Mais de uma vez Morfeu diz para Neo que ele pode levá-lo até a porta, mas cabe a Neo atravessá-la



Baixar 5.61 Kb.
Encontro31.07.2016
Tamanho5.61 Kb.
O filme Matrix é uma versão futurista do mito da caverna de Platão. Como na historia de Platão, os objetos no interior da caverna, no filme são as imagens fornecidas a mente dos homens que estão dormindo dos quais é retirada a energia para as máquinas. Os simulacros seriam um programa de computador dentro do outro. Neo, o personagem central do filme é um hacker que produz programas. No inicio do filme um grupo de jovens vai a casa de Neo buscar um disquete com um desses programas. Neo pega o disquete dentro de uma caixinha rotulada como “simulacros”.

O despertar representa a passagem da passividade para a atividade mental. Ao despertar Neo como o homem da caverna de Platão tem dificuldade em enxergar e reclama que os olhos doem, após o tratamento inicial para permitir que seus sentidos e músculos estavam inativos passem a funcionar, a mente de Neo é carregada com vários programas, o operador fica impressionado com a capacidade que Neo tem de guardar informações a memória de Neo é privilegiada, mesmo assim a reação dele no início é de dor, mas ele sempre diz que quer mais, o processo é doloroso e ao mesmo tempo prazeroso porque a mente de Neo sempre deseja mais informação.

No filme Morfeu mostra à Neo que seus conhecimentos de luta não funcionam na pratica, ele vê que é diferente conhecer o caminho e trilhar o caminho, é preciso então um exercício inicial numa realidade virtual para treino.

Mais de uma vez Morfeu diz para Neo que ele pode levá-lo até a porta, mas cabe a Neo atravessá-la.

No processo de aprendizado o aluno pode ser conduzido, mas ninguém pode produzir o entendimento no outro, a atividade mental depende do esforço da própria mente. Vencidas as primeiras dificuldades aumenta a capacidade de agir de modo cada vez mais eficaz. No ultimo modo do conhecimento no filme a conhecer o código real, que seria perceber ao mesmo tempo o conjunto de comandos do programa que produzem a realidade virtual. Os companheiros de Neo quando estão fora da Matrix conseguem ler o código e saber pela leitura o que nela se passa, mas não são capazes de ler o código de dentro da Matrix e dependem das instruções de alguém de fora.

Para libertar os outros homens é preciso voltar para a realidade virtual porque é a única forma de manter contato com eles, quem já esteve fora, assim como os homens de Platão, tem dificuldade de “ver no escuro“, sendo assim hostilizado e ridicularizado por seus antigos companheiros, esses por não entender o que Neo, que libertou-se, quer dizer, passam a considerá-lo perigoso e tentam eliminá-lo, passando a defender o sistema como “agentes”.



É mais fácil entender a realidade virtual quando estamos de fora, compreender esta realidade, ler o código que a compões, percebendo o programa que a produz, estando sujeita às “sensações virtuais” é muito difícil. Na cena final, Neo consegue finalmente ler o código de dentro da realidade virtual, com isso consegue transformar o real, sobre o processo de produção do real e modificá-lo.


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal