Lien significa Treinar, Ch’i, energia, a consciência da auto percepção mental e corporal; práticas físicas que reúnem diversos estilos e escolas que desenvolvem controle do corpo e mente, visando a harmonia e saúde



Baixar 33.29 Kb.
Encontro29.07.2016
Tamanho33.29 Kb.
Lien Ch’i :
Lien significa Treinar, Ch’i, energia, a consciência da auto percepção mental e corporal; práticas físicas que reúnem diversos estilos e escolas que desenvolvem controle do corpo e mente, visando a harmonia e saúde. Lien Ch’i caracteriza pelos exercícios baseados em arte marcial e fundamentado em QiGong. Constituído de uma seqüência de oito movimentos realizados de forma leve e harmoniosa, como aquecimento; dezesseis de expansão realizada de forma vigorosa, aumentando a circulação sanguínea e Ch’i, finalmente quatro que enfoca a respiração, esta série de exercícios visa “ampliar” o circuito energético do organismo (meridianos) de forma que possa expandir a energia do praticante, harmonizar a mente e o corpo, dando equilíbrio e sensação de bem estar. O Lien Ch’i (exercício da energia) mais de mil e quinhentos anos de existência de origem da escola ShaoLin, está sendo difundido pelo médico acupunturista Dr. Jou Eel Jia, e que conta com a sua experiência e anos de prática na medicina tradicional chinesa e seu conhecimento em artes marcias, vêem a ser uma prática terapêutica corporal que englobar atividade física com exercícios de profilaxia. Este trabalho enfoca dois aspectos importantes o Qi (energia) e a respiração, que são fundamentais neste tipo de prática corporal terapêutica.


Qi Gong
Qi é energia (Ch’i), e ela é encontrada em todos os seres vivos. Todos os diferentes tipos de energia interagem entre si se modificando mutuamente. Na China a palavra "Gong" é freqüentemente usada no lugar do termo Gong Fu o qual significa Técnica, Esforço e Dedicação. Qualquer estudo ou treinamento que requeira muita energia e tempo para ser aplicado a qualquer técnica ou estudo especial desde que ela requeira tempo, energia e paciência.

Assim, a correta definição de Qi Gong é: "Qualquer treinamento ou estudo relativo ao qi que requeira um treino e muito esforço". Também o termo Gong separadamente quer dizer ciência ou estudo, e qi energia, o qi existe em tudo, desde as coisas maiores até as minúsculas. Desde que o campo do qi é tão vasto os chineses o dividiram em três categorias paralelas aos três poderes primordiais. Céu, Humanidade e Terra. De maneira geral o qi do céu é o maior e poderoso; este qi do céu contém o qi da Terra e dentro do qi da Terra vive o homem, que tem o seu próprio qi.

O povo chinês acredita que o qi humano é afetado e controlado pelo qi do céu e da Terra e que eles na verdade determina o seu destino.

A maioria das pesquisas de qi gong tem focalizado o qi humano. Muito aspecto diferente do qi humano tem sido pesquisado, incluindo acupuntura, manipulação e, tratamento com ervas (Fitoterapia), para ajustar o fluxo do qi humano, tornou-se a raiz da ciência médica chinesa.

A meditação e os exercícios respiratórios são amplamente utilizados pelo povo chinês para melhorar a saúde e até mesmo para curar certas doenças.

A meditação e os exercícios respiratórios de qi gong, servem para um papel adicional sendo utilizados por Taoístas e Budistas em sua busca espiritual para iluminação.




Histórico

A história chinesa do qi gong se divide em três períodos:

1. O primeiro período se relaciona com a introdução do I Ching, o Livro das Mutações do povo chinês antes do ano 2400 aC;

2. O segundo se relaciona com a introdução do Budismo, importado da Índia no ano 206 aC. , o que levou a prática da meditação unida às técnicas do qi gong, surgindo o nome de qi gong religioso.

3. O terceiro período se relaciona com o descobrimento da prática do qi gong com propósito marciais, na época da dinastia Liang (502 -557 dC.).

Após o ano 1911 da nossa era, com o final da dinastia Qing os treinos de qi gong, aparecem mesclados com práticas da Índia, Japão e outros países.

A pratica do qi gong foi durante muito tempo realizadas a portas fechadas, tanto as técnicas religiosas como marciais, eram ensinadas de Mestre a discípulo cuidadosamente escolhidos.

Após o ano 1911 sua prática entrou numa nova era em função do advento das comunicações e influências do ocidente.

Criaram-se numerosas técnicas e podemos vê-las florescendo na Coréia e Oriente Médio. No ocidente, o conhecimento começa agora a se difundir, com grandes resultados, pois a prática do qi gong em função de sua eficiência extrema vem de encontro a sua necessidade proeminente do Ocidental, que é a melhoria da saúde e principalmente a prevenção de enfermidades de todo tipo.

Atualmente, foram publicados diversos trabalhos de mapeamento do qi, cujo enfoque foi o rastro de calor, infravermelho de 7,8 µn, que existem no corpo humano.




Categorias de Qi gong

Existem quatro escolas maiores ou categorias que foram criadas pelos diferentes tipos de pessoas: os eruditos, os médicos, os artistas marciais e os monges.

Todos tinham sua categoria específica de qi gong.

O qi gong religioso foi dividido em estilo Budista, Taoísta e Tibetano.

A maior parte da filosofia Chinesa, é focalizada no estudo da natureza humana sentimentos e espírito como se destaca especialmente nos eruditos chineses e nos budistas também tibetanos das sociedades religiosas.

Os eruditos acreditavam que as maiores enfermidades eram causadas por desequilíbrio emocional e espiritual. Usavam a meditação para regular a mente e obter saúde.

Os budistas procuravam a independência espiritual e o supremo estágio da iluminação Búdica. Tantos foram capazes de atingir os mais altos níveis de meditação coisa que nenhum outro estilo na China conseguiu. Apesar de que estes dois grupos enfatizavam a meditação espiritual eles também utilizaram os exercícios físicos deixados pelo vigésimo oitavo patriarca zen Budista Bodhidharma, o Luo Han Shi Pa Shou (dezoito mãos de Luo Han).

O qi gong criado pelos médicos enfatizavam a saúde e a cura física, utilizando muitos exercícios corporais. Eles também confiavam profundamente na acupuntura, nas ervas para ajustar o qi (energia básica) que se tornava irregular em função das doenças.



A Escola dos Eruditos

A Escola dos Eruditos era formada pelos confucionistas e pelos taoístas.

Pregavam a lealdade, a piedade filial, a humanidade, a suavidade, a sinceridade, a justiça, a harmonia e a paz.

Seus precursores eram Confucius, Lao Tzu. Baseavam-se no Tao Te King e nos ensinamentos Budistas; que gradualmente começou a ser tratado como religião.

Eles acreditavam que muitas doenças são por excessos mentais e emocionais, esses desequilíbrios afetavam seus órgãos.

Por exemplo, a depressão pode causar úlceras estomacais e indigestão.

A raiva causa o mau funcionamento do fígado. A tristeza causa estagnação nos pulmões. O medo pode perturbar o funcionamento normal dos rins e da bexiga.

Eles perceberam que se você quer evitar doenças deve aprender a equilibrar e relaxar seus pensamentos e emoções.




A Escola dos médicos

Na antiga sociedade chinesa a maioria dos imperadores respeitava os eruditos e eram afetados por sua filosofia.

A medicina foi se aprimorando e seus conhecimentos passados as gerações posteriores.

Os médicos acreditavam que era preciso práticas de exercícios físicos, não se detendo sós às meditações estáticas.

Acreditavam que o corpo precisava mover-se, isto, circulava a energia pelo corpo.

Após profundas investigações os médicos, encontraram movimentos que poderiam ajudar a curar doenças particulares e também que as causas de muitas enfermidades era a falta e o desequilíbrio do qi, que, após longo tempo afetaria os órgãos físicos.

Em suma a escola dos médicos enfatiza exercícios de meditação em movimento (Tai jii Quan, Gong Fu, Lien Gong, Lien Ch’i, entre outros).

Tem como principal objetivo, a manutenção da saúde e a cura de doenças e os exercícios de qi gong eram apenas uma pequena parte da ciência médica chinesa sendo as ervas medicinais, acupuntura e a massagem; os maiores métodos de cura.



A Escola dos Artistas marciais (militares)

O qi gong chinês marcial ou militar, começou a ser desenvolvido no mosteiro Shao Lin durante a dinastia Liang (502-557d.c.) depois que o vigésimo oitavo patriarca Zen Bodhidharma ensinou os exercícios do clássico cambio muscular (Luo Han Shi PA Shou).

Quando os monges treinaram este qi gong perceberam que não apenas melhoravam sua saúde, mas também aumentava grandemente o poder de suas técnicas marciais, desde aí muitos estilos marciais desenvolveram conjuntos de qi gong para aumentar sua efetividade.

Dentro destas escolas existem duas linhas: a Wei Dan (yin qi gong) do elixir externo que enfatiza gerar o qi nos membros para coordenar-se as técnicas marciais usadas pelos soldados imperiais, gerando qi usando exercícios especiais, concentração da mente no decorrer da prática, isto lhes aumentava a força tanto para golpes recebidos como para projeta-los.

A outra escola e a Nei Dan (Yang qi gong) do elixir interno que enfatiza geração de qi no corpo independente dos membros, este qi é então levado aos membros para aumentar seu poder através de técnicas mentais, este sistema é usado nas escolas de Tai jii Quan principalmente na escola Yang.


Qi gong Budista Tibetano

O Tibet foi influenciado tanto pela Índia como pela China, mas seus milhares de anos de estudos e pesquisas levaram os Tibetanos a estabelecer seu único e próprio estilo de meditação.

A meditação qi gong tibetana a as artes marciais foram mantidas em segredo, por causa disto e da diferença de idioma existem poucos documentos sobre isto na China.

O qi gong Tibetano e as artes marciais, não fora ensinada na sociedade chinesa, até quase a dinastia Qing (1644 -1911).

Desde lá se tornaram mais populares.

Esta pratica respiratória é a mesma praticada na Índia sob o nome de Tantra Yoga Superior, e conhecida no Tibet sob o nome Tung Mo ou a ciência do controle das artes vitais.



Benefícios da prática do Lien Ch’i:
Saúde física:

  1. Excelente para aumentar o tônus muscular;

  2. Melhora a circulação sistêmica do sangue;

  3. Estimula a propriocepção e nocicepção;

  4. Estimula os circuitos cerebrais entre área 4, gânglios da base e ações cerebelares;

  5. Melhora a mobilidade do músculo diafragma;

  6. Aumenta a capacidade respiratória.


Saúde emocional:

  1. Proporciona tranqüilidade;

  2. Libera a estase de raiva;

  3. Melhora o controle emocional;

  4. Promove bem estar pessoal.


Atividade intelectual:

  1. Melhora o raciocínio lógico;

  2. Possibilita uma melhor memorização através da estimulação de novas vias neurais;

  3. Aumenta a concentração.


Socialização:

  1. Melhora o bem estar social;

  2. Aumenta a conscientização de si e seu meio;

  3. Contribui para estimular o espírito de companheirismo.


Disciplina:

  1. Promove uma organização das ações do dia–dia através do movimento;

  2. Estimula a perseverança;

  3. Aumenta a autoconfiança;

  4. Estimula o espírito de liderança.



Origem do ideograma chinês:

A caligrafia chinesa não só é uma ferramenta prática para viver o dia-a-dia; ela compreende, junto com a tradicional pintura chinesa, a mais importante corrente de arte da história da China. Todos os tipos de pessoas, de imperadores a camponeses, têm avidamente colecionado trabalhos de boa caligrafia. E os trabalhos caligráficos não são feitos em rolos de papel ou emoldurados para se manterem em um quarto ou em estudo; são encontrados em todos os lugares que você olha: em placas de lojas e edifícios comerciais e governamentais, em monumentos e em inscrições de pedra. Todos estes exemplos de caligrafia chinesa possuem supremo valor artístico. Hoje, como no passado, calígrafos são freqüentemente literato como também artistas. Seus trabalhos caligráficos podem incluir representações de seus próprios poemas, músicas, versos ou cartas; ou de seus mestres famosos. (A caligrafia pode trazer benefícios físicos e espirituais para o praticante e pode treinar a pessoa em disciplina, paciência, e persistência. Como resultado, muitos dos calígrafos da história da China tiveram vidas ricas e viveram por muito tempo).

Praticar caligrafia pode refinar até mesmo a personalidade de uma pessoa e mudar sua perspectiva na vida. É por estas razões que os estudiosos chineses atribuem tradicionalmente grande importância à caligrafia.

O ideograma ao lado representa a palavra Ch’i: gás, ar, respirar, cheira odor;



O ideograma ao lado representa a palavra Mi: Arroz.



O ideograma ao lado representa a palavra Ch’i que é a junção de Ch’i, ar ou respirar, com Mi, arroz, ou seja, os dois elementos essenciais para a vida. Então, podemos dizer que Ch’i significa: Energia Vital, energia da vida, espírito, essência, etc.



O ideograma ao lado representa a palavra Lien: Exercício, treinar, praticar, etc.



Então, Lien Ch’i significa: Exercitar, treinar, praticar a elevação do espírito, a energia vital ou energia da vida.


Bibliografia


HUAI, Chin Nan. TAO Transformação da Mente e do Corpo. São Paulo: Editora Pensamento, 1993; il.


JUNG, G.G.; WILHELM. O Segredo da Flor de Ouro - Tradução de Dora Ferreira da Silva e Maria Luíza Appy. 7ª ed. Rio de Janeiro: Vozes, 1992.
LI, Ding. O Qi Gong Meridiano - Transporte da Energia pelo Meridiano. São Paulo: Editora Ícone, 1987; IL.
LIMA, Luzia Mara Silva. Caminhando para uma nova (?) consciência: uma experiência de introdução da Arte Marcial na Educação/ Luzia Mara Silva Lima. – Campinas, SP : [s.n.], 1999.
LIMA, Luzia Mara Silva. O Tao da Educação: a filosofia oriental na escola ocidental / Luzia Mara Silva Lima. São Paulo: Agora, 2000.
LIN, Hou Sheng. Qi Gong Xue -Tradução Evelyn Wu. Tai bei: Lin Yü Wen Hua Shi Ye You Xian Gong Si, 1997.
MACIOCIA, Giovanni. A Prática da Medicina Chinesa Tratamento de Doenças com Acupuntura e Ervas Chinesas. São Paulo: Editora Roca, 1996; il.
WANG, Hong Yuan. The Origins of Chinese Characters. Beijing: Sinolingua, 1994.
WU, Jyh Cherng. A Alquimia do Movimento. 4ª ed. Rio de Janeiro: Mauad, 1998; il.
YUDELOVE, Eric Steven. 100 Dias para Melhorar a Saúde, a Atividade Sexual e ter Vida Longa. São Paulo: Editora Érica, 1999; il.




©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal