Maria da paz medeiros dantas



Baixar 58.23 Kb.
Encontro27.07.2016
Tamanho58.23 Kb.


UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO SERIDÓ

CAMPUS DE CAICÓ

DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA

PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA DO NORDESTE


DESVENDANDO O VIVER NAS FAZENDAS DOS AZEVÊDO

Carnaúba dos Dantas - 1870/1940

MARIA DA PAZ MEDEIROS DANTAS

CAICÓ-RN

2001


MARIA DA PAZ MEDEIROS DANTAS

DESVENDANDO O VIVER NAS FAZENDAS DOS AZEVÊDO

Carnaúba dos Dantas - 1870/1940


Monografia apresentada ao Curso de Pós-Graduação em "História do Nordeste" da Universidade Federal do Rio Grande do Norte/Campus de Caicó, como parte dos requisitos para obtenção do título de especialista, sob orientação da professora Maria das Dôres Medeiros.

CAICÓ


2001


BANCA EXAMINADORA


_________________________________________________________

Prof. Ms. Iranilson Buriti de Oliveira

_________________________________________________________

Prof. Ms. Muirakytan Kennedy de Macêdo

_________________________________________________________

Profª Maria das Dôres Medeiros

Dedico este trabalho a Deus, guia da minha sabedoria.

Aos meus pais, Inácio (in memoriam) e Maria, pelo testemunho inesquecível de amor e fé.

A Gonçalves, Rafael e Taciana, que me deram força e carinho para vencer esta batalha que construímos juntos e na qual tanto me empenhei.

AGRADECIMENTOS

Ao concluir este trabalho, sinto-me bastante realizada ao ver o resultado da minha exaustiva jornada, bem como agradecida a todos que, direta ou indiretamente, auxiliaram na concretização deste projeto.

Inicialmente, agradeço a Deus pela forma como está presente em minha vida e por esta oportunidade. Nele, encontrei forças para superar os obstáculos e concretizar o meu sonho.

Agradeço, carinhosamente, aos meus pais, Inácio e Maria, que foram a base de todo o meu crescimento humano e espiritual.

A Gonçalves, meu esposo, Rafael e Taciana, meus filhos, pelo apoio, carinho e compreensão no momento em que deles mais precisei.

Especialmente, agradeço a minha orientadora Maria das Dôres Medeiros, uma figura acima de tudo humana, amiga, simpática e competente, que desde o início compartilhou comigo a trajetória de realização deste trabalho.

Ao pesquisador Helder Macedo, meus sinceros agradecimentos, pela constante colaboração no esclarecimento de dúvidas, pela leitura crítica dos originais, pelo empréstimo de fontes bibliográficas e iconográficas, pela amizade fortalecida.

A Lúcia de Fátima, minha irmã, pelo apoio e pela sustentação psicológica indispensável à conclusão desta árdua tarefa.

Aos professores da UFRN - Campus de Caicó, notadamente aos do Departamento de História e Geografia, pela possibilidade de realização do Curso de Pós-Graduação em História do Nordeste.

À Prefeitura Municipal de Carnaúba dos Dantas, por intermédio do Prefeito Paulo Medeiros, pelas vezes que nos concedeu o transporte até Jardim do Seridó.

Os meus agradecimentos são extensivos ao professor Alexandre que, por amor a língua portuguesa, realizou a revisão gramatical dos textos.

Minha gratidão à direção da Escola Estadual "João Henrique Dantas", onde leciono. Especialmente, a Maria do Socorro Cândido, Fábio Ronan e Geová Rodrigues, pela compreensão recebida.

Aos colegas Sérgio Enilton e Lourdinha Azevêdo (pela concessão de fonte bibliográfica), Adriano (pela colaboração em alguns textos), demais funcionários (que acreditaram no meu trabalho) e Juçara Medeiros (cuja companhia traduziu-se em segurança e coragem na difícil batalha).

Agradeço à presteza da funcionária da Biblioteca Pública "Donatilla Dantas" de Carnaúba dos Dantas - Gracinha, pessoa que se fez gentil nos empréstimos de livros.

A Hércules e a Sheyla, pelo desenho da planta baixa da casa-grande das Fazendas Antonio de Azevêdo e Cabrinha de Azevêdo.

À Cláudia, sou grata pelos trabalhos de digitação dos textos.

Enfim, um agradecimento especial a todos os informantes, heróis comuns, que resguardam na memória a história viva do homem nas fazendas. São personagens anônimas sem as quais teria sido impossível realizar este trabalho.

SUMÁRIO



Pág.
LISTA DE FIGURAS......................................................................................... 7

RESUMO........................................................................................................... 8
INTRODUÇÃO.................................................................................................. 9

  1. O POVOAMENTO DE CARNAÚBA DOS DANTAS NO CONTEXTO


DA COLONIZAÇÃO DO SERIDÓ........................................................ 13

    1. Processo de povoamento e colonização do Seridó......................... 14

    2. Povoamento da data da Carnaúba.................................................. 22

    3. Fazenda Antonio de Azevêdo.......................................................... 28

    4. Fazenda Cabrinha de Azevêdo....................................................... 33




  1. CASA DA FAZENDA............................................................................ 39

    1. Arquitetura da casa-grande das fazendas Antonio de Azevêdo e

Cabrinha de Azevêdo....................................................................... 40

    1. O cotidiano na fazenda: função dos espaços domésticos da

casa-grande...................................................................................... 49


  1. RITOS DA VIDA PRIVADA.................................................................... 60


CONCLUSÃO................................................................................................... 80
ANEXOS............................................................................................................ 83
FONTES E BIBLIOGRAFIA.............................................................................. 87

LISTA DE FIGURAS

FIGURA 1 – Primeiras Fazendas do Município de Carnaúba dos Dantas........ 26

FIGURA 2 – Fazendas Azevêdo........................................................................ 28

FIGURA 3 – Serra do Marimbondo...................................................................... 31

FIGURA 4 – O casal Manoel Henrique de Azevêdo e

Amélia Maria da Conceição........................................................... 35

FIGURA 5 – O casal Inácio Estevam de Medeiros e

Maria das Neves Azevêdo de Medeiros......................................... 35

FIGURA 6 – Casa-Grande da Fazenda Antonio de Azevêdo.............................. 41

FIGURA 7 – Fachada lateral esquerda da Casa da Fazenda

Antonio de Azevêdo....................................................................... 41

FIGURA 8 – Planta da Casa-Grande da Fazenda Cabrinha de Azevêdo........... 43

FIGURA 9 – Alpendre da Casa-Grande da Fazenda Cabrinha de Azevêdo....... 45

FIGURA 10 – Planta da Casa-Grande da Fazenda Cabrinha de Azevêdo......... 46

FIGURA 11 – Braço de carnaubeira da Casa Cabrinha de Azevêdo.................. 47

FIGURA 12 – Banco de madeira da Fazenda Cabrinha de Azevêdo.................. 52

FIGURA 13 – Banca que pertenceu a Manoel Aprígio de Azevêdo..................... 52

FIGURA 14 – Relógio de parede da Fazenda Antonio de Azevêdo..................... 52

FIGURA 15 – Banca de ornamentação da Casa de Antonio de Azevêdo............ 52

FIGURA 16 – Máquina de costura da Fazenda Cabrinha de Azevêdo................. 54

FIGURA 17 – Lavatório da Fazenda Antonio de Azevêdo.................................... 56

FIGURA 18 – Fogão a lenha da casa de Manoel Cabrinha.................................. 56

FIGURA 19 – Baú de Amélia Maria da Conceição................................................ 70

FIGURA 20 – Imagem do Senhor da Fazenda Antonio de Azevêdo.................... 75

FIGURA 21 – Imagem do Senhor da Fazenda Cabrinha de Azevêdo.................. 75

RESUMO

Este estudo possibilitou a interpretação do espaço histórico, através das articulações deste com as dimensões sócio-econômicas e com um de seus entes específicos, as práticas culturais que se nutrem da memória de um lugar específico, as Fazendas Azevêdo de Carnaúba dos Dantas. Tal interpretação foi articulada a partir do movimento colonizador empreendido pelas elites no espaço do Rio Grande do Norte, desde o momento em que pela pecuária deu-se a ocupação do Seridó (Século XVII) e da Data da Carnaúba (Século XVIII) até a década de 1940, quando são perceptíveis as mudanças e permanências significativas no cotidiano e nos ritos da vida privada das Fazendas Antonio de Azevêdo e Cabrinha de Azevêdo.



CAPÍTULO I


O POVOAMENTO DE CARNAÚBA DOS DANTAS

NO CONTEXTO DA COLONIZAÇÃO DO SERIDÓ




E o progresso de um lado a outro lado

Carnaúba deve muito a seu passado

Nas famílias dos Dantas e Azevêdo

Aos Medeiros, Araújos e aos Macêdo...

(Francisco Rafael Dantas)



CAPÍTULO II


A CASA DA FAZENDA

Louvo a casa de morada,

Porta, batente e portal,

Cupiá, tijolo, alpendre,

Terreiro, sala e quintal,

Camarinha, telha e ripa,

Cozinha, caibro e beiral.

(Juvenal Lamartine)



CAPÍTULO III


RITOS DA VIDA PRIVADA


É através dos mortos que se conhecem os vivos.

(Gabriela Martín)

A N E X O S






Compartilhe com seus amigos:


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal