Ministério da saúde equipe Multidisciplinar



Baixar 0.62 Mb.
Página8/8
Encontro29.07.2016
Tamanho0.62 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8



Repor no momento da captação:

. Ringer lactato gelado 04 frascos

. Soro fisiológico 0,9% congelado 06 frascos

. Gelo não estéril

. Serra elétrica

. Bandeja de captação

. Monitor de transporte

. Ecocardiograma portátil



Anexo 10: Fluxograma do processo de DOAÇÃO.


Coordenador TX

Envia Equipe Manutenção/captação (*)

Preenche Ficha do Doador

Discussão Com Cirurgião Responsável


Aciona Equipe Intra e extra-Hospitalar (**)


Coordenador do Transplante


Provas documentais de morte encefálica

duas provas clínicas + exame complementar

Parâmetros clínicos e exames mínimos

Vide Ficha do Doador


Termo de doação assinado pela família



Cirurgião Responsável



Órgão Aceito: Encaminhar Equipe Manutenção/Retirada ao Hospital do Doador

Sem Definição: Transportar Doador ao INC


Órgão Negado: Preencher motivos na ficha do Doador
OU

(*) Equipe Manutenção e Captação



  1. Distância < 20Km e boa infra-estrutura

. Baixa probabilidade de transferência do doador ao INC;

. Encaminhar, inicialmente, apenas equipe manutenção. Restante da equipe de captação a ser encaminhada quando órgão for aceito.


  1. Distância < 20Km e sem infra-estrutura

. Probabilidade alta de transferência do doador ao INC.

. Avaliar com equipe clínica e cirúrgica as condições clínicas do recipiente (recipiente marginal?) / urgência do TX.

. Definição sobre transferência do doador ou encaminhamento da equipe manutenção / captação a ser definida.




  1. Distância > 20Km e boa infra-estrutura

. Baixa probabilidade de transferência do doador ao INC.

. Enviar toda a equipe (manutenção/captação) no mesmo momento.


  1. Distância > 20Km e sem infra-estrutura.

. Probabilidade intermediária-alta de transferência do doador ao INC

. Avaliar com equipe clínica e cirúrgica as condições clínicas do recipiente (recipiente marginal?) / urgência do TX.

. Definição sobre transferência do doador ou encaminhamento da equipe manutenção / captação a ser definida.

(**) Acionamento das equipes quando de um potencial doador:
Responsabilidade do Coordenador TX.
. Estimar os tempos de atuação de cada membro da equipe.

. Fornecer nome do paciente (recipiente) e doador (caso transferência ao INC) e seus respectivos locais de internação




      1. Banco de Sangue (Ramal 2257)

      2. Paciente a ser transplantado, caso esteja em acompanhamento ambulatorial

      3. Supervisor administrativo

      4. Supervisor de enfermagem

      5. Transporte: Organizar transporte para o paciente a ser transplantado e o transporte para a equipe de manutenção/captação. Atentar para a possibilidade de transporte UTI para transferência do doador ao INC.

      6. Centro Cirúrgico

      7. Equipe de manutenção e captação

      8. Equipe de implante

      9. Cardiologia

      10. Imunologia

      11. Portaria / Internação: Preenchimento da AIH. Busca de leitos para internação do doador (Pós-op, caso transferência do mesmo ao INC) e do recipiente (pós-op ou sétimo andar)

      12. Arquivo médico. Se fim-de-semana ou entre 19h e 7h, a secretária ou o próprio coordenador serão responsáveis pela busca do prontuário médico que deverá acompanhar o recipiente onde ele estiver

      13. Pós-operatório

      14. Enfermaria sétimo andar

      15. Farmácia. Enviar para o local de internação do recipiente sua prescrição pré-operatória.

      16. Hemodinâmica (caso transferência do doador ao INC para CAT)





Anexo 11


Paciente: _______________________________________ Pront.: _________

Idade: __________ Peso: __________ Altura: _________

Alergias:  nega  Sim _________________________________



ADMISSÃO PRÉ-TRANSPLANTE CARDÍACO
 Manter o paciente em dieta zero (avisado às _____ h)

 Hemograma, Coagulograma, Uréia, Creatinina, Glicemia e Eletrólitos

 Tipagem sanguínea e prova cruzada

 Reserva de hemoderivados para o centro cirúrgico, depletados de leucócitos:

6 U concentrados de hemácias,

6 U plasma

1 U plaquetas/10Kg peso

 Banho com clorexidina e tricotomia

 Higiene oral com clorexidina
Cuidados Adicionais:

 CDI ou MP ____________________ (modelo) – avisar cirurgião.

 Enviar para o centro cirúrgico RX e/ou TC de tórax em caso de cirurgia cardíaca prévia.
Anestesiologia:

 Acesso venoso profundo: triplo lúmen (preferencialmente VJIE) e introdutor para cateter de Swan Ganz (preferencialmente VJID). O cateter de artéria pulmonar será posicionado após a cirurgia.

 Artéria radial

 Acesso venoso periférico (jelco 18-20)


Medicações:

 Metilprednisolona 500 mg. Iniciar infusão IV na chamada para o centro cirúrgico, após confirmação de enxerto adequado.

 Vitamina K 10 mg IV (independente de anticoagulação prévia), após confirmação de enxerto adequado.

 Antibioticoprofilaxia – 1 hora antes da incisão cirúrgica:

 Cefazolina 2g IV 8/8h

OU

 Vancomicina 1g 12/12 h + Ciprofloxacina 400 mg IV 12/12h

(pacientes com com alergia à ß-lactâmicos OU

internações prolongadas OU

qualquer internação em CTI nos últimos 3 meses OU

pacientes colonizados por MRSA)


Anexo 12: Lista de Material para a Cirurgia do Transplante
a. Suturas

(4) Algodão 2-0

(2) Ethibond 2-0 com Pledget

(3) Prolene 4-0 BB

(3) Prolene 4-0 SH

(2) Prolene 3-0 SH 48”

(2) Prolene 6-0

(2) Algodão 2-0 Sertix

(4) Prolene 0

(2) Vicryl 2-0

(2) Vicryl 4-0 Incolor

(2) Fitas Cardíacas

(4) Fios de Marcapasso
b. Cânulas

Aórtica 20

Venosa Reta Aramada 24

Venosa Angulada Aramada 24

Cardioplegia Anterógrada com Aspiração
c. Outros Materiais

Ioban


Aspirador Ponteira de Metal

Ponteira de Veia de Plástico

(2) Jacaré

Gerador de Marcapasso Dupla Câmera

Manifold 3 Toreiras

Conector Macho-macho

Cânulas Femorais disponíveis em caso de reoperação (ECMO)

Desfibrilador Externo Estéril / Placas de Zoll


d. Preparo do Órgão do Doador

Mesa de Mayo 1

Bacia Estéril com 2L de Soro Fisiológico gelado

(1) Tesoura Metz

(2) Pinças de Bakeys

(1) Frasco de Hemocultura Aeróbio

(1) Frasco de Hemocultura Anaeróbio

(1) Frasco Estéril


e. Recepção do Órgão Explantado

Mesa de Mayo 2

Tesoura de Mayo


Serviço de Transplante Cardíaco


Instituto Nacional de Cardiologia – Laranjeiras

P
Anexo 13


aciente: _______________________________________ Pront.: _________
ROTINA NO PÓS-OPERATÓRIO
Os pacientes são acompanhados pela Equipe do Tx Cardíaco e do Pós-operatório.
Em caso de necessidade, contactar o médico do Transplante responsável por esta internação: ____________________________________ Tel: ____________________
 Manutenção de fluxo adequado e perfusão periférica satisfatória:

(OBS.: CORAÇÃO DENERVADO – Manter FC entre 80 e120 bpm)


Intensificar a Vigilância:

 FC < 60 bpm (ligar o MP epicárdico, mantendo FC 90-110 bpm)

 Febre (paciente IMUNOSSUPRIMIDO! Colher hemoculturas - 02)

 Arritmias ventriculares ou atriais - CONSIDERAR biópsia endomiocárdica de emergência ou tratamento de REJEIÇÃO aguda/hiperaguda.


Hemoderivados:

 Utilizar sempre hemoderivados depletados de leucócitos e/ou irradiados.


Laboratório:

 Hb, Ht, Coagulograma, Eletrólitos, Glicose, Uréia e Creatinina, Gasometria Arterial/Venosa ECG e Radiografia de tórax na chegada e na rotina diária

 Troponina e Enzimas musculares nos dias 1 e 2

 Amilase, Lipase, Bilirrubinas, TGO, TGP no D3

 Ecocardiograma no dia 4-5, ou mais precocemente se houver indicação clínica

 Biópsia endomiocárdica, viremia do CMV e ciclosporinemia semanais.


Profilaxia e Tratamento da Disfunção de VD – contactar a Equipe de Tx

 Promover alcalose respiratória e corrigir eletrólitos

 MANTER milrinone - máx de 0,75 mcg/kg/min (redução pela equipe de Tx)

 Sildenafil 25 mg 8/8h por CNE, DESDE o D1 pós-op

 Considerar óxido nítrico 20-40 ppm e/ou isoproterenol 0,5 a 5 mcg/min
Imunossupressão:

 MANTER Metilprednisolona 10mg/Kg/dia IV às 8h, início da redução após atingir dose ideal de ciclosporina, sob orientação da Equipe do Tx.

 Outros Imunossupressores (Micofenolato de mofetil, ciclosporina ou sirolimus) serão iniciados pela Equipe de Tx A PARTIR do D2.
Profilaxia Antimicrobiana:

 SMX-TMP 400/80mg – 2 comp VO diariamente. INICIAR APÓS EXTUBAÇÃO, (se não for possível iniciar droga até o D7, discutir com CCIH início da droga IV).




Serviço de Transplante Cardíaco


Instituto Nacional de Cardiologia – Laranjeiras

P
Anexo 14


aciente: _______________________________________ Pront.: _________
ROTINA PÓS-TRANSPLANTE NO ANDAR – MÉDICA
 Peso diário em jejum.

 Rotina laboratorial diária – função renal, eletrólitos, hemograma.

 Prednisona ________ mg/dia VO na admissão, reduzir 10mg/dia até a dose de 20 mg/dia.

 Ciclosporina ________ mg 12/12h VO na admissão (total 200-250 mg/dia). Controlar função renal e nível sérico semanal.



ou

 Sirolimus _______ mg/dia VO pela manhã (total 2-4 mg/dia). Controlar nível sérico e BEM. Reavaliar possibilidade de troca para ciclosporina após estabilização da função renal.

 Micofenolato de mofetil 500 mg 12/12h VO. Controlar leucograma e plaquetas.

 SMX/TMP 400/80 - 2 comp VO ao dia.

 Sildenafil 25 mg VO 8/8h mantido por 1 mês (postergar em casos de disfunção de VD).

 Furosemida ______ mg/dia.

 Omeprazol 40mg VO em jejum.

 Estatinas VO, exceto se enzimas musculares ou hepáticas elevadas.

 Protocolo de controle de glicemia 6/6h, com insulina regular SC.

 Avaliar hipertensão arterial sistêmica: preferir IECA ou ARA (proteção renal), ou bloqueadores de canal de cálcio (avaliar redução da dose de ciclosporina).

 Avaliar necessidade de reposição de ferro.

 Benzonidazol _________mg VO 12/12 h (5mg/kg/dia dividido em 2 tomadas), pacientes chagásicos, total de 60 dias.


 BEM, ECO, ECG, Rx de tórax, CMV e ciclosporinemia semanalmente no primeiro mês, ou a cada suspeita de rejeição (arritmias, baixa voltagem ao ECG, B3, B4 ou atrito pericárdico, sobrecarga de volume/aumento de peso, hipotensão, taquicardia, diminuição do débito urinário, aumento da creatinina e febre). Esquema de exames no quadro anexo.
Febre:

 Avaliar feridas operatórias, acessos venosos e possibilidade de úlceras de decúbito.

 Sintomas respiratórios, urinários ou digestivos. Avaliar cavidade oral.

 Hemograma, PCRt, Rx de tórax, hemo e urinoculturas, sorologias (CMV, toxo, etc).


Rejeição:

 0R e 1R sem tratamento

 2R: prednisona 100 mg VO 3 dias, sem necessidade de internação se não há disfunção de VE, arritmias ou instabilidade hemodinâmica.

Repetir a biópsia em 1-2 semanas. Se negativa, maximizar o esquema imunossupressor. Se positiva, internar o paciente e fazer metilprednisolona 1g IV, 3 dias, re-biópsia em 1-2 sem.

 3R sem disfunção de VE: metilprednisolona 1g IV, 3 dias e nova biópsia 1-2 sem.

 3R com disfunção de VE ou arritmias e instabilidade hemodinâmica: além de metilprednisolona, considerar Timoglobulina ou Ciclofosfamida.




Serviço de Transplante Cardíaco


Instituto Nacional de Cardiologia – Laranjeiras

Paciente: _______________________________________ Pront.: _________


Anexo 15


ROTINA PÓS-TRANSPLANTE NO ANDAR - ENFERMAGEM
 Realizar os sinais vitais 4/4h

 Anotar peso diário em jejum

 Anotar diurese 12/12h

 Incentivar ingesta hídrica de até 4L/dia, exceto em casos estabelecidos pela equipe



OU

 Manter restrição hídrica de __________ ml/dia, conforme determinado pela equipe

 Manter a cabeceira elevada a 30o

 Realizar desinfecção das conexões antes e apos a administração de medicamentos venosos com álcool 70º

 Evitar refluxo de sangue no sistema venoso

 Técnica asséptica para troca de curativos de acesso venoso profundo, utilizando clorexidina alcoólica no orificio

 Realizar curativos diários em feridas operatórias imediatamente após o banho, observando e anotando a presença de sinais flogísticos

 Avaliar e anotar a integridade cutânea diariamente

 Incentivar o paciente a caminhar e utilizar o banheiro sob supervisão do cuidador

 Reduzir o número de visitas diariamente (máximo de 2 pessoas)

 Orientar a lavagem de mãos de visitas e cuidadores

 Aprazar os imunossupressores (ciclosporina e micofenolato de mofetil) fora dos horários de jejum e refeições, com intervalo mínimo de 2 horas entre eles e em relação aos anti-ácidos e à reposição de ferro.

 Garantir que fisioterapia respiratória/motora seja realizada em todo o período de internação

 Informar à Equipe de TX:

PA < 90x50 mmHg

FC < 60 ou > 120 bpm, pricipalmente se sintomáticos

Febre ≥ 38º

Diurese < 250 ml /4h

Cansaço, dispnéia ou arritmias

Alteração do estado mental

 Assegurar-se da realização de coleta de sangue diária pelo laboratório, conforme solicitado pela equipe

 Coletar sangue para nível sérico de ciclosporina e detecção de viremia do CMV (enviado para Laboratório credenciado).

 Realizar a admissão nas internações periódicas (semanal no primeiro mês e quinzenal no segundo mês) e preparar o paciente para a realização dos exames programados:

Biópsia endomiocárdica

Ecocardiograma após a biópsia

Radiografia de tórax e ECG


P
aciente: _________________________________ Pront.: ________________

I

Serviço de Transplante Cardíaco


Instituto Nacional de Cardiologia – Laranjeiras

Anexo 16
dade: __________ Peso: __________ Altura: __________

Alergias:  nega  Sim __________________________________

Data do Exame: _____/ _____/ _____ Data do TX: _____/ _____/ _____


LAUDO PRELIMINAR CATETERISMO DIREITO/BIÓPSIA ENDOMIOCÁRDICA


Dados Hemodinâmicos:

PA: __________ / _________ mmHg FC: __________ bpm

PAM: ____________ mmHg Sat O2: _______ %


PVC: ____________ mmHg VD: _________ / ________ mmHg

AD média: ________ mmHg PAP: ________ / ________ mmHg


Biópsia Endomiocárdica:

Retirados ________ fragmentos e acondicionados em frasco próprio com formol.


IVUS:  6 semanas (controle)

 1 ano


Espessamento da íntima:  sim _______ mm  não

Localização: ______________________________________________


Coronariografia:  6 semanas (controle)

 Anual: ________ anos pós-TX

Placa obstrutiva:  sim  não

Localização: ______________________________________________


Conclusão: ______________________________________________________________________________________________________________________________________________________

_______________________________________________



Assinatura e Carimbo Médico





Catálogo: arquivos -> Textos
arquivos -> Estado de santa catarina requerimento de certidão de tempo de contribuiçÃo ctc e declaraçÃo de tempo de contribuiçÃo dtc
arquivos -> Encargos sociais: regime para empresas normais
Textos -> Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Pró-Reitoria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas
Textos -> A obrigatoriedade do uso do cinto de segurança nas rodovias federais brasileiras
Textos -> Licença em decorrência de adoção de criança por servidor público solteiro
Textos -> História e atualidade dos Direitos Humanos Giuseppe Tosi
Textos -> Extinção de benefício fiscal e inconstitucionalidade da regulação de crédito-prêmio de ipi por ministro da Fazenda
Textos -> Aquisição do controle acionário do bcn pelo Bradesco deve ser submetida a prévia aprovação do Cade


Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8


©principo.org 2019
enviar mensagem

    Página principal