Locais e contatos do Subúrbio Ferroviário: Lobato



Baixar 35.51 Kb.
Encontro24.07.2016
Tamanho35.51 Kb.
Locais e contatos do Subúrbio Ferroviário:
Lobato
- Cooperativa de roupas no Lobato

No primeiro andar da escola Orlando Cônego Pereira Teles (Lobato), está sediada uma cooperativa de mulheres costureiras. À noite funciona um grupo de Alcoólicos Anônimos.


- Tapetes Lobato

Trata-se de um trabalho artesanal realizado exclusivamente pelas moradoras do bairro Lobato. O grupo promove reuniões todas as terças-feiras na Paróquia Nossa Senhora das Dores, onde decidem os desenhos que serão feitos nos tapetes e as cores que são utilizadas.


- Associação de Moradores do Núcleo Habitacional Joanes Leste

A Associação do bairro do Lobato, presidida por Raimundo Pereira foi criada em 1981, na época em que Lobato havia acabado de ser aterrado e o aumento da população exigia novas reivindicações estruturais.



Periperi
- Castelo dos Sonhos Possíveis

Criação do professor e escritor Ailton Rodrigues de Santana (ganhador do prêmio Melhor Leitura para jovens na Bienal de São Paulo em 1986), o castelo é um marco no subúrbio ferroviário. Situado na Rua Dom Pedro II, nº 158, em Periperi, com uma fachada em estilo medieval, semelhante a um castelo, tem por objetivo realizar sonhos da comunidade deixados em bilhetes à espera de sua realização. sonhospossiveis@bol.com.br


- Instituto Araketu

O Instituto Educativo e Cultural Araketu- IAK, localiza-se em Periperi e busca, desde sua fundação, desenvolver um trabalho comunitário voltado, principalmente, para os moradores da comunidade local que apresentam dificuldade de acesso a atividades artístico-culturais e que, acredita a fundação, “proporcionem a discussão e a reflexão de temas atuais, contribuindo para o exercício pleno da vida cidadã”.


- Museu ferroviário

Fundado pelo Professor Ailton Rodrigues de Santana, o museu pertence ao Castelo dos Sonhos Possíveis, localizado no bairro de Periperi. Com o objetivo de resgate manutenção da memória da via férrea, abriga fotos, documentos, recortes de jornais sobre a fundação da Via Férrea.


11. Escola Vale do Paraguari: Com o objetivo de criar uma escola para crianças de até 16 anos,

onde moradores e crianças com pouco acesso à educação pudessem ser alfabetizados, um grupo de

costureiras realizou sua conquista de direitos que beneficiassem a comunidade. Este mesmo grupo,

moradoras das margens do Rio Paraguari no bairro de Periperi fundaram a Associação dos Moradores

do Vale do Paraguari. A escola comunitária Vale do Paraguary completa hoje 12 anos e funciona nos

turnos matutino e vespertino.Os recursos vêm das taxas pagas pelos sócios e da taxa mensal de 5

reais paga pelos pais, além de 3% da verba pública municipal repassada por lei às Escolas Comunitárias.

A escola instrui e prepara a criança para o convívio em sociedade, proporcionando seu desenvolvimento

pleno e sua conscientização. A escola se localiza na rua Beira Rio, nº 51-E, em Periperi
Paripe
- Festa de Roque

Acontece todo ano em Muribeca, sub-região dentro de Paripe a festa de São Roque. Todo dia 21 de agosto, a população se junta nas ruas para fazer o percurso da procissão que sai da Igreja do Ó, em Paripe, e segue até Muribeca.


- CENTRO DE ARTES E CULTURA DERALDO LIMA


Criado pelo artista plástico Deraldino Lima, é um centro de capacidades e desenvolvimento cultural. Promove vários eventos com jovens do bairro, dentre estes Grupos de Hip Hop (grupo Power Black), teatro (grupo Culturart), dance, (grupo Swing Dance), teatro de bonecos (Boneca e CIA), dança (Morenárt) e capoeira. Tem como diretora a professora e atriz Tânia e está sediado à rua Sonata Filomena, 720 A, São Tomé de Paripe.

O Centro de artes e cultura Deraldo Lima -Sediada à rua Sonata Filomena, 720 A, São Tomé de

Paripe. Tels. (71)3217-2969 /3387-4060, email: galeriac@bol.com.br.
- CENTRO DE CULTURA EM DESENVOLVIMENTO ESCOLOGIA
O projeto está alicerçado numa ação de resgate e sedimentação da cultura da comunidade do bairro de São Tomé de Paripe, enfocando a produção artesanal (manufatura) dos doces, cestaria e renda de bilros, atividade esta exercida pelos mestres homenageados, visando instituí-los como módulo de economia sustentável, preservando-se a herança cultural. Para esta finalidade, os jovens coordenadores criaram um kit composto por estes produtos além de material fotográfico, tendo como base cestos especialmente criados para tal finalidade. Essas mercadorias são apresentadas e comercializadas nas feiras, como atrativo e incentivo aos jovens artesões a unirem-se em um sistema autônomo de empreendedorismo em prol de seu bem-estar social.

- GALERIA 13


O artista plástico Deraldo Lima mantém um importante trabalho em seu atelier, a Galeria 13, onde promove trabalhos voltados para crianças de São Tomé de Paripe, sensibilizando-os a descobrir as cores e ilustrar a beleza das paisagens locais.


- GRUPO DE CAPOEIRA BANTOS BRASIL
O Grupo foi inaugurado em 28/07/2001, pelo hoje aluno formado Paulo Roberto, que já tinha iniciado anteriormente um trabalho de capoeira na comunidade de São Tomé de Paripe. Nestes anos de trabalho foram realizadas diversas atividades no âmbito da capoeira, com apresentações e Roda de capoeira, maculelê, orquestra de berimbaus, dança afro entre outras. Atualmente o grupo está inserido na comunidade, nas escolas e instituições do Bairro.
- FESTA DE SÃO ROQUE
Acontece todo ano em Muribeca, sub-região dentro de Paripe, a festa de São Roque. Todo dia 21 de agosto, a população se junta nas ruas para fazer o percurso da procissão que sai da Igreja do Ó, em Paripe, e segue até Muribeca. A população costuma fazer feijoada e brincadeiras com as crianças, atraindo um público da região e pessoas que vêm de fora, familiarizadas ou devotas de São Roque.
- Cooperativa de pesca

Sediada no Quilombo do Tororó, a cooperativa tem por presidente o quilombola Sr. Ricardo Dantas e vem auxiliando os pescadores do quilombo, no bairro de São Tomé.


- Espaço quilombo

É uma OSCIP (Organizações de Sociedade Civil de Interesse Público), sediada à rua Benjamim de Souza ,159 , São Tomé de Paripe.




- Cortejo

O Cortejo, organizado pelo Espaço Quilombo e pelo Centro de Escologia em São Tomé, é composto de Bumba meu boi, maculelê e Samba de roda contando com a participação de outras entidades. Um séquito composto de cavaleiros, baianas, grupos de capoeira, grupo de dança afro, bumba meu boi, samba de roda, escolas e colônias de pescadores percorrem pela manhã, a rua principal, e, à tarde , acontecem shows, com homenagem e diplomação dos “Mestres da Cultura”.


- Quilombo em São Tomé: Há mais de 400 anos, o Quilombo do Tororó era formado por escravos pescadores , após a abolição da escravatura, passaram a pescar e vender o peixe para os

senhores e continuaram habitando o local. Hoje, os descendentes destes quilombolas sobrevivem basicamente da pesca e artesanato, têm no local uma herança cultural muito forte,

preservando também as manifestações populares (bumba-meu-boi, capoeira...) e as festas de seus antepassados. Todos vivem organizados em cooperativa e praticamente todos são parentes naquela região.

Coutos - Alto de Coutos
- Escola Municipal Esther Félix (fanfarras)
- Associação de moradores 31 de maio

Situada em Alto de Coutos tem como presidente o Sr Joel 45 do subúrbio ferroviário e bairros periféricos da capital baiana, através das mulheres. A associação mantém ainda parcerias com outras entidades, o que potencializa a ação junto à comunidade.

A associação pode ser contatada pelos telefones 3307-0011/ 3230-1010 ou pelo endereço de email assorem@ig.com.br.
- Escola Municipal Ítalo Gaudenzi

A escola do bairro de Coutos, que está situada na Estrada do Derba, nº 528, na Morada da Lagoa, foi construída e fundada em 23 de agosto de 2004 para atender a comunidade da região da lagoa.


- Associação de moradores 31 de maio

A associação pode ser contatada pelos telefones 3307-0011/ 3230-1010 ou pelo endereço de email: assorem@ig.com.br.


- Grupo Afro-Cultural Nativos da Bahia Nativos da Bahia

Promove aulas de dança para 3ª idade, capoeira, dança e teatro, para crianças, jovens e adolescentes, priorizando o público infantil da própria comunidade.

Oficinas: Rua Almeida Júnior, S/N, em frente a igreja Católica da Fazenda Coutos III,  CEP: 40 731 280
Plataforma
- Antiquário de plataforma

Situado à Avenida Suburbana, 286, Plataforma, tem como organizador o Sr.Santana e este é o único antiquário do subúrbio.


- Creche Comunitária

Sob influência de movimentos de caráter nacional da década de 70, um grupo de mulher organizou uma pré-escola e levantou a bandeira pela construção da creche comunitária de Plataforma, após uma pesquisa feita no bairro que apontou a necessidade deste tipo de equipamento. Assim uma grande campanha para adquirir local e material mobilizou a população. A paróquia de São Brás ofereceu um terreno numa antiga casa e uma das lideranças elaborou o projeto de ajuda financeira.


- Grupo Espaço Livre para o Teatro, que é uma parceria entre a AMPLA, UFBA e da DKAAustria
- AMPLA

Desenvolve atividades como: grupo afro-baiano, grupo de teatro, rádio comunitária, centro de educação e cultura.

Associação dos Moradores de Plataforma (AMPLA), s/nº, Praça São Brás – Plataforma 40710-530 / Salvador / BA (71) 3398-2883
- CEMS- Centro da Mulher Suburbana

Em 1983 as mulheres do Subúrbio, buscando soluções coletivas para os problemas enfrentados pela mulher suburbana, fundaram o CEMS- Centro da Mulher Suburbana. No ano de 1987, esse grupo, sob a liderança da AMPLA- Associação dos Moradores de Plataforma, reivindicou

a construção do centro Casa da Mulher.
- Gargantas de São Brás (festa)

Ocorre no dia 3 de janeiro em Plataforma, a festa do padroeiro do bairro. Ao longo do dia acontecem rezas na Igreja e a saída da procissão com a participação de toda a comunidade do bairro.


- Centro Cultural Plataforma
Itacaranha
- PROVACS
A sigla, que significa Projeto Voz Artística do Coração do Subúrbio, é uma iniciativa de alguns artistas do Alto da Teresinha junto com o apoio da diretora Maria Benedita da escola Municipal Santa Teresinha. O projeto busca fomentar a arte no local, incentivar o caminho das artes para os jovens, oferecendo nova alternativa face à criminalidade no bairro e dando visibilidade aos artistas da região. Pode-se, desta forma, estabelecer a articulação e troca de informações, projetando as obras em outros locais da cidade, do Brasil e do mundo e formando uma rede de projetos coesos em que muitos outros artistas do local podem ser absorvidos. O Provacs que busca também parcerias com empresas e galerias, já promoveu sua primeira exposição de lançamento ocorrida em espaços livres das ruas do bairro.
- Associação de Moradores de Itacaranha (AMI)
- Cabral:

Marival Álvares Cabral de 52 anos, residente à Rua Almeida Brandão, nº 14, no bairro de Itacaranha, confecciona , há mais de 35 anos, instrumentos musicais de forma autodidata. Usando como matéria-prima materiais reciclados e basicamente coco e ossos de boi, o artista utiliza-se da premissa de que “tudo se transforma”. O Troféu Dodô e Osmar foi feito por ele, que já fez instrumentos para artistas como Armandinho e seu irmão Haroldo, Pepeu Gomes, Banda Chiclete com Banana, Banda Mel, Fred Mendes e já ensinou seu ofício para australianos, americanos, suíços e japoneses.


Escada
- SOFIA - Centro de Estudos

Localizado na Rua Almeida Brandão, 77, no bairro de Escada, o centro, uma Organização não governamental, sem fins lucrativos, surgiu da necessidade de reverter o processo de degradação social, econômica, política e ambiental por que passa o Subúrbio Ferroviário de Salvador, algumas lideranças locais, atuantes em outros segmentos do movimento social organizado, criaram o SOFIA — Centro de Estudos para atuar na promoção, incentivo, difusão e democratização do acesso à cultura, ao conhecimento e à informação, compreendidos, pela organização, como elementos fundamentais à emancipação da pessoa humana, à preservação da história, ao estabelecimento de igualdade de oportunidades, ao desenvolvimento da justiça e ao fomento de uma cultura da paz.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone :(71)

3398 – 4336, pelo email:sofiacentrodeestudos@yahoo.com.br ou pelo site disponível na internet :

www.sofiace.org.br
- Escola Municipal Deputado Cristóvão Ferreira

A escola de nº 156, situada no bairro de Escada, na primeira Travessa da Teresinha, foi fundada em 16 de fevereiro de 1973 e surgiu a partir da mobilização da associação de bairro local.


- Centro Comunitário de Escada
Enseada do Cabrito

- Movimento de Cultura Popular do Subúrbio – MCPS


cleitonluz@yahoo.com.br/movimentoarteecultura@gmail.com / sociedadesquilombola@yahoo.com.br
(71) 3218 6967 / 3401 0082 / 8198 5421/ 3218 0056/ 9992 8270/ 3117 8106Rua São Bartolomeu, 1190, São João do Cabrito.  CEP: 40 490 246

Alto da Teresinha
- Escola Municipal Durval Pinheiro

Situada à rua Getúlio Vargas S/N, no bairro do Alto da Teresinha, tem por diretora a professora Mary Lúcia Requião Ferreira.


- Escola Municipal Durval Pinheiro

Situada à Rua Getúlio Vargas S/N, no bairro do Alto da Teresinha, tem por diretora a professora Mary Lúcia Requião Ferreira.



machadodeassis@salvador.ba.gov.br
- Associação dos Amigos do Parque: A Associação nasceu do movimento em defesa do parque

iniciado em 1987 por moradores e associações comunitárias do subúrbio ferroviário. Desde então, o Parque passou a ser visto como um símbolo da luta pela melhora da qualidade de vida. Constituída formalmente em 1990, tem como objetivos principais, mobilizar as comunidades e fazer gestão junto ao poder público, para preservação do parque. A associação congrega ambientalistas, representantes do candomblé, grupos comunitários e intelectuais e já promoveu, antes de mesmo de ser a Associação São Bartolomeu, um ato público em defesa do parque, bem como a realização de oficinas de arte nos terreiros de candomblé e um seminário sobre saneamento ambiental no Clube de Mães da Escolinha de São Lázaro/ Alto da Teresinha. Quando da fundação da Associação houve exposição de fotografias do parque, seminários sobre manguezais e uma sessão especial na Câmara Municipal sobre o parque e ato de fundação da Associação.

- Fundação Coronel Otaviano: Presidida por José Angelo Moreira, a fundação está sediada na famosa casa da piscina, que pertenceu a Almeida Brandão e onde já funcionou uma creche para quarenta crianças, financiada pela então LBA (Legião Brasileira de Assistência).
Centro de Educação e Cultura do Subúrbio – CEPES

Visa ao desenvolvimento comunitário participativo que dê respostas aos problemas de desemprego, da pobreza, de infra-estrutura econômica, social e urbana excludente, aproveitando a vocação turística da aérea, bastante privilegiada pela natureza na Baía de Todos os Santos.


-  Projeto ACERVIVO ?


Blog sobre o subúrbio - http://salvadorhistoriacidadebaixa.blogspot.com/2010/10/suburbio-ferroviario-de-salvador-8.html
Ponto a ponto - http://pontoapontobahia.wordpress.com/grupo-afro-cultural-nativos-da-bahia-salvador/


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal