Lucas jannoni soares


Coleção Vieira de Carvalho (Sigla: DVC)



Baixar 0.91 Mb.
Página9/15
Encontro29.07.2016
Tamanho0.91 Mb.
1   ...   5   6   7   8   9   10   11   12   ...   15

Coleção Vieira de Carvalho (Sigla: DVC)
I DVC 14.02.1871 Var.c

Carta do visconde de Porto Seguro ao conde de Lajes – Prometendo enviar o recorte de jornal pedido, juntamente com a recomendação para as alfândegas belgas. Viena, 14 de fevereiro de 1871.

1 fl. dupla.
Arquivo Pedro Paranaguá (Sigla: DPP)
MFN:02256

00000 - FERRAZ, Luís Pedreira do Couto, I-DPP-24.02.1868-Fer.c L.Nº 9

visconde do BOM RETIRO
Carta (particular) de Luís Pedreira do Couto Ferraz, visconde do Bom Retiro, solicitando a interferência do destinatário no sentido de que Antônio José Duarte de Araújo pudesse retornar a Legação de Viena, caso [Francisco Adolfode] Varnhagen não aceitasse. Rio de Janeiro, 24/02/1868.

1 fl. dupla.


I DPP 29.2.868 Var.do 1 3

Documentos (1 ofício e 2 cartas) do visconde de Porto Seguro ao marquês de Paranaguá – Acusando recebimento do despacho em que o destinatário lhe comunicava sua remoção do Peru para a Áustria – Justificando sua demora em Lisboa. Rio de Janeiro, 29 de fevereiro e 3 de março; Lisboa, 12 de maio de 1868.

3 fls. duplas.
Arquivo Adir Guimarães (Sigla: AAG)
I AAG 19.03.1816 P.S.ce

Certidão (cópia posterior) de batismo de Francisco Adolfo Varnhagen, visconde de Porto Seguro. Capela da Real Fábrica de São João de Ipanema/SP, 19 de março de 1816. 1 fl. dupla.


Coleção Museu Imperial (Sigla: AAG)
MFN:11784

MI - 2 (p.48)


Carta de Francisco Adolfo de Varnhagen, visconde de Porto Seguro, a Manuel de Araújo Porto Alegre, barão de Santo Ângelo - Parabenizando-o pelo recebimento de uma nova condecoração e falando que se fosse um rei lhe daria uma grã cruz - Dando notícias - Dizendo estar vivendo melhor sendo plenipotenciário e que dera um jantar onde convidara as categorias da Corte, do ministério e altas graduações das ordens brasileiras - Informando que o imperador, d. Pedro II, estava sendo esperado em Turim - Remetendo uma caixa de livros do imperador para o conselheiro Lisboa e uma carta para Inocêncio. Viena, 07/12/1871.

1 fl. dupla.


MFN:11789

- CAMINHOÁ, Francisco de Azevedo Monteiro AMI - 2 (p.69)


Carta de Francisco de Azevedo Monteiro Caminhoá, arquiteto, ao barão de Porto Seguro, Francisco Adolfo de Varnhagen, ministro em Viena - Informando que fora nomeado arquiteto encarregado do pavilhão brasileiro na Exposição Universal de Viena, sendo obrigado a mandar um projeto e orçamento para o ministro da Agricultura, Comércio e Obras Públicas, Francisco do Rego Barreto, no Rio de Janeiro – Solicitando que peça a Comissão da Exposição de Viena para lhe mandar os planos, cortes e fachadas, marcação do lugar que será ocupado pelo Brasil e suas respectivas dimensões - Pedindo instruções sobre a forma da arquitetura e indagando se poderá fantasiar, como na Exposição de Paris. Paris, 12/11/1872.

1 fl. simples.


BIBLIOGRAFIA
ABREU, João Capistrano. Ensaios e estudos: crítica e história. 2ª série, 2ª ed.. Rio de Janeiro/Brasília: Civilização Brasileira/INL, 1976. (4 vols.)

_____. Capítulos da história colonial. 6ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, INI, 1976.

_____. O descobrimento do Brasil. 2ª ed. Rio de Janeiro, 1976.

_____. Caminhos Antigos e povoamento do Brasil. Rio de Janeiro, 1930.

ALENCASTRO, Luiz Felipe de. O trato dos viventes - formação do Brasil no Atlântico Sul. 1ª reimpressão. São Paulo: Cia. das Letras, 2000.

_____. O fardo dos bacharéis. In: Novos Estudos Cebrap, n. 19, 1987.

AMED, Fernando José. Atravessar o oceano para verificar uma vírgula: Francisco Adolfo de Varnhagen (1816-1878) lido por João Capistrano de Abreu (1853-1927). Tese de doutorado. São Paulo: FFLCH/USP, 2007, 220f.

ANDERSON, Benedict. Comunidades Imaginadas – Reflexões e a difusão do nacionalismo. São Paulo: Cia das Letras, 2008.

ARANTES, Paulo. Hegel. A ordem do tempo. São Paulo: Editora Pólis, 1981.

ARAÚJO, Valdei Lopes de. A experiência do tempo. Conceitos e narrativas na Formação Nacional Brasileira (1813-1845). São Paulo: Editora HUCITEC, 2008.

_____, MATA, Sérgio Ricardo et alii (orgs). A dinâmica do historicismo. Revisitando a historiografia moderna. Belo Horizonte: Editora Argumetum, 2008.

ARRUDA, José Jobson de Andrade. O sentido da colônia revisitado a crise do antigo sistema colonial no Brasil In: José Tengarrinha (org.) História de Portugal. 2 ed. Lisboa/São Paulo/Bauru-SP: Instituto Camões/UNESP/EDUSC, 2001.

BLOCH, Marc. Apologia da História ou o ofício do historiador. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2001.

BRANCO, João Camilo Castelo. A democracia coroada (Teoria Política do Império do Brasil). Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 1957.

BRAUDEL, Fernand. Les Ambitions de L'Histoire. Paris: Éditions Fallois, 1997.

_____. Gramática das civilizações. 3ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

BOSI, Alfredo. Dialética da colonização. 4ª ed. 4ª reimpressão (acrescida de posfácio). São Paulo: Cia das Letras, 2005.

_____. Cultura como tradição. In: BORNHEIM, G. A. (org.). Cultura Brasileira: Tradição/Contradição. Rio de Janeiro: Jorge Zahar/Funarte, 1987, p. 31-58.

_____. Ideologia e contra ideologia. Temas e variações. São Paulo: Cia das Letras, 2010.

CAMPOS, Pedro Moacyr. Esboço da historiografia brasileira nos séculos XIX e XX. In: GLÉNSISSON, Jean de. Iniciação aos estudos históricos. São Paulo: Difel, 1961, p. 250 - 293.

CANABRAVA, Alice P. História Econômica – Estudos e pesquisas. São Paulo: Ed. Hucitec/Editora UNESP/ABPHE, 2005.

_____. Roteiro Sucinto do desenvolvimento da historiografia brasileira". In: Anais - Encontro Internacional de Estudos Brasileiros - I Seminário de Estudos Brasileiros. Vol. II. São Paulo: IEB/USP, 1972.

CANDIDO, Antonio. Formação da Literatura Brasileira - Momentos Decisivos. 8ª ed. Belo Horizonte/Rio de Janeiro: Editora Itatiaia, 1997.

_____. O Método Crítico de Sílvio Romero. São Paulo: EDUSP, 1988. (Série Passado & Presente Teses).

CANECA, frei Joaquim do Amor Divino. Frei Joaquim do Amor Divino Caneca. Organização e introdução Evaldo Cabral de Mello. São Paulo: Editora 34, 2001. (coleção formadores do Brasil).

CARVALHO, José Murilo (org). Nação e cidadania no Império: novos horizontes. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.

CERTEAU, Michel de. A Escrita da História. 2ª edição. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008.

CEZÁR, Temístocles Américo Corrêa. L écriture de l histoire au Brésil au XIXe siècle. Essai sur une rhétorique de la nationalité. Le cas Varnhagen. Tese de doutorado. Paris: École des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS), 2002.

_____. Anciens, Modernes et Sauvages, et l'écriture de l'histoire au Brésil au XIXe siècle. Le cas de l'origine des Tupis. Anabases. Traditions et réceptions de l'Antiquité, v. 8, p. 43-65, 2008 .

_____. Ensaio sobre uma operação historiográfica. História em Revista, Dossiê Historiografia, UFPel, 6, dez. 2000, p. 37-58

_____. Varnhagen em movimento: breve antologia de uma existência. Topoi (Rio de Janeiro), v. 8, p. 159-207, 2007.

_____. A geografia servia, antes de tudo, para unificar o Império. Escrita da História e saber geográfico no Brasil oitocentista. Ágora (UNISC), Santa Cruz do Sul - RS, v. 11, n. 1, p. 79-99, 2005.

_____. Em nome do pai, mas não do patriarca: ensaio sobre os limites da imparcialidade na obra de Varnhagen. História (São Paulo), v. 24, p. 207-240, 2005.

_____. Lição sobre a escrita da história. Historiografia e nação no Brasil do século XIX. Diálogos (Maringá), Maringá - Paraná, v. 8, p. 11-29, 2004.

_____. O poeta e o historiador. Southey e Varnhagen e a experiência historiográfica no Brasil do século XIX. História Unisinos, v. 11, p. 306-312, 2007

CHÂTELET, François (org.). O Iluminismo. Lisboa: Editora Dom Quixote, 1983.

CIPRIANI, Gisele Cristina. “Correspondência Ativa” de Varnhagen - Análise da edição. Texto integrante dos Anais do XIX Encontro Regional de História: Poder, Violência e Exclusão. ANPUH/SP-USP. São Paulo, 08 a 12 de setembro de 2008. Cd-Rom.

CORREIA, Dora Shellard. Paisagens sobrepostas - Índios, posseiros e fazendeiros nas Matas de Itapeva (1723 - 1930). Tese de doutorado. São Paulo: FFLCH/USP, 1997.

_____. Historiadores e cronistas e a paisagem da Colônia Brasil. Revista Brasileira de História, São Paulo: ANPUH; vol. 26, nº 51, p. 63-87, jan-jun, 2006.

COSTA, Emília Viotti da. . Da monarquia à república – momentos decisivos. 7 ª ed. São Paulo: Editora Unesp, 1999.

COSTA, J. C. História das Ideias no Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio, 1956.

COSTA, Wilma Perez e OLIVEIRA, Cecília Salles (orgs). De um império a outro. Formação do Brasil, séculos XVIII e XIX. São Paulo: Editora HUCITEC, 2007.

COUTO, Jorge. A construção do Brasil. Ameríndios, portugueses e Africanos, do início do povoamento a finais de Quinhentos. Lisboa: Edições Cosmos, 1998.

COUTY, Louis. L'Esclavage au Brésil. Paris: Librairie de Guillaumin et Cie. Editeurs, 1881.

_____. Le Brésil en 1884. Rio de Janeiro: Faro & Lino, Editeurs, 1884

DIAS, Maria Odila Leite da Silva, O fardo do homem branco – Southey, historiador do Brasil. (coleção Brasiliana, vol. 344). Cia. Editora Nacional: São Paulo, 1974.

_____. Os impasses do inorgânico. In: Maria Angela D'Incao, História e ideal: ensaios sobre Caio Prado Júnior. São Paulo: Brasiliense/Unesp, 1989.

_____. A interiorização da Metrópole e outros estudos. São Paulo: Alameda Casa Editorial, 2005.

DOLHNIKOFF, Miriam. O pacto imperial – origens do federalismo no Brasil. 1ª reimpressão. São Paulo: Editora Globo, 2007

ELIAS, Norbert. O processo civilizador – Uma história dos Costumes. (2 volumes). 2ª ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1994.

FAORO, Raymundo. Os donos do poder - Formação do patronato político brasileiro. 3 ed. (revista). Porto Alegre: Editora Globo, 1976.

FALCON, Francisco José C. Iluminismo. São Paulo: Editora Ática, 1989

FARGE, Arlette. Le goût de l’archive. Paris: Seuil,1989.

FEBVRE, Lucien. Combates pela história. 2ª ed. Lisboa: Editorial Presença,1985.

FERLINI, Vera Lucia Amaral. Terra, Trabalho e Poder – O mundo dos engenhos no Nordeste Colonial. 2ª ed. Bauru - SP: EDUSC, 2003.

_____. Açúcar e Colonização – Da América Portuguesa ao Brasil: ensaios de interpretação, tese de livre-docência apresentada na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, 2000.

FERNANDES, Florestan. A sociedade escravista no Brasil. In: _____. Circuito Fechado - Quatro ensaios sobre o poder institucional, 2ª ed. São Paulo: Hucitec, 1978.

_____. A revolução burguesa no Brasil. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1975.

FERRO, Marc. História das Colonizações. São Paulo: Cia das Letras, 1996.

FREYRE, Gilberto. Casa Grande e Senzala - Formação da Família Brasileira sob o regime da Economia Patriarcal. 19ª ed. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 1978.

FUETER, Edward. Historia de la Historiografia Moderna (2 vols.). Buenos Aires: Editorial Nova, s/d.

FURET, François. Pensando a revolução francesa. 2ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 1989.

FURTADO, Celso. Formação Econômica do Brasil, 27ª ed. São Paulo, Cia. Editora Nacional: Publifolha, 2000 (Grandes nomes do pensamento brasileiro)

GAY, Peter. O estilo na história – Gibbon, Ranke, Macaulay, Burckhardt. Cia das Letras: São Paulo, 1990.

GINZBURG, Carlo. O fio e os rastros: verdadeiro, falso fictício. São Paulo: Cia das Letras, 2007.

GIRARDET, Raoul. Autour de l'Ideologie Nationaliste - perspective de recherche. Revue française de science politique, année 1965, vol. 15, num 3.

_____. Pour une introduction à l’Histoire du Nationalisme Français. Revue française de science politique, Année 1958, Volume 8, Numéro 3. pp. 505 – 528.

GONÇALVES, Líviston Frank. Varnhagen: idealizador de um projeto de nação. Dissertação de mestrado. São Paulo: FFLCH/USP, 2008, 147 f.

GRAHAN, Richard. Construindo uma nação no Brasil do século XIX. Diálogos, DHI/UEM, v. 5, n. 1. p. 11-47, 2001.

GUIMARÃES, Lúcia Maria Paschoal. Debaixo da Imediata proteção de sua Majestadade imperial - O Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (1838 -1889). Tese de doutorado. São Paulo: FFLCH/USP, 1994.

GUIMARÃES, Manoel Luiz Salgado. História e natureza em von Martius: esquadrinhando o Brasil para construir a nação. IN: História, Ciência, Saúde – Manguinhos. Vol. 7. no. 2. Rio de Janeiro. julho/outubro 2000.

_____. Nação e Civilização nos Trópicos: O Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e o Projeto de uma História Nacional in: Estudos Históricos, Rio de Janeiro, n. 1, 1988. P.5-27.

_____.Entre amadorismo e profissionalismo: as tensões da prática histórica no século XIX. Topoi, Rio de Janeiro, dezembro 2002, pp. 184-200.

_____. Estudos sobre a escrita da história. Rio de Janeiro: 7Letras, 2006.

HARTOG, François. O século XIX e a história: o caso Fustel de Coulanges. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2003.

HOBSBAWM, Eric. A era dos impérios 1875-1914.13ª ed. Revista. São Paulo: Editora Paz e Terra, 2009.

HOLANDA. Sérgio Buarque de. Monções. 3ª ed. (Ampliada). São Paulo: Editora Brasiliense, 1990.

_____. O atual e o inatual em Leopold von Ranke. In: _____(org.). L. von Ranke. São Paulo: Editora Ática, 1979. (Coleção Cientistas Sociais, vol. 8).Originalmente publicado na Revista de História. São Paulo: 1974. N. 100.

_____. Caminhos e Fronteiras. 3ª ed. São Paulo: Cia. Das Letras, 1996.

_____. Raízes do Brasil. 26 ed. 4ª reimpressão. São Paulo: Cia das Letras, 1997.

_____. História Geral da Civilização Brasileira. São Paulo: Ed. Difel, 1967-1972 ( 7 vols.). (Colônia e Monarquia)

HORCH, Hans. Francisco Adolfo de Varnhagen - subsídios para uma bibliografia. São Paulo: Editoras Unidas LTDA, 1982.

HUIZINGA, Johan. El concepto de la historia y otros ensayos. 3ª reimpressão. Cidade do México: Fondo de Cultura Economica, 1992.

IANNI, Octavio. Tendências do pensamento brasileiro. In: Tempo Social, 12 (2), p. 55-74, novembro - 2000.

JANCSÓ, István (org.). Brasil: formação do estado e da nação. São Paulo/Ijuí - RS: Ed. Hucitec/FAPESP/Editora UNIJUÍ, 2003.

_____. Independência: História e Historiografia. São Paulo: Ed. Hucitec/FAPESP, 2005.

JASMIM, Marcelo Gantus. Alexis de Tocqueville. A historiografia como ciência política. 2ª ed. Rio de Janeiro/Belo Horizonte: IUPERJ/Editora UFMG, 2005.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro Passado: Contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto/Ed. PUC-Rio, 2006.

_____. L’expérience de l’histoire. Paris: Gallimard/Le Seuil, 1997. (Coleção Hautes Études).

LEFEBVRE, George. . La naissence de l’historiographie moderne. Paris: Flammarion, 1971.

LE GOFF, Jacques. História e Memória. 5ª ed. Campinas: Editora Unicamp, 2003.

LESSA, Clado Ribeiro de. Vida e Obra de Varnhagen In: Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, vol. 223. pp. 82-227. Rio de Janeiro: IHGB, 1954

_____.Vida e Obra de Varnhagen. In: Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, vol. 224. pp. 109-315. Rio de Janeiro: IHGB, jul-set – 1954.

_____. Vida e Obra de Varnhagen In: Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, vol. 225. pp. 120-293. Rio de Janeiro: IHGB, out-dez– 1954.

_____. Vida e Obra de Varnhagen. In: Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, vol. 226. pp. 03-168. Rio de Janeiro: IHGB, jan-mar– 1955

LIMA, Oliveira. Francisco Adolfo Varnhagen. Revista do Instituto Historico e Geográfico de São Paulo (IHGSP), São Paulo: IHGSP, Typographia do Diario Official, vol. 13, 1908. pp. 61-91.

LYNCH, Christian Edward Cyril. O conceito de liberalismo no Brasil (1750-1850). Araucaria. Revisto Iberoamericana de Filosofia, Política y humanidades, n. 17, mayo de 2007, pp 212-234.

KANTOR, Iris. Esquecidos e renascidos: historiografia acadêmica luso-americana. 1724-1759. São Paulo: Hucitec, 2004.

MALERBA, Jurandir. A corte no exílio – civilização e poder no Brasil às vésperas da independência (1808 a 1821). São Paulo: Cia das letras, 2000.

_____ (org). Lições de história: o caminho da ciência no longo século XIX. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2010.

MARSON, Isabel Andrade. O Império da Revolução: matrizes interpretativas dos conflitos da sociedade Monárquica. IN: FREITAS, Marcos Cezar de (org.) Historiografia Brasileira em Perspectiva. São Paulo, Contexto, 1998

MARTINS, Estevão de Rezende (org.). A história pensada. Teoria e método na historiografia europeia do século XIX. São Paulo: Editora Contexto, 2010.

MARTIUS, Karl Friedrich Philipp von. _____. O estado do direito entre os autóctones do Brasil. Belo Horizonte/São Paulo: Ed. Itatiaia/EDUSP, 1982.

MATOS, Sérgio Campos. Historiografia e Memória nacional. 1846-1898. Lisboa: Edições Colibri, 1998.

MATTOS, Ilmar Rohloff de. Tempo Saquarema. São Paulo: Hucitec, 1985.

MATTOSO, José. A Escrita da História – Teoria e Método. 2ª ed. Lisboa: Estampa

MEINECKE, Friedrich. El Historicismo y su genesis. Cidade do México: Fondo de Cultura Economica, 1943.

MONTEIRO, John Manuel. Unidade, diversidade e a invenção dos índios: entre Gabriel Soares de Sousa e Francisco Adolfo de Varnhagen. Revista de História 149 (2º - 2003), 109-137.

MORAES, José Geraldo Vinci de e REGO, José Márcio (orgs.). Conversa com historiadores Brasileiros. São Paulo: Editora 34, 2002.

MOTA, Carlos Guilherme. 1822: dimensões. 2ª ed. São Paulo: editora Perspectiva, 1986.

_____. Brasil em perspectiva. São Paulo: Ed. Difel, 1974.

_____. Ideologia da cultura brasileira. São Paulo: Ed. Ática, 1994.

_____. Nordeste, 1817. Estruturas e argumentos. São Paulo: Editora Perspectiva, 1982.

_____. e LOPEZ, Adriana. História do Brasil – um interpretação. 2ª ed. São Paulo: Editora Senac, 2009.

NABUCO, Joaquim. Joaquim Nabuco Essencial. São Paulo: Cia das Letras, 2010.

NEVES, Lucia Maria Bastos Pereira das et alii (orgs). Estudos de Historiografia Brasileira. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2011.

NOVAIS, Fernando Antônio. Portugal e Brasil na crise do Antigo Sistema colonial (1777-1808). 2ª ed. São Paulo: Hucitec, 1981.

_____. Aproximações: ensaios de história e historiografia. São Paulo: Cosac Naify, 2005.

_____. e SILVA, Rogério F. da. Nova História em perspectiva. Vol 1 Propostas e desdobramentos. São Paulo: Cosac Naify, 2011.

ODALIA, Nilo. As formas do mesmo: ensaios sobre o pensamento historiográfico de Varnhagen e Oliveira Vianna. São Paulo: Fundação Editora da UNESP, 1997.

_____. Varnhagen. (Introdução) in: Varnhagen. São Paulo: Ática, 1979. (coleção Grandes Cientistas Sociais).

OLIVEIRA, Laura Nogueira. Os índios bravos e o sr. Visconde: os indígenas brasileiros na obra de Francisco Adolfo de Varnhagen. Dissertação de mestrado. São Paulo: FFLCH/USP, 2000 186 f.

OSÓRIO, Lígia. Terras devolutas e latifúndio. 2ª ed. Campinas: Editora Unicamp, 2008.

PRADO Jr., Caio. Formação do Brasil Contemporâneo - colônia. 24ª reimpressão. São Paulo: Editora Brasiliense, 1996.

_____. Evolução Política do Brasil e outros estudos. 8ª ed. São Paulo: Brasiliense, 1972 [1933] .

_____. História e Desenvolvimento: A contribuição da historiografia para a teoria e prática do desenvolvimento brasileiro. 1ª reimpr. Da 3ª ed. São Paulo: Editora Brasiliense, 1999.

POLANY, Karl. A grande transformação. As origens de nossa época. 2ª ed. 13ª reimp. Rio de Janeiro: Elsevier, 2000.

PUNTONI, Pedro. O sr. Varnhagen e o patriotismo caboclo: o indígena e o indianismo perante a historiografia brasileira. pp. 633-675. In: István Jancsó (org.), Brasil: formação do estado e da nação. São Paulo: Ed. HUCITEC, Ed. Unijuí; FAPESP, 2003.

REIS, José Carlos. As identidades do Brasil. De Varnhagen a FHC. 9º ed. Ampliada. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2007.

RENAN, Ernst. Qu’est-ce qu’une nation? Marseille: Le mot et le rest, 2007.

RIBEIRO, Renilson Rosa. Destemido bandeirante à busca da mina de ouro da verdade”: Francisco Adolfo de Varnhagen, o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e a invenção da idéia de Brasil Colônia no Brasil Império. Tese doutorado. Campinas: IFCH-UNICAMP, 2009.

RICOUER, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Campinas: Editora Unicamp, 2007.

RODRIGUES, José Honório. História e Historiografia. Petrópolis: Ed Vozes, 1970.

_____. Independência: revolução e contrarrevolução. Evolução política. Volume I. Rio de Janeiro/São Paulo: Francisco Alves/EDUSP, 1975-1976.

_____. A assembleia constituinte de 1823. Petrópolis: Editora Vozes, 1974.

SALVADOR, Frei Vicente do. História do Brasil – 1500-1627. 5ª ed. (revista por Capistrano de Abreu, Rodolfo Garcia e Frei Venâncio Wílleke, OFM). São Paulo: Edições Melhoramentos, 1965.

SCHAPOCHNIK, Nelson. Letras de Fundação – Varnhagen e Alencar, Dissertação de mestrado. São Paulo: FFLCH/USP, 1992.

SCHWARZ, Roberto. Ao vencedor as batatas. Forma literária e processo social nos inícios do romance brasileiro. 5ª ed. São Paulo: Editora 34, 2000.

SILVA, José Bonifácio de Andrade e. Projetos para o Brasil. organização Miriam Dolhnikoff. São Paulo: Cia. das Letras, 1998 (coleção Retratos do Brasil, n. 13).

SILVA, Maria Beatriz Nizza da. História empírica e história teórica: dois caminhos da historiografia brasileira no século XIX. Anais da SPPH, n. 2, 1983

SILVA, Rogério Forastieri. Colônia e Nativismo. A história como “biografia da nação”. São Paulo: Editora Hucitec, 1997.

TENGARRINHA, José (cord.). A historiografia portuguesa, hoje. São Paulo: Editora HUCITEC, 1999.

TOCQUEVILLE, Alexis de. O antigo regime e a revolução. 3ª ed. São Paulo: HUCITEC, 1989

TORGAL, Luís Reis, MENDES, José Amado e CARTROGA, Fernando. História da História em Portugal. Volume 1 A história através da história. 2ª edição. Lisboa: Temas e Debates e Autores, 1998.

TURIN, Rodrigo. Uma nobre, difícil e útil empresa: o ethos do historiador oitocentista. In: História da historiografia. N. 02. Março de 2009.

VARNHAGEN, Francisco Adolfo. História das lutas com os holandeses no Brasil – Desde 1624 até 1654. 2ª edição. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército Editora, 2002.

VIEIRA, Celso. Varnhagen. O homem e a obra. Rio de Janeiro: Alvaro Pinto, 1923.

WEHLING, Arno. Estado, História, Memória: Varnhagen e a construção da Identidade Nacional. Rio de Janeiro: Ed. Nova Fronteira, 1999.

_____. A concepção da história de von Martius. RIHGB. Rio de Janeiro, 385, out-dez., 1994.

_____. Capistrano de Abreu, a fase historicista. RIHGB, Rio de Janeiro, 311:2, 1976.

_____. (Org.), Historicismo e concepção de história nas origens do IHGB. Origens do IHGB. Rio de Janeiro, 1989.

_____. (Org.), Origens do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. Idéias filosóficas e sociais e estruturas de poder do Segundo Reinado. Rio de Janeiro: IHGB, 1989.


Catálogo: groups -> 15665882
groups -> Gerência 5 recursos humanos 7 comercial 9 contábil/fiscal/financeira 20 tele(marketing) 27 atendente 29 design/publicidade/comunicaçÃO 30 informática 31 comércio exterior 36 logística / almoxarifado / expediçÃO 36 engenharia 41 projetos
groups -> Formado ou cursando Contábeis, Administração, Economia, Direito. Rotinas e experiência de constituição de Empresas, conhecimento de órgãos públicos. Salário à combinar + vr +VT, horário comercial. Bairro São Francisco
groups -> 1 Para o trabalhador avulso, pode ser considerado como salário de contribuição: a as gorjetas
groups -> Logo correta é a letra "C"
groups -> Pedagogia waldorf (Diversos textos retirados de sites diferentes) Introdução V. W. Setzer
groups -> Introdução
groups -> O conceito, a doutrina e as origens do cooperativismo
groups -> Marshall berman tudo que é SÓlido desmancha no ar a aventura da modernidade
15665882 -> A experiência da história numa era de expectativas decrescentes
15665882 -> A senhora pode nos contar as circunstâncias e motivações que a levaram a este estudo? A senhora, na nota explicativa do livro, disse que o presente estudo partiu


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   5   6   7   8   9   10   11   12   ...   15


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal