LÍngua portuguesa e literatura brasileira



Baixar 78.38 Kb.
Encontro28.07.2016
Tamanho78.38 Kb.
LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA

BRASILEIRA
TEXTO 1

........................................................................


 Minha vida é monótona. Eu caço as gali-nhas e os homens me caçam. Todas as galinhas se parecem e todos os homens se parecem também. E por isso eu me aborreço um pouco. Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol. Conhecerei um barulho de passo que será diferente dos outros. Os outros passos me fazem entrar debaixo da terra. O teu me chamará para fora da toca, como se fosse música. E depois, olha! Vês, lá longe, os campos de trigo? Eu não como pão. O trigo para mim é inútil. Os campos de trigo não me lembram coisa alguma. E isso é triste! Mas tu tens cabelos cor de ouro. Então será maravilhoso quando me tiveres cativado. O trigo, que é dourado, fará lembrar-me de ti. E eu amarei o barulho do vento no trigo...

A raposa calou-se e considerou por muito tempo o príncipe:

 Por favor... cativa-me! disse ela.

 Eu até gostaria, disse o principezinho, mas eu não tenho muito tempo. Tenho amigos a descobrir e muitas coisas a conhecer.

 A gente só conhece bem as coisas que cativou, disse a raposa. Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm mais amigos. Se tu queres um amigo, cativa-me!

 Que é preciso fazer? perguntou o princi-pezinho.

 É preciso ser paciente, respondeu a ra-posa.

........................................................................


 Adeus, disse ele...

 Adeus, disse a raposa. Eis o meu segre-do. É muito simples: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos.

 O essencial é invisível aos olhos, repetiu o principezinho, a fim de se lembrar.

 Foi o tempo que perdeste com tua rosa que fez tua rosa tão importante.

 Foi o tempo que eu perdi com a minha rosa... repetiu o principezinho, a fim de se lembrar.

 Os homens esqueceram essa verdade, disse a raposa. Mas tu não a deves esquecer. Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas. Tu és responsável pela rosa...

SAINT-EXUPÉRY, Antoine. O Pequeno Príncipe.

Tradução de D. Marcos Barbosa, 48a ed.,


2000. p. 68-74.

Homenagem da UFSC ao escritor, nos 100 anos

de seu nascimento, e

à criança que toda pessoa grande já foi um dia”.





13) Baseado no Texto 1, assinale a(s) proposi-ção(ões) VERDADEIRA(S):
01. O excerto é retirado do livro O Pequeno Príncipe, e retrata o diálogo entre o principezinho, a raposa e a rosa.

02. O termo destacado em O trigo para mim é inútil pode ser substituído por não tem utili-dade, desnecessário.

04. Ao despedir-se do principezinho, a raposa reco-menda-lhe ter sempre um segredo, pois isso faz bem ao coração.

08. A raposa faz uma comparação entre o dourado do trigo e a cor dos cabelos do principezinho.

16. O termo cativar, que aparece repetidamente no texto, tem o sentido de tornar(-se) cativo; pren- der(-se).

32. A raposa declarou Minha vida é monótona. A palavra monótona, neste contexto, pode ser substituída por enfadonha, fastidiosa, mes-mice.

64. No trecho ... como se fosse música, é estabe-lecida uma comparação entre o efeito ocasiona-do pelos passos e o provocado pela chuva nos campos de trigo.


Gabarito: 42 (02 + 08 + 32)

Número de acertos: 3.554 (33,92%)

Grau de dificuldade previsto: Fácil

Grau de dificuldade obtido: Médio
ANÁLISE DA QUESTÃO:
A questão 13 objetiva medir o grau de compreensão, conhecimento e análise do Texto 1.

Essa questão foi considerada fácil pela Banca elaboradora da Prova de Língua Portuguesa e Litera-tura Brasileira, mas os candidatos a consideraram com grau de dificuldade médio.

A questão 13 apresenta sete proposições, das quais três são verdadeiras: 02, 08 e 32. A maior incidência de acerto, com o percentual de 33,92%, foi com o gabarito correto, isto é, 42. Houve 15,86% de candidatos que atribuíram pontuação 10 à questão, deixando de assinalar a proposição 32. Outros, 11,57%, atribuíram pontuação 58, assinalando, inde-vidamente, a proposição 16.

Pela análise empreendida, a Banca conclui que a dificuldade dos candidatos não está relacionada diretamente com a compreensão do Texto dado, mas sim, com a falta de conhecimento de vocabulário da língua portuguesa. À questão da sinonímia, proposi-ções 16 e 32, foi atribuído o não acerto integral da questão.

Considerando os acertos parciais 24,42%, o percentual da questão 13 alcança 58,64%, próximo ao previsto pela Banca elaboradora da prova.


14) Com relação ao Texto 1, é CORRETO afirmar que:
01. A afirmação de que os homens compram tudo prontinho nas lojas é uma crítica sobre a falta de sentimento e de tempo do homem para consigo próprio e para com os outros.

02. A frase mas tu não a deves esquecer, pode ser substituída por mas tu não deves esquecer essa verdade.

04. Em O essencial é invisível aos olhos, o termo em destaque funciona como complemento nomi-nal.

08. No primeiro parágrafo do texto, há predominân-cia de períodos compostos por subordinação.

16. É possível estabelecer um paralelo em que Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas está para insubstancialidade, assim como Eu caço as galinhas e os homens me caçam está para material.

32. O principezinho pede à raposa para cativá-lo, pois ele tem necessidade de fazer amigos.

64. O principezinho não atendeu ao apelo de cativar da raposa, porque não dispunha de tempo e já possuía muitos amigos.


Gabarito: 23 (01 + 02 + 04 + 16)

Número de acertos: 637 (6,08%)

Grau de dificuldade previsto: Médio

Grau de dificuldade obtido: Difícil
ANÁLISE DA QUESTÃO:
A questão 14, a exemplo da 13, visa medir o grau de compreensão, conhecimento e análise do Texto 1. Seu grau de dificuldade foi considerado médio pela Banca.

Essa questão possui sete proposições, das quais as corretas são 01, 02, 04 e 16, com somatório 23.

O índice de facilidade ficou aquém do previs-to, sendo considerada difícil pelos candidatos. Ape-nas 6,08% dos vestibulandos assinalaram correta-mente a questão, enquanto 18,32% apresentaram somatório 03 e 13,10%, 07.

Pela análise empreendida, observa-se a difi-culdade encontrada nas proposições que enfocam a sintaxe (08) e vocabulário considerado mais culto, como é o caso da proposição 16. Enfatiza-se, aqui, a necessidade de os professores de Ensino Médio insis-tirem na leitura de bons autores, para ampliação de vocabulário e construção de parágrafos.

Os acertos parciais foram bastante significa-tivos nas proposições coretas 01, 02 e 04.



TEXTO 2
“Aqui estou de novo. Feliz por este momento. Eu estava muito nervoso no final do jogo. Foi aqui que eu apareci pela primeira vez, para ganhar o


meu primeiro torneio em 97. Foi aqui que meus sonhos começaram a se tornar realidade. Não
achei que pudesse voltar aqui e vencer,” disse Guga com o microfone na mão. “Também gostaria de parabenizar o Norman. Nós dois merecíamos estar aqui hoje.”

KUERTEN, Gustavo, no discurso após


a vitória de Roland Garros, Paris,
França, 11/06/2000.

TEXTO 3


www.zedassilva.com.br
Diário Catarinense, 12/05/2000
15) Assinale a(s) proposição(ões) VERDADEIRA(S):
01. Em A gente conhece bem as coisas..., e também gostaria de parabenizar o Norman as palavras destacadas classificam-se, morfolo-gicamente, como conjunção.

02. A forma verbal Conhecerei, (Texto 1) possui sujeito elíptico de primeira pessoa do singular.

04. Com a expressão Feliz por este momento (Texto 2), o tenista catarinense está se referindo à felicidade de retornar ao Brasil.

08. Quanto ao processo de formação, as palavras microfone, sonhos, torneio e nervoso são primitivas.

16. Em ambas as frases: O campo de tênis é imenso e O campo de tênis imenso está lota-do, o adjetivo imenso é um termo acessório.

32. Na expressão Por favor ... cativa-me!, o pro-nome átono está proclítico.

64. Há alguns verbos que possuem duas ou mais formas de Particípio, como ganhar (ganhado, ganho), prender (prendido, preso), exprimir (exprimido, expresso).



Gabarito: 66 (02 + 64)

Número de acertos: 1.723 (16,45%)

Grau de dificuldade previsto: Fácil

Grau de dificuldade obtido: Difícil


ANÁLISE DA QUESTÃO:
A questão 15 visa ao conhecimento e com-preensão dos Textos 2 e 3, bem como medir o conhecimento da língua portuguesa.

Essa questão apresenta sete proposições, das quais a 02 e a 64 são corretas: o gabarito, portanto, é 66.

Dos candidatos que fizeram a Prova 2/F, aqui analisada, 16,45% assinalaram corretamente a ques-tão, mas 15,75% tiveram acerto parcial, assinalando, apenas, a 02.

Observando a proposição 64, que enfoca ver-bos de corrente uso na língua, a Banca atribui o não assinalamento da proposição, por desconhecimento da nomenclatura verbal aí exigida.

A questão analisada, considerada fácil pela Banca, na verdade apresentou índice de dificuldade difícil, pelo espalhamento das respostas em outras proposições.

16) A propósito do Texto 2 e do Texto 3 (charge), é CORRETO afirmar que:
01. No texto 2, subjaz a idéia de que Guga está feliz por obter, pela primeira vez, o título de campeão em Roland Garros.

02. Enquanto o texto 2 procura mostrar o momento feliz de Guga com a vitória, a charge leva o leitor a supor que a descontração do tenista é devida ao resultado final do torneio.

04. A charge procura induzir o leitor de que Guga está cansado de jogar tênis.

08. A utilização do advérbio aqui, repetidamente, no Texto 2, evidencia a importância que Gustavo Kuerten dá ao torneio de Roland Garros.

16. No segmento Nós dois merecíamos estar aqui hoje, Guga se refere a ele próprio e a seu técnico.

32. Os Textos 2 e 3 fazem restrição a outras moda-lidades desportivas.




Gabarito: ANULADA.

Número de acertos: --

Grau de dificuldade previsto: --

Grau de dificuldade obtido: --
ANÁLISE DA QUESTÃO:
A questão 16 foi anulada devido à data incorreta do Texto 3: 12/05/2000 no lugar de 12/06/2000. O número de acerto dessa questão foi 30,22%; considerando 21% dos acertos parciais, foi uma questão fácil.


17) Assinale a(s) proposição(ões) VERDADEIRA(S):
01. A frase O mundo é uma bola apresenta uma metáfora.

02. Em Guga, com seus cabelos cacheados e raquete na mão, tornou-se o símbolo do Brasil em todo o mundo há 3 palavras trissílabas, 2 dígrafos e 1 encontro consonantal.

04. A frase São estes jestos que fazem de Guga um gigante de 1 mt e 92 cms, do ponto de vista do sistema ortográfico vigente, está correta.

08. Em Eu estava nervoso no final do jogo, a palavra em destaque é um predicativo do sujeito.

16. A frase O trigo, que é dourado, fará lembrar-me de ti pode ser reescrita como O trigo, que é dourado, fará lembrar de ti.


Gabarito: 09 (01 + 08)

Número de acertos: 3.419 (32,64%)

Grau de dificuldade previsto: Médio

Grau de dificuldade obtido: Médio
ANÁLISE DA QUESTÃO:
A questão 17 enfoca conteúdo gramatical aplicado ao Texto. Foi considerada com grau de dificuldade médio pela Banca e os resultados foram os esperados.

Com cinco proposições, das quais 01 e 08 são as corretas – somatório 09 –, 32,64% assinalaram corretamente a questão; o fato de 793 candidatos apontarem como certa a proposição 04 “A frase São estes jestos que fazem de Guga um gigante de 1 mt e 92 cms, do ponto de vista do sistema ortográfico vigente, está correta”., demonstra a falta de domínio desses vestibulandos na questão da ortografia da língua portuguesa, inconcebível para aqueles que se habilitam a uma vaga na Universidade.




18) Observe o período abaixo e assinale a(s) propo-sição(ões) em que ele foi reescrito CORRETA-MENTE.

Os homens esqueceram essa verdade, disse a raposa. Mas tu não a deves esquecer. Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.


01.  Os homens esqueceram dessa verdade, disse a raposa. Mas tu não a deves esquecer. Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.

02.  Os homens esqueceram essa verdade, disse a raposa. Mas tu não deves esquecê-la. Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.

04. Disse a raposa:  Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas. Os homens esqueceram essa verdade, mas tu não a deves esquecer.

08.  Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que você cativa. Os homens esqueceram-se essa verdade, disse a raposa. Mas tu não a deves esquecer.

16.  Os homens esqueceram essa verdade: tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas, disse a raposa. Mas tu não a deves esquecê-la.


Gabarito: 06 (02 + 04)

Número de acertos: 2.724 (26,00%)

Grau de dificuldade previsto: Difícil

Grau de dificuldade obtido: Médio
ANÁLISE DA QUESTÃO:
A questão 18 apresenta conteúdo gramatical sobre a reestruturação do Texto, e, por isso mesmo, foi considerada difícil pela Banca.

Essa questão envolveu regência, pontuação, pronominalização e exigia do vestibulando conheci-mentos específicos do conteúdo gramatical.

As proposições corretas foram as mais assi-naladas, com 26%, seguidas da 02, com 14,60%; 3.582 vestibulandos marcaram a proposição 01, por desconhecerem, com certeza, a regência do verbo esquecer, confundindo com a do verbo pronominal, esquecer-se.

Considerando os acertos parciais, há 50% de assinalamentos corretos.



19) Assinale a(s) proposição(ões) VERDADEIRA(S):
01. Em Mas se tu me cativas... o verbo cativar classifica-se como transitivo direto.

02. Em ... só se vê bem e os homens não têm mais tempo, o acento nos verbos ver e ter é justificado pela mesma regra de acentuação gráfica.

04. Os verbos lembrar e esquecer, ao contrário de lembrar-se e esquecer-se, não são regidos por preposição.

08. Em Por favor ... cativa-me!, o modo verbal é o Imperativo.

16. No trecho ... começaram a se tornar realidade, o verbo começaram apresenta a seguinte estrutura: |começ-| radical, |-a-| vogal temática, |começa-| tema, |-ra-| desinência modo-tem-poral e |-m| desinência número-pessoal.

32. Em O trigo, que é dourado, fará com que eu me lembre de ti, a vírgula é utilizada para isolar o sujeito do verbo.




Gabarito: 29 (01 + 04 + 08 + 16)

Número de acertos: 548 (5,23%)

Grau de dificuldade previsto: Difícil

Grau de dificuldade obtido: Dificil

ANÁLISE DA QUESTÃO:
A questão 19 abrange conteúdos de acentua-ção gráfica, sintaxe, regência, modo verbal, estrutura das palavras e pontuação, e foi considerada difícil pela Banca.

Como previsto, a questão revelou-se difícil, pois exigia do candidato conhecimentos sobre vários conteúdos do programa.

As proposições corretas, 01, 04, 08 e 16 foram as mais assinaladas, mas a dispersão foi bastante grande. O índice de facilidade foi de apenas 5,23%, e a maior concentração deu-se com soma-tórios 24 e 25, deixando os candidatos de assinala-rem a proposição 08.

Analisando tais proposições, a Banca obser-vou que muitas proposições corretas dificultam o raciocínio do candidato, pois a maioria assinalou uma média de apenas 2 proposições, favorecendo o acerto parcial.

A proposição 02, falsa, teve 2.817 assinala-mentos, o que revela a dificuldade no conteúdo de acentuação gráfica, mormente no acento diferencial, estudado nos programas de Ensino Médio e Funda-mental.

20) Com relação ao fragmento O principezinho, que me fazia milhares de perguntas, parecia nunca escutar as minhas. Palavras pronunciadas ao acaso é que foram, pouco a pouco, revelando sua história., é CORRETO afirmar que:
01. Em pouco a pouco não se justifica o uso da crase, pois são palavras repetidas e também pertencem ao gênero masculino.

02. O grau normal de principezinho é príncipe, de livrinho é livro e de ilhota é ilhéu.

04. No trecho Palavras pronunciadas ao acaso é que foram... a expressão destacada, é que, é considerada uma partícula expletiva.

08. Em ...foram, pouco a pouco, revelando sua história, os termos em destaque constituem uma locução verbal.




Gabarito: 13 (01 + 04 + 08)

Número de acertos: 929 (8,88%)

Grau de dificuldade previsto: Médio

Grau de dificuldade obtido: Difícil
ANÁLISE DA QUESTÃO:
Essa questão envolveu conteúdos sobre crase, grau do substantivo, sintaxe e locução verbal. Foi considerada de compreensão média pela Banca, e difícil, pelos candidatos, com 8,88% de acerto.

As proposições corretas, 01, 04 e 08, foram marcadas parcialmente, observando-se maior concen-tração nas proposições 01 e 08, com 30,89%.


A proposição 04 “No trecho Palavras pro-nunciadas ao acaso é que foram... a expressão des-tacada, é que, é considerada uma partícula expleti-va.”, que trata da sintaxe, deixou, a exemplo de outras questões, de ser apontada como correta, o que corrobora a necessidade de enfatizar os estudos nessa parte da gramática e na leitura, pois o desconhe-cimento sobre o termo expletivo (desnecessário, redundante) acarretou o seu não assinalamento.

21) Marque a(s) proposição(ões) VERDADEIRA(S):
01. O trecho Um baque brusco do portão. Uma volta sem cuidado da chave. A porta que se abre com força, arrastando. Mas um breve silên-cio, como que uma suspensão... Depois, ele ouve que lhe despejam (o leiteiro tinha, tinha ameaçado cortar-lhe o leite...) que lhe despejam festivamente o leite. faz parte da obra de Dyonelio Machado, Os Ratos, cuja personagem principal é Naziazeno Barbosa.

02. Nos versos abaixo, de Carlos Drummond de Andrade, há aliteração: trintignant / trinta trinchantes / trinca nos troncos / tranca no trinco / tranco sonoro / Adoro! / diz num trinado / trêfega trintona.

04. A segunda parte do livro Um Lugar ao Sol, passa-se em uma pensão, cuja dona, Anneliese, é apaixonada por Vasco, um conde revolucio-nário.

08. Em Memórias de um Sargento de Milícias, de Manuel Antônio de Almeida, a vida carioca é retratada com vivacidade, de maneira biográfica, enfocando a época, hábitos e costumes de D. Maria I.

16. O predomínio do sonho é uma das caracterís-ticas dos poemas do poeta catarinense Cruz e Sousa, como se pode constatar nos versos de Enigma: Faço e ninguém me responde / esta perguntinha à –toa: / Como pode o peixe vivo / morrer dentro da Lagoa?


Gabarito: 03 (01 + 02)

Número de acertos: 2.697 (25,75%)

Grau de dificuldade previsto: Médio

Grau de dificuldade obtido: Médio
ANÁLISE DA QUESTÃO:
A questão 21, que abordou os livros de literatura indicados ao Concurso Vestibular, enfo-cando obras e autores, foi considerada com grau de dificuldade médio pela Banca, e corroborada pelos vestibulandos.

As proposições corretas, 01 e 02, foram as-sinaladas por 25,75% dos candidatos e 12% obtiveram acerto parcial na questão.

A proposição 16, incorreta, foi marcada por 4.210 candidatos que fizeram a prova 2/F; isto signi-fica que houve pouca atenção na leitura dessa
proposição, pois a segunda parte da mesma, que trata
de uma quadrinha popular, nada tem a ver com as características da poesia de Cruz e Sousa. Atenção, portanto, é essencial!


22) Em qual(is) proposição(ões) a relação texto, obra e autor está CORRETA?
01. O trecho Luisinha e Leonardo haviam reatado o antigo namoro; e quem quiser ver coisa de andar depressa é namoro de viúva pertence à obra Memórias de um Sargento de Milícias, de Manoel Antônio de Almeida.

02. O fragmento Desde dezoito anos que o tal pa-triotismo lhe absorvia e por ele fizera a tolice de estudar inutilidades. (...) Lembrou-se das suas cousas de tupi, do folk-lore, das suas tentativas agrícolas... refere-se à obra Triste Fim de Policarpo Quaresma, de Lima Barreto.

04. Vasco não tirava os olhos do defunto. Sentia os pés presos ao chão, como se tivessem raízes naquele soalho secular do casarão dos Albu-querques. Tinha vontade de gritar:

João de Deus! João de Deus! Levanta, homem, não vês que assim transtornas tudo, fazes a tua filha sofrer? refere-se à obra Um Lugar ao Sol, de Érico Veríssimo.

08. O trecho Quando Alexandre viu que o susto ia passando, começou a mostrar tudo quanto é cor que o Pavão tinha. Alisava as penas devagar, dizendo que elas eram que nem seda. Seda era coisa que quase ninguém por ali conhecia pertence à obra A Casa da Madrinha, de Deonísio da Silva.

16. O fragmento O traficante pensou em Cenoura, ele poderia matar Mané Galinha na escama, pressupondo que Galinha conhecesse todo mundo de sua quadrilha e, como Sandro morava Lá em Cima, naturalmente Galinha não descon-fiaria dele. faz parte da obra Cidade de Deus, de Machado de Assis.

32. Nos versos de Broquéis, Cruz e Sousa utiliza partes do corpo humano como personagens em Braços nervosos / Tentadores serpes / que prendem, tetanizam com os herpes / dos delírios na trêmula coorte.



Gabarito: 39 (01 + 02 + 04 + 32)

Número de acertos: 1.136 (10,85%)

Grau de dificuldade previsto: Médio

Grau de dificuldade obtido: Difícil
ANÁLISE DA QUESTÃO:
Para assinalar corretamente a questão 22, os candidatos deveriam apontar as proposições 01, 02, 04 e 32 como corretas, com grau de dificuldade médio, na avaliação da Banca.

A proposição 32, que trata sobre o excerto de um poema de Cruz e Sousa, a exemplo da questão 21, foi difícil para os vestibulandos que fizeram a prova 2/F.

Apesar de os livros desse autor serem indica-dos todos os anos pela COPERVE, por ser o escritor simbolista de maior expressão do Brasil, parece que os professores e os alunos não lhe dão a devida atenção.

Houve grande espalhamento nas respostas, e apenas 10,85% assinalaram corretamente a questão, e 18,91%, obtiveram acerto parcial, deixando, como comentado acima, de assinalar a proposição 32.




23) Assinale a(s) proposição(ões) VERDADEIRA(S):
01. O trecho ... e daí a um mês manifestaram-se claramente os efeitos da pisadela e do beliscão; sete meses depois teve a Maria um filho (...) é o herói desta história. apresenta características do estilo Naturalista ao qual esta obra, Memórias de um Sargento de Milícias, pertence.

02. No Realismo, o autor preocupa-se em retratar a realidade como ela é, sem transformá-la, ba- seando-se na documentação e observação do real.

04. O homem é produto do meio, isto é, a raça, o clima, o temperamento e a educação são fatores naturais da conduta humana; esta afirmação caracteriza o estilo de época denominado Romantismo.

08. A expressão do nacionalismo, a idealização do índio e da figura feminina, como também a aná-lise crítica e científica dos fenômenos da so- ciedade brasileira determinam o estilo lite- rário – Realismo.

16. Enquanto no Romantismo a expressão da poesia se fortaleceu em três gerações – nacionalista e indianista; saudosista e mal-do-século; social e condoreira, respectivamente, no Realismo-Naturalismo, a poesia apresenta-se comprome-tida com a busca de perfeição técnica da obra de arte. Esta estética, denominada de Parnasianis-mo, preocupou-se com o ideal da arte pela arte, em detrimento da realidade exterior.


Gabarito: 18 (02 + 16)

Número de acertos: 2.555 (24,40%)

Grau de dificuldade previsto: Difícil

Grau de dificuldade obtido: Médio
ANÁLISE DA QUESTÃO:
A questão 23 abrangeu conhecimentos sobre questões teóricas de literatura brasileira, relacionan-do-as com estilos de época. Apresentou cinco propo-sições, das quais duas são verdadeiras: 02 e 16.

Esse tipo de questão propicia ao candidato, que leu as obras e estudou a parte teórica do programa, obter um bom índice de acerto.

Dos candidatos que fizeram esse tipo de prova, 24,40% obtiveram somatório 18, o que está correto; outros, 15,18%, assinalaram apenas a propo-sição 02, deixando de lado a 16, por falta de conheci-mento do conteúdo exigido: estilos de época.

Muito embora a maioria das questões aborde a leitura dos livros indicados, a parte teórica, princi-palmente a que se refere à contextualização de espaço e características, deve ser acentuada no Ensino Médio, pois mostrou-se deficiente na análise feita.



24) Assinale a(s) proposição(ões) VERDADEIRA(S) sobre o romance Quincas Borba, de Machado de Assis:
01. É um romance narrado em terceira pessoa, que analisa a desagregação psicológica e financeira do professor Rubião.

02. Quincas Borba, personagem principal do roman-ce, morre pobre e louco, acreditando ser Napo-leão Bonaparte.

04. Carlos Maria utiliza sua mulher, Sofia, para ex-trair a fortuna de Rubião, que está apaixonado por ela.

08. Rubião é uma personagem submetida à cobiça material de dois indivíduos interesseiros: Sofia e Quincas Borba.

16. Quincas Borba é um romance crítico a respeito da sociedade burguesa, revelando o jogo de interesses financeiros que se esconde nas rela-ções amorosas.

32. O romance é baseado na vida do cachorro do professor Rubião.




Gabarito: 17 (01 + 16)

Número de acertos: 2.465 (23,53%)

Grau de dificuldade previsto: Difícil

Grau de dificuldade obtido: Médio
ANÁLISE DA QUESTÃO:
Nessa questão, o objetivo é testar o grau de conhecimento do aluno sobre a obra do escritor Machado de Assis, Quincas Borba.

O índice de facilidade foi de 0,23%, caracte-rizando, portanto, a questão com grau de dificuldade médio, apesar de a Banca ter a previsão de difícil.



Pela análise feita, deduz-se que um autor clássico, como Machado de Assis, tem sua obra bastante estudada no Ensino Médio, o que facilita o acerto das proposições.

A proposição 04, assinalada incorretamente por alguns vestibulandos, assim com a 02, faz a banca pressupor que a leitura feita da obra deve ter sido de resumos, e não do livro completo.


Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal