Lettres de Marcellin J. B. Champagnat (1789-1840) Fondateur de l’Institut des Frères Maristes



Baixar 1.34 Mb.
Página85/108
Encontro18.07.2016
Tamanho1.34 Mb.
1   ...   81   82   83   84   85   86   87   88   ...   108

249 – Ao Irmão MARIE-LAURENT, Saint-Pol-sur-Ternoise, Pas-de-Calais.


8 de abril de 1839.

Resta-nos desta carta apenas uma cópia que faz parte dos escritos autenticados pela autoridade eclesiástica, para servir de depoimento em favor da causa de Beatificação do Padre Champagnat. Trata de assuntos de direção espiritual, como outras cartas, por exemplo, as de no 244,247 e 248.

É dirigida ao Irmão que lecionava na então recém-fundada escola de Saint-Pol. O Padre Champagnat tenta salvar aquela vocação periclitante, sem consistência.

Com a maior discrição, guardando absoluto anonimato, o Padre recomenda o caso às orações da comunidade de l'Hermitage. Ao Irmão em crise vocacional aconselha que siga as orientações de um santo confessor. Inspira confiança a seu correspondente, dando-lhe notícias alentadoras dos coirmãos, das Missões e por fim confia o Irmão à materna proteção da Boa Mãe.

J.M.J.


N. D. de l'Hermitage sur Saint Chamond, Loire, 8 de abril de 1839.

Meu caríssimo Irmão,

Sua carta, meu caríssimo amigo, desperta particularmente minha compaixão. Desde que a recebi, não mais subo ao Santo Altar sem recomendá-lo Àquele no qual ninguém põe em vão a esperança, Aquele que pode fazer com que superemos os maiores obstáculos.

Nunca desespere de sua salvação, ela está em boas mãos: Maria! Não é Maria seu refúgio, sua Boa Mãe?! Quanto maiores forem suas carências, mais interessada estará Ela em correr em seu auxílio.

Sem dizer o seu nome, nós estamos começando uma novena por você. Ainda hoje, 8 de abril, Festa da Anunciação, vou rezar a Santa Missa nesta intenção. Continue a abrir-se sem receio a seu confessor que, não tenho dívidas, é um santo sacerdote.

Continuamos a receber muitos noviços, vindos de todas as regiões. Após a fundação de Saint-Pol, fizemos mais duas, seria melhor dizer: arrancaram-nos Irmãos para dois estabelecimentos, Izieux e Les Roches-de-Condrieu.

Estou de saída para ir visitar o local que o município do Chambon nos oferece.Tivemos alguns doentes que, agora já estão curados ou em convalescença. O Irmão Peimen faleceu, vítima de varíola. Comunique a notícia ao Irmão Jean-Baptiste, para que faça cumprir o que prescreve a Regra.

Estamos também fazendo orações em favor da Missão da Oceânia, pelos membros da Sociedade que lá trabalham e para aqueles que tencionamos mandar para lá. Estamos em vésperas de mandar Irmãos para Bordéus. Nos estabelecimentos, como na casa mãe, tudo continua a caminhar como de costume.

Os inspetores das escolas departamentais em que estão nossos Irmãos não são hostis. Maria, nossa Boa Mãe, cuida muito bem de nós! Ela bem sabe que nós somos gente fraca, bem fraca para suportar uma luta.

Em Grenoble conseguimos cinco Diplomas: Irmão Denis, Antoine Régis, Gabriel, Prosper e Sylvestre. Não mandamos nenhum outro Irmão para prestar exames alhures.

O Irmão Jean-Chrisostôme continua doente, em perigo. Não esperamos que escape com vida. Reze por ele. Eu tenho dó de ver morrer; e quem não tem? Um meio de suavizar o último instante é pensar nele muitas vezes. Memorare novissima!...

Adeus, caríssimo Irmão Marie-Laurent, deixo-o entre os braços de Maria, nossa Boa Mãe.

Mil saudações ao caríssimo Irmão Diretor e ao Irmão Africain. Tenho a honra de ser todo seu nos Sagrados Corações de Jesus e de Maria,

Champagnat

P.S. Diga também ao caro Irmão Jean Baptiste que não poderemos mandar Irmãos, senão em 1841. Antes não. Não nos é possível, pois já temos compromissos demais.

250 – Ao Padre JEAN BREUIL, Pároco de Boen-sur-Lignon, Loire.


27 de abril de 1839.

Mais uma resposta em que o Padre Champagnat promete fazer tudo quanto depender dele, para mandar Irmãos, assim que for possível. Fórmula, podemos dizer, consagrada, que dá a entender quanto os filhos de Champagnat eram solicitados para a educação religiosa que se fazia necessária, após tantos anos de ruínas morais e espirituais acumuladas pela Revolução Francesa.

Foi em novembro de 1844 que três Irmãos abriram por primeiro as portas de uma escola marista em Boen-sur-Lignon, no Loire.

Prezado senhor Pároco,

Muito nos sensibiliza a confiança que o senhor e seus paroquianos manifestam para com nossa Sociedade. Os estabelecimentos que já prometemos fundar não nos permitem mandar Irmãos no ano próximo, mas faremos tudo o que depender de nós para fornecê-los no mais breve tempo possível.

Considero-me feliz de poder aproveitar desta ocasião para apresentar-lhe a homenagem de respeitoso devotamento, com que tenho a honra de ser...


251 – Ao Padre ANDRÉ DARNOND, Pároco de Saint-Pierre-de-Boeuf, Loire.


4 de maio de 1839.

O Padre André escreveu a 30 de setembro de 1841, portanto mais de dois anos e meio após a carta que vamos aqui ler, já quase desanimado de esperar sua vez de receber Irmãos para lecionarem na paróquia pela qual zelava.

Na carta dizia: "São seis anos que estou pedindo; já quase me falta a coragem."

A persistência do bondoso padre viu afinal suas esperanças satisfeitas em 1842. A escola dele sempre foi pobre, de muita luta e sacrifícios por parte dos Irmãos.

Senhor Pároco,

Reuni os Irmãos antigos de nossa casa e lhes expus a finalidade de sua viagem e as insistentes solicitações que me fez para conseguir Irmãos neste ano, tendo em vista as circunstâncias em que o senhor se encontra. Examinamos detidamente e calculamos se não haveria um meio de atender a seu pedido.

Um estabelecimento em Saint-Pierre-de-Boeuf nos conviria perfeitamente, pois que serviria como de centro para os que possuímos naquelas regiões e teríamos muito prazer em mandar Irmãos para um município em que a autoridade eclesiástica e a civil agem de acordo para favorecer esta boa obra.

Infelizmente, em vista dos estabelecimentos que já prometemos e o número de candidatos disponíveis, ser-nos-ia impossível prometer Irmãos para a próxima Festa de Todos os Santos.

Queira aceitar a expressão de meu pesar pela recusa e creia no total devotamento, pelo que tenho a honra de ser...


1   ...   81   82   83   84   85   86   87   88   ...   108


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal