Marca D’água. Autoria de André Gonçalves dos Santos. Proibida sua exibição sem autorização prévia do mesmo, correndo riscos de processo Civil e Penal. Obra registrada na Biblioteca Nacional



Baixar 35.2 Kb.
Encontro29.07.2016
Tamanho35.2 Kb.

Marca D’água. Autoria de André Gonçalves dos Santos. Proibida sua exibição sem autorização prévia do mesmo, correndo riscos de processo Civil e Penal. Obra registrada na Biblioteca Nacional.


(11) A TRISTE HISTÓRIA DE KALIL...
Kalil e Anne estão no banheiro, sentados... Anne esfrega as costas do rapaz... e eles estão debaixo de um chuveiro enorme, com água fervendo! Anne, aliviada, diz:

Faz tempo que não tomo banho!!! É muito gostoso tomar banho, ficar limpinha...

Kalil diz:



Mais nóis não tem tempo de fica parano de cidade em cidade, pra toma banho e compra as coisas que gostamu... Só o qui pricisamos... Só pricisamos compra coisas úteis em batalha! A gente ainda vai te muita luta pra lutá...

E o rapaz se entristece!

Anne vira-se pra Kalil, olhando pra ele... E pergunta:

Por que ce ta triste, agora?

Kalil Sá um sorriso falso, e diz:



É qui... eu lembrei dos meus pais... Eles... morreram... e... ‘Xá pra lá!

Anne, triste, diz:



Eu não sei dos meus pais... Minha mãe, eu nunca vi... E meu pai... morreu... eu acho! Fiquei sabendo que meu tio Skal... Meu tio sabe do meu pai! E... eu fui criada por um Bashidji em Asga... Bem longe daqui!

Os dois saem do banheiro com roupões roxos... Anne, triste, diz:



É chato a gente não poder sair pela cidade à noite, né?!

Kalil diz:



É pra segurança di todos... Depois do ataque... dus... centaros em Juna, Juga usou esse isquema de segurança... Os centaros aparecem di noite...

Anne fica assustada e diz, indignada:



Centauros?! Aquela amiga do Van, sem-educação... lá da floresta...?!

Kalil, triste, diz:



Acho que ela não... Vive isolada na floresta, pelo que vi... i ajudo Van quando ele tava quase, ou não, morreno... Si ela fosse ruim, teria matado ele já... Ou... não sei!!!

Anne diz:



É... Acho que nem todos os centauros fazem mal...
Nago está furioso, próximo à caixa onde Samya estava presa... Ele grita:

DROGA!!! AQUELA MENINA BURRA FUGIU DE NOVO?!

Ele sorri, logo dizendo:



Parabéns! No final, sempre foi astuta... Também, filha de quem é... E ela não deve ter ido muito longe...

Súbito... Um gêiser puro de energia explode atrás de Nago, que se joga no chão!

O gêiser vai desaparecendo... e vai surgindo uma figura... um homem velho, vestindo uma manta clara... Seu corpo vai se tornando tangível... e este vai dizendo, com uma voz fina e aguda:

Assustado, Nago?! Nem parece que foi desta forma que eu trouxe você e a menina até aqui... com o teletransporte corpóreo... Um genuíno truque usado por... Magos do Tempo!

Nago sorri, enquanto levanta do chão!

O estranho, chamado Liel, diz:

Então a guria fugiu!!! O estranho é que...

Ele vai pra perto da estranha “caixa”, onde Samya estava confinada, olhando fixamente... Logo, diz:



Katana! Alguém rasgou a caixa com uma Katana, de fora...

Nago, impressionado, diz:



- Não foi Samy... Que decepção! Pensei que ela... Como uma menina bobinha daquelas conseguiria...?! Bem, é preciso achá-la...

Liel diz:



- Eu sei como!!!

Nago ironiza:



- Além de usar teletransporte, virou Mago do Tempo... pra fazer ADIVINHAÇÕES?!

Liel diz:



- Não! É só que eu tenho uns... rastreadores!!!

Nago, curioso, pergunta:



- Quantos? Quatro?

Liel, sério, diz:



- Quase... na verdade, são cinco!!! Infelizmente, não treinei a parte telepática... pra não ser descoberto... mas...

E ele manifesta uma energia... não, algo diferente... não menos poderoso... AURA!!!

Nago, não muito impressionado, diz:

- Lutador Espiritual!

Liel diz:



- Uma profissão proibida até hoje... Se alguém da Cúpula souber... Vou trazer os rastreadores...

Cinco gêiseres energéticos explodem ao lado de Liel... que pensa:



- Eu treinei a manifestação de aura... controle de mentes!!!

E cinco dos tais rastreadores aparecem... Lobos de uns 3 metros, com jubas tipo de leão e garras bem finas e enormes saindo das patas dianteiras e traseiras!

Os rastreadores ficam enraivecidos e partem para cima de Liel que, com um gesto de sua cabeça, faz com que os monstros fiquem como grogues... chacoalhando a cabeça... Logo, eles se agrupam... banhados por ondas aurais que saem da cabeça de Liel, que diz:

- Vocês encontrarão...
No outro dia...

Macco e Samya continuam andando... Samya, séria, diz:



- Macco... Eu queria que você me ensinasse a usar espada...

Macco, sempre sério, diz:



- Ainda tenho tempo... Vamos demorar só um pouquinho pra chegar no barco... Bem, talvez eu possa te ensinar... E o meu criador pode ensinar mais coisas!

Samya, curiosa, pergunta ao jovem:



- Por que não chama seu pai de... pai? Não seria melhor que “ele”, “criador”...?

Macco, agora com um ar de confusão, murmura:



- Pai...
Anne está sentada na pracinha da cidade, comendo algodão doce... enquanto Kalil exibe seus truques de levitação, rodeado por pessoa curiosas, ao lado de Ovatsug que toca sua canção... As pessoas ficam felizes com a exibição dos dois, e deixam dinheiro num pano, no chão...

Van está ao longe, com Daren... que diz:



- Eu sei que está arrependido com o que fez a Samya... E, sabe, ela deve achar que você morreu com Ovatsug na explosão da taverna, em Parnáres...

Van, triste, diz:



- É pior... Eu até disse pra ela que não via a hora de casar-me com ela, que não queria perdê-la de vista... nunca... Eu enganei até a mim mesmo com as mentiras que contei... para salvar a coitada da minha mãe...

Daren pergunta:



- Mas por que tudo isso? Você disse para o Kalil que não era rico, não?!

Van fica sem-graça, vira-se para o ninja, dizendo:



- Eu... não posso mentir mais... Mas... E-eu não sou rico, agora!

Daren insiste:



- Mas... já foi, né?!

Van, aflito, diz:



- Eu... não... posso... Férizad!

Daren diz:



- Quanto mais tenta esconder, mais revela a verdade... Essa linguagem... não é, certamente, deste continente, aqui!

Van sai bravo de perto de Daren, que pondera...


Kalil e Ovatsug se aproximam de Anne, que olha seus cabelos compridos... Ela, pensativa, diz:

- É melhor cortar eles um pouco... Isso atrapalha...

Ovatsug pergunta:



- Mas... por que, Anne?

Anne, acariciando e fazendo rolinhos com os dedos, diz:



- Na hora da luta... Já que eu... Meus poderes de ofensa estão aumentando... mas os de curar estão...

Kalil, alegre, diz:



- É verdadi! Ce destruiu o Langoh di uma veiz cum daquele raio branco...

Ovatsug diz:



- E você nos defendeu do golpe elétrico dos guardas, em Segam... Você curou meus ferimentos... em Parnáres...

Anne diz:



- Vocês dois estão certos! Eu preciso desenvolver todos os ataques... as possibilidades de energia Branca... Até ressuscitar, se preciso for!

Ovatsug, alegre, diz:



- Todos nós ganhamos bastante experiência... Até podemos aprender novos ataques!

Anne, contagiada pela alegria do elfo, diz:



- Se continuarmos assim, venceremos Nago... juntos!

Van aparece, dizendo:



- Eu ouvi a parte do Nago... É bom que tenham ganhado experiência e aprendido novos ataques... Vamos precisar de toda ajuda possível contra ele... Mas, mesmo assim, ele tem vantagens sobre todos nós! Ele pode usar todos os poderes... menos de tempo/espaço!

Anne, séria, diz:



- Não adianta dizer essas coisas, Van! A gente vai vencer o Nago, e salvar a Samya... Vamos, sim!

Van sorri... Logo, diz:



- Eu sei!!! Nago não é invencível... e eu tenho um ás na manga que pode derrotá-lo...

Kalil pensa:



- Se ele ta falanu... eu acredito!!!

Daren aparece, dizendo:



- É melhor irmos logo... Façamos o que temos de fazer aqui... e continuemos o caminho...

Anne, sorridente, diz:



- Eu... vou aparar meu cabelo um pouquinho, vou comprar umas roupas de proteção... e vou vender esse cajado, eu acho!!!

Ovatsug, feliz, diz:



- Eu preciso de umas flechas... Vou comprar bem mais dessa vez... e comprarei roupas novas!

Kalil diz:



- Comu eu fiquei e to sem camisa, vou comprar mais roupas e proteção, já que temos dinheiro, bastante dinheiro...

Daren diz:



- Só vou comprar uns shurikens, vamos ver!

Van, sem-graça, diz:



- Eu... queria... mudar de roupa...

Anne diz:



- Sim!

E Kalil diz:



- Seria bom si comprassi proteção, também...

Van sorri... E diz:



- É! Então vamos!!!
Fora de Juga...

O grupo continua seu caminho... Van usa uma regata azul, com calça verde-musgo e botas que chegam nas canelas, continuando com a lança que Daren lhe dera... Ovatsug usa roupas tipo de caçador (idem Zelda) vermelhas, com luvas esverdeadas, carregando uma bolsa de arco e flechas nas costas, e com sua flauta na cintura... Daren veste roupas ninja cor de gelo, com a adaga na cintura, nas costas... Anne veste um manto branco, com um vestido turquesa que bate abaixo dos joelhos... E Kalil usa uma camisa vermelha de mangas compridas... continua com a bermuda sintética e as luvas de trizínio...

Kalil, meio sério, diz:

- Mais umas horas, e nóis chega em Juna... Sabe, a cidade, pelu qui pensu, deve está bagunçada... pelo ataque dos centauros... Eles... destruíram muitas casas... e mataram muita gente... até... meu pai e a minha mãe...

Anne corre na frente de Kalil, dizendo:



- Então foi... isso!!! Eu... Desculpa, Kalil!!!

E a menina abraça Kalil com forca, com lágrimas nos olhos... Todos ficam tristes, e Van, nervoso!


O grupo logo se aproxima de Juna... e ficam pasmos com a destruição... Um pequeno vilarejo, com casas feitas de cimento e pedras, mas todas quebradas! Uma forte ventania passa por ali, levantando uma enorme poeira... Kalil se arrepia, seus olhos se enchem de lágrimas, e ele vai correndo até a cidade!

Van, com asco, pensa:



Cidades gêmeas! Uma é tão rica... e a outra... está um caos! São gêmeas, mesmo, por causa daquele...

Quando ele volta a si, todos seguiram o desesperado Kalil, e ele vai junto... vagarosamente...

Kalil já está no meio de Juna, ajoelhado e cabisbaixo, no chão de terra... com as mãos nas pernas, murmurando algo que só ele consegue entender:

-Peço perdão para todos que morreram aqui... Eu sou lutador, para ser forte... tenho de energia de gravidade, para vencer os centauros, que destruíram minha cidade...

E cenas mostram o ataque dos centauros, que matam um a um em seu caminho... com pisões, jogando as pessoas, usando o poder vegetal... portando armas de madeira... Mostra um casal sendo mortos, juntos... Uma pequena centaura olha tudo, chorando!

Súbito, um eco quebra o silencio! Um eco, que diz a Kalil:

Que bom! Você voltou mais forte... e com amigos, espero!

Um vulto atravessa a cidade velozmente, levantando poeira por onde passa... chegando até Kalil, que se impressiona, dizendo:



Ha-Hakushi?!

Uma garota linda, com cabelos rosa e olhos verdes, com um tipo físico de invejar, aparece... com um lindo sorriso! Ela agacha, apoiando uma das mãos no chão, enquanto a outra enxuga os olhos marejados de Kalil, que a abraça como uma criança assustada...

Anne, com ciúmes de criança, pergunta:

Quem é essa ai?()

Ovatsug e Van ficam babando!() Daren diz:



Energia... de... tempo/espaço?! Uma maga do tempo!!!

A tal levanta com Kalil, dizendo: (Ela vai abraçando todos)



Eu sou Hakushi, e fui tutora de Kalil... Cuidei dele e o ajudei a aprender técnicas de luta!

Anne, desconfiada e brava (), reclama:



MAS KALIL SABE GRAVIDADE... E O NINJA, QUE SABE TUDO, DISSE QUE VOCÊ É MAGA DO TEMPO! POR CAUSA DA SUA ENERGIA...

Hakushi agacha perto de Anne, dizendo:



Está meio-certa, criança... Tenho poderes de tempo/espaço, mas não sou Maga do Tempo... sou lutadora... Kalil desenvolveu a energia de Gravidade... porque...

Kalil diz, com veemência:



Porque os centauros são fracos contra gravidade...

Van, assustado, pensa:



Então foi por isso que Darla...

E ele pergunta:



Há quanto tempo... foi esse ataque?

Hakushi, pensativa, diz:



Foi... sei lá... uns sete anos atrás, eu acho! Eles vieram de todos os lados... com ódio nos olhos...

Kalil, triste, diz:



E... acabaram com tudo... Eu... estava em casa, quando ouvi os gritos e muito barulho... Eu saí de casa... e vi aquele monte de gente correndo e gritando... Eu me perdi, mas... Hakushi me viu e me tirou da cidade... Eu pedi pra ela ir buscar meus pais, e ela foi... mas voltou logo... e me disse que...

E o jovem lutador começa a derramar lagrimas no chão de terra...

Hakushi vai até Kalil, abraça-o, dizendo:

Eu queria ter salvado a todos, se pudesse! Talvez... se eu não tivesse saído com o Skallever!

Anne, impressionada, pergunta:



C-como? S-Skallever, você disse?

Hakushi, olhando pra Anne, diz:



Sim, criança! Skallever! O meu ex-namorado...

Ovatsug pergunta ():



É... solteira? É?

Hakushi consente com um sorriso... e o elfo cai pra trás ()...

Anne pergunta:

Aonde eu posso achar o Skallever?

Hakushi, levantando Ovatsug, diz:



Às vezes, na mansão da irmã dele e do marido... A mansão está abandonada, e fica à uma hora daqui!

Anne, desesperada, grita:



Kalil! Temos que ir pra lá!

Daren pergunta:



Por que esse desespero, Anne? Não íamos à sua casa? E quem é Skallever?

Hakushi percebe algo na menina, correndo até ela... examinando-a com os olhos (), dizendo:



Espera... um pouco?! Você... parece... Agora que eu reparei...

Anne, triste, diz:


- Eu sou... sobrinha do Skallever!!! Ele... é o irmão mais velho da minha mãe...

Hakushi abraça Anne, dizendo feliz:



Anne! Anne! Então você é sobrinha do Veve-chan!!! Então foi por isso que sua mãe...

Kalil, assustado, pergunta:



Ela? Anne... é sobrinha do... cavaleiro Skallever? Ela é filha do doutor...? E da dona...?

Ovatsug, bravo, pergunta:



Mas o que ta acontecendo aqui???

Hakushi, chorando de felicidade, diz:



Anne é filha de Oda e de Vivála Taketara... O famoso doutor Oda Taketara!

Van, impressionado, pergunta:



Taketara? O cientista tecnológico que ajudou a informatizar...? O que trabalhava para... grrr... o rei Maliga?

Kalil consente, sem certeza().

Daren comenta:

Eu não sabia que o doutor Taketara morava neste continente... Mas o estranho é só Mannachitáh ser informatizada... no continente... Mas isso é irrelevante, agora...

Ovatsug, nervoso, pensa:


- Que confusão?! São muitas histórias tristes... muito sofrimento... É por isso que Anne escondia sua história... E Kalil não estava aqui...

Anne começa a chorar,dizendo:



Eu queria ver meu tio... Quero saber da minha mãezinha... do segredo meu paizinho... se ele morreu... Eu-eu já sou forte... Meu bashidji disse que, quando eu tivesse forte, eu encontraria meu tio... Nem precisei deste...

E a menina mostra seu cetro de invocações...

Van grita:

O CETRO!!!

Vai até Anne, pegando o cetro das mãos dela... começando a brandi-lo no ar, gritando:



FÉTUSH! FÉTUSH! FÉTUSH!!!

Ovatsug diz:



É preciso disparar energia nele!

Van acumula energia de Água na mão, disparando-a contra o cetro, que absorve a energia, mas rejeita esta, jogando-a pelos céus!

Anne enxuga as suas lágrimas, e diz:

A invocação... também não é do seu elemento, Van! Ela... me rejeitou...

Van diz:


Ovatsug! Daren! Kalil! É melhor vocês tentarem...

Ovatsug é o primeiro a tentar... Ele manifesta sua energia Verde, envolta por folhas e pétalas de flores... Acumula energia em sua mão, enquanto a outra recebe o cetro das mãos das mãos de Van... O elfo dispara energia contra a bola do cetro, que absorve a energia dele...

Logo, o elfo, temeroso, ergue o cetro no alto de sua cabeça... e o objeto brilha intensamente, assustando a todos! Nisso, o cetro dispara de seus arredores finos raios Verdes, que explodem no chão, fracos! Daren, chateado, diz:

Dê-me o cetro, por favor... Eu vou tentar!

Daren segura o cetro com firmeza, acumula energia congelante em sua mão... enquanto segura o cetro coma outra, disparando a acumulada energia nele... O objeto absorve a energia de Gelo...Logo, o cetro rejeita a energia... jogando-a com tudo contra uma casa aos pedaços, localizada na frente do ninja, congelando-a parcialmente!

Anne, séria, diz:

Ainda falta você, Kalil! Deveria tentar...

Kalil, sem-graça e temeroso, diz:



Na-nã-não! É... melhor, não... E-eu... eu não sou dono deste bicho aí dentro, não!

Daren diz:



E quanto a sua mestra?! Se ela tem poder de tempo/espaço... Pode ser que seja um Chronah...

Hakushi, sem feliz, diz:



Sou da mesma opinião de Kalil... Certamente... não é meu, também!

Van, ponderando, comenta:



Acho que não pertence a nenhum de nós! Anne furtou o cetro de invocações de um demônio, que manipulava energia Negra... Então o certo é alguém de... Pode ser... Samya!!!

Todos, exceto Hakushi, se surpreendem!

Daren diz:

Mas pode ser que não seja um monstro de energia negra... Acho que, vindo de um demônio, pode ser um cetro roubado... Pode estar dentro do cetro: um Doomeh, um Bafáh, Edmondh, Limmah, Katuuh... um Chronah... ou realmente um Préscoth... Bem, se fosse um Préscoth, eu não... Realmente, não sei!

Hakushi diz:



Eu... queria saber saber quem é... Samya!

Todos ficam chateados, enquanto Anne olha com raiva para Van, que fica cabisbaixo... Hakushi vê o clima, e diz:



Xí... Eu não sabia que a minha curiosidade criava “climas ruins”... Se eu soubesse, não tinha tido nada...

Kalil diz:



Eu vou explicar, Hakushi...

Van interrompe, dizendo:



- É melhor...

Kalil continua, ignorando:



- Samya é uma amiga deles... Eu não conheci... Ela foi levada pelo mestre dela... e estamos tentando salvá-la...

Nisso, um enorme portal de energia dimensional se abre na frente deles, assustando-os muito! Do portal sai uma figura... um jovem com um manto negro, que tem seu rosto coberto pelo capuz da vestimenta negra... Ele começa a gritar:



- EU SEI DA MENINA, SAMYA! CONTINUEM A VAGAR PELO CONTINENTE, QUE ALGUÉM APARECERÁ... DUAS PESSOAS: UMA VOCÊS CONHECEM, MAS NÃO CONHECERÃO... E A OUTRA É...

Nisso ele tropeça no manto, que é comprido... e continua gritar:



- VOCÊS NÃO PODEM LUTAR...

Nisso, o portal libera outra criatura... Uma pequena fada, que usa um báculo muito maior que ela aparece, dizendo:



- Basta, Leinad!!! Já falou demais!!!

A pequenina ergue seu báculo bem alto, com suas mãozinhas... que começa a brilhar, irradiando uma energia pálida, quase invisível... Ela grita:



- PARALISIAAA!!!

O ar fica como se tivesse parado... Ondas do báculo chegam até o grupo, paralisando-os rapidamente!!!

A fadinha grita:

- EU DISSE PRA VOCÊ NÃO VIR AQUI, LEINAD! E O QUE VOCÊ FEZ?!

Leinad, sério, diz:



- Mas eu não podia deixá-los perdidos! E eles vão sofrer muito... Você não tinha nada que me mostrar à bola cristalina, que revela o futuro e o passado! Eu... Agora já foi!

A fadinha, brava, diz:



- Ai, Leinad! Você ta ficando muito rebelde! Vou te aplicar um castigo... Vai treinar com Lentidão! Vamos embora!

Leinad, sorri!!! Logo, ele grita:



- TA BOM, MESTRA MYDIED!!! VAMOS!!!

E a pequena fada mira a ponta do báculo contra o portal... que parece sugar... A fada entra nele, enquanto Leinad deixa cair no chão, perto de Hakushi, um rolinho de papel com um anel no meio... E o rapaz adentra o portal, que desaparece...



O grupo volta a si, não entendendo nada!

FIM DO EPISÓDIO


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal