Linha de pesquisa: administraçÃo geral e recursos humanos (adm) CURSO MESTRADO-DOUTORADO EM administraçÃo de empresas (cm-cdae) disciplina teoria das organizaçÕes professor carlos osmar bertero semestre/ano: 2º/2008 objetivo



Baixar 14.4 Kb.
Encontro25.07.2016
Tamanho14.4 Kb.




LINHA DE PESQUISA: ADMINISTRAÇÃO GERAL E RECURSOS HUMANOS (ADM)

CURSO ......: MESTRADO-DOUTORADO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS (CM-CDAE)

DISCIPLINA.................: TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES

PROFESSOR ......: CARLOS OSMAR BERTERO

SEMESTRE/ANO: 2º/2008

OBJETIVO

O curso opta por apresentar o desenvolvimento dos Estudos Organizacionais a partir de uma categorização teórica, ou seja, segundo as principais tendências, escolas ou grupos de teorias que se desenvolveram ao longo da breve, mas fecunda história do campo. Esta abordagem se justifica devido à diversidade teórica encontrada. Na verdade os Estudos Organizacionais têm utilizado referenciais teóricos de diversas ciências sociais e de diversas perspectivas no interior de cada uma das ciências socais. Portanto a probidade intelectual demanda que se apresentem aos iniciantes o leque de abordagens possíveis.



METODOLOGIA

O curso se apoiará na leitura de textos escolhidos e que podem ser encontrados na bibliografia. Espera-se que estes textos sejam lidos previamente a fim de conferir ao curso um caráter dinâmico de seminário. A forma de seminário é altamente participativa se as pessoas se prepararem adequada e previamente. Os participantes serão convidados a fazer apresentações e ao final do curso deverão apresentar um trabalho de final de curso.

O trabalho é livre em sua forma. Poderá basear-se em pesquisa de campo ou em revisão de tópicos específicos cobertos durante o curso. O limite para tais trabalhos será de 10 páginas digitadas em espaço de 1.5 e em tamanho 12 e deverá ser apresentado no dia do exame final.

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO

Nota 1: Participação 25%

Nota 2: Apresentação de seminários 30%

Nota 3: Trabalho final do curso 45%


CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

1. Teoria das Organizações Delimitação do Campo Organizacional

1.1. Organizações – Níveis de análise e dimensões de estudo

1.2. As principais tradições de pesquisa em Teoria Organizacional

1.3. Teoria organizacional – esquemas seriais (por escolas) e não seriais (paradigmas e metáforas)



2. Perspectivas Funcionalistas em Teoria das Organizações

2.1. Paradigma funcionalista: origens, influências e conceitos

2.2. Funcionalismo clássico

2.3. Funcionalismo contemporâneo

Teorias Sistêmicas de Organização – Neocontingencialismo (Donalson; Danny Miller [T da Configuração], etc.)

3. Perspectivas interpretacionistas em Teoria das Organizações

3.1. Interpretacionismo – origens e precursores

3.2. Teorias organizacionais interpretacionistas – cultura organizacional

3.3. Teorias organizacionais interpretacionistas – simbolismo organizacional (Pondy, Frost, Geertz, Weick etc.)



4. Perspectivas críticas em Teoria das Organizações

4.1. Perspectiva crítica: origens, influências e conceitos-chave

4.2. Controle e ideologia

4.3. Organizações como instrumentos de dominação



    1. Teoria Anti-Organizações (Burrell & Morgan Cap. 09 – Anti-Organization Theory)

5. Reflexões e perspectivas

5.1. Teoria Organizacional no Brasil

5.2. Crítica do ensino de Teoria Organizacional tradicional e perspectivas futuras
BIBLIOGRAFIA – dE LEITURA OBRIGATÓRIA

TÓPICO 1

HATCH, Mary Jo, Organization Theory: Modern, Symbolic and Post modern Perspectives. New York, Oxford University Press, 1997. Capítulos 1 e 2.

REED, Michael , “Teorização Organizacional: Um campo historicamente contestado” in Clegg, Hardy e Nord, Handbook de Estudos Organizacionais. São Paulo, Atlas, 1999. Capítulo 1.

BURREL, Gibson, “Ciência Normal, Paradigmas, metáforas, discursos e genealogia da análise” in Handbook de Estudos Organizacionais. São Paulo, Atlas, 1999, Capítulo 17.



TÓPICO 2

MOORE, Wilbert E. “O Funcionalismo” in Bottmore, Tom e Robert Nisbet ( orgs.), História da Análise Sociológica. Rio de Janeiro, Zahar Editores,. 1980, pp. 421-474.

DONALDSON, Lex, “Teoria da Contingência Estrutural” in Handbook de Estudos Organizacionais, São Paulo, Atlas, 1999, vol. 1, Capítulo 3.

TOLBERT, Pamela S. e Lynne G. ZUCKER, “A Institucionalização da Teoria Institucional” in Handbook de Estudos Organizacionais. São Paulo, Atlas, 1999, capítulo 6.

BAUM, Joel A.C., “Ecologia Organizacional” in Handbook de Estudos Organizacionais. São Paulo, Atlas, 1999. Capítulo 5.

BARNEY, Jay B. e William HESTERLY, “Economia das Organizações: Entendendo a Relação Entre as Organizações e a Análise Econômica in Handbook de Estudos Organizacionais”. São Paulo, Atlas, 2004, volume 3, capítulo 5.



TÓPICO 3

WOLFF, Kurt, “Fenomenologia e Sociologia” in Bottomore, Tom e Robert Nisbet (orgs.), História da Análise Sociológica. Rio de Janeiro, Zahar Editores, 1980, pp. 650-726.

Hatch, Mary Jo e Dvora YANOW, “ Organization Theory as an Interpretive Science” in Tsoukas, Haridimos e Christian KNUDSEN (orgs.), The Oxford Handbook of Organization Theory- Meta Theoretical Perspectives. New York, Oxford University Press, 2003, capítulo 2.

TÓPICO 4

WILLMOTT, Hugh, “Organization Theory as a Critical Science?” in Tsoukas, Haridimos e Christian Knudsen (orgs.), The Oxford Handbook of Organization Theory, New York, The Oxford University Press, 2003, chapter 3.

STARBUCK, William H, “The Origins of Organization Theory” in Tsoukas, Haridimos e Christian Knudsen (orgs.), The Oxford Handbook of Organization Theory. New York, The Oxford University Press, 2003. Capítulo 5.

KUNDA, Gideon e Galit AILON-SOUDAY, “Managers, Markets and Ideologies- Design and Devotion Revisited” in Ackroyd, Stephen e Rosemary Batt, Paul Thompson e Pamela S. Tolbert (orgs.), The Oxford Handbook of Work and Organization. New York, The Oxford University Press, 2006. Capítulo 8.



TÓPICO 5

BERTERO, Carlos Osmar, Miguel Pinto CALDAS e Thomaz WOOD JR. (orgs.), Produção Científica em Administração no Brasil. São Paulo, Atlas, 2005. Capítulos 3,4 e 5.



BIBIOGRAFIA ADICIONAL

BOLMAN, LEE G. and TERENCE E. DEAL, Reframing Organizations-Artistry, Choice and Leadership. San Francisco, CA. Jossey Bass, 2003.

CHILD, JOHN, Organizations-Contemporary Principles and Practice. London, Blackwell Publishing, 2005.

CLEGG, S.R., MARTIN KORNBERGER & TYRONE PITSIS, Managing and Organizations: An Intrioduction to Theory and Practice. London, Sage Publications, 2005.

MORGAN, G. (1980) “Paradigms, Metaphors, and Puzzle Solving in Organization Theory.” Administrative Science Quarterly 25, 605-622.

WOOD Jr, T. (2001) “Organizações Espetaculares”. Rio de Janeiro: Editora FGV.



WOOD Jr., T. & CALDAS, M. P. “Adopting Imported Managerial Expertise in Developing Countries: The Brazilian Experience.” Academy of Management Executive, 16(2): 18-32.




Catálogo: sites -> cmcd.fgv.br -> files -> file
file -> Departamento : Gestão Pública (gep) Curso
file -> Professora : marta ferreira santos farah
file -> Cursos: cma / cda
file -> Cursos : mestrado e doutorado em administraçÃo de empresas (cmcd-cdae)
file -> 1° Semestre de 2013 Horário: quartas-feiras, das 16 às 18: 50 horas. Ementa
file -> Curso: cda / cma disciplina: organizaçÕes pós-industriais: uma abordagem cinematográfica professor
file -> Cursos: mestrado e doutorado em administraçÃo de empresas
file -> Curso: Mestrado e Doutorado em Administração Pública e Governo Disciplina: o conceito de Burocracia: Teorias e História Professor: Fernando Luiz Abrucio Ementa
file -> Cursos : mestrado e doutorado em administraçÃo de empresas (cmcd-ae)
file -> Departamento administraçÃo geral e recursos humanos (adm) Curso mestrado / DOUTORADO EM administraçÃo disciplina informaçÕes em saúde e epidemiologia gerencial professor Álvaro escrivão junior período manhã Semestre. 1º: /2007 programa


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal