ao Padre Rigaud, superior dos Jesuítas, em La Louvesc: fala-lhe do interesse que acalenta de implantar uma escola em La Louvesc, mas por ora não é possível.

104 - março de 1837. Ao senhor Ginot, industrial de Saint-Chamond: pede-lhe que, ao chegar em Paris, se informe do andamento do processo da autorização do Instituto.

105 - 11 de abril. Ao senhor François Xavier Quantin, prefeito de Genas: os Irmãos não serão retirados de sua escola.

106 - 24 de abril. Ao Padre François Mazelier, Saint-Paul-Trois-Châteaux: recomenda a seus cuidados os Irmãos que estão sujeitos à convocação para o serviço militar, agradece por sua benevolência e dá-lhe notícias.

107 - 12 de maio. Ao senhor Louis Breuil, em Montarcher: cobra o pagamento do noviciado que Breuil não quis pagar.

108 - 13 de maio. Ao Padre Georges Blanc, coadjutor de Saint-Galmier: justifica as medidas tomadas em relação ao irmão do Padre.

109 - 16 de maio. Ao Padre Jacques Fontbonne, em Saint-Louis, USA: dá-lhe notícias sobre a Sociedade de Maria.

110 - maio. Ao Padre Antoine Maunier, pároco de Callas: diz que foi anotado o seu pedido de uma escola.

111 - maio. Ao Padre François Vincheneux, pároco de Tréport: informa que seu pedido está anotado na lista de espera.

112 - final de maio. A Dom Bénigne Trousset D’Hericourt, bispo de Autun: tranqüiliza-o dizendo que o Irmão De La Croix permanecerá à frente do estabelecimento de Semur.

113 - junho. Ao senhor Antoine Salvandy, Ministro da Instrução Pública: pede que seja devolvida no final do ano a taxa de 1/20 descontada sobre o salário dos Irmãos, como determinava o art. 15 da Lei de 1833.

114 - em junho. Ao senhor Joseph de la Tour Michoud, prefeito de Brangues: impossível mandar-lhe Irmãos de imediato.

115 - final de junho. Ao Padre Paul Guines, pároco de Terrasson: informa da chegada do moço que o pároco anunciara e desculpa-se de não poder fornecer Irmãos de imediato.

116 - junho. Ao Padre François Mazelier, Saint Paul-Trois-Châteaux: agradece os serviços prestados; anuncia que irá brevemente fazer-lhe uma visita e dá outras notícias.

117 - 4 de julho. A Jean-Marie de Pomey, prefeito de Amplepuis: pede que espere pelo novo pároco, para saber se eke concordará em confiar a escola aos Irmãos.

118 - 5 de julho. Ao Irmão Denis, Saint-Didier-sur-Rochefort: promete mandar rezar os Irmãos para conseguirem a cura do pároco de Saint-Didier.

119 - 6 de julho. Ao senhor Charles Rivet, prefeito departamental do Rhône: pede autorização de retirar a quantia de um vigésimo do salário anual do Irmão, que estava depositada em Caixa Econômica.

120 - 15 de julho. Ao Padre Jean-Pierre Badiou, pároco de St-Romain Lachalm: não perca a esperança de receber Irmãos, embora não tão cedo.

121 - 15 de julho. Ao Padre Claude Dumas, pároco de Usson: promete-lhe enviar Irmãos, desde que tudo esteja pronto para instalá-los.

122 - 26 de julho. Ao Padre François Mazelier, Saint-Paul-Trois-Châteaux: pede desculpas de não ter ido visitá-lo, devido a uma indisposição.

123 - 30 de julho. Ao Padre Jean-Baptiste Crozier, pároco de Coutouvre: para dizer-lhe que não pode mandar-lhe Irmãos neste ano.

124 - final de julho. Ao Padre Simon Cattet, Vigário Geral de Lião: pede um prazo de alguns meses para fundar o estabelecimento de Perreux.

125 - julho. Ao Padre François Bois, pároco de Saint-Symphorien D’Ozon: nas atuais condições a prosperidade da escola não continuará por muito tempo.

126 - 4 de agosto. Ao Irmão Apollinaire, em Saint-Paul-Trois-Châteaux: convida-o a voltar para l’Hermitage para refazer suas forças.

127 - 5 de agosto. Ao Padre Jean Cholleton, Vigário Geral de Lião: pede prorrogação das faculdades concedidas aos Padres Maristas e solicita autorização para uma tomada de hábito.

128 - 6 de agosto. Ao Padre François Mazelier, Saint-Paul-Trois-Châteaux: manifesta sua opinião a respeito de certos Irmãos confiados aos cuidados dele.

129 - 9 de agosto. Ao Padre François Moine, pároco de Perreux: pede que adie a fundação, a fim de preparar melhor o local para receber os Irmãos.

130 - 9 de agosto. Ao senhor Jacques Gonon, Cenves: responde delicadamente que não pode enviar-lhe Irmãos.

131 - 9 de agosto. Ao senhor Charles Tripier, em Curis-au-Mont-d’Or: dá sua opinião a respeito de uma divergência surgida entre os Irmãos de Neuville e a vizinhança.

132 - 12 de agosto. CIRCULAR aos Irmãos, para a organização das próximas férias.

133 - 30 de agosto. Ao Jean-Marie De Romey, prefeito de Amplepuis: diz que quer ter a opinião do novo pároco antes de decidir a fundação da escola.

134 - 2 de setembro. Ao Padre François Moine, pároco de Perreux: responde-lhe que não será possível instalar os Irmãos na casa indicada.

135 - 4 de setembro. CIRCULAR aos Irmãos: anuncia a morte do Irmão Dorothée.

136 - 24 de setembro. Ao Padre Jean-François Peala, pároco de Tence: promete mandar Irmãos, mas antes quer fazer uma visita ao local.

137 - 24 de setembro. Ao Padre Jean-François Fustier, pároco de São Felicien: promete mandar Irmãos e fazer uma visita, sem data fixada.

138 - 25 de setembro. Ao Padre Michel Dutour, pároco de Amplepuis: responde à primeira carta do novo pároco, demonstrando-lhe, como a seu predecessor, Padre De Pomey, grande interesse pelo pedido.

139 - 25 de setembro. Ao Padre Paul Rovonon, pároco de Caluire: promete satisfazer-lhe o pedido de Irmãos, mas em data ainda por marcar.

140 - 26 de setembro. A Jean Jovin Deshayes, prefeito de Saint-Jean Bonnefonds: diz-lhe que seu pedido de Irmãos será atendido, mas num tempo a ser determinado ainda.

141 - 28 de setembro. Ao Padre François Mazelier, Saint-Paul-Trois-Châteaux: é resposta a uma das cartas dele; aproveita a ocasião para agradecer a Mazelier todos os bons serviços prestados aos Irmãos.

142 - 12 de outubro. Ao Padre Joseph Dumas, pároco de Saint-Martin-la-Sauveté: diz que recebe o postulante que está sendo apresentado, mas este deverá entrar com uma contribuição para o noviciado.

143 - 18 de outubro. A Dom Alexandre Devie, bispo de Belley: responde uma carta do dia 11 do corrente, dizendo que pretende atender o pedido.

144 - 19 de outubro. Ao Padre Jean-Pierre Franget, pároco de Serrières: apesar de ser interessante uma escola em Serrières, torna-se difícil nas atuais circunstâncias efetuar o projeto.

145 - 29 de outubro. Ao senhor Hippolyte Jayr, prefeito departamental do Loire: agradece por ter permitido aos Irmãos de Valbenoîte usufruir da quantia de 1/20 depositadas em banco.

146 - 30 de outubro. A Dom Alexandre Devie, bispo de Belley, a respeito do projetado noviciado de Saint-Didier e das escolas de Thoissey e Verjon; retoma o pedido para obter a autorização legal.

147 - outubro. Ao Padre Jany-Tache, pároco de Frette: agradece o apreço que manifesta pela Congregação e pelo Irmão Apollinaire.

148 - 30 de outubro. Aos párocos de Boulieu e Peaugres, Padres Dumas e Artru: comunica a saída dos Irmãos de suas paróquias, em obediência a uma decisão da autoridade diocesana.

149 - 30 de outubro. Ao Padre Jean Fustier, pároco de Saint-Felicien: desfaz a promessa de mandar Irmãos.

150 - 1º de novembro. A Dom Pierre Bonnel, bispo de Viviers: dá a conhecer ao Prelado os pontos de vista dos Maristas, após as dificuldades suscitadas pelo Padre Vernet.

151 - 1º de novembro. Ao pároco de Valsonne, Padre Joseph Duc: exprime o constrangimento de não poder atender seu pedido.

152 - 1º de novembro. Ao Padre Jean Gaguin, pároco de Saint-Gengoux-le-Royal: não podemos mandar-lhe Irmãos neste ano.

153 - 6 de novembro. A Jean-François Preynat, prefeito de Sorbiers: se o prefeito colocar à disposição dos Irmãos uma casa decente, eles voltarão para Sorbiers.

154 - novembro. Ao senhor Hippolyte Jayr, prefeito do Departamento do Loire: recomenda um Irmão que deve submeter-se ao exame de validade para o serviço militar.

155 - novembro. A um funcionário da Prefeitura de Montbrison: pede que intervenha para conseguir a dispensa do serviço militar para um Irmão.

156 - novembro. A um funcionário de Montbrison, para apresentar-lhe dois Irmãos jovens que precisam de encaminhamento.

157 - 22 de novembro. A Dom Gaston de Pins, Administrador da diocese de Lião: pede que interceda em favor do Irmão Théodore para isentá-lo do serviço militar.

158 - 25 de novembro. Ao Irmão Sylvestre, em La Côte-St-André: anima-o e dá notícias dos missionários que vão à Oceânia.

159 - 27 de novembro. Ao senhor Antoine Salvandy, Ministro da Instrução Pública: solicita que consiga por um Decreto Real a autorização legal do Instituto.

160 - 29 de novembro. Ao senhor Alexandre Delon, vice-prefeito departamental de Saint-Etienne: pede que o Comitê encarregado de supervisionar o ensino primário faça ao Ministro um pedido, no sentido de ser concedida autorização legal ao Instituto.

161 - novembro. Ao Padre Georges Metton, pároco de Sury-le-Comtal: pede-lhe que disponha as salas de aula de acordo com a praxe do Instituto.

162 - 9 de dezembro. Ao senhor Hippolyte Jayr, prefeito do Departamento do Loire: envia-lhe a estatística do Instituto e reitera seus sentimentos de estima e respeito.

163 - 12 de dezembro. Ao Padre François Moine, pároco de Perreux: recomenda-lhe que não sobrecarregue os Irmãos de trabalho.

164 - 13 de dezembro. CIRCULAR aos Irmãos: transcreve a carta do Padre Servant, escrita de Valparaíso, quando estava de viagem para Oceânia.

165 - 13 de dezembro. Ao Padre François Mazellier, Saint-Paul-Trois-Châteaux: solicita-lhe uma cópia de seus estatutos e do Decreto de aprovação de sua Congregação.

166 - 15 de dezembro. Ao Padre Auguste Drevet, pároco de Luzinay: promete-lhe Irmãos, como é do seu desejo, contanto que tenha a aprovação do bispo.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   108


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal