Mercedes-Benz Classic apresenta jóias do automobilismo esportivo e ícones da marca em Pebble Beach 2012



Baixar 76.82 Kb.
Encontro01.08.2016
Tamanho76.82 Kb.







M
Data:
20 de julho de 2012

Informação à Imprensa
ercedes-Benz Classic


Mercedes-Benz Classic apresenta jóias do automobilismo esportivo e ícones da marca em Pebble Beach 2012

  • Automobilismo no DNA: 60 anos do Mercedes-Benz SL

  • Daimler Reitwagen: precursora da motocicleta

  • Luxo além do tempo: o Mercedes-Benz SS que pertenceu ao Marajá de Kashmir

Stuttgart - A Mercedes-Benz Classic mostrará alguns de seus veículos mais importantes este ano no Pebble Beach Concours d'Elegance, nos Estados Unidos. Realizado no campo do California's Pebble Beach Golf Links, o evento é considerado a mais importante exibição de carros históricos do mundo. Para a marca Mercedes-Benz, o foco estará concentrado no sexagésimo aniversário do modelo de competição 300 SL (série W 194), de 1952. Outros veículos históricos de grande importância da coleção da marca, com sede em Stuttgart, também estarão na mostra nas áreas temáticas "Carros de Marajás" e "Motocicletas Alemãs".
O Concurso de Elegância de Pebble Beach acontece tradicionalmente no terceiro domingo de agosto, que este ano cai no dia 19. A data marca o ponto alto de um final de semana em que os mais finos e elegantes automóveis já fabricados participam de passeios, leilões e outros eventos. A fantástica dedicação à tradição automotiva, em seu mais alto grau, atribuiu a Pebble Beach uma reputação inigualada entre os aficionados de carros clássicos. Realizado pela primeira vez em 1950, o evento continua a atrair como nenhum outro o interesse de entusiastas, especialistas e colecionadores de todo o mundo.
Os carros da Mercedes-Benz têm um lugar muito especial na história do Pebble Beach Concours d'Elegance, onde ganharam o prêmio de Best of the Show (Melhor da Exposição) várias vezes, além de mais de 120 prêmios de Melhor da Categoria e Prêmios Especiais, parte de uma longa relação de destaques desde 1950.
Em 2012, a Mercedes-Benz Classic comemora em Pebble Beach o sexagésimo aniversário do 300 SL de competição (W 194). Esse foi o carro que, através de memoráveis vitórias, lançou as fundações do renascimento da Mercedes-Benz nas corridas após a Segunda Guerra Mundial, em 1952, e deu início à fama legendária da sigla SL. Um veículo original representará essa era triunfante no Concurso de Elegância - o mais antigo SL existente, o W 194 com chassi número 0002. A Mercedes-Benz Classic também levará para Pebble Beach o SL protótipo com o chassi número 0011. Desenvolvido para a temporada de corridas de 1953, este carro mostrou o potencial que tinha para ser desenvolvido no futuro como veículo de competição.
O veículo esportivo W 198 produzido em série, o legendário "asas de gaivota", foi lançado em 1954 como versão de rua do 300 SL de competição. Os Estados Unidos tiveram uma participação importante nesse capítulo da história de sucesso da Mercedes-Benz: foi Maximilian E. Hoffman, importador da Mercedes-Benz no país, quem sugeriu o lançamento do 300 SL como modelo de produção. Desde o início, os EUA foram um dos maiores mercados para este carro esportivo de alto desempenho.
A Mercedes-Benz Classic também vai relembrar os primórdios da história automotiva com a Daimler Reitwagen. Em 1885, Gottlieb Daimler e Wilhelm Maybach criaram a precursora de todas as modernas motocicletas e banco de testes para o desenvolvimento do automóvel, usando seu motor a quatro tempos para comprovar sua viabilidade na propulsão de veículos.
No outono de 1885, a moto demonstrou sua capacidade em um teste de rodagem entre as cidades alemãs de Cannstatt e Untertürkheim. Apesar disso, nunca foi produzida em série. A primeira motocicleta do mundo, com suas rodinhas de apoio, permaneceu única.
A Reitwagen 1906, hoje parte da coleção da Mercedes-Benz Classic, é uma réplica autêntica da original, que foi destruída em um incêndio na fábrica de Cannstatt em 1903. Ela será mostrada em Pebble Beach na exibição especial "Motocicletas Alemãs".
Ao mesmo tempo, a exposição "Carros de Marajás" rememora a grande era da história automotiva da Índia. Para ela, a Mercedes-Benz Classic levará a Pebble Beach um SS. Esse granturismo equipado com turbocompressor - um paradigma em termos de luxo e minucioso acabamento - foi fabricado em 1930 especialmente para o Marajá de Kashmir.
No primeiro terço do século 20, o Marajá era um dos entusiastas indianos do automóvel que adquiriram alguns dos mais espetaculares e caros veículos de sua era, muitas vezes encomendando carrocerias únicas, especialmente desenvolvidas. Sem dúvida alguma, o Marajá se sentiria em casa no Concurso de Elegância de Pebble Beach 2012, ante a ilustre coleção de automóveis clássicos participantes.
Veículos da Mercedes-Benz Classic no Concurso de Elegância 2012 de Pebble Beach
Mercedes-Benz 300 SL de competição (W 194), 1952

Com o final da Segunda Guerra Mundial, a Mercedes-Benz voltou ao automobilismo internacional com o 300 SL de competição (W 194) em 1952. O carro tinha como estrutura uma treliça ultraleve e extremamente rígida, coberta por uma elegante carroceria de liga leve, feita de chapas de alumínio- magnésio. Como a treliça exigia que as laterais fossem altas, para manter sua rigidez, o W 194 não podia ter portas convencionais. Por isso, o carro de corrida foi equipado com suas características portas com abertura para cima. Esse detalhe foi adotado no 300 SL (W 198) produzido em série, lançado em 1954, que logo ganhou o apelido de "asas de gaivota".
O W 194 era movido por um motor M 194 com seis cilindros e 170 cv (125 kW), com 2.996 cm³. O 300 SL fez sua estreia em corridas em maio de 1952, na tradicional prova de estradas Mille Miglia, na Itália, após ter sido mostrado pela primeira vez em março do mesmo ano. O grande sucesso do W 194 em sua primeira e única temporada de competições incluiu uma vitória tripla no Prêmio de Berna, espetaculares dobradinhas na 24 Horas de Le Mans e na 3ª Carrera Panamericana, no México, além da vitória no Grand Prix de Carros-Esporte do Aniversário de Nürburgring.
No período logo após a guerra, a Daimler-Benz AG não possuía meios nem capacidade para desenvolver um carro radicalmente novo para a Fórmula 1, principalmente porque eram iminentes grandes mudanças no regulamento. Por isso, os responsáveis em Stuttgart decidiram utilizar o que já dispunham e desenvolver um carro-esporte. Em 1952, eles contavam com o motor do Mercedes-Benz 300, mais conhecido como "Adenauer" (referência ao chanceler alemão na época). Modificado, mais potente e adaptado ao novo chassi em treliça tubular, ele também foi usado no 300 SL. A carroceria do carro de corrida podia ser a "asas de gaivota" fechada, ou, em algumas corridas, aberta, tipo roadster.
Mercedes-Benz 300 SL (W 198), de 1954 a 1957

Em 1954, incentivada por Maximilian E Hoffman, importador da marca nos Estados Unidos, a Mercedes-Benz desenvolveu uma versão de produção do 300 S. Assim nasceu o legendário 300 SL "asas de gaivota" (w 198), utilizando uma série de características originadas no veículo de competição, inclusive sua leve e altamente resistente estrutura tubular.

O carro esporte W 198 foi lançado em fevereiro de 1954, no International Motor Sports Show, em Nova York. Nos países de língua inglesa, ele logo passaria a ser conhecido como o "gullwing", devido às portas com dobradiças no teto do carro.
O 300 SL foi o primeiro carro do mundo produzido em série com um sistema de injeção direta de combustível, que lhe proporcionava grande potência e eficiência. Com 215 cv (158 kW), ele era 40 cv mais potente do que a versão de corridas equipada com carburador. O motor era posicionado com uma ligeira inclinação, o que resultava numa dianteira especialmente plana e características aerodinâmicas excelentes. Em condições de rodagem, o carro pesava apenas 1.295 kg, incluindo pneu sobressalente, kit de ferramentas e combustível. A combinação de potência, design aerodinâmico e construção ultraleve proporcionava uma performance impressionante. Dependendo da relação do diferencial, o 300 SL podia atingir uma velocidade máxima entre 235 km/h e 250 km/h.
Daimler Reitwagen, 1885

Em 1885, Gottlieb Daimler e Wilhelm Maybach deram um grande passo no desenvolvimento do motor a quatro tempos para propulsão de veículos. Os pioneiros trabalharam com a invenção de Nikolaus August Otto, tornando-a muito mais rápida, reduzindo simultaneamente seu tamanho e peso. Foi preciso, então, testar o motor - que foi apelidado de 'relógio de carrilhão' por causa do cilindro vertical saliente – em um veículo. Para isso, foi usada uma opção com duas rodas, com quadro e rodas de madeira.
Era a Daimler Reitwagen, movimentada por um motor de um cilindro com 264 cm³, com potência de 0,5 cv (0,37 kW) a 600 rpm. A força era transmitida por uma correia de couro que podia ser posicionada - com a moto parada - em duas polias com tamanhos diferentes. Uma forma simples de dotar o veículo com duas marchas.

Em 29 de agosto de 1885, Daimler obteve a patente da Reitwagen como uma "Máquina movida a Gás ou Petróleo", com o número 36423 do registro de patentes alemão. Em novembro do mesmo ano, o filho mais moço de Daimler, Adolf, conduziu o veículo em sua viagem de estreia de Cannstatt até Untertürkheim, atingindo velocidades de até 12 km/h.
Mercedes-Benz SS, de 1928 a 1934

Em 1928, após o sucesso do esportivo Tipo S com compressor de 1927, a Mercedes-Benz lançou o SS (Super-Sport). A principal diferença em relação ao carro de 1927 era o novo motor M 06, que também foi usado posteriormente no SSK e SSKL. Esse motor de 7,1 litros gerava 140 cv (103 kW) sem compressor (a partir de 1930, 160 cv/118 kW) e 200 cv (147 kW) a 3.300 rpm com o uso do compressor.
O SS teve grande sucesso nas pistas. Entre os maiores, proporcionou à Mercedes-Benz uma vitória tripla no GP da Alemanha em 15 de julho de 1928 em Nürburgring.
Em outubro de 1928, o programa de vendas da Mercedes-Benz passou a oferecer o SS para clientes com paixão pela velocidade. Um granturismo com DNA de competição, o veículo e seu motor superalimentado de alto desempenho ganharam popularidade perante clientes ricos e exigentes. Ele tinha um chassi mais leve que o do tipo S e era oferecido em várias configurações. Inicialmente, havia um esportivo com quatro lugares, além do modelo básico. No final de 1929, chegou um conversível de quatro lugares, vendido por 44 mil marcos. Em setembro de 1932, a linha ganhou um conversível com dois lugares, que também era oferecido como roadster.
Contatos:

Marcel Dellabarba, Telefone: 011 4173-7314

Email: marcel.dellabarba@daimler.com

Mais informações sobre a Mercedes-Benz estão disponíveis na internet em:



www.mercedes-benz.com.br/imprensa


Comunicação Corporativa - Mercedes-Benz do Brasil
Mercedes-Benz – Uma marca da Daimler AG


©principo.org 2016
enviar mensagem

    Página principal